15 de maio de 2015

Segurança de Israel em perigo com atitude do Vaticano reconhecendo a Palestina


Segurança de Israel em perigo com atitude do Vaticano reconhecendo a Palestina

WorldNetDaily
O fato de que o Vaticano está dando reconhecimento diplomático ao “Estado da Palestina” abrirá as portas para uma nova onda de antissemitismo e colocará em perigo milhões de judeus e árabes em Israel, acusam vários líderes evangélicos que escrevem sobre os tempos finais.
E a decisão polêmica do Papa Francisco está até levando a alegações de que a Igreja Católica Romana será inimiga dos cristãos e do Estado de Israel durante esses tempos.
Joel Richardson, cineasta e escritor de livros na lista de best-sellers do jornal New York Times, criticou duramente a decisão do Vaticano como “um ato de ódio profundo ao povo judeu no mundo inteiro.”
Numa entrevista ao WND, o autor do livro “When a Jew Rules the World: What the Bible Really Says About Israel in the Plan of God” (Quando um Judeu Governar o Mundo: O que a Bíblia Realmente Diz sobre Israel no Plano de Deus), comentou: “Para os desinformados, que estão do lado de fora, reconhecer a ‘Palestina’ poderia parecer razoável. Certamente, o Deus do Céu ama o povo palestino tanto quanto o povo judeu. Mas não para os que têm uma compreensão melhor acerca das várias realidades de política, religião e segurança daquela região. Ninguém que esteja informado negará que o estabelecimento de um Estado palestino colocará em risco a segurança de milhões de judeus e árabes em Israel de um modo profundo.”
Richardson explicou que a situação israelense é semelhante a viver perto de uma família grande composta de muitas pessoas que abertamente declaram sua intenção de tirar de você sua propriedade e matar seus filhos.
“Devido à ameaça genuína que seus vizinhos representam para você e seus filhos, você se cuida para que eles não consigam obter as armas e estratégia necessárias para executar seus planos malignos. Agora imagine se o padre católico local, tudo no nome da ‘justiça,’ ‘compaixão’ e ‘igualdade,’ forçasse você a permitir que esses vizinhos tivessem suas próprias armas. Tal ato demonstraria ódio profundo para com você e sua família. Aliás, seria um ato de violência,” disse Richardson.
“Apoiar um Estado palestino sem exigir que primeiramente eles renunciem, de forma inequívoca, e se arrependam de seus planos contra o povo judeu é ser cúmplice da violência que vai acontecer,” ele disse. “Hoje a Igreja Católica cometeu um ato profundamente grave e repugnante contra o Deus a quem ela afirma representar.”
Carl Gallups, que é pastor, escritor e apresentador de programa de rádio, concorda que o impacto da decisão do Vaticano será catastrófico. Contudo, o autor do livro “Final Warning: Understanding the Trumpet Days of Revelation” (Aviso Final: Compreendendo os Dias de Trombetas do Apocalipse) diz que ele não está surpreso.
Gallups disse ao WND: “O que o Vaticano fez não deveria de fato ser um choque para o mundo, principalmente para o mundo cristão, pois esse papa tem feito declarações semelhantes em apoio da causa palestina. No entanto, até onde sei, esta é a primeira vez que ele pede explicitamente um Estado palestino. E isso é preocupante em termos proféticos e geopolíticos, pois estimulará a onda de antissemitismo que está varrendo o globo.
“É importante recordar que nunca houve um estado nacional naquela região, exceto Israel. Então, algum tipo de ‘nação palestina’ só vai ser usada para estimular esse fogo. Esse estímulo está sendo feito pelos esquerdistas e ímpios que são mobilizados por ódio a Israel e aos judeus. Embora eu seja evangélico, acho trágico que essa declaração esteja vindo do papa, que muitos acreditam deveria ser um defensor do Cristianismo. Mas esse papa é esquerdista, falando em termos teológicos e políticos,” disse ele.
