5 de outubro de 2015

Esquerda evangélica pró-aborto e pró-homossexualismo ganha mais visibilidade na grande mídia


Esquerda evangélica pró-aborto e pró-homossexualismo ganha mais visibilidade na grande mídia

Comentário de Julio Severo: O comportamento padrão da grande mídia, que descaradamente segue a cartilha da Esquerda, é hostilizar evangélicos que não são favoráveis ao aborto e ao homossexualismo. De um modo ou de outro, esses cristãos são difamados e atacados, em fogueiras inquisitoriais disfarçadas de “jornalismo imparcial” onde a regra é a incitação ao ódio e desprezo, tratando o conservadorismo deles como se fosse o maior atraso e vergonha do universo. É um jornalismo completamente desfavorável e irresponsável, mas sempre maquiado de imparcial. E quando os evangélicos progressistas se mostram contrários a esses evangélicos conservadores? Aí, o jornalismo desfavorável se transforma, “miraculosamente,” em jornalismo favorável. Exatamente como a Esquerda secular, a Esquerda evangélica, antes de entrar na esfera do aborto e homossexualidade, primeiro entra em questões que são tratadas de forma obscura, como questões dos pobres, negros, crianças, deficientes, etc. Depois, vão colocando para fora as mandíbolas. Dizem que defendem as crianças, mas o que eles chamam de “crianças” são monstros de 16 e 17 anos que estupram, torturam e matam, mas quando a criança de verdade, o bebê em gestação, precisa de defesa e socorro, não há um representante da Esquerda evangélica para bradar a favor desses indefesos. Em contraste, sempre há os Ariovaldos Ramos para bradar a favor das “crianças” de 16 e 17 anos que estupram, torturam e matam. Sempre com o total apoio do jornalismo favorável. É o que aconteceu recentemente quando o jornal O Globo fez uma reportagem descontraída sobre evangélicos esquerdistas, mostrando que agora eles estão mais à vontade para tratar de forma esquerdista o aborto e a homossexualidade. O Globo fez desses evangélicos os “mocinhos” do universo evangélico. Nem pergunte quem O Globo classifica comos “vilões.” O Globo fez dos evangélicos que promovem a Teologia da Missão, que é a versão protestante da Teologia da Libertação, como os grandes arautos do avanço evangélico, apenas porque a teologia esquerdista deles leva fatalmente, cedo ou tarde, ao apoio de causas bizarras e patentemente anticristãs como o aborto e o homossexualismo. É nesse cenário midiático de bajulações descontroladas à Esquerda evangélica que os “vilões” evangélicos serão os líderes contrários ao aborto, ao homossexualismo e à TMI (Teologia da Missão Integral). Eis a matéria completa do jornal O Globo:
Grupo de evangélicos em reunião do Renas Rio: rede articula igrejas com atuação na promoção e na defesa de direitos - Leo Martins / Agência O Globo

Evangélicos planejam ações para dar visibilidade a projetos de igrejas na área de direitos humanos

