23 de novembro de 2015

Igreja Católica recebe milhões de dólares para facilitar invasão de imigrantes nos EUA


Igreja Católica recebe milhões de dólares para facilitar invasão de imigrantes nos EUA

Julio Severo
Os maiores beneficiários da invasão de imigrantes nos EUA têm sido o islamismo — e a Igreja Católica, de acordo com um escritor católico americano. Se ele estiver certo sobre o grande envolvimento da Igreja Católica na invasão de imigrantes nos EUA, sua reportagem poderá ser uma pista importante para seus colegas católicos entenderem a invasão islâmica na Europa.
Embora o ganho islâmico seja óbvio, especialmente em expansão demográfica e religiosa na Europa e EUA, o ganho católico, que não tem sido tão evidente, tem sido principalmente financeiro.
A fonte dessa informação é Cliff Kincaid, um católico americano que geralmente vê conspiração e culpabilidade dos russos em todos os problemas do universo, mas que foi incrivelmente capaz de localizar esse problema imenso em sua própria igreja.
Kincaid disse: “De acordo com seu relatório financeiro para o ano de 2014, o ano mais recente com estatísticas disponíveis, a Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos recebeu mais de 79 milhões de dólares em verbas governamentais para fornecer benefícios para os refugiados.”
Ele acrescenta que o governo dos EUA deu mais de 1,5 bilhão de dólares para organizações católicas durante os dois anos passados. Essas estatísticas incluem um aumento de 440 milhões (2008) para mais de 554 milhões (2010) só para uma organização católica: Catholic Charities USA.
De acordo com Kincaid, só a Conferência dos Bispos Católicos dos EUA recebe mais de 70 milhões de dólares de impostos por ano para recolonizar milhares de imigrantes, inclusive um grande número de muçulmanos, em cidades americanas que não suspeitam de nada. Catholic Charities em todo o território americano recebe mais milhões para fazer esse mesmo tipo de trabalho também.
Será que a Igreja Católica nos EUA se tornou um mero braço do Estado Assistencialista dos EUA?
Durante sua visita aos EUA, o Papa Francisco louvou as políticas pró-imigração do governo de Obama. E em resposta à recente onda de muçulmanos fugindo do Oriente Médio, Francisco apelou para os católicos da Europa, pedindo que toda paróquia, comunidade religiosa, monastério e santuário recebam uma família de refugiados. É certo que esse apelo beneficiará os invasores islâmicos. Mas quanto dinheiro, de parcerias governamentais, a Igreja Católica da Europa receberá por tudo isso?
Sobre os EUA, Kincaid disse: “A Igreja Católica nos EUA claramente preferiria trazer para os EUA imigrantes da América Latina, onde o catolicismo é ainda forte, e tê-los como membros das igrejas católicas nos EUA. O Centro Católico de Pesquisas Aplicadas no Apostolado informa que 40 por cento de todo o crescimento de paroquianos registrados em paróquias católicas dos EUA entre 2005 e 2010 foi de católicos hispânicos ou latino-americanos. Mas mesmo com a imigração em massa da América Latina, congregações católicas nos EUA estão ainda sendo fechadas. Uma organização chamada Future Church informa que centenas de paróquias foram fechadas ou incorporadas na Cidade de Nova Iorque, Filadélfia, Boston, Cleveland e muitos outros lugares urbanos e rurais. ‘Recentemente,’ essa organização informou, ‘a Arquidiocese de Nova Iorque incorporou ou fechou mais de 70 paróquias.’”
“O livro ‘The Red-Green Axis: Refugees, Immigration and the Agenda to Erase America,’ escrito por James Simpson, comenta que a Igreja Católica tem sido uma parte muito importante do movimento esquerdista que quer que os EUA abram suas fronteiras,” disse Kincaid. É óbvio que mais imigrantes nos EUA significa mais milhões de dinheiro de impostos para a Igreja Católica.
O site Observatório de Recolonização de Refugiados, de Ann Corcoran, comenta que a Igreja Católica Romana Santa Trindade em Syracuse, Nova Iorque, foi fechada pela Igreja Católica e foi alugada para uma sociedade islâmica que mudou o nome dela para Mesquita de Jesus Filho de Maria.
É o papel da Igreja Católica, em colaboração com o governo americano, para trazer milhares de “refugiados” aos EUA que fez com que Corcoran deixasse a Igreja Católica. Ela disse: “Em 2002, tendo sido criada na religião evangélica, me tornei católica. Durante alguns anos, adorei ser católica.” Tudo isso mudou começando em 2007 quando ela ficou sabendo que a Igreja Católica, em grande parte sendo financiada e dirigida pelo Departamento de Estado dos EUA, estava recolonizando “refugiados” majoritariamente muçulmanos nos EUA.