Gallups diz que a postura de política externa do Vaticano pode estar pressagiando divisões profundas entre a Igreja Católica Romana e os evangélicos.
“Essa decisão dá credibilidade à teoria de muitos evangélicos de que a Igreja Católica foi predita em Apocalipse como a Meretriz e será entregue à apostasia,” disse ele. “É muito preocupante, mas não completamente chocante vindo desse papa e nesta época da história. De novo, estamos vivendo em tempos proféticos. Minha preocupação maior é que a decisão do Vaticano vai inflamar o antissemitismo, possivelmente até fazendo com que a ONU e os Estados Unidos peçam a formação de um Estado palestino específico. Eles poderão chamar Israel de ocupador, intruso e Estado terrorista. Não vejo nada de positivo vindo como resultado da atitude do Vaticano. Em termos estritamente políticos, queremos dizer: ‘O que é que este papa está pensando?’ Mas se pararmos por um minuto para pensar, veremos que é nisso que este papa sempre acreditou. Talvez, seja até o que ele sempre foi designado para fazer profeticamente.”
Tom Horn, comentarista principal no DVD “The Last Pope” (O Último Papa), produzido pelo WND, e um especialista em profecias com relação à Igreja Católica Romana, disse ao WND que a Igreja Católica sempre teve seus próprios planos para possuir Jerusalém e a Terra Santa.
Horn diz que o Vaticano nunca teve a intenção de que Jerusalém pertencesse a um país. Conforme descrito em seu livro “Petrus Romanus: The Final Pope Is Here” (Pedro Romano: O Papa Final Está Aqui), em coautoria com Cris Putnam, Horn alega: “O Vaticano pretensamente defende o caso dos palestinos e dos católicos que querem fazer peregrinação, mas na verdade, há abundantes evidências de que o Vaticano quer possuir Jerusalém somente para si. Mais ainda, há autoridades judaicas de alta patente esperando a oportunidade para entregar Jerusalém para o Vaticano.”
Quaisquer que sejam as intenções do Vaticano, o pastor Mark Biltz, que descobriu o fenômeno das “Luas de Sangue” e autor do livro “Blood Moons: Decoding the Imminent Heavenly Signs,”  (Luas de Sangue: Decifrando os Iminentes Sinais Celestiais), diz que a única coisa que se produzirá com a divisão da terra dos judeus deduzida pelo reconhecimento de um Estado palestino é o desastre. Ele aponta para Joel 3, que avisa contra os que “espalharam meu povo entre as nações e dividiram minha terra.”
Mas Richardson acredita que as ações do Vaticano têm de ser interpretadas no contexto maior de atividades contra os judeus cometidas pela Igreja Católica Romana e outros que se descreviam como cristãos em toda a história.
E embora ele faça uma diferença entre católicos individuais e a instituição católica, o autor do livro “The Islamic Antichrist: The Shocking Truth About the Real Nature of the Beast” (O Anticristo Islâmico: A Verdade Chocante Acerca da Natureza Real da Besta), best-seller no jornal New York Times, pede que os católicos desobedeçam ao papa.
Richardson disse ao WND: “Agora, quero se claro. Compreendo plenamente que há milhões de católicos maravilhosos que temem a Deus no mundo inteiro e que amam o povo judeu e o povo árabe na terra de Israel, e que apoiam totalmente Israel e seu direito de existir e se defender. Mas hoje, todos os católicos de consciência no mundo inteiro precisam condenar as ações de seus líderes espirituais. Em toda a história, a Igreja Católica Romana perseguiu o povo judeu de forma inimaginável,” ele disse. “Então, foi um maravilhoso avanço no século passado, quando eles oficialmente se arrependeram de seus pecados históricos contra o povo judeu.”
Richardson disse que ao reconhecer a Palestina como Estado, a Igreja Católica “rendeu-se ao espírito dessa era, deu as costas ao Deus de Israel e tropeçou, caindo de cabeça nas trevas.”
Traduzido por Julio Severo do artigo original do WorldNetDaily: Israelis’ security ‘compromised’ by Vatican recognizing Palestine
Leitura recomendada:

