16 de fevereiro de 2015

A Doutrina Social da Igreja Católica e a Nova Ordem Mundial


A Doutrina Social da Igreja Católica e a Nova Ordem Mundial

Vitor Barreto
Comentário de Julio Severo: O papel de João Paulo II contra o aborto e contra o comunismo não deixa dúvidas e merece admiração e respeito. Mas mesmo com esse papa anticomunista, havia uma América Latina majoritariamente católica adepta da Teologia da Libertação. Por que o catolicismo latino-americano, inclusive o catolicismo do Brasil (a maior nação católica do mundo), está tão envolto em marxismo, socialismo e esquerdismo? Vitor Barreto tenta dar uma explicação. Eis seu texto:
Já há algum tempo que o Vaticano tem feito apelos por uma Nova Ordem Mundial. João XXIII parece ter sido o primeiro papa a pedir por uma "autoridade mundial". Além dele, Paulo VI, João Paulo II, Bento XVI e atualmente o papa Francisco I continuam o discurso. Ainda que existam suspeitas por parte de muitos católicos conservadores contra o papa Francisco I, o discurso de papas conservadores como Bento XVI não deixa espaço para dúvidas sobre a influência da Doutrina Social da Igreja Católica Romana no apoio a uma Nova Ordem Mundial. Vejamos o que ele escreveu na encíclica "Caridade na Verdade" [1]:
"A atividade económica não pode resolver todos os problemas sociais através da simples extensão da lógica mercantil. Esta há-de ter como finalidade a prossecução do bem comum, (...)".
Bento XVI reafirma a condenação histórica do livre mercado pela Doutrina Social. O "bem comum" e outros tantos termos derivados da influência aristotélica na obra de Tomás de Aquino estão presentes no texto. Ratzinger, em seguida, é bem claro quanto à influência da "Rerum Novarum" nesse posicionamento. Comentando a "Progresso Popular" de Paulo VI, ele disse:
"Estendia assim ao plano universal as mesmas instâncias e aspirações contidas na Rerum novarum, escrita quando pela primeira vez, em consequência da revolução industrial, se afirmou a ideia — seguramente avançada para aquele tempo — de que a ordem civil, para subsistir, tinha necessidade também da intervenção distributiva do Estado."
Pouco depois, o papa defendeu explicitamente o assistencialismo:
"A vitória sobre o subdesenvolvimento exige que se atue não só sobre a melhoria das transações fundadas sobre o intercâmbio, nem apenas sobre as transferências das estruturas assistenciais de natureza pública, mas sobretudo sobre a progressiva abertura, em contexto mundial, para formas de atividade econômica caracterizadas por quotas de gratuidade e de comunhão."
O subdesenvolvimento não deveria ser vencido através do trabalho? Os malefícios do assistencialismo estatal são velhos conhecidos dos economistas liberais como Milton Friedman. É justamente o assistencialismo que está prejudicando a Suécia, por exemplo. O economista Per Bylund, comentou o assunto:
"O estado assistencialista cria problemas e conflitos em vários níveis, forçando as pessoas a competir por fatias cada vez mais decrescentes de riqueza. A solução: mais regulamentação e menos prosperidade. Isso é o que acontece quando a necessidade e a vontade substituem o mérito e a experiência, tanto na moralidade pública como na pessoal."[2]
O intervencionismo estatal é na verdade uma distorção da caridade cristã. A caridade é um ato de graça, e, por definição, é voluntário e imerecido para o beneficiado. Quando a caridade torna-se uma política econômica obrigatória, ela necessariamente elimina a liberdade do indivíduo tributado. Contudo, os termos colocados pela Doutrina Social da Igreja Católica imputam ao doador uma obrigatoriedade cuja negação é interpretada como "injustiça". E é exatamente isso que o Ratzinger faz na defesa do estado de bem-estar:
"Por isso a difusão dos ambientes de bem-estar a nível mundial não deve ser refreada por projectos egoístas, protecionistas ou ditados por interesses particulares."
Poucas mentes estão vacinadas contra esse tipo de chantagem. Caridade "forçada" não é caridade, e sim roubo. Uma é a função da igreja, outra do estado. O Reino de Deus está em construção, mas ainda existe joio no meio do trigo. É impossível — e ímpio — forçar o joio a ser trigo. As bases que sustentam o intervencionismo estatal sustentam a visão positivista que a Igreja Católica tem da Nova Ordem Mundial.
"Por isso é preciso empenhar-se sem cessar por favorecer uma orientação cultural personalista e comunitária, aberta à transcendência, do processo de integração mundial."
