11 de agosto de 2015

Canibalismo pró-família?


Canibalismo pró-família?

Julio Severo
O C-Fam vem fazendo um trabalho legal de expor atividades, organizações e indivíduos pró-aborto e pró-sodomia no mundo inteiro. Mas agora, seu diretor Austin Ruse fez um recente trabalho nada legal expondo um de nós — isto é, o Dr. Scott Lively —, acusando-o como “bicho-papão” usado por organizações homossexualistas. Em seu artigo “Anatomy of a Mythical Boogeyman” (Anatomia do Mito de um Bicho-Papão), Ruse empregou de fato um ruse (que em inglês significa: ardil, artimanha, embuste, truque) malvado para justificar uma canibalização moral de Lively e sua reputação.
Scott Lively
Ruse disse:
Os ativistas gays não têm realmente medo de Scott Lively. Eles sabem que ele tem tido pouco ou nenhum efeito em outros países. Ele é a invenção deles, um veículo para manter sua base irritada e o fluxo de cheques de mala direta.
Baseado em boatos, Ruse também menosprezou Lively:
Ele tem vagabundeado pelo movimento pró-família há anos, mas nunca foi de fato aceito pelas maiores organizações. Disseram-me que ele não trabalha bem com outros. Uma grande personalidade pró-família me disse que para Lively tanto faz atacar LGBTs quanto atacar outros líderes pró-família, que ambas as coisas dão alegria a ele.
Um católico atacando um evangélico. Novidade?
Então, se os ativistas gays escolhem uma vítima válida (o católico Ruse) para criticar e insultar, temos de defende-lo. Mas se eles escolhem uma vítima inválida (o evangélico Lively), temos de criticá-lo e insultá-lo também?
No ano passado, Matt Barber (que não é um líder desconhecido no movimento pró-família) escreveu um artigo no WorldNetDaily (que não é desconhecido no movimento pró-família) defendendo Lively:
“Como fez Cristo, Scott Lively fala a verdade absoluta, em amor absoluto, sem nenhum medo de destruição pessoal ou até mesmo morte. Ele ama a todos, quer amigos ou inimigos, cristãos ou pagãos, héteros ou gays. Por exemplo, Scott e sua família acolheram em seu lar e cuidaram, tanto fisicamente quanto espiritualmente, do falecido Sonny Weaver, um ex-homossexual que morreu, como acontece com muitos, de AIDS — uma consequência natural de uma conduta contra a natureza. Sonny virou homossexual depois de ser estuprado aos 7 anos de idade por um homossexual na Associação Cristã de Moços. Ele virou ex-homossexual depois de aceitar Jesus como Senhor em sua vida.”
O artigo de bicho-papão de Ruse recebeu uma resposta inteligente de um colega católico chamado “bonaventure,” que disse:
Prezado Austin:
Você percebe que organizações homofascitas como a HRC, GLAAD, etc., não se referem a você de modo diferente do que fazem com Scott Lively?
Talvez Lively seja “insignificante” (isto é, ele tem um pequeno ministério protestante fundamentalista não convencional, etcl). E talvez ele não se dê bem com os ministérios pró-vida mais famosos (muitos dos quais se opuseram a emendas pró-vida Personhood em nível estadual). E daí? E daí se ele não tem o jeito que você tem de se expressar?
Você deveria ter mostrado Scott Lively sob uma luz melhor em seu artigo, em vez de zombar dele — que não é melhor do que elevá-lo ao chefe dos bichos-papões, pois, no outro lado da guerra cultural, você é tanto bicho-papão quanto é Scott Lively. Aliás, você poderá até mesmo receber, logo, um distintivo de honra de um processo federal de “crimes contra a humanidade” contra você…
Com seriedade e sem sarcasmo: em vez de apresentar Scott Lively sob a luz negativa como você fez em seu artigo (corrija-me se exagerei na leitura), você deveria ter feito contato com ele de algum modo, e se unido a ele numa frente em comum com qualquer força e influência que você realmente tenha.
Outro leitor, Nicola M. Costello, comentou:
Por que, sr. Ruse, criticar e insultar gratuitamente Scott Lively, um líder que está do nosso lado na questão homossexual?
A organização homossexualista americana GLAAD tem um esboço biográfico malicioso de Ruse, basicamente descrevendo-o como uma versão 2 de Scott Lively. Deveríamos agora tratar Ruse como bicho-papão 2?
O blog homossexual JoeMyGod, num post intitulado “Austin Ruse para Scott Lively: Você Não Pode se Sentar Conosco,” disse sobre o imbróglio Ruse-Lively: “Delicioso, delicioso, delicioso.”
Em seus ruses (ardis, artimanhas, embustes, truques) contra Lively e em seu processo de “Crimes contra a Humanidade” contra ele, as organizações homossexualistas querem uma canibalização de Lively e muito mais. Agora será que eles usarão o artigo de bicho-papão de Ruse como evidência de que as organizações pró-família são destrutivas e autodestrutivas?
Em sua resposta intitulada “Taking ‘Friendly’ Fire” (Levando Fogo Amigo), Lively disse:
“O estrategista marxista Saul Alinsky ensinou seus seguidores a 1) escolher um alvo para ser o símbolo da oposição deles, 2) congelar o alvo em lugar por meio de propaganda incessante, e 3) destruir publicamente o alvo para fazê-lo de exemplo para os que se opõem a eles. De algum modo, virei esse alvo: o bode-expiatório sacrificial do movimento LGBT. E, a menos que haja um milagre, serei publicamente destruído, se não for pelo processo de ‘Crimes contra a Humanidade’ então por algum outro meio. Se não temos aprendido nada mais sobre os agitadores do moderno movimento LGBT, sabemos que eles são tão cruéis e implacáveis quanto os homossexuais de Sodoma, que não queriam desistir de cercar a casa de Ló mesmos depois de terem sido cegados por Deus.”
Acima de tudo, católicos e evangélicos sabem, em suas Bíblias, que Jesus disse que uma casa dividida contra si mesma não conseguirá sobreviver. Ele disse:
“Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado; da mesma forma que uma casa dividida contra si mesma ruirá.” (Luke 11:17 King James Atualizada)
E quanto a um reino pró-família se canibalizando? Será que conseguirá sobreviver?
Versão em inglês deste artigo: Pro-Family Cannibalism?
Artigos de ou sobre Scott Lively:
Postar um comentário