Como é que eu poderia ter dificuldade de acreditar na reportagem de Kincaid sobre a Igreja Católica facilitando a imigração islâmica? Em 2002, estive numa audiência sobre o aborto no Congresso Nacional, onde um proeminente deputado do PT disse que sua carreira política havia começado nas comunidades eclesiais da Igreja Católica. Essas comunidades, obcecadas pela Teologia da Libertação, estavam facilitando e até mesmo instigando revoluções marxistas no Brasil.
Em 2008, quando estive numa conferência pró-vida na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), um líder pró-vida católico me disse: “O Partido dos Trabalhadores nasceu aqui.” O PT é o partido que governa o Brasil. Então a Igreja Católica no Brasil muito facilitou o desastre marxista no Brasil. Minha única dúvida é se a Igreja Católica do Brasil recebeu dinheiro do governo para essa facilitação.
Eu pensava que a Igreja Católica dos EUA estava em melhor situação. E Kincaid também havia pensado que a situação no Brasil, que é a maior nação católica do mundo, estava melhor do que nos EUA, pois ele havia escrito uma reportagem no começo deste ano sugerindo que estava havendo uma “revolução antimarxista” no Brasil. Não, não houve. Mas tal revolução é extremamente necessária na Igreja Católica do Brasil, especialmente sua Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, fundada pelo cardeal marxista Hélder Câmara, que está em processo de beatificação.
Kincaid interpretou mal o cenário brasileiro, mas ao que tudo indica ele está certo sobre a situação católica nos EUA.
Depois que li a reportagem de Kincaid, conclui que a Igreja Católica não parece se importar com o fato de que os milhares de “refugiados” majoritariamente muçulmanos da Síria, do Oriente Médio e do Norte da África que estão invadindo a Europa e EUA vão mudar o panorama religioso e cultural dos EUA e Europa. Mas ela parece se importar muito com os milhões dólares de impostos que estão sendo canalizados através de suas instituições de “caridade” para “ajudar” imigrantes muçulmanos.
Ironicamente, enquanto os bispos católicos estão trazendo imigrantes muçulmanos para os EUA, congregações católicas estão sendo fechadas e muitas vezes virando mesquitas. O árabe é agora a língua que mais cresce nos EUA.
A situação é ainda pior na Europa, onde mais igrejas cristãs estão sendo fechadas e virando mesquitas. O islamismo está substituindo o Cristianismo como a religião dominante na Europa.
De acordo com Kincaid, os jornalistas americanos hesitam em investigar os milhões de dólares federais que estão indo para a Igreja Católica dos EUA. Qual é a fonte dessa hesitação ou medo?
A caridade é uma bela virtude cristã. Mas receber milhões do governo para trazer milhares de imigrantes muçulmanos não é caridade. É suicídio.
Miraculosamente, Kincaid não disse que o Kremlin ou Putin induziu a Igreja Católica a receber dinheiro do governo dos EUA.
Enquanto todos nós pensávamos que a Igreja Católica fazia caridade com dinheiro de seus próprios bolsos, é na verdade milhões, milhões e milhões de dinheiro governamental.
Mas a caridade cristã verdadeira não tem nada a ver com dependência ou parceria governamental.
Além disso, a suprema missão dos cristãos não é receber dinheiro do governo ou trazer milhares de imigrantes muçulmanos para nações cristãs. A missão deles é levar Cristo aos muçulmanos e outras pessoas. É enviar missionários cristãos para nações muçulmanas.
Mas onde há envolvimento de dinheiro governamental, o propósito e missão cristã são corrompidos e prostituídos.
Fico tentando imaginar quantas organizações protestantes estão igualmente recebendo dinheiro de imposto para facilitar a imigração islâmica. Essa caridade pervertida é normal entre protestantes esquerdistas.
Pelo menos na Igreja Católica dos EUA, parece que seus problemas, principalmente amor ao dinheiro governamental, começaram muito antes do Papa Francisco e outros papas.
Se é doloroso ver a Europa e os EUA sendo islamizados por milhares de imigrantes muçulmanos, é mais triste ver a Igreja Católica sendo paga para facilitar isso.
Com informações de Accuracy in Media. 
Leitura recomendada:
Artigos sobre Cliff Kincaid:

17 comentários :

Celia disse...

Não bastasse o PT mergulhando o Brasil em escandalos e agora a Igreja Catolica também atolada em lamaçal? É o fim da picada.

Anônimo disse...

Quero ver a desculpa que vai dar o prof. Olavo de Carvalho...

marcelo victor disse...

Enquanto isso, no Brasil, a Teologia da Libertação continua a produzir seus filhos e discípulos...mas, o que importa mesmo é que, em 2016, com superfaturamente ou não, teremos as olimpíadas bolivarianas na cidade maravilhosa:
https://www.facebook.com/natache.soutomedina/videos/10206770302068501/?pnref=story
Sinceramente, eu acho que, na verdade, esse vídeo trata dos atiradores brasileiros treinando pra representar o Brasil nas competições... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

MARCO ANTONIO disse...

O dinheiro sujo move tudo neste mundo, até igrejas. A Igreja Católica, se quisesse, poderia fazer caridade usando suas imensas riquezas mundiais, pois é provavelmente a igreja mais rica do mundo. Porém como revela o texto, trazer muçulmanos para o ocidente não é caridade, é suicídio.

um católico disse...

Pra quem conhece mais de perto a Igreja Católica, o fato de ela receber subsídios do Estado não é novidade. Eu, particularmente, vejo isso como uma forma de o Estado repassar à Igreja uma parte dos impostos que ela recebe dos católico. Uma vez comentei em um site católico sobre essa dependência da Igreja em relação aos subsídios estatais, e um outro católico me respondeu com hostilidade dizendo que a Igreja nunca dependeu de subsídios estatais para fazer caridade. Na época não respondi ao rapaz que me retrucou, por que o achei fanático demais para reconhecer algo que de certa forma é evidente. Até fiz uma observação sobre o comportamento do Papa Francisco, que, ao meu ver, tem passado através de suas atitudes uma mensagem de a Igreja procurar fazer mais caridade sem depender de ajuda do Estado. Por exemplo, o Papa Francisco tem visitado muitos lares que abrigam pessoas pobres. Ao meu ver, isso é uma forma de ele chamar a atenção dos católicos para se envolverem mais pessoalmente com a assistência aos pobres e necessitados. Quanto ao apoio da Igreja aos imigrantes, isso se deve ao marxismo e outras doutrinas heterodoxas que adentraram na Igreja; também ao fato de o Papa Francisco ser da Teologia da Libertação.

um católico disse...

O clero católico que apoia a imigração de muçulmanos é o clero de esquerda. Há também aqueles que o fazem simplesmente para obedecer o Papa, sem fazer questionamentos ou para evitar problemas dentro da Igreja. Há ainda também o clero de direita ou conservador que é contrário à imigração muçulmana. Vejam por exemplo essa notícia:
Bispo húngaro: “Isto é, na verdade, uma invasão muçulmana da Europa”.

O Papa Francisco está errado em pedir ajuda para o mar de refugiados; isto é, na verdade, uma invasão muçulmana da Europa, diz bispo húngaro.
http://fratresinunum.com/2015/09/25/bispo-hungaro-isto-e-na-verdade-uma-invasao-muculmana-da-europa/
Pope Francis is wrong in appealing for aid to sea of refugees; this is actually a Muslim invasion of Europe, says Hungarian bishop
http://www.christiantoday.com/article/pope.francis.is.wrong.in.appealing.for.aid.to.sea.of.refugees.this.is.actually.a.muslim.invasion.of.europe.says.hungarian.bishop/64104.htm

Durval disse...

So idiota não percebe que ha uma trama diabólica enrustida, pois o normal seria todos os refugiados muçulmanos irem p países muçulmanos. Quantos refugiados estão indo p Arabia Saudita por exemplo???

Anônimo disse...

É de extrema importância essas informações citadas, que servem para dar um parâmetro de como a Igreja Católica está sendo corroída desde dentro (não somente por leigos, mas também pelos mais altos postos hierárquicos). Mas vale ressaltar, que essa corrosão ocorre em esfera politico-estratégica e não entra de maneira (pelo menos até agora) no que diz respeito ao Magistério da Igreja. É só usar de bom senso para perceber que essa cumplicidade da "Igreja Católica" com esses esquemas citados no artigo não tem relação nenhuma com a doutrina da igreja. São feitos por pessoas mal intencionadas, que sabe bem o que estão fazendo.

António Costa disse...

DEUTERONÔMIO [10]
18 que faz justiça ao órfão e à viúva, e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e roupa.
19 Pelo que amareis o estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito

Qual é a alternativa ao acolhimento aos perseguidos/pobres de Africa/Médio Oriente? Deixá-los morrer nas fronteiras ou no mar? Quem tem resposta a esta questão intervenha...

Um grande abraço ao Julio Severo, que publica no seu blog todas as opiniões!

Anônimo disse...

Parabéns Julio Severo! Você mostra como trabalha um desinformante. A fonte de todos os problemas não é a Igreja Católica, mas Israel. Todas as fontes mostram como o estado maçom de Israel junto com o governo americano financia a entrada de muçulmanos na Europa, então você utiliza um neo-conservador, que você mesmo critica, para supostamente descobrir todo o esquema dos tais "imigrantes".

