6 de outubro de 2015

Primeiro grande ato do partido de Marina Silva: combater a família


Primeiro grande ato do partido de Marina Silva: combater a família

Julio Severo
A Rede Sustentabilidade, partido fundado por Marina Silva e reconhecido oficialmente dias atrás pelo STF, teve como seu primeiro grande ato, conforme reportagem do GospelPrime, condenar o Estatuto da Família, que nada mais faz do que reforçar a própria Constituição em sua estipulação de que a relação conjugal é somente entre homem e mulher.
Marina Silva
Rejeitando a Constituição e a definição tradicional de homem e mulher, a Rede Sustentabilidade argumenta, ilogicamente, que o Estatuto da Família é um “retrocesso” e “um claro desafio à Constituição.”
Ora, antes de mais nada é preciso deixar claro que a Rede Sustentabilidade, em suas posturas esquerdistas, vai contra Deus e Sua Palavra, a Bíblia. O caso fica muito pior porque esse partido foi fundado por uma evangélica, uma mulher cujo objetivo maior na vida deveria ser seguir e proclamar o Evangelho de Jesus Cristo, não ideologias opostas ao Evangelho.
Marina Silva é membro da Assembleia de Deus (AD), denominação evangélica que, tradicionalmente, não é cultivadora da Teologia da Missão Integral, que é a versão protestante da Teologia da Libertação. Marina não conheceu a TMI na AD. Na verdade, ela conheceu a Teologia da Libertação na Igreja Católica, através de Leonardo Boff. Mas quando se transferiu para a AD, Marina não passou por nenhum processo de libertação, trazendo consigo toda a bagagem de confusão esquerdista de seu passado católico.
Além de não ter oferecido nenhum processo de libertação para Marina, a Assembleia de Deus não adotou nenhuma medida disciplinar contra as várias posturas esquerdistas dela nem repudiou publicamente essas posturas.
Mas como a AD poderá fazer isso se seus melhores líderes pouco ou nada entendem de marxismo? Tempos atrás, Gutierres Fernandes Siqueira, assembleiano dono do site Teologia Pentecostal, disse que não existe conexão entre Teologia da Missão Integral (TMI) e marxismo. Com tal visão curta, não dá para ver muito problema em Marina.
Gutierres tem algumas ligações com o Mackenzie, que abriga, entre seus professores, líderes da TMI no Brasil. Os professores mais “conservadores” do Mackenzie diziam, até o ano passado, que não havia uma conexão entre TMI e marxismo.
Mais recentemente, o teólogo presbiteriano Augustus Nicodemus, depois de passar anos vacilando sobre a TMI, declarou que, sim, existe conexão entre TMI e marxismo — convenientemente num momento em que nacionalmente já não mais é possível negar tal conexão.
Se Gutierres seguiu a perspectiva anterior errada do Mackenzie (“não há conexão entre TMI e marxismo”), agora ele pode, como bom mackenzista, seguir o desvacilo de Nicodemus (“há conexão entre TMI e marxismo”).
Mais ainda: com esse novo conhecimento, Gutierres deveria incentivar a Assembleia de Deus a adotar uma postura rigorosa contra a TMI e marxismo no caso de Marina Silva.
Entretanto, o caso não envolve apenas a AD. A principal máquina de propaganda de Marina na eleição passada foi Valnice Milhomens, que fez todo o possível (inclusive usando revelações) para alavancar Marina para uma suposta vitória divina para a presidência. Se Marina tivesse ganho, Valnice encheria o peito para proclamar um suposto triunfo de suas profecias, quando na verdade quem mais ganharia seria a TMI e a Teologia da Libertação.
A maior vitória seria Marina renunciar ao esquerdismo, mas ela declarou neste ano que “a solução não está em renegar a esquerda e ir para a direita.” No entanto, a solução sempre foi em renegar a esquerda e ir para Jesus Cristo. Agora, quem vai ter a coragem de dizer para Marina que não há libertação sem renúncia?
Recentemente, conversei com meu amigo William Murray. Ele é filho de uma das comunistas mais famosas dos Estados Unidos, Madalyn Murray O’Hair, a americana que ficou notória por ter ido ao Supremo Tribunal dos EUA para exterminar nas escolas americanas uma antiga prática: a leitura da Bíblia. O Supremo Tribunal deu ganho de causa para Madalyn e em 1963 a Bíblia foi oficialmente banida das escolas americanas. A Bíblia foi banida na nação mais protestante do mundo. Tal era a influência da comunista Madalyn.
William Murray foi criado na ideologia marxista vendo o governo como fonte de toda suposta bondade para os pobres, forçando todos os cidadãos a entregar o fruto de seu trabalho para isso. Hoje, como seguidor de Jesus Cristo que renunciou à esquerda, William acredita que somente a caridade voluntária, não o roubo governamental contra os cidadãos trabalhadores, pode ajudar os pobres. E o que ele diz, ele pratica. Ele fundou e preside uma organização cristã, a Coalizão de Liberdade Religiosa, que dá assistência a viúvas cristãs e seus filhos na Síria e no Iraque. Essas mulheres cristãs são vítimas do Estado Islâmico e seus maridos foram mortos por muçulmanos.
O trabalho de William para ajudar milhares de viúvas e crianças cristãs não conta com um pingo de dinheiro governamental. Tudo é feito com a participação de caridade de igrejas e cristãos individuais nos EUA que enviam recursos.
William renunciou à esquerda e hoje ajuda por meio da caridade, amor e atos voluntários.
Marina Silva nunca renegou à esquerda e continua vendo o governo, não a caridade voluntária e muito menos Jesus Cristo, como fonte de salvação social para os pobres. Tudo o que ela quer é ser uma Madalyn Murray O’Hair gospel no Brasil.
A Assembleia de Deus (de Gutierres Fernandes Siqueira) e a Rede Apostólica (de Valnice Milhomens) deveriam dar para Marina a única coisa de que ela mais precisa: renunciar à TMI e à Teologia da Libertação. Enquanto isso não ocorre, toda profecia e ambição evangélica política pró-Marina não serve aos propósitos de Deus.
Aliás, o ato da Rede Sustentabilidade de condenar o Estatuto da Família é uma grande violência aos propósitos de Deus. E Marina, como fundadora dessa rede, é cúmplice direta dessa violência. O fato de Marina ter ligação com a AD e Valnice torna a violência ainda mais vergonhosa se nada for feito.
Estando ou não Marina aberta para libertação, tanto a Assembleia de Deus quanto a Rede Apostólica têm a responsabilidade moral e cristã de repudiar publicamente as posturas esquerdistas dela.
Estando ou não Marina disposta a renegar à esquerda, algo precisa ser feito.

