6 de abril de 2015

Governador republicano “covarde” de Indiana cede, cristãos perdem e ativistas gays ganham


Governador republicano “covarde” de Indiana cede, cristãos perdem e ativistas gays ganham

Julio Severo
Enfrentando boicotes e pressões generalizadas, inclusive de grandes empresas como a Apple e Wal-Mart, e enfrentando a ameaça de grandes lojas e fábricas deixarem Indiana, seu governador republicano, Mike Pence, voltou atrás em sua nova lei de liberdade religiosa.
Mike Pence, governador republicano de Indiana
Pence tem sido acusado por líderes pró-família de destruir a lei de liberdade religiosa. Parafraseando o jornal britânico Guardian, que chamou Pence de “covarde,” poderíamos dizer: “Então, se você vai se opor ao furioso ataque da agenda gay, por que ser covarde acerca disso? Pergunte a Mike Pence.”
A lei mudada por Pence foi longe demais na direção oposta e é agora a primeira lei do estado de Indiana que explicitamente menciona a orientação sexual e identidade de gênero — termos que são bandeira de guerra do movimento homossexual. A mudança tem sido celebrada até por ativistas homossexuais do Brasil, cujas paradas gays são as maiores do mundo.
Os governadores de Nova Iorque e Connecticut, que haviam proibido as autoridades de seus estados de viajar para Indiana como símbolo de sua oposição à lei de liberdade religiosa, revogaram a proibição no sábado em resposta à mudança na lei.
O governador republicano do Arkansas, que estava para aprovar uma semelhante lei de liberdade religiosa, também recuou.
Em meio à derrota conservadora em Indiana, os governadores republicanos de Michigan e Dakota do Norte também querem aprovar leis para proteger a homossexualidade.
Os ativistas homossexuais estão tirando vantagem de suas vitórias em Indiana e Arkansas para avançar mais leis pró-homossexualismo em todos os Estados Unidos.
Pat Buchanan condenou vigorosamente o derrotismo entre os conservadores sociais e rejeitou recuos ou mesmo concessões. Em vez disso, Buchanan, que já foi candidato presidencial dos EUA e assessor de Ronald Reagan, exortou os cristãos a colocarem as leis de Deus acima das leis dos homens.
“Dá para se vencer esta batalha, mas não dá para vencer se não permanecermos firmes na nossa posição e se não lutarmos contra esse furioso ataque moral da esquerda.”
“Os militantes LGBT não estão pedindo para não serem incomodados,” ele disse. “Eles estão exigindo que aceitemos a moralidade da homossexualidade e casamentos de mesmo sexo, e manifestemos aceitação, sob o peso da lei e sanções, em nossas vidas diárias.”
Buchanan acrescentou: “Assim como os romanos exigiam dos cristãos, os fanáticos LGBT querem que queimemos incenso a seus deuses. A resposta é não. Se chegar ao ponto de desobediência civil, assim seja.”
Michael Brown, um especialista que tem um título de doutor em filosofia pela Universidade de Nova Iorque e tem pesquisado e escrito vários livros sobre a homossexualidade, diz que ele não está surpreso com a reação dos políticos republicanos. E, como Buchanan, Brown alerta que os cristãos não terão escolha senão resistir ou se submeter.
“É isso o que dizemos há anos. Os que saíram do armário agora querem nos enfiar no armário,” ele disse.
Candidatos presidenciais republicanos como Jeb Bush também estão mudando suas posições. De acordo com fitas de áudio obtidas pelo jornal New York Times, Bush disse numa reunião de apoiadores financeiros que “não devemos discriminar com base na orientação sexual.” Bush tem sido louvado pela revista homossexual Washington Blade.
As mudanças na Lei de Restauração da Liberdade Religiosa de Indiana, ou LRLR, corroem a liberdade de consciência para a maioria dos donos de estabelecimentos comerciais em Indiana e marcam o maior avanço de direitos homossexuais na história de Indiana, de acordo com ativistas pró-família que estudaram a linguagem da lei.
Matt Barber, fundador e editor do portal conservador barbwire.com, disse sobre a mudança na lei de Indiana: “O que havia sido feito para defender as pessoas de fé contra descriminação e bullying em vez disso virou uma lei que comete discriminação e bullying contra os cristãos. Essa nova lei, indo contra a Constituição dos EUA, forçará os cristãos, sob pena da lei, a violarem sua consciência religiosa. Essa nova lei se transformou numa arma que força as pessoas religiosas a desobedecer a Deus ou enfrentar sanções governamentais. Isso é inaceitável.”
Bryan Fischer, da Associação da Família Americana, comentou: “A linguagem revisada da lei foi agora disponibilizada, e é ainda pior do que pensávamos. A nova linguagem força os padeiros cristãos a assar bolos em violação de sua fé e consciência. O governador Pence tentou consertar algo que não estava quebrado, e ele o quebrou. A ‘cura’ nesse caso foi muito pior do que a doença que não existia.”
“Essa linguagem é inaceitável. Ela reverte o progresso da lei de liberdade religiosa,” disse Peter LaBarbera, presidente da organização Americanos pela Verdade acerca da Homossexualidade.
LaBarbera esclareceu que os padeiros cristãos não querem recusar bolos para clientes homossexuais, mas eles não querem ser forçados a assar bolos com símbolos defendendo o estilo de vida homossexual.
