19 de dezembro de 2015

Marco Feliciano não pode mais informar sobre perseguição aos evangélicos?


Marco Feliciano não pode mais informar sobre perseguição aos evangélicos?

Pressão supostamente causa remoção de post de página de Facebook de Feliciano

Julio Severo
O Facebook, ou a equipe do deputado federal Marco Feliciano, removeu hoje um post do pastor assembleiano que divulgava em sua página uma notícia do portal GospelPrime sobre perseguição de católicos mexicanos aos evangélicos, inclusive com prisões. O título da notícia do GospelPrime é: “Evangélicos são presos por recusarem conversão ao catolicismo.” Em pouquíssimo tempo, o post de Feliciano obteve mais de mil curtidas e inúmeros comentários, de evangélicos e “católicos.”
Oficialmente, o post consta agora como “removido,” conforme este link.
Logo depois de sua publicação, apareceu uma enxurrada de comentários supostamente católicos avisando Feliciano, em coro, que a divulgação da notícia do GospelPrime estava dividindo a aliança conservadora entre católicos e evangélicos. Isto é, informar sobre a grave perseguição que evangélicos no México sofrem de católicos é algo que os comentaristas supostamente católicos não tolerarão em Feliciano.
Todos esses supostos “católicos” insistiram para que Feliciano removesse o post.
Conforme pude perceber, a maioria desses comentaristas era olavete — seguidores do filósofo Olavo de Carvalho. Nenhum deles se priva do direito de criticar os evangélicos em suas próprias páginas. Aliás, até o Olavo xinga os evangélicos e exalta a Inquisição (que torturava e matava judeus e evangélicos), mas nunca o vi remover nenhuma de suas afrontas aos evangélicos por pressão de “felicianistas.”
Por que Feliciano deveria agora ceder às pressões de olavetes? Como o próprio nome já diz, um olavete não segue fielmente nem valores evangélicos nem valores católicos. Ele segue o Olavo, a quem geralmente trata como “mestre.”
Os olavetes não se calam nem se castram com preocupações de que suas críticas rotineiras aos evangélicos vão “dividir a aliança conservadora entre católicos e evangélicos.” Se “felicianistas” reclamarem na página do Olavo ou seus seguidores de ataques aos evangélicos, os ataques, recheados de xingamentos, vão aumentar.
Mas no caso da divulgação que Feliciano fez, sem nenhum uso de xingamento e afronta, da notícia do GospelPrime, ele é obrigado a ceder às pressões? Ele é obrigado a se submeter? Ele é obrigado a se castrar para supostamente não dividir a aliança conservadora entre católicos e evangélicos?
Se um portal católico divulgasse notícia de evangélicos no México prendendo e perseguindo católicos, eu jamais reclamaria com o portal. Pelo contrário, eu me oporia totalmente à perseguição evangélica aos católicos. Essa é a atitude certa.
Esse é um dos motivos por que tenho apoiado, seguindo o bom exemplo do Franklin Graham (presidente da Associação Evangelística Billy Graham), a intervenção militar russa na Síria. Como bem disse Graham, essa intervenção beneficia os cristãos sírios, cuja maioria são ortodoxos e católicos.
Se os evangélicos fossem contra católicos, aconselhariam o presidente russo Vladimir Putin a sair da Síria e deixar os católicos morrerem nas mãos dos muçulmanos.
Quando os católicos são perseguidos, os evangélicos levantam a voz contra seus opressores muçulmanos.
Tenho certeza absoluta de que católicos verdadeiros, que não estavam presentes no post do Feliciano, teriam condenado a perseguição de católicos mexicanos aos evangélicos.
Quanto aos olavetes, que por nada neste mundo deixam de criticar os evangélicos, mas não aceitam nenhuma notícia negativa sobre católicos, não quero imaginar o que eles fariam com os evangélicos se eles estivessem com as turbas “católicas” antievangélicas do México.
Quanto ao Pr. Marco Feliciano, dois anos atrás ele estava sozinho e sofrendo ataques de todos os lados (inclusive de evangélicos e católicos esquerdistas). Mas ele não cedeu. Ele teve coragem de manter suas convicções sobre a conduta homossexual.
Depois de tudo isso, ele deveria ceder e perder a coragem só por causa do descontentamento de olavetes fanáticos sobre uma notícia de perseguição de católicos mexicanos aos evangélicos?
Como Feliciano poderá perceber, cedo ou tarde, a truculência ideológica dos olavetes não se dirige exclusivamente aos socialistas, mas também a todos os que discordam de suas posições particulares, inclusive a defesa intransigente da Inquisição católica, que torturava e matava judeus e evangélicos.
Para um olavete, discordar da Inquisição transforma o discordante virtualmente num odioso petista.
Hoje, para aplacar a fúria dos fanáticos, Feliciano castra sua própria liberdade de expressão e remove uma notícia necessária sobre perseguição contra evangélicos. O que ele fará amanhã para ceder a eles? Ele também desculpará a Inquisição?
Leitura recomendada:

8 comentários :

Julio Severo disse...