O senador Magno Malta, em vídeo no Youtube (https://youtu.be/RyoL9va8iuk), já se manifestou contra a postura de Marina e seu partido atacarem a família brasileira.
Só falta agora a Assembleia de Deus e Valnice Milhomens.
Leitura recomendada:

8 comentários :

Rubens disse...

Marina nunca foi católica ou protestante, Marina é política profissional que usa a religião para angariar votos. Imigrou para o evangelismo pentencostal, pq oferecia naquela região muitos votos. Mais um pouco e ela pedirá as bençãos ao idólatra, o jesuíta papa Franscisco, para conquistar a simpatia de católicos. Ela quer é votos, dos gays, dos católicos, dos protestantes, dos budistas, dos umbandistas. Ficou na moita, só observando a situação e agora retorna. George Soros não desistiu de fazer dela o que fez de Mandela na Africa do Sul. O Brasil é uma colônia de colonialistas internos e externos. Não há uma consciência patriótica por aqui. O que há, é um Brasil riquíssimo em minerais, Uranio, Titânio, Nióbio (90 por cento do planeta), diamantes, esmeraldas, biodiversidades (algumas patenteadas pelos laboratórios mundo afora), terras férteis e etc e pessoas tentando tirar o máximo que podem dessa colônia. sejam políticos, povos brasileiros ou estrangeiros e há uma dúzia de tolos como eu, vc e alguns outros é que ficamos como vozes que clamam no deserto e orando pela intervenção divina.

ELISEU disse...

