16 de setembro de 2015

Pastor presbiteriano diz que bebê em gestação só se torna uma pessoa “quando alguém o ama”


Pastor presbiteriano diz que bebê em gestação só se torna uma pessoa “quando alguém o ama”

Sarah Zagorski
No livro “Aborting Aristotle: Examining Fatal Fallacies in the Abortion” (Abortando Aristóteles: Examinando as Falácias Fatais do Aborto), o escritor pró-vida Dave Sterrett disse que ele teve um encontro com um pastor presbiteriano que acreditava que um bebê só era realmente uma pessoa depois que alguém o amava.
Ele explicou: “Um pastor presbiteriano na minha cidade certa vez disse que ele daria todo apoio para sua filha adolescente fazer um aborto. Quando outro pastor lhe perguntou: ‘Quando você acredita que uma pessoa humana começa a existir ?’ O pastor presbiteriano respondeu: ‘Penso que alguém se torna uma pessoa quando nós a amamos.’”
Essa é uma opinião fascinante acerca da pessoa humana, principalmente de um líder religioso cristão que tem a obrigação de dar a importância máxima ao que Deus diz sobre o assunto. Contudo, os comentários do pastor não são nem um pouco surpreendentes, considerando a posição oficial da Igreja Presbiteriana dos EUA acerca do aborto, que é que “a decisão considerada de uma mulher acabar com uma gravidez [por meio do aborto] pode ser moralmente aceitável, embora certamente não a única nem obrigatória decisão.”
De acordo com a Agência da Missão Presbiteriana, essa denominação acredita no seguinte sobre o aborto: “Quando uma mulher individual enfrenta a decisão de acabar com uma gravidez, a questão é intensamente pessoal, e pode se manifestar de um modo que não reflita a retórica pública, nem se encaixe impecavelmente nas normas médicas, legais ou políticas. Os seres humanos foram dotados pelo espírito, mediante oração, para fazer escolhas morais importantes, inclusive a escolha de continuar ou acabar com uma gravidez. As escolhas humanas não deveriam ser feitas num vácuo moral, mas precisam ser baseadas na Bíblia, fé e ética cristã. Para qualquer escolha, temos de prestar contas a Deus; porém, mesmo quando erramos, Deus nos oferece o perdão.”
Como LifeNews noticiou anteriormente, pastores presbiterianos têm feito alguns comentários bizarros acerca do aborto e da indústria do aborto na década passada. Por exemplo, Andrew Kukla, pastor da Igreja Presbiteriana dos EUA, explicou em seu blog que ele ama tudo o que tem a ver com a Federação de Planejamento Familiar, a empresa de aborto que foi pega fazendo tráfico e lucros de partes de corpos de bebês abortados em julho. Ele disse: “Adoro a Federação de Planejamento Familiar. Adoro as pessoas que estão na Federação de Planejamento Familiar. Adoro o ministério deles. Adoro que eles estejam vivendo a ressureição de um jeito que só posso falar.”
Ele acrescentou: “Adoro esse povo que não se importa com o que os outros os rotularão ou dirão sobre eles ou até dirão para eles. Eles se importam muito sobre pessoas e demais sobre vida para permitir que o ódio e a ignorância os detenham. Como cristão, sou chamado para a graça, perdão, misericórdia e edificação daqueles que a vida destruiu. E com tudo o que aprendi hoje, alguns dos maiores profissionais disso são as pessoas que trabalham na Federação de Planejamento Familiar. Por isso, digo com orgulho: adoro a Federação de Planejamento Familiar. Adoro as pessoas que estão na Federação de Planejamento Familiar. Adoro o ministério deles.”
Embora a Igreja Presbiteriana tenha ficado em silêncio depois do escândalo de 10 vídeos que desmascararam o negócio da Federação de Planejamento Familiar de coleta de órgãos, é provável que eles ainda apoiarão essa imensa indústria de aborto e continuarão dizendo às mulheres que o aborto é aceitável diante de Deus.
Traduzido por Julio Severo do artigo original de LifeNews: Presbyterian Minister Says Unborn Baby Only Becomes a Person “When They are Loved”
Leitura recomendada:

8 comentários :

Thiago disse...

"Um pastor presbiteriano só se torna um ser humano quando alguém o ama".

"Um pastor presbiteriano só se torna um ser humano quando promove o assassinato de bebês não-amados em gestação"

VAGABUNDO

CACHORRO

PILANTRA

Fabio disse...

É interessante vermos a afirmação do referido pastor, que vai totalmente contra a palavra de Deus e mostra o quanto tal pastor esta distanciado dela. Sabemos que Deus, nos conhece e nos ama antes de nossa formação. Em Sua última oração na terra, Jesus disse “Pai... me amaste antes da fundação do mundo" (João 17:24).Quando o Pai amou Jesus na eternidade, Ele nos amou também. De fato, quando o homem nada mais era do que um pensamento na mente eterna de Deus, o Senhor já estava numerando as nossas partes e planejando nossa redenção.
“Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor” (Efésios 1:4).
Então, se precisa alguém amar para um bebê se tornar uma pessoa,não precisa mais. Temos um amor inigualável ao nosso lado. O amor de Deus!!

Unknown disse...

Satanás vai se arrepender de ter levado alguns indivíduos para o inferno.

Anônimo disse...

Não vou externar minha indignação por escrito. Mas cabe apenas uma pergunta ao pretenso pastor: "Deus não ama o bebê em gestação - ou se ele preferir, o feto - ? Se Deus ama Ele é alguém?

Julio Severo disse...

A Igreja Presbiteriana dos EUA (PCUSA) quando fala, fala como a maior denominação presbiteriana dos EUA. As outras, quando falam, falam como denominações presbiterianas minoritárias nos EUA.

Julio Severo disse...

Apóstata ela é, de acordo com muitos que não gostam dela, inclusive eu. Mas presbiteriana ela é, com registro oficial e tudo o mais. E ela continua ainda, inegavelmente, como a maior denominação presbiteriana dos EUA. Podemos não concordar com ela, mas não podemos negar essa realidade.

Anônimo disse...

Sr. severo, infelizmente eu e a grande maioria dos evangélicos no Brasil, não sabemos inglês. Será que o senhor não poderia traduzir esse livro do Dave Sterrett sobre o aborto? Assim como o senhor vem mostrando a tempos, muitos evangélicos de igrejas históricas vêm defendendo posições progressistas sobre o aborto e outros temas. Graças a Deus aqui no Brasil que o perfil evangélico ainda é conservador em relação a esse temas, como aborto, liberação das drogas e casamento gay. Por outro lado, esses líderes calvinistas vêm ganhando cada vez mais prestígio aqui no Brasil, e suas opiniões ganhando cada vez mais destaque. Por isso, nós que não sucumbimos a esses apelos, precisamos nos preparar mais. Por isso faço esse pedido.
Deus o abençoe. Um abraço

Gilson Pereira Barbosa disse...

Sou presbiteriano, contudo não concordo com a postura desses pastores. Que o Senhor tenha misericórdia do seu povo.