26 comentários :

Marcelo disse...

Tenho a impressao de que a legiao de demonios que se apossou dos governantes do Brasil é exatamente a mesma que està guiando os passos de determinados lideres de muitas instituiçoes religiosas, pois, na ansia pelo poder, ambos estao atirando pra tudo que é lado e onde acertar, tà valendo.

Lendo este artigo, o Senhor me trouxe à mente aquela passagem que diz: "Disseram, pois, os fariseus entre si: vedes que nada aproveitais? Eis que toda a gente vai após ele" (João 12:19). Quero dizer, com isso, que a impressao que eu tenho é que o catolicismo, de forma bastante astuta (como sempre), està jogando as suas ultimas cartadas para tentar se reerguer das cinzas, num momento de total falta de credibilidade.

Para enxergar essa triste realidade (triste para os fieis), nao precisamos, nem mesmo, recorrer à historia, a fim de relembrarmos do que essa instituiçao foi capaz de fazer, em nome do Senhor Jesus, no episodio chamado de Inquisiçao. Basta lermos os noticiarios de forma imparcial e chegaremos facilmente a essa conclusao, a nao ser, é claro, que queiramos propositadamente fechar os nossos olhos para algo tao explicito.

Segundo as Escrituras Sagradas, a PAZ MUNDIAL serà alcançada por essas lideranças, todavia, para que a medida das abominaçoes dos homens cheguem às narinas de Deus, tratar-se-à de uma uniao abominavel, ou seja, fundamentada em doutrinas de demonios, totalmente contrarias à moral judaico-crista.

Por isso, creio que a hipotese de uma terceira guerra mundial esteja totalmente descartada, a nao ser, é calro, a grande tribulaçao mundial que recairà sobre o povo de Deus, por nao compartilhar com a MENTIRA.

Naturalmente que a minha opiniao nao é um consenso, mas eu creio que o tempo nos mostrarà se isso que digo està de acordo com as Escrituras Sagradas ou se é uma elocubraçao de uma mente ensandecida.

Torreal disse...

Pois eu penso que somente com a criação de um real estado palestino é que a paz poderá ser alcançada.
Somente quando os palestinos tiverem seu direito a dignidade de uma nação é que poderão focar em outra coisa que não seja Israel, mas o bem de seu próprio povo.

Emanoel disse...

Aguem que pensa, é muito difícil ver isso aqui. Parabéns !!!
Mesmo os Judeus tendo rejeitado Cristo, mesmo ele tendo morrido pelos seus, mesmo ele tendo instituído a igreja como seu povo. As viúvas de Israel continuam a lamentar-se pela "Nação Eleita".

Anônimo disse...

A cada dia que se passa , minha tese de que apocalipse 13 se cumpre no papa Francisco , Bento 16 e João Paulo segundo se firma a cada dia . Vamos aos Fatos :
A segunda besta tomou o poder da primeira besta na sua presença . Isso parece ter acontecido em 2013 quando O bispo argentino recebeu o papado do Bento 16 com ele ainda vivo . Ou seja , na sua presença . Isso foi um feito quase inédito . Diz o texto de apocalipse que a segunda besta tinha 2 chifres como a de um cordeiro . Qual é um dos símbolos do cristianismo ? O cordeiro . Então os 2 chifres simbolizam os 2 papas . Apocalipse 13 narra que a primeira besta sofrerá uma ferida de morte na cabeça e que essa ferida será milagrosamente curada pelo dragão ( Satanás ) . O Estado Islâmico vem tentado fazer um atentado ao papa . Pra mim o Bento 16 sofrerá um atentado e será levado ao hospital quase morto . Quando for dado com morte cerebral o mundo católico rezará para o único santo que foi canonizado por ter curado doenças na cabeça . E quem foi esse : João Paulo 2 . Quando isso acontecer o mundo se maravilhará com o feito e acharão que ele fez Bento 16 ressuscitar ( Na verdade Satanás o possuiu ). Estará formada a tríade satânica :Francisco o falso profeta , bento 16 fazendo a função de Messias e o João Paulo 2 ( ainda morto , pois não vai ressuscitar ) fazendo o papel de Deus ( ele será o dragão , Satanás ). Ainda em apocalipse 13 relata que se fará uma imagem da 1 besta . Qual a única religião monoteísta que trabalha com imagem ? Igreja católica . A tríade satânica , que tentará imitar a trindade divina , Implantará o chip ( 666 ) para equilibrar a oferta de alimentos e despesas da população mundial , por que o mundo está vivendo em catástrofes humanitárias por causa dos terremotos , secas , guerras , crises econômicas globais . Por que o número 666 é o número de 1 homem ? Por que Adão foi criado no sexo dia (6 ) , então o chipe é o símbolo do governo de 3 homens : Francisco ( 6) , Bento 16 (6) e João Paulo 2 (6)=666 .
Depois da tríade ter feito uma aliança no Oriente Médio , ter trazido paz mundial , reconstruído o 3 templo de Salomão , ele vai se revelar . O anticristo vai dizer que é o próprio Satanás e exigirá adoração mundial . O mundo não aceitará e se rebelará . Todavia será tarde de mais pois uma boa parte da humanidade terá aceitado a maraca da besta e seu governo . Então no final de 3 anos e meio começará a maior carnificina de tdos os tempos .