Volto a repetir, mais um vez, o que eu já disse em um artigo anterior semelhante a este: Marina Silva é como a melancia (ou seja, é verde por fora e vermelha por dentro). Para que ninguém daqui não tenha mais nenhuma dúvida sobre o esquerdismo (ou o "interior vermelho") de Marina Silva, vejam o que ela própria disse textualmente sobre certos temas em algumas entrevistas:

– "Sou contra o casamento homossexual, mas não me oponho à união civil entre pessoas do mesmo sexo";

– "Não tenho opinião formada sobre isso (adoção de crianças por casais gays)";

– "Sempre que me perguntam sobre o que penso a respeito do movimento LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis e transgêneros), seus direitos e sua luta por leis que os protejam de discriminação, digo que reconheço a legitimidade do movimento e de suas reivindicações".

Como pode uma pessoa se dizer cristã, e, ao mesmo tempo, concordar com coisas que são totalmente contra a Palavra de Deus?

Talvez Marina Silva esteja esquecida de qual deve ser a postura de um verdadeiro cristão:

"Não podeis beber do cálice do Senhor e do cálice dos demônios; não podeis participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios" (1 Coríntios 10:21)

"Não vos coloqueis num jugo desigual com os incrédulos. Pois, que sociedade a justiça tem com a injustiça? E que união pode haver da luz com as trevas? E que aliança há entre Cristo e o maligno? E que parte tem o fiel com o infiel? E que concordância existe do templo de Deus com os ídolos?" (2 Coríntios 6:14–16)

Será que Marina Silva ainda está lembrada disso?

Se Marina Silva fosse uma verdadeira cristã (como ela alega ser), ela teria que dizer com todas as letras: "O aborto é um crime contra a vida. Num dos 10 mandamentos, Deus disse: 'Não matarás' (Êxodo 20:13). Quem pratica o aborto está matando uma vida inocente! Por isso, sou totalmente contra o aborto (e não vou apoiar pessoas que defendem o aborto)! Quanto ao homossexualismo, é uma coisa demoníaca. Como cristã, não posso ser a favor de uma blasfêmia contra o Deus que eu sirvo. Não vou ser cúmplice do pecado. É melhor eu perder o meu mandato (e ficar em paz com a minha consciência) do que pecar contra Deus!"

Marina Silva é morna. Ser morno, segundo a Bíblia, é aquele que se diz cristão, mas não combate com firmeza o pecado. Foi justamente como Jesus disse na carta para a igreja de Laodicéia:

"Eu conheço as tuas obras: não és frio e nem quente; quem Me dera se fosses frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, estou para te vomitar da Minha boca" (Apocalipse 3:15–16)

Quem é morno é, às vezes, pior do que o ímpio. O ímpio já sabe que direção seguir. É um caminho que é errado, mas que já foi escolhido (pelo menos uma decisão já foi tomada). Já o morno é aquele que, como se diz no popular, fica "em cima do muro": não sabe para onde vai. Em outras palavras: não abandona a Jesus, mas também não resiste a certas tentações do diabo.

Foi por isso que o apóstolo Tiago disse:

"Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado" (Tiago 4:17)

Em outras palavras: aquele que sabe que deve combater o pecado e não toma uma atitude (ou seja, não diz nem faz nada contra o pecado) é cúmplice do pecado (e é tão ou mais culpado quanto o próprio pecador)!

O verdadeiro cristão não pode (e nem deve) ser morno. O verdadeiro cristão tem uma só palavra, uma só escolha, segue somente uma única direção, e é firme em suas convicções. Em suma, o verdadeiro cristão obedece ao que Jesus diz:

"Seja, porém, a vossa palavra: Sim, sim; Não, não; porque o que passar disto é de procedência maligna" (Mateus 5:37)

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou amará a um e odiará o outro, ou há de se dedicar a um e desprezar o outro" (Mateus 6:24)

Será que eu estou certo? Se alguém daqui quiser se manifestar, esteja à vontade.

Anônimo disse...

Existem alguns irmãos evangélicos totalmente desinformados e, por este motivo, continuam votando em Marina. Estamos em uma época na qual constantes ameaças à vida e a família estão se materializando no congresso ou no STF (que vem legislando sem ter esta prerrogativa). Portanto, o povo evangélico não pode mais estar ausente de discussões políticas que envolvam este lado moral. É preciso mostrar quem é Marina e muitos outros “benfeitores” que se candidatam a cargos neste país.
Sebastião

Anônimo disse...

Rede sustentabilidade / partido novo = partidos liberais culturalmente

Apostle of Christ disse...

