24 de outubro de 2015

Silas Malafaia critica lei que permite cidadão comum portar arma


Silas Malafaia critica lei que permite cidadão comum portar arma

O pastor Silas Malafaia publicou um vídeo em seu canal oficial no Youtube (https://youtu.be/mL6cNsTq8Wo) criticando o projeto de Lei 3722/2012, que deseja revisar a questão do acesso às armas no país. Ele acredita que a proposta seria um “lobby da indústria armamentista”.
Fez um apelo público para que os deputados da bancada evangélica não votassem a favor. Lembrou que os cristãos são “a favor da vida”, e listou uma série de medidas que deveriam ser tomadas para minimizar os crimes. Mas mostrou-se contrário à possibilidade de que o cidadão comum tenha até 6 armas em casa e 100 munições anuais, por arma.
O Projeto em questão é de autoria do deputado federal Peninha Mendonça (PMDB/SC), e pretende rever algumas questões no Estatuto do Desarmamento. A idade mínima para se portar armas passaria a ser de 21 anos e não mais 25.
Além de facilitar a obtenção de portes de armas de fogo, tornaria mais fácil a importação de munições. Prevê ainda que se alguém disparar arma de fogo, mesmo que machuque outra pessoa, não seria presa em flagrante caso “houver indícios” de que seja em legítima defesa.
A manifestação de Malafaia causou diversas reações na internet. Muitos criticaram a sua postura. Entre as várias colocações nas redes sociais, lembravam que o pastor Silas dirige uma Mercedes blindada.
De Julio Severo
Compreendo a postura de Malafaia, como pastor, de não querer ter arma para defesa pessoal. Se sua motivação é exclusivamente bíblica, ele deve ter uma fé tão grande na proteção de Deus que ele não precisa não trancar nem portas nem janelas na casa dele. Mas, infelizmente, a maioria, até mesmo dos evangélicos, não tem essa fé colossal.
Outra razão de Malafaia poderia ser a cultura. O evangélico brasileiro é, em parte, fruto da cultura brasileira, onde desde o Império até o governo militar, não era comum o cidadão comum ter arma. Era um luxo dispendioso geralmente reservado aos mais ricos. É um quadro muito diferente dos EUA, nação de maioria evangélica onde comprar arma sempre foi como comprar aspirina. Qualquer cidadão americano comum sempre teve acesso a armas. O evangelista Billy Graham tem uma coleção notável de rifles e revólveres.
O evangélico americano nasce numa cultura americana majoritariamente evangélica tradicionalmente favorável ao porte e uso de armas para defesa por parte do cidadão comum.
O evangélico brasileiro nasce numa cultura brasileira majoritariamente não evangélica tradicionalmente desfavorável ao porte e uso de armas para defesa por parte do cidadão comum.
O que fazer? Nesse assunto, sempre rejeitei a cultura brasileira e dei preferência para a cultura americana majoritariamente evangélica. Se Malafaia pensa diferente, ele não deveria portar armas. Mas fica inconveniente e até antibíblico ele impedir outros evangélicos de ter e usar armas para defesa.
Eu não condeno nenhum evangélico que é contra o uso de armas. Mas acho que quem é contra, não deveria impedir quem é a favor.
O Brasil hoje é um pais dominado pela violência de criminosos armados. Para combatê-la, o cidadão de bem precisa muito mais do que só janelas e portas trancadas. Ele precisa de uma arma. Se sempre deu certo para os evangélicos americanos, por que não vai dar certo para os evangélicos brasileiros?
O cidadão de bem porta arma porque ele é pró-vida. Um dos piores pesadelos é uma família totalmente desarmada ver um pai assassinado na frente dos filhos e esposa, ou a esposa ou filha sofrendo estupro dentro do próprio lar. Uma arma em casa dá chance de se defender a vida e a integridade do pai, esposa e filhas.
Para combater a violência desenfreada no Brasil, o cidadão precisa no mínimo de acesso econômico, fácil e garantido ao porte e uso de armas.
Portar arma em casa é lutar pela vida.
Silas, lute pela vida! Não lute contra os que lutam por ela!
Leitura recomendada sobre desarmamento:

14 comentários :

Nil disse...

Julio! Concordo plenamente com você. Se Malafaia e qualquer evangélico é contra as armas,não as use. Mas ! Não impeça outro de ter acesso a armas. Imagine. Um irmão,fazendeiro,vê na calada da noite um bando de ladrões roubando seu gado. Poderia dar uns tiros e assustar e por os ladrões em fuga. Mas ! Não pode fazer isso. O motivo ! Nem se quer tem uma arma. Não tem uma arma porque não permitido,está proibido de ter uma arma porque há pessoas que julgam que ninguém deve ter uma arma. A imposição de não ter armas vem sobre todos. Resultado vê seu gado sendo roubado, e não reage,enfrentar os bandidos com uma foice ou machado. Pode não ser uma boa ideia. Ultimamente tem ouvido muito de roubos á fazendas.