Thiago disse...

O surgimento do moderno Estado de Israel é um sinal?

Sim é um sinal.

O Moderno Estado de Israel é a continuação do antigo?

Não.

O Sionismo Sabatiano é a cabeça da Maçonaria e da Nova Ordem Mundial. E nisso os evangelhos não passam de massa de manobra.

Só quem estudou a fundo a Maçonaria entende que tudo ali é uma referencia ao Sionismo Sabatiano (seita Luciferiana que se esconde dentro do Judaísmo, se confunde no meio muitas organizações judaicas).

Marcelo disse...

Historicamente o catolicismo romano e o judaismo sao inimigos mortais, assim como o judaismo e o islamismo.

Na febre de ocupar o trono do mundo, as açoes da ICAR, em algum momento, inevitavelmente irao entrar em choque com os interesses de Israel.

Primeiro porque os judeus sempre foram uma pedra no sapato do catolicismo, exatamente por nao se curvarem diante do Papa, aquele que se institula o substituto de Cristo na terra (um semi-deus).

Segundo, porque a ICAR e Israel falam de PAZ distintas, pois, para os judeus, a PAZ significa, tao somente, estar na "terra prometida", custe o que custar; contariamente à ICAR, cuja PAZ representa o TRONO do mundo.

No ponto que nos toca (a igreja de Cristo), se essa balança pender pro lado da ICAR, isso poderà representar o prenuncio de algo tràgico, ainda mais se considerarmos que o comunismo jà entrou pelas portas do Vaticano e està sendo celebrado abertamente na "casa de Sao Pedro" (a favor dos pobres e da PAZ romana).

A continuar esse romance (catolicismo e comunismo), patrocinado pelos EUA, nao demora muito para serem iniciadas açoes mais contundentes contra Israel e contra a Igreja (uma questao de tempo apenas).

Todavia, se a ICAR conseguir uma proeza, do tipo reconstruir o templo de Jerusalem, ai, entao, meu velho, vai sobrar somente pra Igreja.

Quanto aos palestinos, eles sao apenas massa de manobra nas maos desses criminosos (uma especie de boi de piranha).

Thiago disse...

Corrigindo...

...e nisso os EVANGELICOS são massa de manobra...

observação: Quando digo Maçonaria, me refiro ao Rito Escocês (luciferiano sabatiano), e não ao "Grande" Oriente da França (comunista ateu).

Vanessa disse...

Gostei muito do seu comentário sr. Marcelo!

Carla disse...

Por que a surpresa? As ações anti-Israel de Francisco em NADA diferem dos seus antecessores, que nunca esconderam o seu anti-israelismo.

Thiago disse...

Temos a disputa:

Golias versus Barrabás

Eu é que não me meto a apoiar um ou outro. Tanto Israel (Maçonaria) como os Palestinos (Esquerdismo + Jiradismo) são muito suspeitos.

Thiago disse...

Quem não gosta do "liberou geral esquerdista", também não deveria gostar de Maçonaria e nem da cabeça da mesma. A instituição que mais combateu a Maçonaria e o "liberou geral" foi a Igreja Católica.

Todo mundo sabe que a Igreja Católica verdadeira está no exílio, já se retirou de cena desde o Vaticano Segundo. O que tá aí é só encenação.

Danilo disse...

Thiago, vc está no mundo da ilusão. Igreja Católica em exílio? Que ideia maluca é essa? Vc desconhece. Martinho Lutero não lutou contra a hierarquia da Igreja Católica pós-Concílio Vaticano II. Ele lutou ANTES. Acorda, rapaz.

Junior Melo disse...