"Para o governo da economia mundial, para sanar as economias atingidas pela crise de modo a prevenir o agravamento da mesma e em consequência maiores desequilíbrios, para realizar um oportuno e integral desarmamento, a segurança alimentar e a paz, para garantir a salvaguarda do ambiente e para regulamentar os fluxos migratórios urge a presença de uma verdadeira Autoridade política mundial, delineada já pelo meu predecessor, o Beato João XXIII. A referida Autoridade deverá regular-se pelo direito, ater-se coerentemente aos princípios de subsidiariedade e solidariedade, estar orientada para a consecução do bem comum, comprometer-se na realização de um autêntico desenvolvimento humano integral inspirado nos valores da caridade na verdade. Além disso, uma tal Autoridade deverá ser reconhecida por todos, gozar de poder efectivo para garantir a cada um a segurança, a observância da justiça, o respeito dos direitos. Obviamente, deve gozar da faculdade de fazer com que as partes respeitem as próprias decisões, bem como as medidas coordenadas e adoptadas nos diversos fóruns internacionais. É que, se isso faltasse, o direito internacional, não obstante os grandes progressos realizados nos vários campos, correria o risco de ser condicionado pelos equilíbrios de poder entre os mais fortes. O desenvolvimento integral dos povos e a colaboração internacional exigem que seja instituído um grau superior de ordenamento internacional de tipo subsidiário para o governo da globalização e que se dê finalmente actuação a uma ordem social conforme à ordem moral e àquela ligação entre esfera moral e social, entre política e esfera económica e civil que aparece já perspectivada no Estatuto das Nações Unidas."
Esse é o caminho exatamente oposto às conquistas recentes dos direitos individuais, seja nos EUA, seja na Inglaterra com a Revolução Gloriosa. A propriedade privada para os católicos romanos transformou-se, por influência de Tomás de Aquino, em uma mera hipoteca a serviço do "bem comum".
Contudo, a Bíblia jamais apoiou tal impressão a respeito da propriedade privada. Quando pregadores como John Newton e John Wesley influenciaram a Inglaterra por direitos aos trabalhadores e pela abolição da escravidão, não estavam exigindo caridade, mas justiça. Pois "o trabalhador é digno de seu salário". O mandamento "não furtarás" me parece nunca ter sido tão necessário em uma escala global como é hoje.
Existe, na contramão da Doutrina Social, argumentos bíblicos suficientes para condenar sua postura diante do livre mercado. Vejamos apenas a parábola dos talentos, ditada pelo próprio Cristo.
O Senhor fala da divisão dos talentos de um homem entre 3 servos. O primeiro recebeu 5 talentos, o segundo recebeu 2 e o terceiro apenas 1. O que o Senhor exigiu dos três quando retornou? Exigiu lucro. O último dos 3, porém, não gerou lucro algum. Por acaso o homem da parábola dividiu o lucro dos dois servos bons com o terceiro que não lucrou? Não. Antes, ele foi demitido.
Nessa parábola, Jesus quis ilustrar a Justiça de Deus. Ora, se Jesus não considerasse a busca pelo lucro justa, como poderia ele usá-la como modelo para o Reino de Deus? Não poderia. Mas porque cada um recebe aquilo que merece, exceto pela misericórdia, não é da justiça que aquele que lucrou com seu trabalho seja obrigado, pela lei civil, a repartir o que tem contra sua vontade.
É certo, porém, que a avareza e a dureza de coração são condenadas diante de Deus. Mas o direito à propriedade privada não é anulado por isso. Devemos, portanto, estabelecer a correta diferença entre o direito à propriedade e a caridade dentro da justiça do trabalho. Não é da justiça a divisão dos lucros.
Entretanto, a teologia tomista torna a propriedade privada subjetiva. Para ela, a propriedade não serve ao indivíduo, mas ao grupo, e por isso pode ser tomada para servir aos propósitos que as cabeças dos homens julgam como "bem", ainda que o apóstolo Paulo tenha rejeitado enfaticamente qualquer tipo de assistência. "Quem não quer trabalhar, melhor que não coma", disse ele.
Quando Deus tirou o povo do Egito, não deu ao povo o direito de tomar aquilo pelo que não tinha trabalhado, mas apenas aquilo que era fruto de seu próprio trabalho. Séculos antes, Deus agiu com providência na vida de Jacó quando este decidiu sair da presença de seu sogro. Jacó saiu com aquilo que ajudou pessoalmente a construir. Ele gerava tanto lucro que seu sogro (um verdadeiro "porco capitalista" nessa narrativa bíblica) não desejava que partisse. O trabalhador é digno daquilo que ajuda a construir, e não do que outro constrói. Você quer doar seu salário aos necessitados? Glória a Deus. Certamente ele se agradará. Mas a doação pressupõe a falta de mérito do beneficiado. A caridade não anula o direito à propriedade.
Somos dignos de salvação? Não, porque não cumprimos a lei. Cristo cumpriu a lei. Ele cumpriu a lei por nós e, por caridade, por misericórdia, pagou nossa dívida. Mas nós não justificamos a nós mesmos, não merecemos a Salvação. Para nós ela é "impossível" (Mateus 19:25-26). A Doutrina Social da Igreja Católica, porém, inverte a própria noção de justiça. Deus não tinha obrigação de dar-nos salvação. Ele deu porque quis. Se um pobre é "injustiçado" por existir diferenças materiais ou culturais no mundo, a culpa é dele mesmo, e não daquele que trabalhou. Se a caridade fosse obrigatória pela lei civil, teríamos que considerar a Salvação como fruto de dívida de Deus para conosco, e não como fruto da Graça, o que seria absurdo.
É importante compreender finalmente que a Igreja Católica está substituindo o poder do Evangelho pelo poder estatal. Não é a força das leis que mudará o coração dos homens, mas a Graça de Deus. Mesmo os contribuintes não estão sendo caridosos quando seu dinheiro é usado no assistencialismo. Estão sendo forçados e chantageados pelas leis civis a fazerem aquilo que não querem. E isso não é caridade — repito. Isso é roubo. Cabe a Deus julgar os avarentos.
Notas:
Leitura recomendada:

31 comentários :

Adriano disse...

Este tal de Vitor quer dividir o movimento pró-vida, que não é católico nem protestante. Se queremos sobreviver na guerra contra o PT, não podemos usar o movimento para falar de Catolicismo ou Protestantismo.

Anônimo disse...

Muito engraçadinho, senhor Adriano. O Padre Paulo Ricardo no Movimento Pró-vida e Conservador discursa DIARIAMENTE acerca de Catolicismo, e pergunto: O senhor já disse ao ilustre padre que ele quer dividir o Movimento Pró-Vida, que não é católico nem protestante? Vá lá dizer isto a ele e depois volte aqui para nos contar a resposta.

Clara

Marilena disse...

O Pe. Paulo trata, realmente, muito mais de sua religião e suas muitas doutrinas doutrinas do que de questões pró-vida. De Maria e dos santos, ele fala no mínimo duas vezes por semana. Admira-me a covardia dos evangélicos que temem falar do Evangelho para não serem acusados de “dividir os pró-vida.” Acaso acusam disto o referido sacerdote católico?

Anônimo disse...

Marilena e Clara: Vcs estão sendo injustas com o querido padre. Ele não é o único, nem o primeiro, nem o último católico a dualizar funções advogando a vida e a família e os Ensinos Católicos. Qualquer que assim não proceder não é digno de ser católico. Quanto ao teor do artigo, é óbvio que está equivocado. A Igreja Católica Apóstolica Romana é e sempre foi a única resistência legítima contra o marxismo. Tire-a do caminho, e o mundo está acabado.

S.T.M.

Thiago disse...

A ICAR está inserida na NOM, isso é fato. Esses setores conservadores que buscam um diálogo com evangélicos não representam a instituição como um todo, eles são uns "protestantizinhos" que começaram a enxergar os erros da cúria romana.

Não adianta chorar, os reis da terra se rebelaram contra a mulher de ap. 17. Quando a igreja condenou o liberalismo, o fez em prol da antiga ordem milenar da realeza-nobreza e da união igreja -estado (as doutrinas impuras que discordamos nasceram desta união suja). A Igreja infiltrada do século XX, utilizou esta antiga condenação para construir uma justificativa marxista.

Como se conservar fiel as Escrituras se igreja e estado se confundem? Saúde e educação, no antigo regime, eram ofertados pela igreja, assim como serviços de registro e outros mais. Ela era a religião oficial, e perseguia os que a exortavam com a espada do Estado.

Os ideólogos esquerdistas modernos utilizam esses passado promíscuo para tecer justificativas esquerdizantes.

Keoma Patrío da Silva disse...

Tudo culpa de Deus, que boto inimizade entre os protestas e o católicos romanos.

Cássia disse...

Sou católica, no entanto isto não significa que concordo com tudo que a minha Igreja ensina. Confiro na Santa Bíblia e quando há discrepâncias, fico com a Bíblia.

Thiago disse...

Oi keoma. Tudo beleza?

A Paz do Senhor Jesus.

Keoma Patrío da Silva disse...

A paz Tiago. Tudo na paz do Senhor.

