20 de fevereiro de 2015

PT x PSDB: a falsa polarização


PT x PSDB: a falsa polarização

Thiago Cortês
Comentário de Julio Severo: PT e PSDB são ideologicamente irmãos. Embora, de forma bastante equivocada, o PSDB seja visto por alguns como “oposição” ao PT, é nada mais que o outro lado da moeda. Vale lembrar que FHC tem um relacionamento amistoso com o Partido Democrático de Obama nos EUA. Aliás, na última eleição presidencial do Brasil, David Axelrod, o maior assessor de Obama e que o havia instruído a enganar os eleitores americanos escondendo sua agenda homossexual radical, esteve no Brasil para construir a imagem do candidato presidencial do PSDB. Através de FHC, o partido pró-aborto e pró-homossexualismo de Obama está muito mais presente no Brasil do que se imagina. Dá para dizer então que o PSDB é ideologicamente diferente do PT? O jornalista Thiago Cortês prova conclusivamente que não.
Somente analfabetos em História podem acreditar que PT e PSDB realmente habitam pólos ideológicos opostos. Mais mentirosa ainda, a interpretação segundo a qual a social-democracia brasileira é de extrema-direita se desmancha na primeira lufada de fatos históricos.
Historicamente, a social-democracia nasceu no campo ideológico socialista como uma proposta singular: promover o socialismo no interior da democracia “burguesa” instrumentalizando as instituições democráticas em favor dos interesses de classe.
É a origem ideológica do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), uma agremiação fundada por intelectuais marxistas que enxergaram na democracia brasileira – ainda em gestação – o ambiente perfeito para a ampla disseminação do socialismo democrático (sic) por meio de políticas sociais assistencialistas, cotas raciais e intervenção estatal na economia.
PT e PSDB têm no seu DNA ideológico a mesma fé no Estado como elemento promotor da igualdade social e reparador de injustiças econômicas. Não por acaso, os tucanos são pioneiros no Brasil das políticas de cotas raciais e programas assistencialistas. O PT veio praticar o mesmo, mas o faz se escudado no surrado discurso ideológico da luta de classes.
O PSDB e o Partido dos Trabalhadores (PT) são agremiações partidárias criadas por intelectuais uspianos marxistas na época do regime militar com uma sutil diferença identitária: o PSDB foi concebido como uma esquerda light para agradar progressistas da classe média enquanto o PT foi construído como esquerda militante para atrair as “massas populares”.
Sutilezas ideológicas à parte, o amor pelo estatismo sempre uniu tucanos e petistas.

FHC: intelectual marxista e presidente estatista

Fora algumas privatizações pontuais, o governo FHC passou longe de qualquer vestígio de liberalismo ou “neoliberalismo”. Aliás, o Estado não diminuiu durante o reinado FHC: aumentou significativamente o número de estatais, agências reguladoras e ministérios.
O social-democrata FHC foi pioneiro na implantação das cotas raciais no Brasil. Além disso, foi FHC quem primeiro deu legitimidade política ao Movimento dos Sem-Terra (MST), chegando mesmo a financiar o movimento de invasores com mais de R$ 2 bilhões .
O presidente FHC foi coerente com o intelectual Fernando Henrique Cardoso, um típico intelectual marxista comprometido com uma leitura classista da sociedade. Como todo marxista, FHC colocava no Estado a responsabilidade sobre os indivíduos.
É de FHC uma das interpretações clássicas na sociologia brasileira sobre a “Teoria da Dependência”, besteirol teórico sobre a posição dos países de Terceiro Mundo no sistema capitalista mundial. Os países que habitam a periferia capitalista – ensina a teoria – são submetidos à dependência pelas grandes potências exploradoras e etc.
O intelectual FHC com o tempo se tornou um marxista moderado, mas nunca abandonou o marxismo. Ele chegou a escrever, na conclusão de “Empresário Nacional e Desenvolvimento Industrial no Brasil”, que a opção brasileira era “subcapitalismo ou socialismo”.
“Hoje, se disser que sou de esquerda, as pessoas não vão acreditar. Embora seja verdade. É verdade!”, jurou Fernando Henrique Cardoso, em debate no Museu de Arte do Rio.
Em nome da sua fidelidade à esquerda, FHC nem sequer se dignou a defender o legado de sua falecida esposa, Ruth Cardoso – defensora dos primeiros programas sociais implantados no Brasil – diante da tentativa de assassinato de reputação empreendida por petistas.
Há apenas dois tipos de pessoas que não conseguem acreditar que FHC é de esquerda: os analfabetos em História – em grande quantidade no Brasil; agradeça Lula a e FHC – e os militantes fanáticos do PT (que, é claro, também são analfabetos em História).
Também vale lembrar a postura medíocre do então candidato presidencial Geraldo Alckmin, em 2010. Quando foi “acusado” de ser a favor das privatizações, o tucano apareceu no dia seguinte com uma jaqueta e um boné com logos de todas as empresas estatais.

