5 de setembro de 2015

Centenas de pastores no vazamento de site de adultério


Centenas de pastores no vazamento de site de adultério

Jarbas Aragão
Robert Charles (R. C.) Sproul foi um importante pastor e teólogo norte-americano. Fundador e presidente do Ligonier Ministries, seu filho R. C. Sproul Jr. herdou um grande ministério após a morte do pai.
Contudo, desde o vazamento dos dados de pessoas registradas no site de infidelidade Ashley Madison, surgiu um grande problema entre igrejas norte-americanas. São centenas de pastores cujos nomes aparecem listados, incluindo R. C. Sproul Jr, de acordo com Christianity Today.
Com resultado da divulgação, Sproul Jr. foi afastado das suas funções no Ligonier Ministries. Logo em seguida, também perdeu o cargo no Reformed Bible College, onde lecionava cadeiras de teologia e filosofia.
O teólogo confessou ter visitado o site que reúne pessoas interessadas em cometer adultérios. Viúvo desde 2011, ele tem oito filhos e um neto. Justificou-se em nota em seu site: “Em agosto de 2014, num momento de fraqueza, dor, e movido por uma curiosidade doentia, visitei o Ashley Madison. Meu objetivo não era reunir material para fazer um comentário crítico a respeito, mas acender as chamas da minha imaginação”. Ressaltou ainda que sempre foi fiel à sua mulher.
Ainda não foi anunciado que posição tomará a Covenant Presbyterian Church, onde é um dos pastores. Por causa de sua importância para a igreja americana, o caso de R.C. Sproul Jr., está recebendo destaque.
Ele veio a público pedir perdão e afirmou que aprendeu uma “lição sobre graça”. Disse ainda crer que Deus perdoou o seu pecado. Por fim, acredita que todo o imbróglio envolvendo o nome de tantos líderes pode ser uma “bênção disfarçada”.
O pastor Ed Stetzer, do ministério Lifeway, que escreve para várias revistas e trabalha com estatísticas, escreveu em seu blog que aproximadamente 400 pastores e líderes cristãos da América do Norte estão na lista vazada por hackers. Para ele, isso indica que as igrejas do Canadá e dos Estados Unidos deveriam fazer uma profunda reflexão.
Afirmou que muitos pastores estão pedindo demissão de suas igrejas, após os nomes serem divulgados. Contudo, há muitos pastores, diáconos, presbíteros e evangelistas que não estão sendo acompanhados por suas igrejas. Em alguns casos, apenas pediram perdão às congregações.
Stetzer fez um apelo para que as igrejas não deixem o assunto ser ignorado. Afirmou que a infidelidade de um líder afeta todo o rebanho. Pediu ainda que haja arrependimento público.
Estimulou os culpados a pedirem perdão e os fiéis a perdoarem. Mas deixou bem claro que todos precisam ser tratados, especialmente as esposas dos homens cujos nomes foram revelados.
Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
R. C. Sproul diz: Não há profecias, sonhos e visões verdadeiras hoje

11 comentários :

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

Um pastor é uma pessoa como qualquer outra. Tem a sua profissão e tem de cumprir a sua missão de passar a mensagem que interessa à comunidade a que se dirige.
Na sua vida particular faz o que toda a gente faz.

O pastor pode ser homossexual e ter uma Feliz relação com outro homem.

Se a comunidade a que se dirige , e que lhe paga, é contra a homossexualidade ele deve pregar contra a homossexualidade.

Se forem favoráveis ao sábado ou domingo ele tem de pregar nesse sentido.

Outra coisa é a sua vida particular.

Penso que publicitar estas coisas não é útil.

Anônimo disse...

Agora não pode criticar pastor que frequenta página de traição?

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

Porque não?
Enquanto pastor defendeu a monogamia ou lá a interpretação que deu doa livros sagrados

Como pessoa fez a sua vida

Não penso que haja incompatibilidade.

Saga Oliveira disse...

"Um pastor é uma pessoa como qualquer outra. Tem a sua profissão"

Isso não deveria ser tratado como "profissão" e sim como vocação, por isso me incomoda tanto ministérios remunerados, é fácil a pessoa se acostumar com o que faz como seu ganha-pão e não como serviço sagrado de adoração a Deus. Cantores gospel milionários tem o mesmo problema, esquece suas origens e passa a tratar a música como um trabalho artístico qualquer, algo feito para si e para sua banda e não para Deus...

De todo jeito, líder religioso hipócrita não dá certo, isso repercute no rebanho, se aqueles que tomam a dianteira nas igrejas não são virtuosos, que fim levará suas ovelhas?

Anônimo disse...

A remuneração mensal de pastores está fora da doutrina de Cristo. Deus, na sua imensa sabedoria, não permitiu o pagamento de salário para quem faz Sua obra justamente para que tudo seja movido pelo amor, e não pelo dinheiro.

Os apóstolos não eram remunerados, quando muito, recebiam auxilio de igrejas ou pessoas, mas nunca salário. Paulo buscava seu sustento através de sua profissão, construtor de tendas, segundo o que está escrito na Bíblia.

Remuneração salarial para pastores ou qualquer membro de igreja cristã é algo novo, que não pertence à doutrina de Cristo. Mais uma novidade humana que introduziram na igreja cristã. Os obreiros, por exemplo, geralmente não remunerados, apresentam frutos do Espírito Santo. Mas quando passam a receber dinheiro, com cargo de pastor ou qualquer outro, tornam-se instrumentos da moeda e, por isso, a unção desaparece.

Sousa da Ponte, gostaria de dizer-lhe que ainda dá tempo para rever seus conceitos e assim alcançar a salvação da sua alma. Não me leve à mal, por favor. Peça socorro ao Espírito Santo ainda hoje.

Deus te abençoe, Júlio.

Marlos.

Anônimo disse...

A apostasia está do tema aos comentários. Atos 13:10 para esses apóstatas.

marcelo victor disse...

Aqueles que ostentam o titulo de PASTOR, e ganham para pregar a Palavra de Deus, cumprem Apocalipse 18:13 e estao destinados ao fogo eterno.
Nao me refiro aos crentes a quem foi dado o dom de pastorear e nao nao fazem negocio da Palavra de Deus, exatamente como agiu o apostolo Paulo, o qual trabalhou com os seus proprios esforços pra comer, beber e dormir.

Anônimo disse...

Marcelo Victor, perfeito seu comentário. Muitos confundem dons com cargos e, por isso, se mantém no erro terrível, capaz de comprometer a salvação eterna, mesmo dizendo-se cristãos.

Deus te abençoe.

Marlos.

Anônimo disse...

Foi por isso que houve tanto interesse na divulgação desses dados.

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

Só lhe posso agradecer. Embora tenha bastantes dúvidas sobre a existência de deuses.
Obrigado pela intenção. E que se existirem nos tratem bem depois da morte. A si, a mim e a todos os outros.

marcelo victor disse...

Como conheceremos a moeda verdadeira se nao houver a falsa?
Por isso, è licito que venham os escandalos, mas ai daquele por quem eles vierem.