14 de maio de 2015

Novo tratado do Vaticano reconhece “Estado da Palestina”


Novo tratado do Vaticano reconhece “Estado da Palestina”

BarbWire
Um acordo divulgado na quarta-feira é o primeiro documento oficial do Vaticano que se refere à Palestina como Estado, um passo que constitui reconhecimento real do território disputado como um país dos palestinos
Palestinos no Vaticano
A Santa Sé, a entidade oficial que representa os interesses da Igreja Católica Romana no exterior, publicou o texto do tratado antes da sua assinatura oficial. O acordo envolve “aspectos essenciais da vida e atividade da Igreja Católica na Palestina,” e age para normalizar a diplomacia direta entre a Santa Sé e os palestinos.
Enquanto as conversações de paz estão num impasse entre Israel e os palestinos em anos recentes, a estratégia mais recente do presidente Mahmoud Abbas tem sido buscar uma condição normal em centros internacionais, tais como a ONU e agências ligadas. No final do ano passado, Abbas solicitou ser membro do Tribunal Criminal Internacional, uma medida que ele espera levará a uma investigação de crimes de guerra cometidos por Israel contra a Palestina.
No passado, o Vaticano era representado nos territórios palestinos por meio de uma “delegação apostólica” informal diante da Organização para a Libertação da Palestina. O Vaticano também mantém uma nunciatura apostólica, que equivale a uma embaixada normal, em Israel.
O Papa Francisco tem feito do conflito palestino-israelense uma das metas principais de seu reinado. No ano passado, ele recebeu como convidados Abbas e o presidente israelense Shimon Peres no Vaticano para uma “cúpula de rezas” como sinal de boa fé entre os líderes.
Antes do anúncio do tratado, Francisco já tinha agenda marcada para se encontrar com Abbas no sábado próximo. No domingo, ele reconhecerá duas freiras palestinas do século XIX como santas católicas, na presença de Abbas.
Os cristãos constituem menos de dez por cento dos árabes palestinos na Margem Ocidental, uma herança que eles traçam desde a época de Jesus. Membros de denominações que incluem o catolicismo romano, os ortodoxos orientais e várias igrejas protestantes têm sido historicamente ativas na sociedade e políticas palestinas. Devido a décadas de instabilidade nos territórios palestinos, muitos cristãos palestinos têm buscado refúgio na Europa e no continente americano.
Traduzido por Julio Severo do artigo original do BarbWire: New Vatican Treaty Recognizes ‘State Of Palestine’
Leitura recomendada:
Postar um comentário