PSDB “esconjura” a direita

Com toda essa bagagem ideológica, os tucanos sempre aproveitam oportunidades para demonstrar sua fé inabalável na esquerda. Por exemplo, o tucaníssimo ex- Xico Graziano –  que foi deputado federal pelo PSDB e recentemente trabalhou como coordenador digital da campanha Aécio Neves – “esconjurou” a direita em seu perfil no facebook.
Diante do surgimento dos atos pelo impeachment da presidente Dilma Roussef, Xico Graziano se apressou em lembrar que petistas e tucanos têm a mesma origem e agenda ideológica:
Ora, nós, do PSDB, nascemos inspirados na socialdemocracia europeia, com viés da esquerda. Nossa origem reside no MDB autêntico, que foi decisivo na derrubada da ditadura militar. Nós fomos decisivos na Constituinte de 1988. Fomos nós, com FHC à frente, que criamos as bases socioeconômicas do Brasil atual, inclusive as políticas de transferência de renda e as cotas.
Após uma enxurrada de críticas, Xico Graziano retomou o discurso contra liberais e conservadores e, inclusive, os tratou como paranóicos. Diante dos que pediam uma oposição mais aguerrida, o tucano respondeu pedindo que abandonassem o PSDB:
Quem concordar com as teses dessa turma aguerrida que vê o comunismo chegando, é contra os benefícios sociais, sonha com a ordem militar, por favor, deixem o PSDB. Vocês é que estão no lugar errado, não eu…
Xico Graziano tem toda razão. PT e PSDB são dois grandes partidos financiados pelos mesmos grupos empresariais, que compartilham as mesmas origens históricas e ideológicas, e defendem programas econômicos parecidíssimos. Tucanos e petistas polarizam a disputa política no Brasil em um avultado desafio aos fatos, à História e à lógica.
Mas também por causa da ignorância de liberais e conservadores que por muitos anos tomaram partido nessa falsa polarização. Só agora começaram a construir alternativas à direita no espectro ideológico. Já não era sem tempo.
Fonte: Descortês
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Assessor de Obama na eleição presidencial do Brasil para ajudar candidato do PSDB

17 comentários :

Duo disse...

Sr. Júlio Severo, como sempre se colocando como intelectual da direita, defensor do capital e da "moralidade". Meu caro, o fato do FHC se declarar como esquerda, não que dizer que realmente seja. Interessante os fatos levantados, realmente vejo muito em comum na pessoa do Lula e FHC, assim como vejo em comum em você e no Malafaia, porém uma diferença.Você é inteligente, apesar de não concordar com muitos dos seus posicionamentos faço questão de ler seus artigos, enquanto o Malafaia com a sua teologia barata, eu não consigo ouvi-lo ou ler qualquer coisa escrita por ele.

Júlio, você seria de grande contribuição para sociologia brasileira. Eu como esquerda moderada, reconheço que você deveria estar participando em debates sociais. Não entendo o motivo da grande parte dos esquerdistas intelectuais excluírem os que possuem posicionamentos direitista.

Apesar de eu ser esquerdista e frequente leitor do Marx, utilizo dos seus textos para o meu aprimoramento. Preciso saber como pensa um cristão conservador.

Um forte abraço

Osvaldo Aires Bade disse...

Duo, então vai vando aí como funciona os Assassinatos da Reputações.
AUTOR DE PRIVATARIA TUCANA ESTÁ EM CANA!
http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2014/10/autor-de-privataria-tucana-esta-em-cana.html

Anônimo disse...