Movimento é reação a discurso contra temas como aborto, direitos para gays e tolerância religiosa
Dandara Tinoco
RIO - Eles defendem bandeiras como tolerância religiosa, direitos civis para homossexuais, flexibilização da política de drogas e descriminalização do aborto. Tudo isso, asseguram, em nome de Deus. Evangélicos estão se mobilizando para dar visibilidade a iniciativas progressistas do universo crente, cuja pluralidade, afirmam, não se traduz por manifestações conservadoras que vêm sendo associadas a essas religiões.
— A postura conservadora não é algo uniforme, mas tem vencido o discurso de quem tem recursos para vociferar melhor, o que acaba passando uma impressão errada sobre os evangélicos — avalia Clemir Fernandes, pastor da Igreja Batista e sociólogo.
Uma das primeiras iniciativas será uma plataforma virtual que quer colocar em evidência ações evangélicas na área de cidadania e direitos humanos em todo o Brasil. O projeto mapeará atividades progressistas desenvolvidas por pastorais e formará uma rede de articulação. Deve se chamar Entre Nós e entrar no ar até dezembro.
— A ideia é fazer uma espécie de contraprojeto à identidade evangélica que vem sendo desenhada. Movimentos sociais e até políticos têm nos cobrado essa reação. Nós acreditamos que a defesa de pautas conservadoras é ideológica e, não, bíblica — afirma Fellipe dos Anjos, pastor da Igreja Batista e um dos jovens teólogos à frente do projeto.
— Nossa intensão é provocar a sociedade e a imprensa em relação a essas iniciativas progressistas. Os evangélicos sempre fizeram isso, mas precisamos tornar essas ações conhecidas — completa Ronilso Pacheco, estudante de teologia da PUC-Rio.
Além da plataforma, há projetos por germinar. Cursos de formação, grupos de estudo e discussão e um canal de imprensa para divulgar conteúdo desenvolvido por evangélicos progressistas estão entre os planos.
Também pastor batista, André Decotelli diz que a proposta é entrar numa “disputa de discurso”. A chamada bancada evangélica no Congresso, assegura, não o representa:
— Sou totalmente contra as pautas que eles defendem como evangélicas. Esses deputados e senadores não reproduzem o nosso espectro. Representam classes mais conservadoras e poderosas. Porém, Jesus foi um revolucionário e deu voz aos oprimidos. Buscamos um retorno a isso.
O movimento encontra simpatia mesmo entre membros de denominações pentecostais. Pastor da Assembleia de Deus, César Moisés aprova a discussão.
— Não me rotulo nem como conservador nem como progressista — autoavalia-se, dizendo ser contra a redução da maioridade penal e a favor do diálogo com religiões de matriz africana.
Para ele, questões como a descriminalização do aborto merecem ser discutidas:
— Numa sociedade plural, temos de conviver e respeitar. Aprendi que, para dialogar, não é preciso converter.
Evangélicos citam exemplos na História brasileira recente do envolvimento de crentes em iniciativas progressistas. Uma delas é a criação, em 2006, da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (Renas), que reúne organizações e igrejas evangélicas com atuação na promoção e na defesa dos direitos humanos. Membro da rede, Sueli Catarina de Carvalho, da Igreja Anglicana do Brasil, também defende que a pluralidade de opiniões das igrejas se torne visível.
— Deus ama as pessoas, sem distinções. Venho do movimento de mulheres. Sou a favor da descriminalização do aborto, por acreditar que mulher alguma faz essa opção de forma tranquila e que se trata de uma questão de saúde pública — opina.
Membro da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil, Lusmarina Campos Garcia concorda:
— Historicamente, protestantes têm posições avançadas. Em um contexto democrático, a descriminalização do aborto é absolutamente necessária. Não concordo com a redução da maioridade penal, por achar que criminalizar jovens não resolve a violência. E espero que a gente consiga caminhar na direção de mostrar que homossexuais são tão criados à semelhança de Deus quanto heterossexuais.
Fonte: O Globo
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

14 comentários :

marcelo victor disse...

Esse é o novo deus da especie humana: A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS!!!

Todas as ações humanas, em rebeldia contra a Palavra de Deus, daqui pra frente, serão pautadas e guiadas por essa doutrina diabólica, formulada pela mente doentia dos seres humanos.

Helena Batista disse...

A mídia deveria mudar esse termo"evangélicos" pois como o próprio nome diz , evangélico é seguidor dos evangelhos de Cristo, seus ensinamentos, quem não está com Ele só pode estar do outro lado com aquele que veio para matar roubar e destruir.

Anônimo disse...

Verdadeiros cristãos, que odeiam aborto e homossexualismo, devem evitar essas pessoas.
Leandro

marcelo victor disse...

Veja o papel da tal ANISTIA INTERNACIONAL se metendo nas politicas internas dos paises para espalhar libertinagem, mais desordem e violencia:
https://www.youtube.com/watch?v=yPMNroLkA_k&feature=share

Pastor Raimundo (Igreja do Evangelho Quadrangular) disse...

Não sei se a minha opinião vai ser muito apropriada para o assunto deste artigo, mas eu vou dizer exatamente o que eu penso (me corrijam se eu estiver errado):

Não seria nenhum exagero se alguém dissesse que a humanidade, em sua grande maioria (99,9%), já perdeu por completo o temor a Deus. Aliás, a própria Bíblia afirma isso com autoridade quando diz que "o mundo jaz no maligno" (1 João 5:19).

Por mais que se pregue o evangelho para muitos pecadores (e por mais que se fale a eles sobre a necessidade de arrependimento), a verdade nua e crua é que o mundo, por já estar totalmente corrompido pelo pecado, jamais vai viver de acordo com os princípios cristãos. Em outras palavras: O MUNDO NUNCA VAI QUERER OBEDECER À PALAVRA DE DEUS! Muitos podem crer ou não, mas serão pouquíssimos os salvos no dia da volta de Jesus.