Thiago disse...

Estado e Igreja caminharam juntos por séculos, para infelicidade da doutrina bíblica pura. Após a Revolução Francesa, o Estado Liberal seguiria sozinho... MAS um filho do Cão, percebendo a falta que a igreja fazia, tanto para questões sociais como para dar sentido à indivíduos e sociedades teorizou o que chamamos Marxismo, que é uma religião politica.

Mesmo com todos os defeitos do mundo, a ICAR era peça fundamental para a organização do Ocidente. Mas agora já era... tudo isso aconteceu para que a Profecia se cumprisse, e para Juízo viesse para os gentios. Israel também teve um tempo. A Igreja (seja católica, protestante ou ortodoxa) pregou e prega o arrependimento, mas o mundo rejeitou e cuspiu na cara dos servos do Senhor... portanto, que venha o Juízo.

Keoma Patrío da Silva disse...

Eu não diria o estado, mas a filosofia foi essencial para a deturpa as doutrinas Bíblicas.

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

Vamos lá ver as coisas com alguma realidade.
A ordem mundial tem mudado muito. Já fomos um império romano , a divisão entre cristãos e muçulmanos, as potências europeias e EUA URSS.

As coisas vão mudando e as religiões também. O cristianismo do segundo século seria incompreensível para um medieval. O medieval incompreensível para um cristão da renascença.

Nos últimos duzentos anos com a liberdade religiosa começada nos EUA o cristianismo muda muito.

Adapta-se a sociedades modernas e passa a desfocar-se do além vida :céu e inferno

Para se focar mais na recompensa aqui e agora ou em nichos homofóbicos é apocalípticos.

No fundo trata-se de adaptar às circunstâncias do mundo.

a religião é mesmo assim. É formadora da sociedade mas também é moldada pela evolução da sociedade.

Se se afasta muito acaba como as diversas versões do cristianismo que foram abandonadas por serem contrárias ao desenvolvimento social.

A igreja católica adapta-se aos novos tempos.

Só isso.

Dom Rafael disse...

Viu, irmao Júlio-san? os católicos que visitam o seu site se sentem salvos e seguros, acreditanto que as suas imagens, comunicação aos mortos e culto à maria vem de Deus. que tal APONTAR DE VEZ a heresia católica e a sua TOTAL INCOMPATIBILIDADE com o Evangelho do Nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo?
acredito que a VERDADE deve ser dita, doa a quem doer!
Paz.

Keoma Patrío da Silva disse...

Segundo Justino. Quem acredita na imortalidade da alma, não é cristão.

Thiago disse...

Keoma: sim amigo, concordo contigo! Os ventos de ideias agitaram o mar da civilização e transformaram a sociedade. A fé cega na ciência e na planificação da sociedade. A descrença total de nossa elite intelectual a torna em uma marionete do inferno... isso sem falar da elite ocultista, que crê em Cristo, mas crê que Satanás vencerá e q serão como "deuses" (crê em tudo q é misticismo e bruxaria, menos na Sã Doutrina - parece até birra).

Dom Rafael: é bom que nos posicionemos sim e que defendamos a Bíblia como ela é. Mas não acredito incompatibilidade total, pois isso sera um anacronismo. O grande problema no meio católico é que a maioria deles não é praticante e não obedece as orientações dos sacerdotes (o q mais se vê é católico com um pezinho no espiritismo ou em religiões místicas pagãs).

Souza da cruz: como vai? Faz tempo q vc não comenta; tudo beleza? O cristianismo se adapta sim aos novos tempos, mas só no que se diz respeito a "casca", aos costumes que não foram alvo de definição no Novo Testamento. Vc propõe mexamos em doutrinas fundamentais (?), isso não é possível! Mexer nos fundamento é um suicídio da igreja como um organismo social (uma verdadeira rebelião contra O Criador). Em todos os lugares q se adotou esta postura o ateísmo e o secularismo cresceram. E tem o lado espiritual também. Se vc for desobediente a Cristo, não terá comunhão, não terá paz, estará exposto aos demônios e ao poder das trevas. Morrer em incredulidade e rebelião é uma passagem só de ida para o inferno.

Thiago disse...

Keoma....

Concordei em relação a filosofia / mudanças sociais.

Mas em relação a imortalidade da alma (discordo)... vc não acredita nesta imortalidade? Como assim? Vc não acredita em céu e no inferno (crê na Bíblia?)? Cuidado com o q vc anda lendo. Tudo que contradiga às Escrituras seja anátema. Cuidado amigo, pra não perder sua alma em divagações filosóficas.

Um abraço.

Thiago disse...