Queridos leitores, amados catolicos.Até que ponto a cega defesa do indefensãvel e nefasto plano do vaticano.Para defender com unhas e dentes seus pontos de vistas, ha pessoas que sacrificam se possível até o beom senso e a lógica,a inteligência e a verdade dos fatos,não dando o braço a torcer,por não negar a fé.Isso é fundamentalimo religioso ver um catolico defender um regime fascista copiado do imperio romano.Meu querido catolico, sua igreja vai te levar para um lugar de trevas.Ouça o que a Biblia diz:"Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.(Apocalipse 18).Não bastasse a religiao papal impedir que seus fieis abracem o correto exame das escrituras,monopolizando suas mentes,fazem o incrivel papel de deixa-los cegos espiritual mente e não enxergar que o REgime PApal é cumprimento profético contra a Cidade do Deus de Israel.

Marcela disse...

Thiago, vc está no mundo da ilusão. Igreja Católica em exílio? Que ideia maluca é essa? Vc desconhece. Martinho Lutero não lutou contra a hierarquia da Igreja Católica pós-Concílio Vaticano II. Ele lutou ANTES. Acorda, rapaz. 2

Thiago disse...

O que eu quis dizer é:

Fiz referência ao

SEDEVACANTISMO.

Quis dizer que a tradição não governa mais a Igreja Católica, mas sim a ONU e seu esquerdismo desde o tal Vat. Segundo...

Torreal disse...

A tradição nunca governou nada.
Tradição é algo dos mais mutáveis no mundo.
Nada permaneceu o mesmo nem por um século. Sempre mudou.
Agora muda mais rápido ainda, por N fatores.
Inclusive a globalização e a internet.

Thiago disse...

Esse pessoal de humanas se pudesse abriria a cabeça dos religiosos a machadadas.

Não senhor Torreal, não relativizaremos nossa fé.

JOSÉ DOMINGOS disse...

Em certo ponto, os comentários de Thiago fazem sentido, pois Israel também fará acordo com Anti-Cristo, já diz a Bíblia, e olha lá se o estado palestino não servir de barganha pra Reconstrução do Templo!

Fusca disse...

Quando Bergoglio justificou os atentados de Paris dizendo "se ofender minha mãe, espere um soco", ficou claro que ele deu as costas à Palavra de Cristo ("Dê a outra face").
Agora, defende um ditador assassino que se vangloriava de fuzilar mais de 70 pessoas em um só dia.
O papa argentino comprova seu desprezo pelo povo oprimido de Cuba, prometendo bradar contra o capitalismo no Congresso americano, mas sem uma palavra de reprovação à ditadura castrista.
Recebeu o facínora Stédile e grande comitiva em Roma, com vôos e hotéis pagos pelo Vaticano, mas não recebe o Dalai Lama que pede apoio ao povo tibatano oprimido pela ditadura comunista da China.
Esse líder do Vaticano, entre os céus e as trevas,escolheu claramente o lado vermelho.

Marcelo disse...

Salvo erro, Sodoma e Gomorra viviam em absoluta PAZ, para cometerem toda sorte de abominaçoes, a qual era afetada somente quando o justo Lò abria sua boca, falando da Palavra de Deus (Jesus Cristo).

Pode ser coisa da minha mente, mas é exatamente dessa mesma PAZ que esses filhos do diabo pregam (totalmente contraria à Palavra de Deus). Por isso que sinto nojo das suas iniciativas diabolicas, as quais, por si sò, declaram de que espirito procedem.

Claro que tudo isso é motivo de darmos gloria a Deus, pelo cumprimento da Sua Palavra, mas nao deixamos de nos entristecer quando vemos milhoes de pessoas sendo enganadas por esses ladroes de almas, muitas vezes defendidos como herois.

Thiago disse...

