11 de janeiro de 2016

Uma Inquisição Mundial para Matar Homossexuais?


Uma Inquisição Mundial para Matar Homossexuais?

Julio Severo
De acordo com a entidade esquerdista People for the American Way (Pessoas a favor do Jeito Americano), em seu projeto Observatório da Direita, Theodore Shoebat postou um vídeo que declara que a “xariá homo sodomita” está sendo imposta nos Estados Unidos por “bastardos sodomitas” e “bichas” que nada fazem senão “sair por aí espalhando AIDS.”
O Observatório da Direita disse: “A única solução, ele declarou, é a imposição de uma lei mundial criminalizando a homossexualidade, uma lei que será executada por uma Inquisição moderna com poderes de matar gays.” De acordo com esse site, Shoebat disse, “Creio em Inquisições, creio que precisamos ressuscitar o sistema da Idade Média que nós católicos tínhamos; não tínhamos problemas com bichas.”
“‘É a tirania homossexual e precisa ser destruída,’ Shoebat continuou, ‘a dominação mundial cristã precisa ser estabelecida e a homossexualidade precisa ser considerada como crime. E os homos precisam ser avisados, ei, vocês têm de parar com isso e se não pararem com isso, então, lamento, nós temos uma Inquisição e essa Inquisição aplicará a pena de morte, conforme a Bíblia nos instrui.’”
Quando Shoebat fala sobre “dominação mundial cristã,” isso não inclui protestantes, evangélicos, pentecostais, neopentecostais, etc.
Será que um ressurgimento da Inquisição tem apoio da Bíblia? A Igreja no Novo Testamento nunca apoiou nenhuma Inquisição para torturar ou matar pecadores. A missão dela era pregar o Evangelho da Salvação a eles.
A Igreja fora do Novo Testamento usava a Inquisição contra os pecadores e dissidentes, aos quais ela chamava de “heréticos.” A maioria desses “heréticos” eram protestantes que criam na Bíblia de um modo desaprovado pela Igreja Católica. Judeus fieis ao judaísmo eram também considerados “heréticos.”
O Observatório da Direita, um canal esquerdista que monitora e difama conservadores, não vê diferença entre a Igreja no Novo Testamento e a Igreja fora do Novo Testamento. A verdade é que parece que o Observatório da Direita tem a intenção de usar o caso de Shoebat, o qual é estritamente católico, para retratar todos os cristãos (católicos, protestantes e ortodoxos) como apoiadores da Inquisição.
Essa não é a realidade. De fato, o Observatório da Direita, que tem muitas vezes me atacado por causa de minha postura pró-família contra a agenda gay, deveria saber que eu tenho sido criticado no Brasil por católicos alegadamente direitistas que desculpam ou até mesmo defendem a Inquisição.
Não quero uma volta da Inquisição. Há maneiras melhores de lidar com o problema do homossexualismo. A América conservadora de George Washington era suficiente para proteger sua sociedade de uma bagunça ideológica homossexual sem expor judeus e protestantes à ameaça mortal da Inquisição. Washington, que era evangélico, nunca usou nenhuma Inquisição católica. O historiador Bill Federer disse:
Conforme está registrado nos “The Writings of George Washington” (10 de março de 1778, 11:83-84, Gráfica do Governo dos EUA, 1934), George Washington ordenou: “Numa corte marcial geral, o tenente Enslin, do regimento do coronel Malcom, foi julgado por tentar cometer sodomia com o soldado John Monhort… que ele seja sentenciado a ser dispensado do serviço militar. Eu, o comandante-em-chefe, aprovo a sentença e com nojo e ódio de tais crimes infames ordeno que o tenente Enslin seja expulso do acampamento amanhã de manhã com anúncio público e alto para nunca mais voltar.”
Washington, o Pai dos Estados Unidos, ordenou que um soldado fosse expulso por tentar cometer um ato de sodomia. Em contraste, a Inquisição ordenaria que ele fosse executado, conforme Shoebat preferiria.
No entanto, se Shoebat tiver seu desejo realizado, quem poderá impedir a Inquisição católica de perseguir outros grupos? Judeus e protestantes eram vítimas favoritas da Inquisição original.
Shoebat tem artigos que atacam ferozmente o islamismo, e com toda razão, pois o islamismo é violento, principalmente contra os cristãos. Ele tem expressado a ideia de que os católicos deveriam “extirpar a maldade do islamismo.” Presumivelmente, ele aprovaria a Inquisição para estender sua força contra os islamistas. Mas é muito duvidoso que ele manteria a Inquisição limitada só aos homossexuais e islamistas.
Em 2014, Theodore Shoebat escreveu um artigo intitulado “O Islamismo é uma Forma de Protestantismo, que Quer Destruir a Igreja Católica.”
Então, se o islamismo é uma forma de protestantismo, ambos são igualmente malignos, na opinião dele. Se eles são malignos, por que não aprovar a Inquisição para ambos? Se Shoebat pode extirpar a maldade do islamismo, por que ele não poderia extirpar a “maldade” do protestantismo? Isso foi tentado, pela Inquisição original séculos atrás.
Alguns católicos, como Shoebat, que desejam uma Inquisição ressuscitada não ficarão contentes de vê-la agindo apenas contra homossexuais. Mais cedo ou mais tarde, eles quererão que ela aja também contra os “heréticos” que “ameaçam” a Igreja Católica.
Uma volta da Inquisição católica não é o que todas as pessoas, até mesmo bons católicos, querem. Esse é o desejo de uma minoria extremista como Shoebat.
A Inquisição e outros atos malignos da Igreja fora do Novo Testamento têm sido usados por esquerdistas para condenar cristãos que vivem de acordo com a Igreja no Novo Testamento.
Franklin Graham, presidente da Associação Evangelística Billy Graham, disse sobre a Inquisição: “Muitas pessoas na história usaram o nome de Jesus Cristo para fazer coisas malignas para realizar seus próprios desejos. Mas Jesus ensinou paz, amor e perdão. Ele veio para dar Sua vida pelos pecados da humanidade, não para tirar a vida de ninguém.”
No final das contas, o que vale é: Se você crê em Jesus, você não quer nada a ver com a Inquisição. Se você crê na Inquisição, você não quer nada a ver com Jesus.
Se People for the American Way fosse honesta, informaria seu público de que a Inquisição tem sido denunciada há séculos por judeus, protestantes e a maioria dos católicos, que certamente trabalharão para destruir qualquer tentativa de ressuscitar essa máquina macabra de tortura e morte.
Shoebat tem criticado outros cristãos que se opõem às suas posturas pró-Inquisição. Ele tem criticado especialmente Peter Labarbera, diretor de Americans For Truth About Homosexuality (Americanos pela Verdade da Homossexualidade), chamando-o de “porco imundo” e “traidor” porque ele rejeitou a postura pró-Inquisição de Shoebat contra os homossexuais. Xingamento é conduta típica de esquerdistas e ativistas pró-Inquisição.
“Traidor”? “Trair” a Inquisição e seus defensores não é trair o Evangelho. Aliás, uma inquisição ressuscitada acabaria alcançando LaBarbera, que é um protestante conservador, e outros cristãos que amam e pregam o Evangelho para homossexuais e outros pecadores. Se a Inquisição original não poupou protestantes, como é que sua versão moderna daria um jeito de poupar LaBarbera?
Além disso, não é surpresa que Shoebat usou linguagem abusiva contra LaBarbera. Uma linguagem suja e demonização precedem um desejo e intenção de destruir suas vítimas. Um ativista pró-Inquisição acaba insultando ativistas pró-família e, se ganhar poderes políticos e legais suficientes, poderia fazer muito mais do que só xingar.
Fatos que Shoebat deveria saber:
Um bom católico não insulta líderes pró-família.
Um bom católico não fala palavrões.
Um bom católico não apoia a Inquisição.
Entretanto, com suas opiniões radicais, Shoebat dá munição para entidades esquerdistas oportunistas e maliciosas como Right Wing Watch difamarem, xingarem e atacarem cristãos que, como LaBarbera e George Washington, nunca torturaram nem mataram em nome de um governo tirânico ou de um “cristianismo” falso e violento. A verdade é que, de acordo com a Inquisição original, o próprio Washington seria digno de morte, apenas por ser protestante.
A Esquerda faz a festa em cima da loucura pró-Inquisição e a usa para atacar líderes pró-família que não querem nada a ver com a Inquisição. Quando Shoebat apoia a Inquisição e insulta LaBarbera ele colabora com a Esquerda em seus ataques contra o movimento pró-família.
Conforme entendo, Shoebat era no passado muçulmano. Mais tarde, ele virou evangélico e em algum ponto ele viu que uma igreja evangélica não era suficientemente radical para ele, mas era suficientemente “herética.” Então ao que tudo indica ele escolheu uma versão pervertida do catolicismo. Entretanto, por que um católico pró-Inquisição? Ele não poderia escolher se tornar um bom católico pró-vida, interessado em salvar bebês inocentes em vez de apoiar tortura e massacre de pessoas por meio de uma Inquisição moderna?
Ainda que Shoebat se considere um católico pró-vida, eu o encorajaria a ler meu artigo: Um ativista pró-vida pode defender a Inquisição?
Versão em inglês deste artigo: A Global Inquisition to Put Homosexuals to Death?
Leitura recomendada:

7 comentários :

Tito Zultanski Sobrinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tito disse...

Excelente comentário sobre a inquisição do século 21, realmente Walid Shoebat mudou seu perfil, agora está criticando os evangélicos e protestantes em geral e promovendo a idolatria.
Além de levar seus seguidores católicos (mas não os verdadeiros) a abraçar também uma ressurreição das antigas cruzadas contra os muçulmanos.
A poucos dias "Armageddon News" postou uma carta aberta para Shoebat e seu filho Theodore falando sobre todos este itens, talvez você leu.
Julho, continue escrevendo artigos como este pois o povo de Deus precisa de esclarecimentos.

Leonardo Melanino disse...

Como todos nós sabemos, defender a pena de morte para crimes hediondos não significa defender Cruzadas, Inquisições, nem quaisquer autoritarismos ou totalitarismos. Sobre Cruzadas ou Inquisições, aviso a todos que nem denominações, nem religiões salvam ninguém. Evangelizações não significam proselitismos. Então, deixemos nossas denominacionalidades ou nossas religiosidades de lado e verdadeiramente evangelizemos no Mundo inteiro, pois isto gera guerras santas.

Esther disse...

Tito, você poderia colocar aqui o link dessa carta aberta do Armageddon News, por favor?
Procurei, mas não encontrei.

Anônimo disse...

A inquisiçao contra a verdade começou no Eden e continua até o dia de hoje, massacrando almas, destruindo vidas, enganando pessoas, desvirtuando a fé...

Magnólia disse...

Parabens
Otimo artigo.

Afonso Soares disse...

Tenho lido alguns posts desse rapaz, Theodore Shoebat, e a conclusão que cheguei é que ele tem um problema muito mal resolvido sexualmente falando. Devia aprender com Cristo quando tratou a questão de Maria Madalena. Pecados diferentes com o mesmo tipo de pena. E ambos, pai filho, a meu ver, nunca aceitaram a Jesus verdadeiramente.