15 de abril de 2015

Bolsonaro é condenado a pagar R$ 150 mil por “homofobia”


Bolsonaro é condenado a pagar R$ 150 mil por “homofobia”

Julio Severo
A Justiça do Rio condenou o deputado federal Jair Bolsonaro a indenizar, por danos morais, em R$150 mil o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDDD), do Ministério da Justiça. A ação contra o deputado foi motivada por declarações homofóbicas” e “racistas” feitas por ele no programa “CQC, da TV Bandeirantes, em março de 2011.
Jair Bolsonaro
Na ocasião, questionado sobre o que faria se tivesse um filho gay, Bolsonaro afirmou que isso não aconteceria com ele porque seus filhos “tiveram boa educação” e porque “ele era um pai presente.”
Ele também declarou que não participaria de parada gay para não promover maus costumes e por acreditar em Deus e na família.
A acusação de “racismo” ocorreu quando Bolsonaro foi perguntado pela cantora Preta Gil sobre como reagiria se um de seus filhos se apaixonasse por uma mulher negra. No calor da discussão, ele interpretou que a mulher em questão seria alguém envolvido em depravação, como a interlocutora. Ele respondeu: “Eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco. Meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o seu.”
A ação foi movida pelo Grupo Diversidade Niterói, Grupo Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Grupo Arco-íris de Conscientização.
Na sentença, a juíza responsável pelo caso, Luciana Santos Teixeira, destacou que “não se pode deliberadamente agredir e humilhar, ignorando-se os princípios da igualdade e isonomia, com base na invocação à liberdade de expressão”.
Como Bolsonaro, a maioria do povo brasileiro é católica.
Mesmo desconsiderando a religião dele, a opinião dele é diferente do que pensa a vasta maioria do povo brasileiro? Não. De acordo com pesquisa realizada por um instituto ligado ao PT, 99% do povo brasileiro é “homofóbico,” isto é, tem opiniões contrárias ao comportamento homossexual.
Já que Bolsonaro não agrediu nem humilhou ninguém, a conclusão mais provável é que a juíza foi movida por ativismo judicial e oportunismo ideológico. Com tal visão deturpada, ela poderia igualmente dizer que 99% do povo brasileiro “agridem” e “humilham” quem desavergonhadamente expõe suas depravações homossexuais e exige crianças para suas doutrinações.
Hoje, Bolsonaro é multado em R$ 150 mil de reais por expressar uma opinião contra a óbvia depravação homossexual. Amanhã, pastores e padres e seus membros poderão ser os próximos.
Jair Bolsonaro foi deputado mais votado no Rio nas últimas eleições.
Com informações do jornal O Globo.
Leitura recomendada:
Postar um comentário