E não venha nenhum pregador dizer que tudo está em paz, e que vamos estabelecer o reino de Deus aqui na Terra (ou até que vamos ganhar o Brasil para Jesus). Podem dizer e fazer o que quiserem para tentar enganar o povo ignorante, mas a sentença que virá sobre a atual geração de todo o planeta (e também do Brasil) já foi proferida há mais de 2.000 anos atrás por homens santos que, ao contrário de muitos dos dias de hoje, temiam e serviam ao Deus da Bíblia. Podem inventar mil e uma teorias (ou até mesmo fazer mil e uma pregações), mas isto não vai mudar o futuro (e nem tampouco fazer com que Deus mude Seus planos). O que Deus determinou na Sua Palavra nunca voltará atrás. O próprio Deus não deixa nenhuma dúvida quanto a isso:

"Assim será a palavra que sair da Minha boca: ela não voltará vazia para Mim; antes fará o que Me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei" (Isaías 55:11)

Ao invés de ser pregada a verdade sobre a justiça de Deus, muitos pregadores preferem falar o que todos querem ouvir. Preferem a popularidade dos homens (e não o compromisso com o Reino de Deus). Preferem agradar ao mundo (ao invés de agradar a Deus). Enfim, preferem estar nas trevas (quando deveriam ser luz). Mal sabem eles que o fim de toda esta maldade virá em breve, como garantiu o profeta Malaquias:

"Pois eis que vem o dia, e arde como fornalha. Todos os soberbos e todos os perversos serão como a palha. O dia que vem os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos, de modo que não lhes deixará nem raiz e nem ramo" (Malaquias 4:1)

De uma coisa eu tenho certeza: um dia, Jesus virá para julgar a tudo (e a todos). Ele próprio confirma isso na Sua Palavra:

"Não seles as palavras da profecia deste livro, pois o tempo está próximo. Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, que se suje ainda mais; e quem for justo, procure se manter justo; e quem é santo, continue a se santificar. Eis que Eu venho sem demora, e tenho Comigo o Meu galardão para dar a cada um segundo a sua obra. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro. Bem–aventurados aqueles que lavam as suas vestes no sangue do Cordeiro, para que possam ter direito à árvore da vida e para que entrem na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os idólatras, os homicidas, os que se prostituem, e todo aquele que ama e pratica a mentira. Eu, Jesus, enviei o Meu anjo para vos testificar estas coisas nas igrejas; Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã" (Apocalipse 22:10–16)

Finalizo minha mensagem com este alerta do apóstolo Paulo:

"Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:12)

P.S: Se alguém daqui quiser se manifestar, esteja à vontade

Claudio Vaz disse...

Nojento. A demagogia é palpável.

Anônimo disse...

A PERGUNTA QUE FICA E A QUEM EU SIRVO A DEUS OU AO principe do mundo :promiscuidade,ganancia,drogas,aborto e o maioral dos maiorais dinheiro e poder

Anônimo disse...

Culturalmente midia brasileira é 10000% liberal...
Quem é contra aborto, eutanásia e principalmente contra casamento gay é tratado com desdém...

ALENTEJO PARA CRISTO! disse...

Caro pastor Raimundo, suas palavras estão muito bem colocadas. É necessário que se fale a Verdade. Que Jesus continue a inspirá-lo.

marcelo victor disse...

Para aumentar o cabedal de conhecimento dos leitores, indico um artigo que li, que aponta para o COMUNISMO como o grande sistema politico cognominado de BESTA, o qual, segundo esse artigo, recebeu uma ferida de morte, mas sobreviveu e, pelo jeito, darà as cartas no tempo do fim: http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/02/quem-e-o-anticristo-e-besta-do.html

Segundo o artigo, os regimes socialistas foram os que mais massacraram, fuzilaram e exterminaram pessoas em toda a história, de tal sorte que o nazismo de Hitler é fichinha se comparado ao comunismo. Ou seja, enquanto Hitler matou 6 milhões de judeus, os comunistas assassinaram mais de 100 milhões de pessoas no mundo todo (sem falar no estupro de mais de 5 milhões de mulheres).

O autor cita o "Livro Negro do Comunismo: Crimes, Terror e Repressão", uma obra coletiva de professores e pesquisadores universitários europeus, editado por Stéphane Courtois, diretor de pesquisas do Centre national de la recherche scientifique (CNRS), e seu lançamento ocorreu por ocasião dos 80 anos da Revolução Russa

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Sei que este comentário que eu vou postar aqui é repetido (muitos até já leram ou já conhecem). Mas considerando o teor deste artigo, me vejo obrigado a bater novamente na mesma tecla.

Do jeito que o pecado já contaminou o mundo inteiro, muitas pessoas procuram uma igreja ou religião que satisfaça somente as suas próprias conveniências pessoais (ou que não diga nem faça nada contra o pecado). Em outras palavras: muitas pessoas só querem acreditar no que elas desejam (e não no que elas realmente precisam). Não é de se espantar que vivemos hoje numa total inversão de valores: o errado é certo, o certo é errado, enfim, os preceitos morais da nossa sociedade estão completamente ao contrário. É como disse o profeta Isaías:

"Ai daqueles que chamam o mal de bem, e o bem de mal; que fazem das trevas a luz, e da luz as trevas; e fazem do amargo o doce, e do doce o amargo! Ai daqueles que são sábios aos seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!" (Isaías 5:20–21)

Não será surpresa se, qualquer hora dessas, criarem uma lei nos obrigando a adorar ao diabo (e nos proibindo de crer em Deus). Aliás, do jeito que existe tanta podridão e tanta imoralidade reinando tanto aqui no Brasil como também em todo o mundo, eu nem me espantaria se uma lei desse tipo fosse aprovada. Em virtude isso, não é sem razão que a Bíblia diz que "o mundo jaz no maligno" (1 João 5:19)

Eu diria mais: quem quiser ser um verdadeiro cristão tem que ter uma postura firme e forte para combater o pecado (e, ao mesmo tempo, estar pronto para ser odiado pelos homens). Mas quantos, hoje, teriam esta disposição?