Na Russia pre-revolucionaria, de 1917, o "sucial-demoniokrata" kerensky preparou o caminho para um dos gurus dos genocidas - lenin -; Na infeliz terra brasilis o "sucial-demoniokrata" efegahgahce preparou o caminho do nove dedos. A Historia eh repetitiva e ciclica. Para azar nosso.

Antonio.

Eliel disse...

Respondendo ao Duo, ao Osvaldo Aires Bade, e ao Antônio,

Volto a repetir, mais uma vez, o que eu já disse em um artigo anterior semelhante a este: que ninguém se engane com o PSDB. É um partido que diz ser oposição ao PT, mas, quando está no poder, age tal e qual o PT (ou pior)! E nem poderia ser diferente, até porque PT e PSDB são partidos esquerdistas. Em outras palavras: mudam somente as "embalagens" (as siglas partidárias), mas o "conteúdo" (o programa de governo) é exatamente igual. Só não enxerga, não aceita, e não entende isso quem não quer!

Talvez as possíveis diferenças entre PT e PSDB sejam em alguns pontos de política econômica (o PT quer o Estado controlando tudo, enquanto que o PSDB defende o liberalismo econômico e a intervenção mínima do Estado em certas áreas), e também no "modus operandi" de cada um: o PT é a chamada "esquerda radical", que quer passar por cima de tudo e todos para atingir seus objetivos. Como seus próprios militantes fazem questão de dizer, "os fins justificam os meios". Essa postura do PT lembra o que o rei francês Luís XIV disse certa vez: "L'État c'est moi" ("O Estado sou eu"). O que o PT deseja é ter o poder absoluto a todo e qualquer custo (para dominar e controlar tudo e todos).

É óbvio que o PT é o carro–chefe desse "radicalismo esquerdista", mas existem outros partidos que têm a mesma natureza do PT (ou até pior): PC do B, PSTU, PCO, PSB, PV, PSOL, enfim, o PT e esses outros partidos "radicais" querem transformar o Brasil num país socialista.

Já o PSDB é uma esquerda mais "light", mais moderada, é mais aberta ao diálogo, reconhece o papel das instituições, é favorável ao liberalismo econômico, enfim, é uma esquerda com algumas posturas consideradas "direitistas", e, teoricamente, é uma esquerda mais "fácil" de ser domada (há quem diga que o PSDB é a "direita" da esquerda).

Não quero dizer, com isso, que o PSDB é melhor do que o PT. Não é (e nunca foi). Tanto que vimos o desastre que foi o governo de Fernando Henrique Cardoso (na verdade, uma "prévia" do governo de Lula), ou seja, o PSDB apenas "abriu caminho" para o PT assumir o governo. Embora o PSDB insista em se apresentar ao público como "oposição" ao PT, essa suposta oposição é somente uma mera briga por cargos no governo (só isso e nada mais). Na verdade, é a mesmíssima guerra de Satanás contra Belzebu (mudam apenas os "atores", mas o "script" é rigorosamente o mesmo)!

O problema é que, devido à falta de bons partidos (e candidatos) de direita, ficamos sem opção durante as eleições. E aí vamos estar novamente entre a cruz e a espada, ou melhor, somos obrigados, mais uma vez, a escolher entre um mal maior e um mal menor. No caso, o PSDB é o "mal menor" diante do "mal maior" (que é o PT).

Só que tem um detalhe crucial que muitos parecem não entender: combater o mal maior com um mal menor (ou "menos pior") é o mesmo que querer consertar um erro com outro erro. O mal, independente de ser maior ou menor (ou de qualquer outra designação que inventem), é mal sempre (e precisa ser firmemente combatido). Quem tolera o mal tem parte com o diabo.

E digo mais: um verdadeiro cristão JAMAIS vai apoiar qualquer tipo de mal (seja maior ou menor). O compromisso do cristão é única e exclusivamente com a obediência total e irrestrita à Palavra de Deus, que combate o mal de todas as formas. Ainda que um mal menor se apresente de forma aparentemente inocente ou "inofensiva", não poderá jamais ser tolerado (ou aceito) com a desculpa de evitar um mal maior. Falando num tom bem direto: mesmo que um mal menor seja, momentaneamente, a única opção válida (ou disponível) para se evitar um mal maior, ainda assim é um mal. Como se diz no popular, é "trocar seis por meia dúzia" (não vai fazer nenhuma diferença ao final).