Mudando de assunto Julio, olha só a quando surgiu a questão de "veneração" de imagens:

"Se a invasão dos Árabes, Eslavos e Lombardos redundou na crise do corpo do império, a controvérsia iconoclasta poderá definir-se como a crise da alma do império. A discussão sobre a admissibilidade de imagens na arte religiosa irrompeu no século VIII. Na altura em que Leão III começou a atacar o uso das imagens como acto de idolatria, a importância dos ícones na piedade e na arte de Bizâncio era quase igual à reverência e dedicação dos greco-romanos pelas estátuas religiosas. A luta entre os iconoclastas e os defensores dos ícones tornou-se tão azeda que envenenou a sociedade durante mais de um século. A admissão das imagens pela Igreja na arte religiosa durante os séculos III e IV foi de grande importância pois, se a Igreja as não houvesse permitido, as tradições artísticas greco-romanas ter-se-iam desvanecido e a arte européia, provavelmente, tomado uma feição semelhante à islâmica. Mas, não obstante a aceitação por parte da Igreja destas tradições, apareceu logo de início no seu seio uma voz que condenava as imagens porque, dizia, se relacionavam com práticas pagãs e porque o seu uso contrariava a proibição mosaica da imagem esculpida. Apesar disso, tornou-se perceptível a intensificação do culto dos ícones na última metade do século VI, quando a desintegração dos negócios políticos levou o homem a acreditar em intervenções miraculosas, mágicas e sobre-humanas. Como as mais antigas tendências dos Gregos e dos povos helenizados para associar poderes mágicos a imagens físicas se afirmassem novamente, os dirigentes nada fizeram para as suprimir. Antes promoveram o seu desenvolvimento por actos oficiais, tais como o cânone 82 do concílio de 629 (ordenava que, a partir de então. Cristo não poderia continuar a ser representado como um cordeiro mas somente como um ser humano) e a colocação da imagem de Cristo nas moedas cunhadas no reinado de Justiniano II. " PÁGINAS 77 E 78 DO LIVRO BIZÂNCIO E EUROPA, DO AUTOR SPEROS VRYRONIS.

Anônimo disse...

Os ícones usados nas igrejas ortodoxas também são imagens.

Católicos romanos e ortodoxos tem a mesma origem.

Thiago disse...

Meu muito respeitado Flávio (acredito que seja o anônimo), só quis mostrar a controvérsia, que esta questão só foi definitivamente "fechada" lá pro ano 800... e bolinhas... ou seja, quase um milênio depois de Cristo. E como sou protestante, enxergo esta doutrina católica e ortodoxa como doutrina de homens, só isso. Espero que não tenha te ofendido.

Neilson Oliveira disse...

A Igreja Católica está ema espécie de exílio sim. Mas não concordo totalmente com esta afirmação. Vocês têm que estudar a crise na Igreja pós Vaticano II, sobretudo o que fez Dom Marcel Lefebvre. Leiam o site permanência. Leiam Gustavo Corção. O Vaticano II deu origem a um cisma na Igreja: de um lado permaneceram católicos Lefebvre e outros, que continuaram respeitando a hierarquia católica, porém que disseram não ao liberalismo dessa mesma hierarquia; de outro lado houve uma apostasia generalizada com a aparência de igreja católica (a mesma hierarquia, só que com uma fé contrária, uma fé no homem e não em Deus).

Julio Severo disse...

Thiago, vc disse: “Todo mundo sabe que a Igreja Católica verdadeira está no exílio, já se retirou de cena desde o Vaticano Segundo.” O maior e melhor feito do Concílio Vaticano Segundo foi incentivar que os católicos lessem a Bíblia em vez de confiar exclusivamente nos escritos religiosos livretos sobre a vida dos santos católicos.

Isso sem dúvida foi um avanço imenso, pois o católico praticamente não lia a Bíblia, por desencorajamento vindo do próprio Vaticano.

Insinuar que o Concílio Vaticano Segundo estava errado é a mesma coisa que dizer que os outros concílios estavam certos e que Lutero e outros lutaram contra uma igreja santa e imaculada.

Essa história de dizer que depois do Concílio Vaticano Segundo a Igreja Católica está no exílio é coisa de tradicionalista, que quer proibir a leitura da Bíblia e de novo escravizar o povo às tradições mortas. Ou você quer que, em vez de lerem a Bíblia, os católicos voltem a confiar exclusivamente nos escritos religiosos livretos sobre a vida dos santos católicos?

Se o Concílio Vaticano Segundo foi ruim, os outros foram uma porcaria.

Julio Severo disse...

Do ponto de vista dos tradicionalistas, o Vaticano Segundo foi uma tragédia. Eles não gostam da Bíblia na mão do povo. Eles acham que o povo não sabe “interpreter” corretamente a Bíblia, com fidelidade à volumosa tradição católica, que em grande parte entra em choque com a Bíblia.