24 de maio de 2015

Frente Parlamentar em Defesa e Contra a Família?


Frente Parlamentar em Defesa e Contra a Família?

Julio Severo
O senador Magno Malta (PR-ES) foi eleito presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida (FPMDFAV), relançada na quarta-feira passada (20) no auditório Petrônio Portella, no Senado.
O título mais apropriado deveria ser Frente Parlamentar em Defesa e Contra a Família, porque os senadores Romário (PSB-RJ) e Ana Amélia (PP-RS), que foram eleitos para ocupar as duas vice-presidências da FPMDFAV, são conhecidos apoiadores da causa homossexual, inclusive “casamento” gay. Isto é, eles são inimigos da família natural.
No que se refere ao homossexualismo, Romário é um show. Ele foi flagrado de mãos dadas saindo com um transexual em 2013. O UOL Notícias revela que ele teve um caso homossexual de um ano.
Romário com transexual
Perguntado pela mídia se ele é a favor do “casamento” gay, Romário respondeu: “Sou, pô. Eu sou a favor da felicidade. Cada um dá o que é seu e f...-se os outros.” Como é que uma criatura dessa vai parar na vice-presidência de uma iniciativa pró-família? Como é que ele vai conseguir defender a família natural se ele defende a família contra a natureza?
Alguns evangélicos estão cientes desse escândalo na FPMDFAV e estão preocupados.
Em entrevista ao Blog Julio Severo, Paulo Teixeira, do Blog Holofote, desabafa: “Discordo que a senadora Ana Amélia seja integrante da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida, pois ela já tem uma posição definida em relação a ‘outra forma de família.’ Em 2011, na iminência do STF decidir se o regime jurídico das uniões estáveis previsto no Código Civil poderia ser estendido aos ‘casais’ homossexuais, a senadora manifestou ser favorável ao reconhecimento dessa ‘união,’ classificando-a como um ‘direito inquestionável’ dessas pessoas, conforme publicou o Jornal do Comercio em 3 de maio de 2011. Em outra oportunidade, Ana Amélia, em evento com Marta Suplicy e ativistas LGBT, manifestou apoio pela aprovação do PLC 122 (Lei da ‘Homofobia’).”
Teixeira também disse: “Outro senador que não merece estar na Frente comandada por Magno Malta é o senador Romário. O ex-jogador manifestou em entrevistas passadas ser favorável ao ‘casamento’ gay. De acordo com notícia publicada no site da Band, Romário saiu em defesa de Jean Wyllys e seu projeto sobre ‘casamento’ gay: ‘O Jean (Jean Wyllys-PSOL, ex-BBB, autor do projeto) é um cara muito inteligente. Eu sou a favor da felicidade. Se as pessoas se casam e são felizes, independente do sexo, é o que vale.’”
Finalizando, o dono do Holofote cobra: “Como podem, então, ser esses senadores integrantes de uma Frente que defende ideais diferentes? O senador Magno Malta precisa explicar isto, sob pena de a referida Frente começar sob a suspeição de ser apenas mais um instrumento politiqueiro para colocá-lo em evidência.”
O relançamento da Frente teve a participação de outro senador evangélico, Walter Pinheiro (PT-BA), um notório ativista de causas socialistas. O Bispo Manoel Ferreira, antigo aliado do Rev. Moon, também estava presente.
Malta defendeu o projeto do Estatuto da Família, cujo objetivo é defender valores pró-família contra o “casamento” homossexual e a legalização do aborto.
A intenção dele é excelente. Mas como ele espera defender o casamento e a família natural quando seus dois vice-presidentes defendem um casamento fajuto e uma família contra a natureza?
Na mídia evangélica, o relançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida deu destaque ao senador Magno Malta. Com esse destaque, ficou fácil ver que o propósito é defender a família. A presença de Malta torna a imagem da Frente positiva.
Contudo, com a revelação de que dois vice-presidentes da Frente são homossexualistas (ativistas em favor das causas homossexuais), a imagem que ficou é que a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida vai lutar por qualquer tipo de “família,” seja natural ou contra a natureza. A presença de dois, ou mais, homossexualistas torna a imagem da Frente negativa.
Se de fato Magno Malta pretende lutar a favor da família, ele terá de começar fazendo isso dentro de sua própria Frente.
Ele precisará ajudar os senadores Romário e Ana Amélia a aceitarem Jesus Cristo como Salvador e Senhor. Só assim eles abandonarão seu ativismo homossexualista contra a família natural. Do contrário, o conflito será inevitável numa frente supostamente pró-família em que o presidente é contra o “casamento” gay, mas os vice-presidentes são a favor.
Com informações da Agência Senado.
Leitura recomendada:
Postar um comentário