P.S: Se alguém daqui quiser se manifestar, esteja à vontade.

Anônimo disse...

O PSDB difere do PT apenas em questão de métodos de tomar e ficar no poder: ambos são comunistas: o primeiro menos agressivo e o segundo do estilo stalinista, violeto.
Os objetivos aos final são os mesmos: comunização total, todos de coleira no pescoço e fecho éclair na boca, como Cuba!
Henoc!

Anônimo disse...

Isto nunca será exibido nas TVs, que preferem sempre a idiotia dos celerados da USP e et caterva:

https://www.youtube.com/watch?v=h97pmPYoGBs

Thiago disse...

ELIEL,

o teu comentário merece virar um artigo.

O Socialismo Fabiano é nosso inimigo no mundo inteiro...

Portanto...

O PSDB TAMBÉM É.

Everaldo disse...

Infelizmente, ainda tem muita gente que acredita, ingenuamente, que o PSDB é de direita (ou que o PSDB é oposição ao PT)!

Eu digo sem nenhum medo: O PSDB NUNCA FOI DE DIREITA! Na verdade, o PSDB é uma pseudo–direita (uma falsa direita, para ser mais exato), ou melhor, a suposta "oposição" ao PT é apenas um mero teatro para enganar os trouxas.

Como bem disse o Henoc, o PT é violento: quer ter o poder à força, custe o que custar. E não hesita em usar de todos os meios (certos ou errados) para atingir seus objetivos.

É óbvio que o PSDB também quer ter esse mesmo poder, mas de forma mais branda: ao invés da força, o PSDB, como se diz no popular, vai "comendo pelas beiradas". Através do marxismo cultural, o PSDB vai, aos poucos, agindo de forma sutil (sem que ninguém perceba). Quando forem se dar conta, já pode ser tarde demais!

Em suma, PT e PSDB podem até ser diferentes no "modus operandi" (um é "radical" e outro é "light", como bem definiu o Eliel). Mas ambos os partidos convergem para o mesmíssimo ponto: implantação do socialismo–comunismo.

Será que, depois disso, alguém ainda vai votar em algum candidato do PSDB nas próximas eleições (alegando que o PSDB é de direita)?

Deixo esta pergunta para alguém daqui responder na primeira oportunidade.

Nivaldo disse...

Respondendo ao Duo,

Duo,

Não sei se você sabe, mas Karl Marx era um satanista. O próprio Marx deixou isso bem claro quando afirmou:

"Os vapores infernais se elevam e me enchem o cérebro, até que eu enlouqueça e meu coração seja totalmente mudado. Vê esta espada? O príncipe das trevas a vendeu para mim... Desejo me vingar Daquele de lá de cima" (Marx)

Quem é o príncipe das trevas? O diabo!

De quem Marx deseja se vingar? De Deus!

O trecho acima é bem claro! São palavras ditas pelo próprio Marx! Só não entende ou não aceita quem não quiser! Como diz um ditado popular, "contra fatos, não há argumentos"

Para que você não tenha mais nenhuma dúvida disso (de que Karl Marx era satanista), leia aqui:

http://pabloodavid.byethost17.com/autores/Richard%20Wurmbrand/Richard%20Wurmbrand%20%20Era%20Karl%20Marx%20Um%20Satanista.pdf

Após isto, tire suas conclusões!

Duo disse...

Prezado Nivaldo,

Não estou tratando aqui, qual foi a condição religiosa de Marx. Como professor de História e Sociologia, busco identificar seu legado teórico. Ressalto que, não sou um bitolado que me preocupo quem é ateu, Cristão, muçulmano ou qualquer outra crença.

Sou cristão, e isso me basta para saber quem sou em Deus, quantos os demais cabe orarmos.

Apóstolo Ezequiel disse...

Duo,

Qual foi legado que Marx deixou? Ou melhor, o que o marxismo tem de bom para que possa ser aproveitado?

