26 de março de 2015

Dep. Pastor Eurico pede medidas do governo brasileiro contra intolerância islâmica às igrejas cristãs


Dep. Pastor Eurico pede medidas do governo brasileiro contra intolerância islâmica às igrejas cristãs

Julio Severo
A liberdade que os muçulmanos têm no Brasil de construir mesquitas e promover sua ideologia é a liberdade que eles não dão aos cristãos em países como Arábia Saudita, Irã e muitos outros.
Dep. Pastor Eurico
Portanto, numa medida de justiça e defesa de direitos humanos, o governo brasileiro deveria aplicar uma política recíproca. O Dep. Pastor Eurico, da tribuna do Congresso Nacional, pediu tal medida, bradando contra a violência islâmica aos cristãos.
Para assistir ao discurso dele, use este link: https://youtu.be/Vj_yJXtPNRc
Se Dilma Rousseff atender a esse discurso, de legitima defesa dos direitos humanos, ela será pioneira na política brasileira, que nunca, sob presidente nenhum, aplicou reciprocidade à Arábia Saudita, que não permite Bíblias nem igrejas em seu território, condenando à morte qualquer pessoa que aceitar Jesus Cristo como Salvador.
Se Dilma aplicar tal reciprocidade, seu exemplo será impactante em todo o mundo ocidental, que não ousa desafiar a tirania dos países islâmicos que não poupam a vida dos cristãos.
Mesmo que Dilma não aja, o recado do Pastor Eurico foi dado, e todos os que o receberam, inclusive deputados e lideranças cristãs, têm a obrigação moral de pressionar o governo brasileiro de hoje a fazer o que nenhum governo brasileiro do passado fez: colocar os países muçulmanos que perseguem cristãos nos seus devidos lugares. Se não querem dar liberdade para os cristãos viverem, pregarem e construírem suas igrejas em seus países, o Brasil lhes dará o troco, proibindo a pregação islâmica e a construção de mesquitas em território brasileiro.
Medidas duras funcionam melhor do que palavras ocas.
Leitura recomendada:

6 comentários :

ÉLQUISSON disse...

Júlio,

Lembro o pastor Eurico foi criticado por ter falado a verdade sobre Xuxa. Disseram que ele "ofendeu" Xuxa, como você mostra neste artigo aqui:

http://juliosevero.blogspot.com.br/2014/05/jornal-esquerdista-folha-de-s-paulo.html

E este mesmo pastor também deu uma resposta firme ao homossexual Jean Wyllys, como mostra este vídeo aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=1paZ3Of68tI

Não sei se seria exagero da minha parte, mas o pastor Eurico é uma das poucas vozes da bancada evangélica que tem tido uma postura firme a favor da família, dos bons princípios, e do Reino de Deus. É de deputados assim que o nosso país precisa!

Parabéns ao pastor Eurico pela sua coragem em falar a verdade nua e crua que muitos estão precisando ouvir!

Anônimo disse...

É meio difícil tratar com reciprocidade pois nem todos os países islâmicos tratam os cristãos da mesma forma. Mandar parar de fazer mesquitas aqui por países como o Egito (no governo atual), que tem uma certa tolerância aos cristãos, seria injusto. Uma vez prontas as mesquitas como vamos impedir que sauditas, por exemplo, as frequentem?. Aliás, o Egito colocou na clandestinidade a irmandade muçulmana que, quando esteve no poder, os cristãos sofreram muito. Também não sei se foi no Egito ou na Síria que um grupo de muçulmanos fez um cinturão de proteção a uma igreja cristã, impedindo que outros muçulmanos radicais pudessem destruí-la. Recentemente o Egito mandou bombardear um grupo do estado Islâmico, pelo fato de terem decapitado cristãos egípcios (na qualidade de cidadãos).
Não estou aqui defendendo a religião islâmica, mesmo porque, não há como defendê-la, já que a grande maioria dos grupos terroristas que hoje existem são produzidos por ela. Como cristãos nós sabemos que só existe um caminho, ou seja, aceitar a Jesus como senhor e salvador.
No entanto concordo que o governo brasileiro, que representa um povo de maioria cristã, deva sim tomar satisfação de países como a Arabia Saudita dentro dos direitos e acordos internacionais.

Sebastião

Nil disse...

