6 de janeiro de 2016

Sem amor, de que vale nossa caridade, sacrifício ou conhecimento teológico ou espiritual?


Sem amor, de que vale nossa caridade, sacrifício ou conhecimento teológico ou espiritual?

O Apóstolo Paulo disse:
Se eu falar com eloquência humana e com êxtase própria dos anjos e não tiver amor, não passarei do rangido de uma porta enferrujada.
Se eu pregar a Palavra de Deus com poder, revelando todos os mistérios e deixando tudo claro como o dia, ou se eu tiver fé para dizer a uma montanha: “Pule!” e ela pular e não tiver amor, não serei nada.
Se eu der tudo que tenho aos pobres e ainda for para a fogueira como mártir mas não tiver amor, não cheguei a lugar algum.
Assim, não importa o que eu diga, no que eu creia ou o que eu faça: sem amor, estou falido.
O amor nunca desiste.
O amor se preocupa mais com os outros que consigo mesmo. O amor não quer o que não tem. O amor não é esnobe, não tem a mente soberba, não se impõe sobre os outros, não age na base do “eu primeiro”, não perde as estribeiras, não contabiliza os pecados dos outros, não festeja quando os outros rastejam, tem prazer no desabrochar da verdade, tolera qualquer coisa, confia sempre em Deus, sempre procura o melhor, nunca olha para trás, mas prossegue até o fim.
O amor nunca morre.
A palavra inspirada um dia será esquecida; a oração em línguas vai passar; o entendimento alcançará seu limite.
Nós conhecemos apenas parte da verdade e o que dizemos a respeito de Deus é sempre incompleto. Mas, quando o que é Completo chegar, tudo que é incompleto em nós deixará de existir.
Quando eu era bebê, no colo da minha mãe, eu balbuciava como qualquer bebê. Depois que cresci, deixei para sempre essas coisas de bebê.
Hoje, não vemos as coisas com clareza. Estamos como que num nevoeiro, enxergando com dificuldade por entre a neblina. Mas isso não vai durar muito. O tempo vai melhorar, e o Sol vai aparecer! Então veremos tudo tão claramente quanto Deus nos vê, conhecendo-o diretamente, assim como ele nos conhece!
Mas, por enquanto, até chegar a perfeição, temos três coisas que nos guiam até a consumação de tudo: confiança firme em Deus, esperança inabalável e amor extravagante. E o melhor desses três é o amor.
Fonte: 1 Coríntios 13:1-13 A Mensagem
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Caridade sem exibição e espetáculo

5 comentários :

Leonardo Melanino disse...

Amores sem disciplinas, justiças ou ordens são anarquias, cumplicidades ou impunidades. Amores sem fés são sentimentalismos. Amores sem caridades são soberbas ou timidezes. Amores doentios ou excessivos são idolatrias ou obsessões. Isso significa que eles têm limites, pois amar alguém doentiamente, excessivamente ou indevidamente gera sofrimentos para ambos os lados.

paulo silveira disse...

leia



La fondatrice des Femen au Brésil demande pardon aux chrétiens. Elle se déclare désormais pro-vie et pro-famille !
http://www.ndf.fr/nos-breves/06-01-2016/la-fondatrice-des-femen#.Vo1QXbYrLGg

Anônimo disse...

O amor de Deus se chama JESUS CRISTO...quem tem Ele gravado em seu seu coraçao (a Palavra, a doutrina) tem a vida eterna, quem nao tem...é sò blà-blà-blà (Jo 14:21,23,24 e 1 Jo 2:5-6).

Ass: Rodrigues

Anônimo disse...

A grande maioria das pessoas falam de Deus, mas suas obras os condenam (Tito 1:16); tais falastroes mentem, nao andam na doutrina apostolica, invertem as coisas para satisfazer a carne, adaptam o Evangelho aos modernismos e às culturas, tiram dinheiro das pessoas, praticam fornicaçao, enganam seus semelhantes nos negocios, dizem que determinado ensinamento serve somente pra uma determinada igreja, etc...
Na verdade, os tais nunca conheceram a caridade de Deus para com o homem, que se chama JESUS CRISTO, a Palavra de Deus (1 Jo 4:9).
Nisso a Escritura Sagrada é muito clara: quem guarda a Palavra de Deus ("pratica a justiça") é de Deus, quem nao guarda, nunca O conheceu, mas é do diabo (1 Jo 3:8-10).
Assim sendo, se alguem diz que é servo de Deus, deve confessa-Lo com as suas OBRAS (1 Jo 3:18) e nao somente com palavras, ou seja, deve crer verdadeiramente em seu coraçao (Rm 10:9).
Sejamos humildes, nao é o homem quem define o que é caridade, mas, sim, a Palavra de Deus (a unica verdade). Abaixemos as nossas cabeças e reconheçamos nossa insignificancia diante do Criador.

Ass: Rodrigues

Anônimo disse...

Quem tem Cristo tem a vida...quem nao tem, ainda esta morto!!!
Quem é Cristo? A Palavra de Deus, o caminho que nos leva ao ceu.
Aquele que diz acreditar em Cristo tem que produzir as obras de Cristo, começando pelo batismo EM NOME DE JESSUS CRISTO que serve para Judeus - Atos 2:38, para Samaritanos - Atos 8:16, para Gentios - Atos 10:48, para os discípulos de João Batista - Atos 19:1-5, para mim e para você.