Jesus, na Sua primeira vinda à Terra, não veio para agradar aos homens. E por agir assim, Ele foi odiado por muitos (principalmente pelos poderosos da época). Por que Jesus foi odiado? Porque Ele sempre falava a verdade. Ele desmascarava os hipócritas (e Ele também revelava os pecados ocultos de muitos). Quem fala a verdade sempre é odiado. Se com Jesus foi assim, que dirá com os Seus servos!

O nosso amado irmão Júlio Severo é um bom exemplo isso. Por ter falado a verdade sobre o ativismo homossexual, ele passou a ser odiado (e também perseguido) pelos homossexuais e pelo governo (já quiseram até saber o endereço dele, se é que já não o ameaçaram de morte). Por causa disso, ele teve que ir, com a família, para um exílio forçado no exterior.

Este é o doloroso preço que o verdadeiro cristão tem que pagar pela sua fidelidade a Jesus (e pela sua luta contra o pecado). Quantos, hoje, fariam como os fiéis da igreja de Esmirna (que, por amor a Jesus e à verdade da Sua Palavra, aceitaram a morte sem nenhum medo)? Quem, nos dias de hoje, teria a mesma postura de um Elias, um Jeremias, um João Batista, ou um Paulo para denunciar e combater o pecado (e também para falar certas verdades que muitos estão precisando ouvir)?

Os mártires da fé cristã não hesitaram quando foram obrigados a escolher entre o pecado e a morte. O lema deles era: "Antes morrer do que pecar". Eles permaneceram fiéis às suas convicções até o fim, e acreditavam que esta corajosa decisão que tomavam agora certamente será lembrada no tribunal divino.

Se estivermos realmente decididos a ser verdadeiros cristãos (ainda que tenhamos que ser odiados pelo mundo), temos que obedecer ao que Jesus diz em Sua Palavra:

"Se alguém quiser vir após Mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz, e Me siga. Pois quem desejar salvar sua vida vai perdê-la, mas aquele que perder a sua vida por amor a Mim vai achá-la. Porque de que adiantará ao homem conquistar o mundo inteiro, e perder a sua alma? Que dará o homem em troca de sua alma?" (Mateus 16:24–26).

"Entrai pela porta estreita; porque grande é a entrada e largo e espaçoso é o atalho que leva à perdição, e muitos são os que vão por ele; ao passo que estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos são os que encontram" (Mateus 7:13–14).

Eu pergunto: quem teria coragem para agir assim nos dias de hoje?

Se alguém daqui quiser se manifestar, esteja à vontade.

Jarbas disse...

Respondendo ao Marcelo Victor,

A verdade é que a tal Declaração Universal dos Direitos Humanos é uma invenção tipicamente esquerdista–socialista, assinada pelos colaboradores da NOM (Nova Ordem Mundial).

Os tais direitos (chamados por alguns de "direitos clássicos do ser humano") são estes:

– Direito de ir e vir;
– Direito à liberdade de expressão;
– Direito ao livre culto religioso;
– Direito à propriedade privada;
– Direito à inviolabilidade do lar;
– Direito à proteção da família;
– Defesa da vida (e também do direito à vida),

(e outros)...

O que muitos talvez não estejam percebendo é que tais direitos foram criados devido às lutas dos homens pelos direitos dos homens (daí o termo "Direitos Humanos"). Em outras palavras: somente o homem é o elemento central destes mesmos direitos!

O que vemos, nessa Declaração Universal dos Direitos Humanos, é que DEUS NUNCA É MENCIONADO (OU MELHOR, É COMO SE DEUS NÃO EXISTISSE)!

Pra mim, o termo mais adequado seria: "DECLARAÇÃO DO HOMEM SEM SE IMPORTAR COM DEUS (OU SEM PRECISAR DE DEUS)"!

Será que eu estou certo? Se você quiser se manifestar, esteja à vontade

marcelo victor disse...

Irmao Jarbas,
Deus te abençoe pela consideraçao.
Concordo plenamente.

André José Pires disse...

Ao ler várias vezes " evangélica ", " evangélicos " favoráveis a aborto, homossexualismo, pergunto : Que evangelho é este?