Me desculpe senhor Souza da PONTE.


Duílio disse...

O mundo pode se auto–denominar "moderno", "mente aberta", "liberal", enfim, as leis, os costumes, e a moral do mundo podem mudar a todo instante. Mas uma coisa é certa: A LEI DE DEUS É SOBERANA, ETERNA, E IMUTÁVEL (NUNCA PODERÁ SER MUDADA POR NADA, E NEM POR NINGUÉM)!

A LEI DE DEUS NUNCA IRÁ SE SUJEITAR (OU "SE ADAPTAR") AOS TEMPOS MODERNOS OU AO "POLITICAMENTE CORRETO" DO GOVERNO, DOS HOMOSSEXUAIS, DOS ABORTISTAS, DOS FALSOS PROFETAS, DOS FALSOS PASTORES, E DOS FALSOS EVANGELHOS! DEUS NUNCA MUDARÁ OS PRINCÍPIOS MORAIS DA SUA LEI PARA AGRADAR A NINGUÉM (SEJA QUEM FOR)!

A LEI DE DEUS NUNCA SE SUBMETERÁ AOS DITAMES DO MUNDO! A RESPEITO DA LEI DE DEUS, JESUS FOI TAXATIVO (FAÇO QUESTÃO DE TRANSCREVER EM CAIXA ALTA AS PALAVRAS DE JESUS, PARA CHAMAR A ATENÇÃO DE TODOS):

"NÃO PENSEIS QUE VIM REVOGAR A LEI OU OS PROFETAS; NÃO VIM PARA REVOGAR, MAS PARA CUMPRIR. POIS EM VERDADE EU VOS DIGO QUE, ATÉ QUE PASSEM OS CÉUS E A TERRA, NENHUM I OU TIL JAMAIS PASSARÁ DA LEI, SEM QUE TUDO SE CUMPRA" (MATEUS 5:17–18)

SE DEUS FALOU, ESTÁ FALADO! SE DEUS DISSE QUE PECADO É PECADO, JÁ ESTÁ DECRETADO (E FIM DE PAPO)! O QUE DEUS DETERMINA NA SUA LEI NINGUÉM JAMAIS PODERÁ CONTESTAR! QUEM É ESSE (OU ESSA) QUE PENSA QUE PODE QUESTIONAR A LEI DE DEUS?

Com Deus, não tem meio–termo nem coluna do meio: ou é sim, ou é não, ou você é a favor Dele, ou você está contra Ele. A respeito disso, o apóstolo Tiago escreveu:

"Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, todo aquele que se faz amigo do mundo se torna inimigo de Deus" (Tiago 4:4)

O apóstolo Paulo também disse algo apropriado neste sentido:

"Não podeis beber do cálice do Senhor e do cálice dos demônios; não podeis participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios" (1 Coríntios 10:21)

"Não vos coloqueis num jugo desigual com os incrédulos. Pois, que sociedade a justiça tem com a injustiça? E que união pode haver da luz com as trevas? E que aliança há entre Cristo e o maligno? E que parte tem o fiel com o infiel? E que concordância existe do templo de Deus com os ídolos? Pois vós sois o templo do Deus vivente; como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e Eu serei o seu Deus, e eles serão o Meu povo. Pelo que saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis em nada imundo, e Eu vos receberei; E Eu serei para vós Pai, e vós sereis para Mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo–Poderoso" (2 Coríntios 6:14–18)

A mesma coisa é dita por Jesus:

"Seja, porém, a vossa palavra: Sim, sim; Não, não; porque o que passar disto é de procedência maligna" (Mateus 5:37)

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou amará a um e odiará o outro, ou há de se dedicar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom" (Mateus 6:24)

"Quem não é por Mim, é contra Mim; e quem Comigo não ajunta, espalha" (Mateus 12:30)

Em outras palavras: quem decide desobedecer deliberadamente aos princípios morais da lei de Deus está escolhendo ser escravo do diabo!

Precisa dizer mais alguma coisa?

Keoma Patrío da Silva disse...

Não tem inferno da Bíblia. A mais provável é Aniquilacionismo posterior ao castigo, como não faz muito sentido, eu acredito que vai ser Aniquilação com sofrimento, o impio vai sofrem enquanto é aniquilado. E isso o mais provável da Bíblia.
A alma não vai pro céu quando morre. Ela morre com o corpo. Espera a ressurreição.

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

A humanidade desde o início teve de lidar com três grandes flagelos:
A fome, a doença e a guerra.

Até há bem poucos anos a produção de alimentos, roupas, mobílias, etc e etc eram insuficientes para todos.

As doenças infecto-contagiosas aniquilivam populações inteiras.