Na verdade, o principal argumento do marxismo (e de seus simpatizantes) é realizar uma suposta justiça social, e (teoricamente) tornar a sociedade igualitária (como eles mesmos dizem, "sem oprimidos nem opressores"). Só que o marxismo, para realizar a tão propagada "justiça social", precisa do poder absoluto nas mãos.

Por que é necessário ter este mesmo poder? Porque para tirar de quem tem mais para dar a quem tem menos, é necessário ter um regime que dê sustentação a esta ideologia. Do contrário, o objetivo proposto (a suposta "justiça social") se torna algo impossível de ser realizado apenas por mera teoria. Logo, o regime mais adequado para tais pretensões é o totalitarismo.

No totalitarismo, os interesses do Estado se sobrepõem aos dos cidadãos. É como dizia uma filosofia totalitarista dos tempos de Hitler e Mussolini: "Nada acima do Estado, nada fora do Estado, e nada contra o Estado!" Por isso é que o marxismo defende o poder total (totalitarismo) nas mãos dos representantes do Estado.

O verdadeiro objetivo do marxismo é somente a tomada do poder. Após isso, vem a escravidão e o empobrecimento da sociedade. Isso tudo é feito sob o comando de um governo ditatorial (e contando com um aparato policial a serviço deste mesmo governo). Pra que melhor exemplo atual disso do que Cuba?

O humanismo (ideologia que inspirou o marxismo) apregoa que "o ser humano é bom, mas o meio social é quem o corrompe". Em contraste, a Palavra de Deus diz que "não há um justo, nem um sequer" (Romanos 3:10). O ser humano já nasce com a natureza pecaminosa (e esta mesma natureza, por si só, é má em sua essência). Em virtude disso, muitos ainda são ingênuos a ponto de acreditar que as boas intenções são válidas em todo o mundo.

Em outras palavras: muitos ainda acreditam que podemos confiar em determinadas pessoas (principalmente os representantes do Estado) que afirmem estar se preocupando com o bem de todos (ainda que as atitudes dessas mesmas pessoas provem ou mostrem exatamente o contrário). A simples demonstração (ou propagação) de boas intenções não garante que elas serão necessariamente postas em prática. São apenas uma forma de dissimular o mal. Ou será que muitos estão esquecidos de que "o diabo insiste em se transformar em um anjo de luz" (2 Coríntios 11:14)?

A verdade nua e crua é que o mal nunca teve, não tem, e nunca terá nenhum compromisso com o bem (o mal só tem compromisso consigo mesmo). Assim como a Palavra de Deus diz que "não pode vir nenhuma mentira da verdade" (1 João 2:21), a recíproca também é verdadeira (ou seja, nenhuma verdade jamais poderá surgir da mentira). Afinal, o diabo é o pai da mentira (João 8:44). Por que os seguidores do diabo (no caso, os esquerdistas) agiriam diferente?

Gostaria que os simpatizantes do marxismo e dos partidos esquerdistas respondessem a esta pergunta!

Duo disse...

Sr. Ezequiel,

Não irei discutir com à vossa pessoa, pelo simples fato, eu estudo Marx como professor de História e Sociologia. Como professor não posso me preocupar se ele é satanista ou qualquer outra coisa. Eu como professor, estou colocado à disposição do Estado, que até onde sei é laico.
Marxismo, precisa ser estudado com uma ideologia, e não com uma religião ou mesmo filosofia.

Não sou marxista, e identifico falhas no utopismo marxista. Mas reduzir o marxismo a tomada do poder para mim é falta de conhecimento histórico.



Quanto a sua afirmação do "esquerdistas" serem filhos de satanás.utiliza sua argumentação biblica para evangelizar. Quanto o totalitarismo, vocês o fazem muito bem, quando tentam a todo custo impor a toda sociedade seus posicionamentos.

Lino disse...

Em 1913, Lênin (ditador marxista–comunista–socialista) escreveu o "Decálogo". Trata-se de um documento contendo 10 ações táticas da esquerda para a tomada do poder (qualquer semelhança com a agenda política do PT e outros partidos esquerdistas nos dias de hoje não é mera coincidência! É pura realidade)!