Não consigo compartilhar esse post no Facebook. :/

Qualquer um que considera a si mesmo evangélico e liberal/progressista é, na essência, uma coisa ou outra. Não pode ser os dois. Os valores são antagônicos, assim como a ideologia, princípios e todo o resto. Não se pode servir a dois senhores. Uma escolha deve ser feita. Ou você é cristão ou você é socialista. Sim, socialista. Pois os valores defendidos pelos chamados liberais/progressistas são, na verdade, valores do socialismo.
Se você nasceu de novo, seus valores e princípios são os do reino de Deus, claramente expressos em sua inerrante, infalível e perfeita Palavra.

Caro Júlio, ainda aguardo sua resposta ao meu comentário no artigo http://juliosevero.blogspot.com.br/2015/10/putin-para-aqueles-que-apoiaram.html - Sua opinião é muito importante.

Anônimo disse...

A MARINA SILVA PARA MIM SEMPRE PARECEU OS TUCANOS DE SAIA SO NO MURRO ESPERANDO O QUE SOBRA PRA ELA ABOCANHAR ,TENHO TEMOR AS PROXIMAS ELEIÇOES O QUE NOS SOBRARA DE DIGNO ,CORRETO , QUE DEFENDA VALORES FAMILIARES -QUE DEUS COLOQUE A MAO SOBRE TODAS AS FAMILIAS PROJETO Do SENHOR

Henrique disse...

Respondendo a todos que puseram seus comentários aqui,

A verdade nua e crua é que o povo evangélico não sabe votar de forma correta, ou melhor, este mesmo povo age como se fosse um bando de robôs teleguiados: votam cegamente em candidatos indicados por pastores (ou dirigentes) de igreja, sem saber quem realmente é a pessoa. Basta somente alguém se apresentar como evangélico para já ter a sua candidatura "oficializada" pelos "eleitores" (no caso, o povo evangélico).

Já os tais líderes (ou dirigentes) das igrejas estão mais preocupados mais com valores materiais: um cargo aqui, outro benefício ali..., enfim, o importante mesmo é o poder. Pra que pensar em valores cristãos, se o importante é o aqui e agora (o mundo terreno e seus desejos)?

Infelizmente, o que vemos (a cada eleição) é que se torna muito mais conveniente para certos candidatos aceitar as ofertas do inimigo: o esforço é mínimo, e a vitória é rápida (e imediata). Mal sabem eles que o preço a pagar por esta vitória "fácil" é o passaporte já carimbado rumo ao inferno...

Digo e repito sem medo de errar: MARINA SILVA NUNCA ABANDONOU (E JAMAIS ABANDONARÁ) SUA ESSÊNCIA ESQUERDISTA! Ela tem o perfil ideal para enganar os cristãos imaturos: se diz crente, e tem bagagem política o suficiente para exercer a sua "fé" socialista. Isso porque ela está no meio de um povo que acredita que, se o candidato se disser "irmão", basta todos dizerem "amém".

P.S: Se alguém aqui quiser se manifestar, esteja à vontade

Eliel disse...

Eu nunca me enganei a respeito de Marina Silva. Aliás, ela nunca enganou a ninguém com aquela cara de santa do pau oco. Só mesmo quem for muito burro (ou muito cego) para não saber quem realmente é Marina Silva.

Ora, uma mulher que já foi do PT e do PV (ambos partidos esquerdistas), que diz não ser contra a união civil de pessoas do mesmo sexo, que diz reconhecer a legitimidade do movimento homossexual, que diz que só através de um plebiscito é que se pode opinar sobre o aborto, enfim, uma pessoa que não tem uma postura firme em defesa da família e dos bons princípios não tem, a meu ver, nenhuma autoridade moral para se apresentar como evangélica ao público. EU DIGO COM TODAS AS LETRAS (E EM ALTO E BOM SOM PARA QUEM QUISER OUVIR): MARINA SILVA NÃO ME REPRESENTA, NEM TAMPOUCO OS VERDADEIROS CRISTÃOS (OS QUE TÊM COMPROMISSO SÉRIO COM A OBEDIÊNCIA TOTAL E IRRESTRITA À PALAVRA DE DEUS)!

Acreditar que Marina Silva representa os verdadeiros cristãos é o mesmo que acreditar que o diabo se converteu a Jesus!

Precisa dizer mais alguma coisa?