As guerras eram constantes.

Uma justiça distributiva era impossível. A produção alimentar não permitia alimentar todos.

A solução lógica era a caridade. Os que tinham mais que precisavam darem voluntariamente aos pobres.

Isto não resolvia o problema porque a ciência e tecnica não permitiam grandes produções.

A vida era breve, difícil, pautada pela doença e morte.

As religiões focavam-se na recompensa pós morte.

Um céu onde não havia fome nem doença.


A revolução científica veio baralhar tudo.

A produção de alimentos a nível global excede as necessidades, podemos produzir mais roupas, cuidados básicos de saúde, água potável, etc e etc do que podemos consumir.

Logo não há qualquer justificação para que no século XXI alguém não tenha acesso a estes mínimos.

Sem necessidade até de caridade.

Uma solução seria simples e até barata:

A OMS verificava se a população dum país tem ou não acesso a estes mínimos.

Caso não tivessem a OMS fornecia estes produtos e serviços. Como compensação à OMS os bens no exterior dos dirigentes e familiares dos governantes do país eram expropriados para pagamento das despesas.....

Anônimo disse...

eu acho muito triste aquele que aponta os erros de cristaos catolicos e esconde ou se acham os donos da verdade suprema minha familia tem tanto catolicos como evangelicos vou contar a historinha resumida de um deles e gostaria muito que ele fosse um de seus seguidores julio:a minha irma conheceu ester ser em sao paulo parecia um rapaz otimo e que se intitulava ``criado na palavra de DEUS´NA VERDADE ERA UMA FORMA DE NOS DIMINUIR POR SERMOS CATOLICOS ,O NAMORO FICOU SERIO ENTAO FOMOS CONHECER AS FAMILIAS O PAI DELE ERA IGUAL AO FILHO EM arrogancia mas sempre fomos de rezar epedir que Deus encaminha-se para o que fosse melhor para nossa familia um belo chega o avo do fabio em casa e nos alerta que ele ja havia roubado ele ea propria avo e para piorar a estoria ele ja tinha abandonado uma outra menina que tinha duas filhas dele e quem sustentava as meninas era um outro rapaz que criou as meninas ate hoje sem uma unica ajude dele,mas a coisa piora um belo dia chega uma carta dele para minha irma ,dois dias depois ela vai parar no hospital ela ficou gravida e ele mandou remedio abortivo para ela e a estupida tomou ,ate hoje o meu pai nao sabe isso seria um desgosto pra ele,resumo da estoria ela engravidou novamente e ele teve um caso usou o dinheiro que nos demos para pagar as coisas da gravidez da minha irma para dar presentes a familia da amanta ,hoje minha tem tres filhos dele nunca sustentou os filhos nos que mandamos dinheiro quando a coisa aperta os casos dele ate os filhos ja pegaram minha irma e de uma inercia ou e culta da minha mae e meu pai que nos educou pra sempre por a famlia em primeiro lugar.quanto a por ser catolico eu me achar salva nao ...nao tenho essa certeza acredito sim que terei que conversar com Deus e ELE E SOMENTE eLE PODERA ME JUNGAR, O QUE EU SEMPRE PROCURO SEGUIR SAO OS 10 MANDAMENTOS DA LEI DE DEUS NEM SEMPRE ALGUNS SAo POSSIVEIS ENTAO NO DIA DO JUIZO FINAL ELE QUE ME JULGUE, FIQUEM TODOS COM AS BENÇAOS DE DEUS.AMEM...Silvia

Flavio Jm disse...

Como formado em Ciencias Economicas pela UFSC e estudante de história economica, lhes digo que o texto utiliza uma enciclica no pé da letra, o que confere o texto o pecado do anacronismo. Querer utilizar um texto escrito dentro de um determinado contexto e querer aplicar fora da realidade primeva ao qual foi manuscrito, é totalmente desleal academicamente. Vejo que os ateus e agnósticos fazem o mesmo com a Sagrada Biblia.
O Estado de bem estar é um avanço gigante humanisticamente falando que não devemos descreditá-lo pelo fato de partidos políticos com ideologia contrária ao cristianismo estarem temporariamente ocupando o poder. O livre mercado de livre tem pouco , pois foi articulado e desenvolvido pelas armas. O próprio Brasil sofreu com o "livre" comércio com a Inglaterra.
Na verdade o objetivo do texto é desacreditar o conservadorismo católico. O estudo empírico derruba tal hipótese. João Paulo II e Bento XVI foram campeões na luta contra o marxismo. E o tal papa argentino apenas mostra que tanto capitalismo como comunismo tem falhas e limitações graves. E por acaso ele fala alguma mentira? E sobre o ambientalismo dele, por acaso está equivocado? o padrão de consumo atual é sustentável?
Abraços.