Agora sobre para os desesperados desinformantes como você apelar para todos os lados para tentar esconder a tática dos judeus sionistas na destruição da Europa. Você apenas quer limpar a barra dos sionistas culpando a Igreja Católica.

Desinformente!

Julio Severo disse...

Antonio, uma grande parte desses “refugiados” são homens de 19 a 35 anos — perfil de aptidão ao serviço militar. No caso deles, idade própria para a guerra islâmica. Essa é uma invasão planejada. Eles não estão simplesmente fugindo das guerras no Oriente Médio. Eles estão levando as guerras islâmicas do Oriente Médio para islamizar a Europa.

Leia mais aqui: Entendendo a invasão de imigrantes islâmicos na Europa

Anônimo disse...

O cavalo de troia moderno:
http://aquitailandia.blogspot.com.br/2015/11/hijra-o-cavalo-de-troia-modernoda-que_7.html

Anônimo disse...

Essa é boa hem Sr. Júlio, colocar um artigo de um neo-conservador, que o senhor não apoia, para tentar induzir os seguidores da sua seita a culpar a Igreja com a invasão dos imigrantes na Europa.
Isso é desonestidade intelectual.

Eduardo

Anônimo disse...

É claro que a culpa da onda imigratória islâmica na Europa não é da Igreja Católica, mas o texto em questão não está falando disso, mas do apoio que a Igreja Católica nos EUA tem dado a imigração muçulmana nos EUA. Isso é verdade, porque o Papa Francisco tem seguido a agenda da ONU para a migração muçulmana. Se quiser uma prova disso, leia este artigo da Rádio Vaticano:
inizio pagina

Apelo bispos dos EUA: não fechem as portas aos refugiados


Baltimore (RV) - Os bispos dos Estados Unidos pedem para não fechar as portas aos refugiados sírios que buscam asilo no país após os massacres de Paris. A partir de Baltimore, onde eles estão reunidos esta semana para a sua sessão de outono, os bispos condenaram veementemente os ataques e enviaram condolências às famílias das vítimas, mas também expressaram preocupação pelas reações de alguns políticos que pediram o fechamento das fronteiras para os refugiados do Síria, após a notícia da descoberta de um passaporte sírio ao lado do corpo de um dos atentadores.

Os refugiados sírios também fogem do terrorismo

“Estes refugiados também fogem do terrorismo e da mesma violência que atingiu Paris”, declarou em nome da Conferência Episcopal dos Estados Unidos o Presidente da Comissão Episcopal para os Migrantes, Dom Eusebio Elizondo. “Trata-se de famílias extremamente vulneráveis, de mulheres e crianças que partem para salvar suas vidas. Não podemos e não devemos considerá-los culpados pelos atos de uma organização terrorista”.

Não façam de todos os refugiados um bode expiatório

Na declaração Dom Elizondo recorda que os procedimentos para entrar nos Estados Unidos são já muito rígidos e complexos, e que se podem prever eventualmente medidas adicionais, mas não rejeitar a acolhidas a estas pessoas em dificuldade. Daí o apelo às autoridades a “intervirem para pôr fim pacificamente ao conflito sírio e para que os quatro milhões de refugiados possam regressar ao seu país e reconstruir suas casas”, em vez “de usar esta tragédia para fazer de todos os refugiados um bode expiatório”. Uma “grande nação” como os Estados Unidos, conclui a nota, deve “demonstrar liderança para conduzir outros Estados a proteger as pessoas em perigo e pôr fim aos conflitos no Oriente Médio”.

Recuse-se a acolher o estrangeiro ajuda os nossos inimigos

Na mesma linha as considerações apresentadas em uma publicação dos Serviços Católicos de Assistência (CRS), a agência caritativa dos bispos para as ajudas aos países além-mar, que explica em cinco pontos as razões para não “punir” os refugiados sírios pelos ataques de Paris. “Embora as preocupações de segurança sejam legítimas – lê-se no texto - os líderes e os políticos devem compreender que rejeitar a acolher o estrangeiro e não trabalhar em conjunto para resolver a crise dos refugiados só serve a ajudar os nossos inimigos”. (SP)
http://www.news.va/pt/news/apelo-bispos-dos-eua-nao-fechem-as-portas-aos-refu

De resto, como outro comentarista explicou, isso não afeta a doutrina da Igreja. As duas coisas têm de ser diferenciadas.

Anônimo disse...

A Babilonia vai cair, com todas as suas prostituiçoes, ladroices e comercio de almas!!!

Anônimo disse...

Irmão Júlio gostaria de saber seu email. Poderia me dar para lhe contactar?

Julio Severo disse...

juliosevero@hotmail.com