4 de abril de 2015

Manifesto Comunista e o Monstro Leviatã


Manifesto Comunista e o Monstro Leviatã

Eguinaldo Hélio Souza
                Vários são os motivos que nos levam a afirmar que o Manifesto Comunista foi o pior livro produzido pela civilização ocidental. Se os editores fossem sensatos colocariam uma advertência na capa: “Cuidado, as ideias deste livro já fizeram muito mal ao mundo”. Se os professores fossem razoáveis ensinariam sobre os efeitos desse livro na história. Se os governos fossem sábios o deixariam ao lado do Mein Kampf de Hitler como sendo de igual ou maior periculosidade.
                Basta ver o tipo de Estado nele proposto. Sim, a utopia comunista prevê o fim do Estado. Antes, porém, tem que surgir o Estado monstro que a tudo domina e determina. Todas as coisas precisam ser por ele controladas e conduzidas até que o Novo Mundo paradisíaco surja, como se a serpente fosse a responsável pela entrada no Paraíso e não pela expulsão dele.
                Se nos países socialistas como URSS ou China o Estado matou, torturou, prendeu e perseguiu milhões, isso se deu porque exatamente esse era o plano. O Estado monstro é a única coisa que pode surgir do Manifesto Comunista:
O proletariado utilizará sua supremacia política para arrancar pouco a pouco todo capital à burguesia, para centralizar todos os instrumentos de produção nas mãos do Estado.
Todavia, nos países mais adiantados, as seguintes medidas poderão geralmente ser postas: Expropriação da propriedade latifundiária e emprego da renda da terra em proveito do Estado; Imposto fortemente progressivo; Abolição do direito de herança; Confiscação da propriedade de todos os emigrados e dos contrarrevolucionários. (Isto é, quem não concordasse com as ideias de Marx); Centralização do crédito nas mãos do Estado por meio de um banco nacional com capital do Estado e com o monopólio exclusivo; Centralização, nas mãos do Estado, de todos os meios de comunicação e transporte. Adequação do sistema educativo ao processo de produção material (isto é, doutrinação comunista e anti-tudo o que não for marxista), etc [grifos e acréscimos entre parêntesis meu][1]
                Produção, crédito, terras, comunicação, transporte e educação – tudo nas onipotentes mãos do Estado. Eis a receita do Manifesto para criar o paraíso. “Dai-nos o controle absoluto e nós lhe daremos uma sociedade perfeita”. Eis o discurso proposto pela dupla Marx e Engels. Eis a receita para o inferno na terra. No fundo não se trata de um divórcio entre teoria e prática. Trata-se na verdade de um casamento perfeito entre teoria e prática. O Manifesto chocou o monstro e seus seguidores o trouxeram a luz.
                Claro que os discursos socialistas serão uma combinação perfeita de utopia e poesia. Sua prática, todavia, produzirá conforme seu DNA: um Estado monstruoso que usará de todos os meios para impor sua vontade.
Minhas palavras a você, seu animal sedento de sangue. (...) Você disse: “Abaixo as prisões, abaixo o fuzilamento, abaixo o serviço militar. Que os  trabalhadores assalariados também tenham segurança”. Resumindo, você prometeu montanhas de ouro e uma terra paradisíaca. (...) Então você, seu sanguessuga, veio e tirou a liberdade das mãos do povo. Em vez de transformar prisões em escolas, elas estão cheias de vítimas inocentes. Em vez de proibir os fuzilamentos, você organizou um terror, e milhares de pessoas são fuziladas cruelmente todos os dias; você paralisou a indústria, e os trabalhadores agora estão famintos, o povo não tem o que vestir ou calçar. (Carta de um soldado do Exército Vermelho a Lenin, 25 de dezembro de 1918)[2]
                O erro do soldado é o mesmo erro cometido por todos os que acreditaram nas propostas comunistas/socialistas sintetizadas no Manifesto: Crer que frutos doces nasceriam de plantas venenosas.
                A própria de ideia de “ditadura do proletariado” não passa de engodo. Os proletários foram ao longo do tempo se beneficiando do capitalismo. Não são eles que fazem a guerra e sim aqueles que dizem falar em seu nome. “Não é o proletariado que faz guerra ao capitalismo. É a seita ideológica que fala e age em seu nome[3].
                Essa foi a realidade da primeira revolução socialista que deu certo e de todas as demais desde então. Isso nunca mudará. O Estado monstro é o único resultado possível da política socialista.
                “A democracia socialista não é incompatível com a administração por uma só pessoa ou com a ditadura. Um ditador pode às vezes expressar a vontade de uma classe, já que às vezes ele sozinho é capaz de realizar mais  coisas e é, portanto, mais necessário” (Discurso de Lênin para o Comitê Central)[4]
                Pelo menos Hitler foi mais sincero, quando em seu livro defendeu que “o forte é mais forte sozinho”. Exerceu seu poder absoluto em seu próprio nome, enquanto o socialismo insiste em falar em nome de uma classe que em sua maioria o desaprova e que o desaprovaria na totalidade se pudesse antever o futuro que se avizinha.
                Alguém pode defender o marxismo e a democracia ao mesmo tempo. Todavia, será apenas mais um quadrado redondo defendido pelos iludidos.
“Há, efetivamente, os que se iludem com a ditadura do proletariado, com o governo direto das massas, com a abolição da hierarquia nas funções de governo, esquecidos de que – escreveu Queiroz Lima na Sociologia Jurídica – tudo isso não passará de aberração revolucionária, forçosamente transitória, própria para mascarar o efetivo predomínio de um grupo, de um partido, de um chefe” [Grifo meu][5]
                Está lá no Manifesto Comunista. Basta ler.
Outros artigos Pr. Eguinaldo Hélio Souza:
Leitura recomendada:
Outros artigos de Eguinaldo Hélio de Souza:


[1] MARX, K. e  ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996, pp. 35, 45
[2] SMITH, S. A. Revolução  Russa. Porto Alegre: L&PM, 2013, p. 76
[3] BESANÇON, Alain. A infelicidade do século. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000, p. 53
[4] SMITH, S. A. Revolução  Russa. Porto Alegre: L&PM, 2013, p. 85
[5] MENEZES, Geraldo Bezerra. O comunismo – Crítica Doutrinária. São Paulo: IBRASA; Rio de Janeiro: MEC, 1978, p. 156

9 comentários :

Thiago disse...

Estado Monstro.

Será com a força deste Monstro que os inimigos da Igreja batalharam/batalham e batalharão contra O Povo de Deus. Os arquétipos de animais na profecias bíblicas sempre foram ligados à Estados/Governos de povos em épocas e regiões diferentes.

É uma cina. Egito, Babilônia, Pérsia, Grécia, Império Romano, Europa Fragmentada e Estados Pontifícios, Pós-Revolução Francesa e União Européia. obs: Romano e Europeu são sinônimos.

Thiago disse...

Significado de "cina" : é a minha burrice!

é com "s" e não com "c".

Sina : Destino

Hahaha

Me desculpem, assim como a maioria dos brasileiros, fui educado no método Paulo Freire. Hahaha socioconstrutivismo... Em vez de nos capacitar, a pseudo pedagogia vermelha gastou tempo, recursos e vidas modelando a visão de mundo e valores de acordo com os comunas. Pra quê família e Religião, não é mesmo?

Tudo pelo e para o Estado, O Monstro.

Marcelo disse...