Thiago disse...

O Estado de Bem Estar Social só serve para estas coisas:

Endividamento ad eternum das FINANÇAS PÚBLICAS, tornando os impostos altíssimos, geralmente mais da metade do PIB.

Destruição da família e do patriarcado. Estado substitui em muitos casos a figura provedora do macho. Grupos de pressão financiados desde fora utilizam esse Estado inchado para a promoção afirmativa de grupos contrários à moral cristã.

Promoção de uma economia estatizante, onde a ineficiência e a corrupção imperam, como fica evidente no rombo de OITENTA E OITO BILHÕES DA PETRALHOBRAS.

Intromissão do Estado via legislação na vida privada, os detalhes mais insignificantes se tornam pauta, entram na agenda, principalmente para se avançar a agenda progressista à la ONU. Tudo passa ser ser definido via legislação, via lobby e grupos de pressão.

O Estado se agiganta, a sociedade se torna refém dos partidos Marxistas e do Socialismo Fabiano (capicomunismo).

Estado Babá, bem se viu na eleição a fraude eleitoral do bolsa-compra-de-voltos.

Empoderamento de grupos "sovietes", comprometidos com o partidão. É tanto direito, tanto Estado... que o desgraçado partidão se disfarça de "sociedade civil" e passa a representar a "sociedade". Nada mais do que uma justificativa "do tipo" democratização dos medyos. CENTRALISMO DEMOCRATICO desaforado.

Para o conservadorismo cristão PT e PSDB são LIXO!

Flavio Machado disse...

As condições de vida de nosso pais e do Ocidente nunca foi tão avançado. Se esta riqueza material levou ou não a derrocada que a religião cristã vem sofrendo, aí é outro debate.
Sobre patriarcado familiar, figura do "macho" provedor, nem comento....rssss
Sobre corrupção em empresa pública ou mau uso.de dinheiro público, não há fundamento para se reclamar do welfare state, pq corrupção sempre houve, e mau uso do dinheiro dos impostos, isso já existia até nos antigos impérios. Não confunda alhos com bugalhos....a corrupção é generalizada no Brasil por causa do Estado de bem estar? E Suécia, França, Suiça, Alemanha, que arrecadam proporcionalmente mais que o Brasil, pq a corrupção é insignificante? Ora, são os modelos de Welfare State que os demais países buscam igualar.
Ora, a corrupção e a tomada do poder de grupos anti patriotas deve-se a franqueza institucional do Estado brasileiro, que tem de se garantir pelo autoritarismo, historicamente, com regimes militares, governos autoritários ou coalizões para não cair na bagunça generalizada, como vemos na nossa Nova República. Falta um marco regulatório independente e bem estabelecido, como tem várias nações européias, com aceitação tácita e com mecanismos de promoção do cumprimento do mesmo.
E estado de bem estar não se pressupõe empresas públicas Ad eternum.....elas tem uma função/necessidade histórica no desenvolvimento capitalista. Com o tempo podem ser eliminadas. Caso de Banco do Brasil, Br Distribuidora, Correios, Furnas, etc. Já a Petrobras é um mal necessário, cuida de um comoditie fundamental e de interesse mundial. Falta transparência.
Precisamos avançar na qualidade do serviço público brasileiro, que é o que pode reduzir desigualdades ou fazer superar a miséria crônica de algumas regiões, além de criar um colchão de redução de conflitos sociais. Realmente voltar ao século XIX, sem previdência para os idosos, sem uma rede ampla de rede de hospitais, sem escolas para os pobres, e sem acesso ao mercado de trabalho às mulheres que assim desejarem, é uma opção que realmente alguém quer? Se sim, aliste-se no Exército, pois macho alfa precisa ser bom na espada, venda seu carro a prazo e ande de charrete, saia da internet e viva como um colono.....apenas uma dessas opções.....e ainda reze para que não caia no desfavor de um senhor feudal que é dono não só da sua terra, mas da sua vida.
Ah, defenda ainda o livre mercado...só antes estude melhor os fundamentos filosóficos deste: teoria da divisão internacional do trabalho, utilitarismo filosófico e imperialismo histórico (fruto primevo do darwinismo social), e a Lei das Terras inglesas, primeira lei baseada no Laissez-faire de Adam Smith. Ah, e o paraíso do livre mercado, os EUA protestantes são o pais com mais processos na OMC por dumping e barreiras comerciais.

Thiago disse...

