27 de maio de 2015

Extremista ortodoxo iguala reavivamento pentecostal com teologia da libertação


Extremista ortodoxo iguala reavivamento pentecostal com teologia da libertação

Julio Severo
A Teologia da Libertação se iguala a um reavivamento pentecostal? De forma alguma. Aliás, a melhor oposição à Teologia da Libertação tem vindo de cristãos renovados, pentecostais e neopentecostais.
Contudo, inimigos do reavivamento pentecostal usarão qualquer desculpa para atacar o que o Espírito Santo está fazendo em nossos dias. Recentemente, um cristão ortodoxo radical num artigo intitulado “Teologia da Libertação — uma Invenção da KGB?” disse:
“E exatamente aí que tudo volta ao começo, e realmente mostra que tudo o que parece oposto é realmente o mesmo! Isso certamente explica muita coisa, e também oferece uma base sólida para compreender o que temos observado desde o começo — que as atuais autoridades políticas e religiosas de Moscou estão tentando levar a Igreja Ortodoxa na estrada do reavivamento pentecostal, posando como salvadores do Cristianismo para salvá-lo do domínio de uma ditadura ocidental (ou muçulmana), assim parecendo libertadores da humanidade, salvando-a do domínio do ‘anticristo’ cruel que está chegando. Temos escrito muito sobre esse assunto em nosso site.”
Essa crítica tola foi postada no site Orthodox Views (Opinião Ortodoxa).
Quando o autor diz que a Teologia da Libertação sendo criada pela KGB “certamente explica muita coisa,” ele parece sugerir que o movimento pentecostal também foi criado pela KGB. A propósito, de acordo com uma fonte católica conservadora do Brasil, a as ideias da Teologia da Libertação estavam presentes na Igreja Católica antes do nascimento da União Soviética e sua KGB.
O que o reavivamento pentecostal tem a ver com a KGB e a Teologia da Libertação? Nada. Apesar disso, o autor ortodoxo radical insiste que “as atuais autoridades políticas e religiosas de Moscou estão tentando levar a Igreja Ortodoxa na estrada do reavivamento pentecostal.”
Presumivelmente, na opinião dele, o que essas autoridades estão fazendo é tão maligno quanto a Teologia da Libertação.
Conheço esse modo de agir religioso tradicionalista radical. (Por tradicionalista radical quero dizer em grande parte pessoas “cessacionistas.” Para mais informações, veja este link: http://bit.ly/1OX5wu3) Quando protestantes tradicionalistas do Brasil dizem, até mesmo em seus artigos teológicos publicados nos Estados Unidos, que há problemas espirituais na Igreja Brasileira, em grande parte eles querem dizer cristãos renovados, pentecostais e neopentecostais e sua (falta de) teologia.
O problema real na Igreja Evangélica do Brasil é a Teologia da Missão Integral, que é a versão protestante da Teologia da Libertação.
Quer ortodoxos ou protestantes radicais, eles precisam de desculpas para atacar os cristãos renovados, pentecostais e neopentecostais, e agora querem usar a KGB e a Teologia da Libertação, que é desenfreada entre católicos, protestantes e ortodoxos, como um pretexto adicional?
Se, como disse o queixoso ortodoxo radical, “as atuais autoridades políticas e religiosas de Moscou estão tentando levar a Igreja Ortodoxa na estrada do reavivamento pentecostal,” isso é simplesmente maravilhoso!
Se elas avançarem nesse caminho, elas poderão ajudar o Cristianismo na Rússia a sobreviver às ditaduras politicamente corretas do Ocidente pró-sodomia e ditaduras muçulmanas.
O movimento pentecostal na Rússia não é novo. Aliás, esse movimento muito abençoou os Estados Unidos, ao desempenhar um papel significativo ou proeminente no famoso Avivamento da Rua Azusa em Los Angeles, na Califórnia.
E, sim, um reavivamento pentecostal pode salvar a Rússia. Antes do genocídio islâmico da Turquia contra os cristãos armênios, um menino pentecostal russo recebeu avisos proféticos de que os cristãos deveriam fugir da Armênia e da Turquia. Os que acreditaram no aviso profético foram salvos. Os que não acreditaram foram destruídos pela Turquia islâmica.
A Igreja Ortodoxa, cujos padres são casados e têm famílias, não tem papa. Dividiu-se da Igreja Católica 1.000 anos atrás. A Rússia é hoje o maior país cristão ortodoxo do mundo.
Os ortodoxos radicais deveriam parar de criticar o que o Espírito Santo está fazendo para salvar os russos.
Se de fato “as atuais autoridades políticas e religiosas de Moscou estão tentando levar a Igreja Ortodoxa na estrada do reavivamento pentecostal,” elas deveriam ser encorajadas, não desanimadas, nessa estrada espiritualmente vitoriosa.
Leitura recomendada:

2 comentários :

Jonatan Souza disse...

É um interessante ponto de vista,talvez os russos ortodoxos tradicionalistas posicionam desta forma por medo de no futura sua igreja cristã ortodoxa agir como algumas igrejas ocidentais que no passado eram referência de um caminho bom e hoje são apostasia e escárnio permitindo pedófilos e sodomitas a frente da mesma introduzindo doutrinas que vão no sentido contrário as do livro da vida,talves seja uma forma de alto proteção os russos são muito tradicionalistas com tudo que envolve sua cultura e sua religião,ano passado lembro de um artigo aqui neste blog que mostrava uma aberração que Obama fizera na casa branca na páscoa chamando um sodomita a celebrar a santa ceia se algo deste tipo acontece na Rússia séria um escândalo tão grande como se fosse a profanação de um local extremamente sagrado,os russos tem um modo muito particular de ver estas coisas por isto sempre ficam com um pé atrás no que se refere a novidades com medo de que estas novidades sejam algum tipo de engenharia comportamental de mudança no modo de agir da sociedade tradicional deles.
PS:quero deixar claro aqui que para mim o que Obama fez na santa ceia mandando um bispo gay para celebrar a mesma obominavel isto é doutrina de satanás para mim.

Julio Severo disse...

Voce não entendeu, Jonatan. De acordo com o ortodoxo queixoso, alguns outros ortodoxos querem conduzir sua igreja a um reavivamento, como forma de se proteger contra o ocidentalismo imoral e contra o islamismo. O queixoso está contra isso. Estou do lado dos ortodos e todos os outros cristãos que desejam um reavivamento.