A historia nos mostra que "o buraco parece ser mais embaixo", ou seja, que a geopolitica mundial deve ser analisada de outra forma e sob aspectos distintos, nao como algo localalizado.
Enquanto era interessante para a elites ocidentais (sociedades secretas, etc), foi promovida a nacionalizaçao, em alta escala, de toda a AL, com a instalaçao de governos militares, os quais foram instrumentos para atender os interesses dessas elites, dando, ao jogo de poder, uma roupagem ideologica, vendendo a ideia de que o ocidente era o mocinho (o bem) e queria impedir que o bandido (o comunismo) se alastrasse por todo o mundo.
Dessa forma, os EUA, nesse jogo de poder, como escudo de tais elites, foram os instrumentos (privilegidos) para defender os interesses delas, dando, a esse jogo, como disse anteriormente, uma roupagem de "luta ideologica".
Isso perdurou atè quando interessava àquelas elites, de sorte que, por um tempo, o aparente "perigo" comunista foi rechaçado (anulado, excluido, controlado, adormecido, posto de lado por um tempo, etc...), de sorte que o "BEM" venceu o "MAL"...porem isso nao passou de um claro "bode expiatorio", em meio à disputa pelo poder mundial.
Depois desse momento, as elites ocidentais, entao, parcialmente vitoriosas (pelo menos na AL), mudaram o lado da moeda, e, defendendo os mesmos interesses, inverteram o discurso, de tal sorte que a prioridade passou a ser exatamente a desestruturaçao do modelo que elas proprias implementaram.
Para tanto, as elites passaram, entao, a usar aqueles que elas proprias, a principio, condenaram como bandidos, possibilitando que viessem à tona novos sentimentos e ideologias, condenados outrora (na epoca do nacionalismo).
Surgiram, entao, no cenario politico, figuras e estereotipos hilários (alguns ridiculos e deploraveis), como o sapo barbudo, chavez, os bolivarianos, os cocaleiros, a guerrilheira, os camaradas assaltantes de bancos, as farcs, o movimento gay, etc...
A bola da vez, agora, para os interesses da elites ocidentais, è o populismo, o instrumento de poder para usar os tupiniquins e os incautos do terceiro mundo, em busca da maior concentraçao de poder, num "braço de ferro" entre as elites mundiais, as quais possuem Russia e os EUA como escudos e armas para defender seus interesses.
No caso do Brasil, fica claro que nao hà interesse em se construir, na AL, uma nova China, a qual, de certa forma, trouxe um certo abalo para o equilibrio de poder entre as elites orientais, acrescentando outras mafias (sociedades secretas, etc) na geopolitica daquele grupo dominante.
Por isso, creio que as naçoes da AL continuarao numa descendente terrivel e inescrupulosa, recheada de miseria, desorganizaçao, desetruturaçao das instituiçoes republicanas, apostasia, violencia, abominaçao e de tudo que nao presta.
Isso perdurara atè que o interesse das elites ocidentais seja comprometido, momento em que a moeda novamente serà virada de lado (pelas proprias elites), as quais, inescrupulosamente, lançarão mão de seus instrumentos de poder (novos e velhos).
(continua...)

Marcelo disse...

(Continuaçao)

