10 de fevereiro de 2015

Evento histórico: papa falará no Congresso dos EUA


Evento histórico: papa falará no Congresso dos EUA

Julio Severo
Pela primeira vez na história dos EUA, um papa falará no Congresso, convidado pelo republicano John Boehner e pela democrata Nancy Pelosi.
Quando falar aos legisladores americanos em 24 de setembro, o Papa Francisco se dirigirá a um Congresso que é 31 por cento católico, bem acima dos 22 por cento de toda a população americana, de acordo com uma pesquisa divulgada no mês passado pela entidade apartidária Centro de Pesquisas Pew. Boehner e Pelosi são ambos católicos.
“Sentimo-nos honrados que o Santo Padre tenha aceitado nosso convite e certamente esperamos receber a mensagem dele em favor do povo americano,” disse Boehner, o republicano mais poderoso na Câmara dos Deputados dos EUA.
“Vamos ouvi-lo nos desafiar a viver nossos valores, a proteger os pobres e os necessitados e a promover a paz,” disse Pelosi, a democrata mais poderosa na Câmara dos Deputados dos EUA.
Francisco, um jesuíta argentino e o primeiro papa no Hemisfério Ocidental, tem feito com que o principal alicerce de seu papado seja exortar as nações ricas a “ajudar os pobres.”
De acordo com a Associated Press, ele planeja usar sua viagem aos EUA para incentivar os líderes mundiais a adotar medidas ousadas para refrear o aquecimento global. Ele também planeja lançar uma encíclica sobre mudança climática, que ele diz é em grande parte provocada pelo homem.
“Ele tem um histórico de desafiar as pessoas,” disse Mathew Schmalz, um professor de estudos religiosos na Faculdade da Santa Cruz em Worcester, Massachusetts.
Ainda que muitos republicanos não vão gostar do que Francisco dirá sobre aquecimento global, é certo que muitos democratas não gostarão de algumas das opiniões de Francisco também.
Ele condena o aborto e o uso da contracepção artificial, e chama o casamento entre um homem e uma mulher como “coluna fundamental” da sociedade. Contudo, diferente do Papa João Paulo 2º, ele não tem dado destaque a essas questões. Seu foco tem sido combater a pobreza.
Obama disse que está ansioso para dar as boas-vindas ao papa nos EUA.
“Como muitas pessoas no mundo inteiro, eu tenho sido tocado pela chamada dele de dar ajuda aos que sofrem, e mostrar justiça, misericórdia e compaixão aos mais vulneráveis,” disse Obama.
A sinceridade de Obama é um problema. Seu governo e vida política estão cheios de ativismo pró-aborto — uma ameaça séria aos mais vulneráveis dos vulneráveis.
Os EUA precisam de líderes cristãos para desafiá-los diretamente a se arrepender e abandonar seus maus caminhos. Francisco estará à altura dessa responsabilidade? Não é impossível fazer isso.
No Café-da-Manhã de Oração Nacional de 1994 com o presidente Bill Clinton, Madre Teresa sem rodeios condenou o aborto legal nos EUA e tratou suas vítimas inocentes como as mais indefesas e vulneráveis na sociedade americana.
Ela desafiou Clinton e as autoridades americanas a protegerem essas vítimas.
Esse foi o último café-da-manhã dela com Clinton.
É duvidoso que o Papa Francisco imitará o corajoso discurso pró-vida dela. Numa visita papal de 2013 ao Brasil, quando a presidente socialista Dilma Rousseff estava considerando legalizar o aborto — o que ela fez —, Francisco nunca mencionou os termos aborto e matança de crianças para ela.
O Papa João Paulo 2º, um verdadeiro apóstolo pró-vida, teria merecido a honra de falar no Congresso dos EUA. Certamente, ele focaria em questões pró-vida, como fez Madre Teresa.
Mas o que esperar de Francisco? Os meios de comunicação dos EUA têm certeza, e estão contentes, que ele focará no aquecimento global e “combate à pobreza.” Aliás, ele e Obama estão agora numa aliança contra o aquecimento global.
O que esperar dos católicos americanos que convidaram Francisco? As posturas socialistas de Nancy Pelosi representam bem os democratas, inclusive Obama: pró-aborto, pró-homossexualidade, pró-cultura da morte.
O que esperar de John Boehner? De acordo como o jornal Daily Beast, Boehner disse: “Não lutaremos contra o casamento gay.” Basicamente, ele teria dito que o Partido Republicano não mais obstruirá o avanço do “casamento” gay.
Que oposição “bonita”! Os democratas e outros socialistas avançam seus males socialistas, e os republicanos “corteses” os deixam ir em frente.
A cortesia católica mútua deles está agora trazendo Francisco, um papa que não é proeminente (como eram João Paulo 2º e Madre Teresa) nas questões pró-vida, mas muito proeminente e louvado, inclusive por revistas homossexuais, por sua “tolerância” — até mesmo pelo islamismo. No ano passado ele disse que “é errado igualar o islamismo com violência.”
Seja como for, a cortesia de Boehner para com o “casamento” homossexual é preocupante.
De acordo com Scott Lively, “A antiga tradição rabínica sustenta que a homossexualidade, mais especificamente o casamento homossexual, foi o ‘insulto final’ a Deus que fez com que Ele trouxesse aquele Grande Dilúvio do qual só Noé e sua família sobreviveram.” Então, se os republicanos não têm disposição de combater o “casamento” homossexual, para que serve seu partido?
Até mesmo a Rússia, criticada e condenada por democratas e republicanos, por ativistas homossexuais e direitistas, por Pelosi e Boehner, por Obama e McCain, tem conseguido resistir ao “casamento” homossexual e a outros males socialistas. Se o Partido Republicano é incapaz de fazer isso, para que serve?
Alguns católicos no Brasil estão se regozijando que os EUA são “mais católicos” hoje. Pelo menos o Congresso é mais católico do que toda a população americana
Eles se regozijam que pela primeira vez na história dos EUA, um papa falará no Congresso dos EUA, convidado por dois católicos proeminentes: John Boehner e Nancy Pelosi.
Se um número mais elevado de católicos é motivo suficiente para um senso de vitória, eles deveriam se regozijar com o Supremo Tribunal dos EUA, que começou 200 anos atrás com protestantes, mas hoje todos os seus membros cristãos são católicos. O Supremo Tribunal não é mais protestante, mas é mais pró-aborto e pró-sodomia do que nunca.
Então, existe razão para se regozijar pela democrata Pelosi e sua obsessão pró-aborto e pró-homossexualidade?
Existe razão para se regozijar pelo republicano Boehner e sua indisposição de combater o “casamento” homossexual e outros males socialistas?
Existe razão para se regozijar por um papa focado no aquecimento global e muito louvado pelos esquerdistas do mundo inteiro?
O catolicismo deles salvará os EUA?
Se um número mais elevado de católicos fosse sinal de esperança, o Brasil, a maior nação católica do mundo, seria o país mais conservador e antimarxista do mundo. Não. A Teologia da Libertação marxista tem quase onipresença entre os católicos brasileiros, como tem quase onipresença entre os católicos da América Latina.
De acordo com uma reportagem recente da BBC em espanhol e português de Jaime Gonzalez, os conservadores americanos veem Francisco como marxista e ambientalista radical. Nenhuma surpresa: ele é da América Latina. O fato é que a reportagem da BBC estava defendendo-o contra os conservadores dos EUA!
O catolicismo socialista do papa não é diferente do catolicismo brasileiro. Então, é bem natural que Pelosi, uma socialista católica, o convidasse. Entretanto, se os conservadores americanos o veem como marxista, por que Boehner, o mais poderoso republicano na Câmara dos Deputados, o quer falando no Congresso? Isso só faz sentido se entendermos que o republicano católico não quer lutar contra o “casamento” homossexual. Será que ele, junto com Pelosi e o papa, está considerando lutar contra o aquecimento global também?
A propósito, nunca me regozijei que Obama, Clinton e outros presidentes esquerdistas americanos fossem protestantes.
O protestantismo esquerdista deles é parte dos problemas que os EUA têm hoje assim como o catolicismo esquerdista é parte dos problemas do Brasil.
Que os olhos do Papa Francisco e do Congresso dos EUA algum dia sejam abertos para enxergar esses problemas.
Com informações da Associated Press e The Daily Beast.
Versão em inglês deste artigo: Landmark Event: Pope Will Address U.S. Congress
Leitura recomendada:

6 comentários :

Leony disse...

Muitas coisas com caráter de "1a vez" acontecendo ultimamente...

Interessante é ver a opinião de Obama sobre a Bíblia:

https://www.youtube.com/watch?v=z77lTLeiw1o

"Os EUA precisam de líderes cristãos para desafiá-los diretamente a se arrepender e abandonar seus maus caminhos. Francisco estará à altura dessa responsabilidade? Não é impossível fazer isso."

Só sei de uma coisa: Deus está à anos-luz de distância do papado. Independente da postura dele sobre "isso" ou "aquilo", não se iludam com discursos de bondade. A Bíblia diz que quando disserem que haverá paz aí é que vai acontecer o fim. Católico, SAIA urgentemente da submissão a autoridade do papa, como seu representante.

O papado não é de Deus e nem o governo dos EUA. Qualquer coisa vinda destes que tenha haver com o diabo não é coincidência.

Anônimo disse...

Os acontecimentos nos EUA e na ICAR tem apontado para a vinda do anticristo. O homossexualismo, o islamismo, a violência etc. são sinais que estão a comprovar isto. Maranata.

Anônimo disse...

Obama está muito desprestigiado, em baixa, e poderia usar o papa Francisco para melhorar sua performance, dependendo de ele entrar mais nas questões dos "pobres e climáticas", o que atenderia aos globalistas em deixar o cerne da fé de lado e cuidar mais de eco-humanismos gerais e com isso fazer como foi no Brasil na JMJ, diferente dos antecessores que aqui vieram e foram muito contundentes nas questões referentes ao aborto e homossexualismo, sem dar chances ao lobby aborto-homossexualista.
Henoc

Jonathas castro disse...

Estas aproximaçoes dara´ origem a uniao das igrejas e naçoes !

Anônimo disse...

o que eu vejo e que houve falha na conduta crista tanto catolica como protestante porque se somos milhoes de catolicos brasileiros e milhoes de protestantes nos estados unidos entao nossos lideres cristaos nao guiaram suas ovelhas tao bem como se imaginava se nao o mau nao teria se multiplicado dessa forma.Silvia

Dom Rafael disse...

Irmão Júlio, até quando você se calará face à HERESIA católica? você sabe, como muitos aqui também, que o catolicimos NÃO É DE DEUS, assim como o aventismo, testemunhas de jeová et cetera. Muitos católicos, ao visitarem o seu site, PERMANECEM no erro, acreditando piamente que são cristãos e salvos, algo que sabemos que não são.
Já está na hora de você se posicionar sobre isso, nao acha não? asssim como você nos alerta sobre o cassacionismo e calvinismo, que são até muito mais leves se comparado com os adoradores de Maria.
Bem, aviso dado.
Paz.