A legitimidade da proposta de boicote à Natura, sugerida por Feliciano

http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/15737-2015-03-27-02-49-15.htm

Concordo com o pastor Eurico,concordo com o deputado e pastor Feliciano. A verdade é que temos que agir ,senão, estaremos imitando os evangélicos alemãs do tempo do nazismo,veja essa historinha real e verdadeira.
"""AINDA OUÇO O APITO
DAQUELE TREM
O pastor fez um sermão sobre aborto;
no fim do culto, um senhor que tinha vivido
na Alemanha Nazista lhe contou sua
história. Esse cavalheiro era alemão.
Eu morava na Alemanha durante o
Holocausto Nazista. Eu me considerava
cristão. Ouvíamos sobre o que estava
acontecendo com os judeus, mas
tentávamos nos distanciar de tudo aquilo,
pois como alguém conseguiria dar um basta
naquelas coisas?
Atrás de nossa pequena igreja havia
uma linha de trem, e todos os domingos de
manhã nós ouvíamos o apito à distância, e,
logo após, o barulho das rodas nos trilhos.
Ficávamos transtornados quando
ouvíamos os gritos vindos dos vagões
quando o trem passava. Sabíamos que
estavam levando judeus como se fossem
animais!
Semanas após semanas aquele apito
soava. Ficávamos sobressaltados ao ouvir
o som daquelas rodas porque sabíamos
que ouviríamos o lamento dos judeus a
caminho do campo de concentração, o
campo da morte. Seus gritos nos
atormentavam.
Sabíamos a hora em que o trem iria
passar, e ao ouvir o apito, começávamos a
cantar hinos. Quando o trem passava bem
em frente da igreja, estávamos cantando com toda a força de nossas vozes. Se
ouvíssemos os gritos, cantávamos ainda
mais alto, e logo eles desapareciam.
O tempo correu, e ninguém fala mais no
assunto. Mas eu continuo a ouvir o apito
daquele trem em meus sonhos. Que Deus
me perdoe; que perdoe a todos nós que
nos dizemos cristãos, porém não fizemos
nada para mudar a situação.
(Sword of the Lord)
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXx "Que Deus
me perdoe; que perdoe a todos nós que
nos dizemos cristãos, porém não fizemos
nada para mudar a situação."

Hoje ! Em 2015 também :" todos nós que
nos dizemos cristãos, porém não fizemos
nada para mudar a situação."

A História se repete,mas uma vez vez tomamos a mesma atitude apática e os mesmos erros. Mas ! Agora sabemos que repetimos a mesma covardia e erros do passado.
Não temos desculpas diante de Deus quando ouvimos o apito do trem . Nos nossos dias.

Anônimo disse...

nos cristaos estamos engasgados,indignados mas nao reagimos sao poucos os com coragem para falar para nos defender.Silvia

Anônimo disse...

O Pastor Eurico é muito bem intencionado, interpela o governo; mas de como será atendido se o comunista governo brasileiro é aliado dos terroristas muçulmanos?
O próprio Alcorão do Islã é como um alambique que, ao invés de oferecer um bom vinho, destila ódio, pois as vinganças, castigos e toda sorte de desgraças sobre os opositores dessa suposta religião estão bem evidentes.
Aliás, é a única religião que está em guerra com todas as outras!
O mesmo Alcorão é um laboratório de criação de homens, mulheres e inovando, prepara até crianças-bombas!
Henoc

Gustavo Kowalski disse...

Se não acordarmos rapidamente, o Brasil será dominado pelo islamismo como ocorre em Nova York.

Veja o comentário do jornalista Seth Kugel, no canal dele no YouTube, sobre a expansão muçulmana nos Estados Unidos:

Boa pergunta. Não vou dizer que não tem preconceito com muçulmanos na cidade. Teve muito em 2001, mas com quase 200 mesquitas na cidade e centenas de milhares de residentes na cidade, teve que diminuir o a cidade não funcionaria. Sabia que por primeira vez, no ano que vem, não vai ter aula nas escolas públicas no Eid al-Adha e Eid al-Fitr, dias festivos dos muçulmanos? E enquanto ainda tem medo de um ataque, é notável que ontem teve uma explosão na cidade, e dois prédios caíram - mas eu nem ouvi a palavra "terrorismo" nem uma vez.

https://www.youtube.com/watch?v=gs1pW1jv8mc