14 de maio de 2015

Novo tratado do Vaticano reconhece “Estado da Palestina”


Novo tratado do Vaticano reconhece “Estado da Palestina”

BarbWire
Um acordo divulgado na quarta-feira é o primeiro documento oficial do Vaticano que se refere à Palestina como Estado, um passo que constitui reconhecimento real do território disputado como um país dos palestinos
Palestinos no Vaticano
A Santa Sé, a entidade oficial que representa os interesses da Igreja Católica Romana no exterior, publicou o texto do tratado antes da sua assinatura oficial. O acordo envolve “aspectos essenciais da vida e atividade da Igreja Católica na Palestina,” e age para normalizar a diplomacia direta entre a Santa Sé e os palestinos.
Enquanto as conversações de paz estão num impasse entre Israel e os palestinos em anos recentes, a estratégia mais recente do presidente Mahmoud Abbas tem sido buscar uma condição normal em centros internacionais, tais como a ONU e agências ligadas. No final do ano passado, Abbas solicitou ser membro do Tribunal Criminal Internacional, uma medida que ele espera levará a uma investigação de crimes de guerra cometidos por Israel contra a Palestina.
No passado, o Vaticano era representado nos territórios palestinos por meio de uma “delegação apostólica” informal diante da Organização para a Libertação da Palestina. O Vaticano também mantém uma nunciatura apostólica, que equivale a uma embaixada normal, em Israel.
O Papa Francisco tem feito do conflito palestino-israelense uma das metas principais de seu reinado. No ano passado, ele recebeu como convidados Abbas e o presidente israelense Shimon Peres no Vaticano para uma “cúpula de rezas” como sinal de boa fé entre os líderes.
Antes do anúncio do tratado, Francisco já tinha agenda marcada para se encontrar com Abbas no sábado próximo. No domingo, ele reconhecerá duas freiras palestinas do século XIX como santas católicas, na presença de Abbas.
Os cristãos constituem menos de dez por cento dos árabes palestinos na Margem Ocidental, uma herança que eles traçam desde a época de Jesus. Membros de denominações que incluem o catolicismo romano, os ortodoxos orientais e várias igrejas protestantes têm sido historicamente ativas na sociedade e políticas palestinas. Devido a décadas de instabilidade nos territórios palestinos, muitos cristãos palestinos têm buscado refúgio na Europa e no continente americano.
Traduzido por Julio Severo do artigo original do BarbWire: New Vatican Treaty Recognizes ‘State Of Palestine’
Leitura recomendada:

5 comentários :

Junior Melo disse...

Como não se podia fazer ao contrario, o "sumo pontificie dos católicos ratifica o que os seus antecessores do trono da igreja assentada sobre os 7 montes vem tradicionalmente repetindo que é um reconhecimento de um estado inexistente na Terra de Israel , numa tragica e abominável traição ao estado hebraico e aos judeus de todo o mundo.Não sabem eles que estão causando uma ira ao Deus TODO poderoso, Senhor de ISrael e de seu o povo??
Não se deixem enganar pelos sorrisos e abraços do homem vestido de branco que se faz amigo dos judeus, abraçando-os e visitando as suas sinagogas, apunhalando-os depois pelas costas - prestando um excelente serviço aos seus "amigos" palestinianos, incuráveis inimigos de Israel.

Anônimo disse...

Olha Julio vou te dizer uma coisa: as atitudes do papa Francisco mostram de forma clara e cristalina que a Igreja Católica é um dos principais motores da revolução cultural. A ICAR para alguns católicos é "a última barreira contra o comunismo", mas Gramsci e outros revolucionários provavelmente pensaram: "A Igreja Católica é um instrumento perfeito de subversão, da mesma forma que os movimentos gay e feminista". Sinceramente, do jeito que as coisas estão, se eu foce católico eu abandonaria esta igreja em vez de pedir excomunhão de bispos comunistas. E pra ser justo, as igrejas evangélicas não estão lá grande coisa, porém os evangélicos têm a vantagem de ter a Bíblia como o único e suficiente fundamento.

Anônimo disse...

Walking Dead Eclesiástico ou La Sallete antes de Fátima
Escrito por Frei Clemente Rojão OAAO/ no site FREI ROJÃO
O papa Francisco precisa se lembrar do ditado: "Quem com porcos anda, farelo come."
Primeiro foram as trombetas anunciando: o MST foi recebido com gentileza.
Depois veio o Dragão: Raul Castro em pessoa.
Agora, com os boatos que o fundador nominal da Teologia da Libertação, Gustavo Gutierrez, irá trabalhar com o papa, era só o que faltava para o Fim dos Tempos: Chegou o Falso Profeta, o Gutierrez.
Espero que sejam só boatos de uma imprensa esquerdista.
***
Se é verdade que a Teologia da Libertação está morta, então a Igreja católica atualmente vive um episódio de Walking Dead...
***

Tem vindo uma pilha de más notícias de Roma que bem que gostaria que um Cleaner dissesse que não é nada disso, que estão deturpando, que é mentira, que tudo vai bem e apenas santos incompreendidos estão no comando.

Venham! Digam o que desejo ouvir! Digam o que me tranquilize! Como diria o bordão do velho Arquivo X: "I want to believe".

Afinal, 13 de maio é dia de relembrar a profecia de Fátima, não La Sallete!!!

Marcelo disse...

Li um artigo interessante que mostra como o homem tem a mente curta e definitivamente nao gosta e nao aprende com a historia.

Um artigo que fala sobre a tecnica dos canarios, usada para trabalho nas profundidades das rochas, relacionando-a aos judeus: http://www.alertatotal.net/2015/05/a-rebeliao-dos-canarios.html

Marcelo disse...

Outro artigo interessante sobre este tema foi publicado no site:
http://www.midiasemmascara.org/artigos/globalismo/15846-2015-05-21-21-27-06.html

O interessante è que, desde o Jardim do Eden, todas as vezes que o homem fez acordo com o mal, pensando que iria se dar bem, um desastre o aguardava.

O povo brasileiro tambem nao acordou pra essa verdade, aceitando que os seus representantes aprovem leis que a cada dia favorecem mais e mais os ladroes e homicidas, numa doce ilusao que os filhos do diabo vao se converter dos seus crimes e poupar suas vidas.

Outrossim, enquanto os bons dormem, os maus trabalham na penumbra da noite, explorando a bondade dos coraçoes dos simplices...