Quando isso ocorrer, outros valores começarao a ser VERDADE e surgira, entao, uma nova era, um novo modelo, uma nova cultura, etc.
Isso perdurarà atè que o Senhor Deus interfira nesse ciclo vicioso, o que ocorrerà, segundo a Palavra, quando a iniquidade atingir as narinas do Criador.
Assim sendo, se Deus nao interferir nisso tudo e desviar a enxurrada satanica, que leva as criaturas para o abismo, o homem nunca deixarà de ser um papagaio de pirata, repetindo aquilo que as elites querem que ele pense e fale.
Tal dominaçao ideologica è tao forte que o mundo, por exemplo, tem a capacidade de assistir, passivamente (aceitando, concordando e defendendo), que o governo dos EUA, na cara dura, forneça documentos e informaçoes do governo militar (que eles proprios estabeleceram), para aqueles que, outrora, eram seus inimigos mortais, tudo para desestruturar, ainda mais, nossa pobre naçao, pode?
Outro sinal dessa luta de poder entre elites è o fato de que a Russia (um instrumento da elite oriental), historicamente, se posiciona sempre contra a "ideologia" defendida pela elite ocidental.
Um exemplo claro disso, na historia, è o fato de que, quando os EUA eram preponderantemente protestantes, a Russia era conhecida como uma naçao ateia, devendo ser, portanto, odiada pelo ocidente (diziam atè que os russos comiam criancinhas).
Jà nos dias atuais, de forma inconcebivel para as mentes de outrora, os EUA passaram a defender o aborto e a sodomia (ideologias que afrontam a Palavra de Deus) e a Russia (outrora ateia), por sua vez, na contra-mao da historia (de decadas passadas), passou a ser um defensor da moral crista e a condenar a sodomia (pode?).
Por isso, chegamos à conclusao que vivemos, de fato, um FAZ DE CONTA, como num teatro em que os personagens cumprem os papeis que os autores da peça escreveram, independemente do que pensam e acreditam de fato. Alguns chegam atè a cumprir papeis que para eles sao repugnates e contrarios às suas crenças e conceitos pessoais, mas que sao fundamentais para o "BEM" do mundo.
Quem espera a manisfestaçao da JUSTIçA por parte dessas elites (que so pensam em PODER), ou que elas possuam qualquer escrúpulo nas suas estrategias, està redondamente enganado...ou seja, pode tirar o cavalinho da chuva, pois a cabeça dessas elites è o diabo e a motivaçao, os seus proprios ventres.
Sò existe um caminho para sair desse circulo vicioso e deixar de sofrer com essa orquestraçao satanica: Jesus Cristo.

Anônimo disse...

Mais se parece que Satã está vivinho na terra sob aspecto humano, via comunistas, se não é fato...
Assim como outros países, onde os asseclas de Satãs da bandeira do martelo e foice ascenderam ao poder, o Brasil precisa passa por um processo urgentíssimo de DESINSETIZAÇÃO, DESCUPINIZAÇÃO E mais ainda, por cima, de D E S R A T I Z A Ç Ã O o mais urgente e mandar para o aterro sanitário o bando d "Grupo do Crime Organizado-GCI" a quadrilha que se instalou no Palácio do Planalto!
Estão aparelhando... Aparelhando e o povo se danando nos aspectos ético-moral por primeiro, que ferem a alma e depois, socialmente!
Cada vez mais o apaís afundado na incompetência dos comunistas do PT; nunca tiveram planos de governo, apenas planos de se manterem no poder e assim beneficiar a Mafia ao redor, os que pertencerem à sucia!
Fora, PT; dia 12 na ruas; até lá!
Henoc

Flavio Jm disse...

Quando vejo as elites maçônica bilionárias defendendo o socialismo, vejo que estamos em uma transição para uma nova ordem mundial. Como foi com o feudalismo para o mercantilismo e depois para o capitalismo industrial e hoje o ainda sobrevivente capitalismo financeiro. Até então, algo normal essas rupturas e superações da civilização humana, e nada mais lógico que serem as elites a promoverem as mudanças. O que é estranho é a forma como países líderes do combate, até umas três décadas atrás, ao socialismo, como os EUA e a Inglaterra agora serem os promotores do novo sistema e estarem minando o seu próprio futuro, e de forma consciente por suas lideranças. Assim eles não estão levando seus países a um novo regime para serem líderes ou para se manterem na liderança. Estas elites conscientemente querem um universalismo que nunca houve na história e que enfraquece suas próprias posições de liderança! Me veio agora na mente a história de Ninrode.....o primeiro marxista da história.

Thiago disse...

Marcelo,

Vejo que você tem se aprofundado no assunto.

Um abraço irmão, há tempos que não via um comentário seu. A Paz do Senhor Jesus e Feliz Páscoa.

Marcelo disse...

Vejam dois videos antigos, mas que parecem tao atuais, os quais no fundo eram PROFETICOS:
1 - https://www.youtube.com/watch?v=q3_y4Jux60s
2 - https://www.youtube.com/watch?v=HW4gwfeMJi4&feature=em-share_video_user

Marcelo disse...

Amem, caro irmão Thiago!!!