13 de outubro de 2015

Por que creio no Cristianismo


Por que creio no Cristianismo 

D. James Kennedy, teólogo e filósofo
Comentário de Julio Severo: D. James Kennedy (1930-2007), fundador da Igreja Presbiteriana Coral Ridge na Flórida, era um pastor evangélico que tinha envolvimento destacado no movimento conservador e pró-vida dos EUA. Neste artigo escrito por ele, ele demole alguns mitos da Inquisição. Quando falam da Inquisição, ateus e marxistas muitas vezes não fazem nenhuma diferença e igualam todas as igrejas cristãs de hoje com a Igreja Católica da Era das Trevas, como se todas as igrejas metodistas, batistas, pentecostais e neopentecostais tivessem tido parte, por meios próprios ou pelo Estado, nas torturas e mortes de pessoas inocentes que discordavam das doutrinas católicas. Se ateus e marxistas lessem a Bíblia, eles entenderiam que o autor e mantenedor da Inquisição, que durou vários séculos, é aquele que veio para matar, roubar e destruir. Em contraste, Jesus, com seu verdadeiro Cristianismo, veio para trazer vida abundante, não torturas e morte abundante, para as pessoas neste mundo. Eis o artigo do americano conservador Kennedy:
D. James Kennedy
Quais são o fato e os frutos da fé cristã? O Cristianismo ensina que a raça humana é depravada, caída e pecadora, e que até mesmo os maiores santos são ainda impuros e pecadores. Antes de tudo, então, precisamos ter em mente que temos esse tesouro em vasos de barro, e nunca houve um reflexo perfeito de Jesus Cristo na vida de Seus seguidores.
Segundo, precisamos nos lembrar de que muitas vezes acusam o Cristianismo de culpa por coisas que os cristãos verdadeiros não fizeram. Os que professam não possuem necessariamente o que professam. Por exemplo, talvez a mancha e a acusação mais negra que se pôde lançar contra o Cristianismo tenha sido a Inquisição espanhola. Eu não me empenharia em defende-la. Foi deplorável no grau mais elevado — uma supermáquina monstruosa de brutalidade e crueldade. Sua natureza era diabólica.
Será que a Inquisição representava cristãos perseguindo gente que não era cristã? Era exatamente o contrário. Estou completamente convencido de que os membros da Inquisição não eram cristãos. Eles viviam na Idade Média, a Era das Trevas, em que o Evangelho de Jesus Cristo havia sido quase que totalmente esquecido, e a fé era tão pervertida que tinha pouca semelhança com o Evangelho que Cristo havia dado. Em muitos casos, as vítimas da Inquisição eram cristãos evangélicos que haviam vindo a compreender o que era o Evangelho histórico de Cristo e haviam rejeitado as superstições papais daquela época. Foram essas pessoas que foram expostas a essas torturas enormes.
The Pit and the Pendulum (O Poço e o Pêndulo), um livro magnífico escrito por Edgar Allan Poe, é um quadro dos inquisidores espanhóis da Igreja Católica lançando todos os seus requintes de tortura num protestante inglês. A verdade sobre a Inquisição é que os inquisidores eram cristãos ilegítimos, homens que eram cristãos só de nome, perseguindo os que eram cristãos reais. Quando entendemos todos os fatos, denunciar a Inquisição não é atacar o Cristianismo. Tenho certeza absoluta de que nenhum cristão nunca torturaria ninguém.
Direitos reservados 1977 / 2007 Coral Ridge Ministries.
Traduzido por Julio Severo do artigo original em inglês: Why I Believe In Christianity.
Publicado em português por Julio Severo com a permissão do Coral Ridge Ministries.
Leitura recomendada:
Postar um comentário