Ao Mister Esquerdista, desejo um bom impeachment pra vossa "gerentona" Guerrilheira.

Espero que vosso desejo seja atendido e que o Brasil quebre no well assim como a Grécia e demais países em recessão da zona do Euro. Ah! Me desculpe, o Brasil já quebrou, não é mesmo (?) nem precisou produzir serviços públicos de qualidade.... pra quê se há um Foro faminto para alimentar.... q fome zero q nada so!? PT, o partido dos pobres: aqui você permanece pobre e ainda ganha de brinde inflação... que tal mais uma publucidadizinha superfaturada engana-trouxa pra maquiar a situação? É distribuição de perdas, PAC-TRÁS, ESTAG-DISTRIBUICAO.

Desejo que O Príncipe bolivariano chamado PT utilize de todas as artimanhas possíveis e inimagináveis para permanecer no poder! É vale tudo pela hegemonia! Oh majestade soberana da distribuição, que falte comida, água e energia, e que o Guru do Social crie a VAREJO-BRAS, e que nunca mais o imperialismo yankee roube a farinha da prateleira, a água da torneira e a energia da tomada! VIVA HUGO CHAVES! REZEMOS POR ELE! A comissão Teologia Bolivariana da Libertação (TBL) há de reescrever o Pai Nosso para adoração e gloria do líder máximo!

E ao frouxo do PSDB, desejo muitas décadas de capacho! Ser capacho é um dom, uma arte fina e elegante. Olha o Tucano aí gente! Só na tesoura! Unidos do Capacho!

Thiago disse...

Senhor Flávio,

Deixemos nossas desavenças de lado.

Olha só, analisemos de onde anda partindo ataques à moral cristã e aos cristãos praticantes. Tem partido que quer o nosso apoio só na hora da eleição, depois elegem o Evangelho como inimigo numero um.

Mesmo que discordemos um do outro em matéria de politica; pelo menos q um apóie o outro no que diz respeito a fé cristã.

Gosto de você como um irmao em Cristo. Que o Senhor Deus nos capacite para que lutemos contra tudo que se levante contra a Igreja do Senhor.

Temos mais a ganhar nos suportando do que mergulhados em contendas.

Um abraço (me desculpe se te ofendi).

Thiago disse...

Julio,

A mais nova mentira q anda circulando: q o ISIS seria cria do Putin com Assad e Iran. Q vergonha! (hahaha) vão mentir assim lá na casa de Noca.

Cada vez mais eu me inclino a apoiar o Putin

o mundo está se dividindo em dois polos:

Estados Unidos e União Europeia

Contra

Rússia, China e Foro (BRICS).

A única coisa positiva q o PT fez foi tirar o país do eixo Globalista.

Obama financia rebeldes Sírios para desestabilizar o regime pro Rússia e para a direita católica tupiniquim isso veio de maquiavélico Assad (!!!). Há todo um histórico CIA - terrorismo pra justificar invasões e gastos militares desde 1980 e a culpa de tudo sempre é da Rússia (!!!).

Vão mentir pra outro Otário, esse aqui já se aposentou.

Pesquisa e verá sobre o q estou falando.




Thiago disse...

Olha o Thiago Cortês aí gente! Chora cavaco!

"PT x PSDB: a falsa polarização"

http://blogs.gospelprime.com.br/descortes/pt-x-psdb-falsa-polarizacao/

Keoma Patrío da Silva disse...

Segundo Justino. Quem acredita na imortalidade da alma não é cristão.

Thiago disse...

Duas observações:

1

Defendo o PaleoConservadorismo, e com isso o isolacionismo. Os Neocos apoiam a intervenção militar externa.

O único acerto do PT em 12 anos foi retirar o Brasil do esquema Globalista, porém errou ao se alinhar ao eixo Moscow -Pequim. O ideal seria: neutralidade e foco em assuntos internos.

2

Keoma, existem argumentos para os dois pontos de vista. Agora, afirmar que não seja cristão quem não se mete em discussões e picuinhas teológicas é de doer. Estudei em colégio Adventista e sei que há questões em aberto. Amigo, aceitemos o mistério - te garanto que é mais inteligente do que a instalação de uma inquisição cismática. Te garanto que o Apostolo Paulo não dava provinhas com esta questão para os novos convertidos. Uma pessoa que não é fornada em teologia e que não está por dentro dos debates não será salva?


Thiago disse...

Admiro muito o trabalho de um colunista do Midia:

"A aceitação do mistério: uma questão de sanidade"

http://www.fabioblanco.com.br/a-aceitacao-do-misterio-uma-questao-de-sanidade/

Parabéns Fábio! Ótimo trabalho!