Para falar a verdade ! O pastor Silas Malafaia deveria se preocupar e muito é com outro assunto. http://holofote.net/crise-faz-editora-do-pastor-silas-malafaia-demitir-40-de-seus-funcionarios/

Como disse Júlio : "O evangélico brasileiro nasce numa cultura brasileira majoritariamente não evangélica tradicionalmente desfavorável ao porte e uso de armas para defesa por parte do cidadão comum." No entanto essa mesma cultura costuma atribuir o desemprego pelo aumento da criminalidade,se não me engano.
Será que o pastor Malafaia vai fazer um vídeo falando do desemprego que assola o Brasil nos dias de hoje. Seria! Muito bom que ele fizesse isto.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com sua posiçao, Julio.
Uma vez que o Estado nao garante a segurança dos cidadaos e, pelas leis, mostra claramente que nao a quer garantir, a soluçao é cada qual cuidar da sua propria segurança, como fazem a maioria das personalidades e das autoridades brasileiras (inclusiveas que são contra o porte de arma).
A Biblia diz: "Se Deus não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela". De fato, a segurança vem de Deus, todavia, ainda assim, a sentinela existe.

ÉLQUISSON disse...

Eu nunca usei uma arma em minha vida. Mas se algum criminoso tentar invadir a minha casa (ou tentar fazer algo contra alguém da minha família), eu não penso duas vezes: atiro para me defender (e até para matar em legítima defesa, se for necessário).

Muita gente, com certeza, iria me perguntar: "Mas você não é cristão? O verdadeiro cristão não tem medo de morrer. O verdadeiro cristão não usa armas. Você não confia no Deus em quem você crê?" Sim, eu realmente confio no Deus a quem eu sirvo. Porém, isso não significa que eu devo me expor deliberadamente ao perigo.

Em outras palavras: não é porque eu confio em Deus que eu vou deixar as portas da minha casa totalmente escancaradas para qualquer um (até mesmo um assassino) entrar. Eu tenho que confiar em Deus, mas eu também tenho que fazer a minha parte (ou seja, me proteger). A respeito disso, Jesus disse:

"Eis que Eu vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas" (Mateus 10:16)

Vejam como Jesus disse: "Sede prudentes". O verdadeiro cristão é prudente sempre. Se depender somente da polícia, eu sei que eu não vou ter segurança nenhuma (esta é que é a verdade)!

Alguém concorda comigo?

Nil disse...

Mais noticias sobre o DESEMPREGO.
http://veja.abril.com.br/multimidia/video/o-desemprego-nao-cunha-deveria-preocupar-dilma

Repito o que disse antes: "O evangélico brasileiro nasce numa cultura brasileira majoritariamente não evangélica tradicionalmente desfavorável ao porte e uso de armas para defesa por parte do cidadão comum." No entanto essa mesma cultura costuma atribuir o desemprego pelo aumento da criminalidade,se não me engano."

Como disse a cultura dominante no Brasil além de ser contra o porte de armas pelo cidadão, atribui ao desemprego culpa pelo aumento da criminalidade.
Faço uma OBSERVAÇÃO. Nos anos de muito crescimento e muito emprego no Brasil, a criminalidade não só se manteve firme e forte,como até cresceu e cresceu bem.
No entanto na nossa cultura dominante o desemprego é umas das causas mais fortes da criminalidade,marginalidade. Veja essa ideia defendida aqui.http://www.coladaweb.com/sociologia/fatores-geradores-da-violencia

Lógico ! Que essa mentalidade de que o desemprego causa marginalidade é um Àlibi perfeito para os marginais. Que podem alegar serem pobres desempregados e o desemprego os lançou no mundo do crime diante de um Justiça 'compassiva' e 'compreensiva'.
Mas ! Se você é um cristão fiel e sério a Deus, que diz em sua Palavra ser pecado roubar,traficar,explorar. Você não tem prêmio ou vantagem alguma. Se estiver desempregado e durante este tempo duramente lutar e nem se quer em pensar em roubar ou aproveitar de seu próximo. Saiba que não será condecorado por isso.
A nossa cultura brasileira tem muita coisa que só beneficia os marginais. Não é sem razão essa explosão de criminalidade.
O cidadão de bem muitas vezes só perde com essa cultura.

Robson Nascimento disse...

Apoiado!!!

Anônimo disse...