“Vamos usar o exemplo do padeiro que faz bolos de casamento,” disse ele. “Eles têm um bolo de casamento. Eles vendem bolos de casamento para todos, inclusive homossexuais, mas eles não querem fazer, criar ou usar seus talentos para criar um bolo de casamento defendendo o casamento gay. Se alguém entrar na padaria e disser ‘gostaria de um bolo de casamento defendendo o casamento gay,’ de acordo com essa linguagem, eles não poderiam evitar esse serviço. Esse é o exato oposto da liberdade religiosa.”
“Esse é o equivalente de pedir a um judeu que faça um bolo para um líder da Ku Klux Klan. Você nunca conseguiria imaginar um fotógrafo judeu, por exemplo, sendo obrigado a tirar fotos num comício da Ku Klux Klan ou num comício neonazista,” ele disse. “Você não conseguiria imaginar pessoas religiosas apoiando um casamento homossexual se elas acreditam que o casamento homossexual é pecado.”
Se um padeiro negro receber um pedido de fazer um bolo com símbolos racistas, ele deveria ter o direito de recusar. Se um padeiro muçulmano receber o pedido de fazer um bolo cristão ou homossexual, ele deveria ter o direito de recusar. Por que os cristãos não têm nenhum direto de recusar assar bolos com símbolos imorais que violam sua fé?
LaBarbera disse que a maior parte da culpa pela histeria em Indiana vem dos meios de comunicação noticiosos, que, ele disse, não estão nem mesmo se dando ao trabalho de fingir que estão cobrindo esse caso de forma objetiva.
“Quem gerou essa crise foram os meios de comunicação, que estão trabalhando com os ativistas gays,” disse ele. “A grande mídia se tornou quase que parte dos grupos gays de pressão. Uma histeria inacreditável foi lançada contra Indiana.”
A histeria, a explosão de oposição maliciosa, o bombardeio de críticas, a pressão e os boicotes que Indiana enfrentou, antes que seu governador republicano alegadamente conservador decidisse capitular, foi o mesmo clima enfrentado pela Rússia depois que os russos aprovaram uma lei de 2013 para proteger as crianças.
A lei de Indiana não era tão ousada quanto a lei russa, que protege as crianças e adolescentes contra a nociva propaganda homossexual A reação histérica em massa contra Indiana mostra o que esses mesmos grupos fizeram com a Rússia. De acordo com o Rev. Scott Lively, a crise ucraniana e os boicotes do governo americano contra a Rússia vieram desses mesmos grupos.
Fico pensando: o que aconteceria se Indiana proibisse a propaganda homossexual para crianças? Que crise em massa esses grupos, principalmente o governo americano e a imprensa prostituta, usariam contra Indiana?
Os russos não recuaram. Eles não foram covardes. Mas, infelizmente, o governador republicano e seus aliados conservadores em Indiana bateram em retirada, e como consequência uma lei originalmente criada para proteger os cristãos contra o bullying dos ativistas homossexuais agora avança a agenda gay.
Fico também pensando por que a Apple, o governo americano e a imprensa prostituta nunca aplicaram para a Arábia Saudita, que tortura e mata homossexuais, a mesma histeria, a explosão de oposição maliciosa, o bombardeio de críticas, a pressão e os boicotes que eles aplicaram contra Indiana e contra a Rússia.
Agora, se um homossexual pedir um bolo com símbolos homossexuais, os pobres padeiros cristãos em Indiana não têm nenhuma escolha. Se eles recusarem, a nova lei será implacável com eles.
Se um homossexual pedir aos padeiros da Arábia Saudita o mesmo bolo com símbolos homossexuais, é o fim dele. Será o último pedido dele nesta vida.
Agora, seria interessante ver o que aconteceria se um cliente saudita nos EUA pedisse a um padeiro homossexual um bolo com símbolos islâmicos contra a homossexualidade.
Qual lado a Apple, o governo dos EUA e a imprensa prostituta escolheriam?
Qual lado sofreria histeria, a explosão de oposição maliciosa, o bombardeio de críticas, pressão e boicotes?
O lado do dinheiro?
A Apple tem muitas lojas na ditadura islâmica saudita.
As leis sauditas contra a homossexualidade e contra os homossexuais nunca foram um problema para a Apple, que tem negócios multimilionários com a Arábia Saudita.
Por que a Apple tem dois pesos e duas medidas entre os cristãos americanos e os muçulmanos sauditas?
Por que o governo dos EUA e a imprensa prostituta têm dois pesos e duas medidas entre a Rússia cristã ortodoxa e a Arábia Saudita islâmica sobre a homossexualidade?
Bryan Fischer, Pat Buchanan, Scott Lively, Matt Barber, Peter LaBarbera, Dr. Michael Brown e outros proeminentes líderes pró-família deram aviso, mas os governadores e líderes republicanos, que são eleitos por seus eleitores para defender valores conservadores e pró-família, não escutaram a eles.
Eles escutaram a Apple, Obama e a mídia esquerdista de massa.
De que vale eleger políticos republicanos e alegadamente conservadores se depois de sua eleição eles não dão atenção a seus eleitores e não priorizam ou nem mesmo respeitam valores pró-família e conservadores?
De que vale eleger indivíduos covardes incapazes de guardar suas promessas conservadoras e de mostrar coragem quando se deparam com os furiosos ataques em massa da Esquerda?
Com informações de WorldNetDaily Associated Press e Charisma News.
Leitura recomendada:
Postar um comentário