Vejamos, na íntegra, o que diz o tal "Decálogo":

1 – Corrompa a juventude, e dê a ela total liberdade sexual;

2 – Procure se infiltrar nos meios de comunicação de massa, e depois controle todos eles;

3 – Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a promover discussões sobre assuntos sociais e de interesse comum;

4 – Destrua a confiança do povo em seus líderes. Faça com que eles fiquem com a imagem denegrida perante a opinião pública;

5 – Fale sempre sobre democracia e em Estado de Direito; mas assim que puder (e tão logo haja a primeira oportunidade), assuma o poder sem nenhum escrúpulo;

6 – Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País (principalmente no exterior), e provoque o pânico e o caos na população por meio da inflação;

7 – Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;

8 – Provoque distúrbios sociais, e contribua para que as autoridades constituídas não os proíbam;

9 – Contribua para a destruição total dos valores morais, da honestidade, e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não–comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

10 – Procure catalogar todos aqueles que possuem armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando, deste modo, que seja impossível oferecer qualquer resistência à nossa causa.

Anexo ao "Decálogo", tem um outro documento intitulado "Os 10 princípios da esquerda". Vejamos quais são estes princípios:

1 – Os esquerdistas crêem que não existe moral. Na verdade, os esquerdistas crêem apenas na moral que for favorável a eles mesmos, isto é, "não roubar" vale somente para os outros (mas os esquerdistas podem roubar à vontade para si próprios, e também para aqueles que os ajudam);

2 – Os esquerdistas promovem o anti–convencional, violentam os costumes, e preferem a descontinuidade. Não gostam de seguir regras diferentes das que eles mesmos criam;

3 – Os esquerdistas derrubam tudo que seja pré–estabelecido. São, por natureza, contra todo e qualquer sistema padronizado (que contém princípios já determinados há muito tempo);

4 – Os esquerdistas agem com imprudência e irresponsabilidade, não importando quais prejuízos venham a causar aos que estão sob seu comando;

5 – Os esquerdistas desejam a uniformidade universal: todo mundo igual (exceto eles, quando estão no poder usufruindo de tudo que é privilégio);

6 – Os esquerdistas não se impõem limites e acreditam que podem melhorar, aperfeiçoar, e acabar com as imperfeições de tudo e todos (inclusive do próprio ser humano). Para fazer uma omelete, é preciso quebrar os ovos (mas eles partem para quebrar todos os ovos, mesmo que não consigam fazer omelete alguma);

7 – Os esquerdistas são contra a liberdade e a propriedade privada. Preferem a escravidão, embora a chamem, de maneira sutil, por outros nomes: igualdade, responsabilidade social, justiça social, senso de coletividade, etc;

8 – Os esquerdistas impõem coletivismo forçado. Tudo deve ser de todos (mas desde que seja sob controle total do Estado);

9 – Os esquerdistas desejam o poder desmedido e a liberação de todas as paixões humanas (marxismo clássico e marxismo cultural);

10 – Os esquerdistas não querem estabilidade: pregam a revolução perpétua. Dizem promover a paz, mas são os maiores incentivadores de todas as manifestações, arruaças, protestos, badernas, guerras, e lutas armadas.

Diante de tudo que foi mostrado aqui, eu pergunto: alguém daqui ainda tem mais alguma dúvida sobre as reis intenções do PT (e de outros partidos esquerdistas)?

Dom Rafael disse...

Duo, sugiro ao senhor que VOLTE AO BANCO DA ESCOLA E APRENDA TUDO DE NOVO, pois voce não sabe nada!
Já ouviu falar de nomes como Olavo de Carvalho, Roger Scruton, Paul Johnson, Padre Paulo Ricardo et cetera? duvido!
Se você "estuda" marx pelo viés "hitórico-sociológico", deveria saber que um sociólogo uma vez disse:

"Nenhum estudo é isento de juízo de valor".

Ora, essa frase vem de ninguém menos que MAX WEBER. Óbvio que, como satanista, Marx usou de suas crenças (completamente, já que que de científico não há nada no marxismo, como bem atestatou Paul Johnson) para moldar o seu escrito. Tanto é que seus escritos são cheio de antissemitismo (apesar dele ser judeu), ódio, preguiça e amoralidade, assim como todo autor deixa a sua cosmovisão em sua obra!

Com toda a sinceridade, VÁ ESTUDAR!!!

Paz.

George disse...

