4 de março de 2015

Epitáfio de Leonard Nimoy: “Israel é um milagre”


Epitáfio de Leonard Nimoy: “Israel é um milagre”

WASHINGTON, EUA — O ator Leonard Nimoy (famoso por seu papel de Spock no seriado Jornada nas Estrelas) ainda está falando acerca do milagre de Israel num filme que ele narrou muito antes de sua morte.
O filme, exibido na televisão americana, se chama “The Miracle of Israel” (O Milagre de Israel), e conecta os eventos estranhos e aparentemente sobrenaturais em torno da fundação e sobrevivência do Estado judeu durante os últimos 67.
“The Miracle of Israel” conta a história da única nação na história do mundo que tem mantido uma identidade nacional durante séculos sem uma pátria. O documentário examina quatro profecias antigas à luz de eventos modernos, inclusive:
·         O estabelecimento do Estado de Israel em 1948
·         O reajuntamento das Tribos Judaicas Perdidas à pátria
·         A reconstrução do Templo em Jerusalém, e
·         Afirmações da vinda do Messias Judeu
Os quatro milagres destacados no filme não são apenas características distintas da sobrevivência e restauração do povo judeu, mas alguns dizem que são prova de cumprimento profético que tem e continuará a impactar o mundo que está avançando para os Últimos Dias, explicam os produtores.
O nascimento de Israel como nação em 1948 foi mais do que apenas o cumprimento de um sonho mantido durante 1900 anos — foi o cumprimento moderno da profecia antiga da Bíblia, afirma o filme visto por milhões de americanos por meio de horário comprado pelos produtores que o usam para promover a versão DVD e outros materiais de apoio.
Produzido pela Fundação Milagre de Israel, o filme faz com que os telespectadores recordem que a Bíblia prometeu que, embora Deus baniria o povo judeu de sua terra por causa de desobediência, Ele nos “últimos dias” os traria de volta e os restabeleceria em sua terra.
Para o povo judeu, a busca de uma pátria que levou quase 2000 anos terminou com uma votação na ONU que durou apenas três minutos. Embora miraculosa, não ocorreu sem luta, uma luta que continua até hoje.
Não dá para contar a história de Israel separada do milagre moderno de Deus reajuntando Seu povo, espalhado aos quatro cantos da terra. Esse reajuntamento começou no século XIX quando colonos judeus, estimulados por sua fé e convicção, voltaram à Terra de seus Pais. Eles transformaram pântanos em terra cultivável e reviveram a língua hebraica.
Antes, durante e imediatamente depois do Holocausto, muitos judeus europeus tentaram imigrar para Israel para escapar da morte, mas lamentavelmente os britânicos, que governavam a Palestina até 1948, os rechaçaram. Muitos voltaram para a Europa onde foram mortos enquanto outros terminaram em campos de concentração, nunca conseguindo chegar à Terra Prometida.
Entretanto, depois de 1948, as comportas se abriram e milhões de judeus retornaram para sua Terra. Antigas comunidades judaicas, talvez até as comunidades cujos membros podem ter sido descendentes das “Tribos Perdidas” de Israel, podem ter feito aliyah (palavra hebraica que significa “voltando para Israel”) de lugares distantes como China, Índia e Etiópia. Um novo fenômeno é o interesse súbito entre muitos latino-americanos de recuperar sua identidade judaica perdida. Muitos acreditam que são descendentes de judeus forçados a deixar a Espanha e depois Portugal durante a Inquisição espanhola no final do século XV. Recentes avanços nas pesquisas tecnológicas de DNA podem agora confirmar se, de fato, uma pessoa vem de origem judaica.
O primeiro Templo foi construído por Salomão, filho de Davi, por volta de 950 a. C. Foi construído de acordo com o modelo do tabernáculo no deserto dado a Moisés para abrigar a Arca da Aliança.
De acordo com arqueólogos, estudiosos e historiadores, foi construído no Monte Moriá, o lugar em que Abraão ofereceu Isaque para ser sacrificado. Posteriormente foi destruído pelos babilônios em 586 a.C. e acabou sendo reconstruído pelo remanescente que voltou do cativeiro 70 anos mais tarde.
Conhecido como Segundo Templo, foi depois ampliado e embelezado por Herodes o Grande durante o final do primeiro século a.C. Foi construído num tamanho tão suntuoso que se tornou uma das grandes maravilhas do mundo antigo. O Templo foi de novo destruído pelos romanos em 70 d.C., quando saquearam Jerusalém e destruíram totalmente a cidade com fogo.
Durante o sétimo século, quando Jerusalém estava sob o controle dos muçulmanos, uma mesquita foi construída em cima do local onde se pensa que era o Santo dos Santos. Permanece ali até hoje.
O Monte do Templo é ardentemente contestado e é talvez o imóvel mais caro do mundo hoje. Um movimento agora surgiu para reconstruir o Templo de novo, e esse movimento está rapidamente ganhando ímpeto.
O filme defende a ideia bíblica não só da volta do povo judeu à sua terra, mas também de restauração espiritual.
Traduzido e editado por Julio Severo do artigo do WorldNetDaily: Leonard Nimoy’s epitaph: “Israel is a miracle”
Leitura recomendada:

Um comentário :

marcelo disse...

Os ultimos capitulos de Ezequiel nos mostram claramente quem è o terceiro templo de Jerusalem (falando de coisas espirituais): aquela que è chamada de o CORPO de Cristo!!!