Gente, a hostilidade dos olavetes contra o post do Feliciano estava tão grande que não consegui ficar de fora e postei alguns comentários lá também. Era uma questão de solidariedade aos evangélicos perseguidos no México, mas os olavetes estavam absurdamente retratando o post como divisivo. Isso é, para derrubar o PT em unidade com os católicos, os evangélicos são obrigados a sofrer calados perseguição de evangélicos por parte de católicos no México. Quanta vergonha! Quanta covardia!

Daniela disse...

Os olavettes são hiper-sensíveis. Quando evangélicos publicam textos que eles interpretam como críticos ao catolicismo, eles vociferam e quebram o pau em cima. Quando evangélicos reclamam de textos de olavettes que atacam evangélicos, os olavettes quebram o pau. Porém, quando católicos criticam o Mestre Olavão, eles é que levam paulada sem dó nem piedade. Viram heréticos.

Anônimo disse...

Não podemos deixar de registrar as perseguições de um grupo contra o outro, apenas a título de não causar divisões em lugares onde estes grupos estão unidos em torno de uma mesma causa.
Quando houve aquela parada gay em São Paulo, na qual vários símbolos do catolicismo foram ridicularizados, a maior manifestação contrária a estes atos se deu no congresso nacional, feita por deputados que, em sua grande maioria, eram evangélicos (inclusive o Marco Feliciano). Para os evangélicos aqueles símbolos religiosos, como imagens, não têm nenhum significado (nem deveriam ter). Portanto, quando alguém profana tais símbolos, não atinge o povo evangélico. Naquela manifestação, os evangélicos não estavam defendendo os símbolos, mas sim indo contra um atentado a uma religião (a católica). Atos de perseguição devem sempre ser, no mínimo, registrados, independente de quem sejam os perseguidores e os perseguidos. Não se pode ficar calado diante de perseguições, sejam elas de católicos contra evangélicos ou de evangélicos contra católicos. Também não podemos pactuar com aqueles que perseguem as religiões afro ou qualquer outro grupo (gays e etc.), pois nós, evangélicos, sabemos que o coração das pessoas não se modifica com o uso da força e sim com o usa da Palavra de Deus. No entanto, como cidadãos, temos o nosso direito de nos defendermos quando qualquer grupo tenta impor leis ou comportamento contra nossos valores.

Sebastião

Anônimo disse...

Parece que, na verdade, os que estão perseguindo os evangélicos no México não são católicos de verdade, mas indígenas sincretistas, isto é, indígenas que misturam suas crenças indígenas com o culto aos santos; algo semelhante com o que fazem certos afrodescendentes no Brasil em religiões como o candomblé. Será que esses sincretistas podem mesmo serem chamados de católicos? Vejam essa notícia:

Cresce perseguição a evangélicos no México

Um dos países com maior percentual de católicos-romanos no mundo, o México não figura entre os países com perfil de perseguição a evangélicos. Entretanto, de acordo com notícias veiculadas em agências internacionais, tem sido constantes os relatos sobre hostilidades, discriminações, tumultos e violências de todas as espécies contra os cristãos evangélicos naquela nação norte-americana.

Especialmente no sul do país, no município de Chiapas, onde predominam as comunidades indígenas que professam o “catolicismo tradicional” (sincretismo entre rituais e superstições nativas com o catolicismo romano), as perseguições têm sido corriqueiras. As informações dão conta que apenas os seguidores do catolicismo tradicional têm direitos a praticar sua religião e forçam o restante da população a se converterem.

http://ibcj.com.br/cresce-perseguicao-a-evangelicos-no-mexico/

Fernando Costa disse...

É realmente decepcionante a atitude do pastor frente a essas críticas. Eu vejo que essa 'aliança' com o catolicismo é muito desvantajosa para nós,não precisamos dela,sempre fomos mais fortes do que eles sozinhos.

Anônimo disse...

Imaginem se todos que se dizem cristãos o fossem de verdade, seguindo a doutrina dos apóstolos?!
Imaginem se todos que usam a Bíblia fossem cristãos de verdade?!
Certamente o mundo seria outro e o conceito dos cristãos não seria esse que ouvimos, mas seria conforme o conceito da igreja primitiva (At 2:42-47).
As demais religiões têm toda a razão de achar que o cristianismo é um fracasso e uma bagunça, não o legítimo, é claro, mas esse que está aí, onde cada qual segue aquilo que lhe apraz e não aquilo que o Espirito Santo revelou.
As igrejas ditas cristãs dos nossos dias praticam coisas esdruxulas em nome do Senhor, tais como: idolatria, comunismo, paganismo, subtração de bens, propaganda enganosa, etc.

Leony disse...

Júlio, é pq alguns que se dizem ser seguidores de Jesus não tem Ele como Deus. E mais uma vez se cumpre o que Jesus disse:

Marcos 13:13 - E sereis odiados por todos por amor do meu nome;"

Claudio Elias Do Nascimento disse...

Gosto muito de assistir os DVD de mensagem do Feliciano ele prega muito bém
Ele já veio pregar aqui no centro esportivo do Eldorado tinha no minimo uns 500 carros na rua ao lado depois com toda simplicidade ele tirou fotos com muita gente,as vezes ouve um engano nos todos amamos os catolicos espiritas etc...
Eu fico feliz em ver os catolicos cantando nossas musicas evangelicas fazendo repouso no espirito libertação etc..