Respondendo ao Dom Rafael,

Amigo Dom Rafael,

Se o diabo se mostrasse como ele realmente é, ninguém jamais iria querer aproximação com ele. Mas ele sempre se apresenta como anjo de luz, para enganar os que não estão firmes na Palavra de Deus. É como bem disse o apóstolo Paulo:

"E não vos admireis disto, já que o próprio Satanás insiste em se transformar em um anjo de luz. Não é muito, portanto, que os seus ministros (como os marxistas) apareçam como ministros da justiça; e o fim deles será segundo as suas obras" (2 Coríntios 11:14–15, o parêntese é meu)

Marxismo, esquerdismo, comunismo, e socialismo (e outras variações) são invenções do diabo. E todas essas mesmas ideologias têm diversos objetivos em comum:

– Destruir a família;

– Eliminar todos os valores morais e os bons princípios;

– Legalizar o aborto;

– Destruir a fé cristã;

– Destruir (ou corromper) as igrejas;

– Promover o homossexualismo, a pedofilia, o casamento gay (e outras depravações);

– Aprovar a eutanásia;

– Usar a tirania (ou a ditadura) para permanecer no poder, sempre com o argumento mentiroso de ajudar os pobres e necessitados (através de políticas populistas e assistencialistas);

– Eliminar todos os possíveis opositores dos regimes esquerdistas;

– Impor a idéia de que todos devem ser submissos somente ao Estado (ou melhor, que o Estado deve substituir Deus em todas as áreas da vida humana).

Estas ideologias usam um jogo de palavras tão sutil (compaixão, ajuda aos necessitados, justiça social, e outros termos semelhantes) que conseguem enganar facilmente muitas pessoas (principalmente aquelas que não têm conscientização política)! Daí a razão de muitos partidos esquerdistas (PT, PC do B, PV, PSOL, e outros semelhantes) sempre estarem no poder em quase toda eleição!

Se essas ideologias diabólicas (e também as teologias corrompidas como Missão Integral, Prosperidade, e Libertação) contaminaram o nosso sistema educacional (e também as nossas igrejas e nossos seminários), foi devido à negligência dos servos de Deus (que se deixaram seduzir pelos enganos do diabo). Toda e qualquer filosofia, ideologia, ou teologia tem que ser obrigatoriamente testada e aprovada pela Palavra de Deus (para saber se é verdadeira ou não). Foi como disse o apóstolo Paulo:

"Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade" (2 Coríntios 13:8)

Eu prefiro ficar com a Palavra de Deus, porque somente ela tem todas as respostas que eu preciso! Não confio em nada que venha do homem. Novamente o apóstolo Paulo se manifesta:

"Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso" (Romanos 3:4)

A mesma coisa é dita pelo profeta Jeremias:

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

Será que eu estou certo neste meu ponto de vista? Se você quiser se manifestar, esteja à vontade.

Dom Rafael disse...

Pois é, irmão George!
E O PIOR é ter de ouvir isso aí de um pretenso cristão! não tenho mais paciência com esses tipos, não! isso é cegueira VOLUNTÁRIA, na certa por COVARDIA de levantar a bandeira de Cristo!
É DEVER de todo crente se opor com todas as forças às religiões de satanás!
Paz.

ELISEU disse...

Faço das palavras do Dom Rafael as minhas: é dever de todo crente se opor com todas as forças às religiões de Satanás.

Não só eu concordo em gênero, número, e grau com o que o Dom Rafael disse, como eu ainda acrescentaria o seguinte: o verdadeiro crente tem que denunciar o que estiver errado, não tolerar nada fora da Palavra de Deus, não ser condescendente com o erro (seja de quem for), resistir às tentações, enfim, é servir integralmente a Deus (mesmo com todas as adversidades). É como diz o apóstolo Tiago:

"E sede cumpridores da Palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos" (Tiago 1:22)

O que está realmente faltando para muitas pessoas que se dizem cristãs é um compromisso sério e irrestrito com a obediência total à Palavra de Deus. Falando num tom bem direto: o verdadeiro cristão tem que fazer a diferença onde estiver. É como diz o apóstolo Paulo:

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita, e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

"Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; Para que sejais sinceros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Filipenses 2:14–15)

Precisa dizer mais alguma coisa?