Júlio, o erro está não só nas leis brasileiras mas também na falta de cumprimento das que existem. A impressão que dá é que os princípios nos quais se baseiam estas leis possibilitam que elas sejam elaboradas de forma a dificultar muito a prevenção e punição de crimes. Recentemente uma jovem alcoolizada atropelou e matou dois pais de família que estavam pintando uma faixa em São Paulo. Esta jovem não ficou nem dois dias presa. Caso a lei que pune pessoas que sejam flagradas ao volante com doses de álcool acima do permitido fosse bastante dura, ou seja, permitisse que ficassem detidas de imediato por um longo tempo aguardando julgamento, acredito que não se sentiriam impunes para continuar arriscando a vida dos outros e as suas. Parece que nossas leis exigem que os crimes sejam cometidos para que haja punição, não basta que, conscientemente, assuma o risco de cometer crimes (como dirigir alcoolizado). O pior é que ninguém é obrigado a fazer o teste do bafômetro já que, com base no princípio de que ninguém é obrigado a produzir provas contra si, as pessoas têm todo o direito de se negar. Este princípio foi construído em um contexto (acredito) e tem sido aplicado de forma generalizada. Voltando as armas; caso alguém que fosse flagrado com armas ficasse detido por longo tempo, muitos bandidos estariam fora de circulação, pois são eles os mais pegos com armas. Com isto, a tendência seria diminuir, com o tempo, muitos crimes e muitas humilhações (espero não estar sendo ingênuo).
Na minha experiência de vida tenho constatado que muitas brigas entre vizinhos ou entre colegas de trabalho ou de trânsito poderiam dá em morte se os envolvidos estivessem armados. Por outro lado, se o estado não dá conta de retirar as armas dos bandidos, é meio difícil pedir aos cidadãos que não se armarem.
Os Estados Unidos são rígidos no cumprimento de suas leis e seus cidadãos sabem disto. Portanto não dá para invocar a realidade deles.

Sebastião

"Política sem medo" disse...

Costumo ser uma ferrenha defensora do Pastor Malafaia, embora seja catolica porem no caso dele se colocar contra o cidadao possuir armas, nao apoio! Com mais de 50 mil mortes anuais desde que o PT entrou no poder da para notar o estrago que foi, desarmar o cidadao e proteger os bandidos, abrindo ate as fronteiras para o trafico de armas da Colombia, as FARC. Garanto que muitas dessas mortes nao teriam acontecido se todos tivessem uma arma em casa. As vezes ela e a unica esperanca quando se esta na frente a um marginal cruel que nao tem amor nem complacencia com ninguem.

Ivan Simões disse...

Para ele é fácil ser contra ele possui seguranças particulares armados, carros blindados etc só neste país mesmo escutamos absurdos como do sr. Malafaia.

Aldo Santos disse...

Boa noite.

O Silas pensa que está totalmente certo, mas não é por aí...

Os cristãos são sim a favor da vida mas nem por isso diante de uma situação de um bandido com uma arma apontado pra vc e dizer: Pode atirar, sou crente e vou pro céu!.
Paciência!.. o cidadão tem sim o direito de ter uma arma pra defender sua família. é o que eu acho.

Acredito que deve ser revisado mesmo e dar a oportunidade para o cidadão se defender a altura.

Parabéns pela postagem, Julio.
Abraço!

Aldo Santos

Dom Rafael disse...

Bola fora. Acontece. Quem nunca errou, atire a primeira pedra. Pronto.
Paz

Anônimo disse...

Esse moco deveria pedir perdão aos incontáveis incautos que se deixaram influenciar pela assinatura dele no infame "Manifesto dos Evangélicos", de 2002, em que ele respaldou a candidatura aa Presidência do Brasil, de um dos indivíduos mais infames nascidos neste solo da Terra Brasilis. (Des)graças a esse individuo - o "nove dedos' - é que nosso Pais entrou numa espiral da morte, e, ao que tudo indica, sem volta. Assim, indiretamente (?), ele - malafaia- é um dos (ir)responsáveis pela tragédia.

Antonio.

Anônimo disse...

Sou evangélico e totalmente a favor do porte de armas. A democratização do acesso aos meios de violencia é a condição fundamental para a democracia. O governo fez campanha para desarmar a população mas está armando os traficantes, o MST, os bandidos. Quem faz uma coisa dessa está pensando na segurança da sociedade? Claro que não. Querem nos fazer crer que somos um bando de desequilibrados que fariam loucuras com uma arma na mas é pura propaganda. O objetivo do desarmamento foi deixar a população cada vez mais indefesa diante do avanço da criminalidade que sempre andou de braços dados com o petismo para implantação de um regime tirânico, a semelhança do que está ocorrendo na Venezuela. Por isso, por saber que o governo jamais nos dará a segurança que necessitamos, sou totalmente a favor do porte e se for aprovado esse beneficio não hesitarei em adquirir quantas armas puder. A defesa minha e da minha família cabe a mim primeiro. E isso levo como obrigação e direito fundamental!!!

Anônimo disse...

Esse tal de Silas Malafaia não fala coisa com coisa. Quero ver se ele é capaz de dormir com a casa dele totalmente escancarada, sem nenhuma proteção!

Anônimo disse...

Sillas Malafaia é contra porte de armas ao cidadão comum porque ele anda cercado de seguranças armados.
Silas Malafaia é contra o porte de armas porque ele não anda nas ruas : ele voa em avião particular comprado com o dinheiro do pão e do leite dos filhos dos evangélicos.
Leio a biblia e pelo novo testamento não vejo qualquer menção de o Senhor Jesus andar entre o povo cercado de seguranças mas parece que Silas Malafaia tem o mesmo defeito do diabo : o ego !!!
Silas Malafaia quer ser superior a Jesus Cristo.