30 de janeiro de 2015

Hoje Jean Wyllys impede curso para pastores, amanhã mandará fechar igrejas


Hoje Jean Wyllys impede curso para pastores, amanhã mandará fechar igrejas

Joel Engel
A tentativa do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) de impedir um curso para pastores ministrado pelo ex-homossexual Claudemiro Ferreira é uma mostra absurda da ditadura ideológica que o parlamentar está disposto a impor caso mantenha sua influência sob o Governo.
O curso previsto para acontecer entre os dias 19 e 23 do presente mês foi interrompido pela Justiça após o parlamentar – homossexual assumido e principal opositor da cultura judaico-cristã no país – ter denunciado ao Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF) que o curso tratava a homossexualidade como “doença”.
Os palestrantes Airton Williams e Claudemiro Soares foram intimados pelo Ministério Público a comparecer no Núcleo de Enfrentamento a Discriminação durante o evento em Brasília. Contra eles, foi feita por Wyllys uma acusação sobre “charlatanismo”. Uma denúncia absurda, já que o tema do evento não tem qualquer perspectiva de ter discurso de intolerância ou homofobia.
Wyllys está agora disposto a tudo para impedir e influenciar nos trabalhos das igrejas cristãs. Talvez seja por isso que o parlamentar seja favorável ao ensino do islamismo nas escolas públicas do Brasil. Se as lideranças não reagirem agora ninguém poderá impedi-los de interromper outras reuniões para intimar pastores a depor.
O fato é que há movimentos querendo impedir que a verdade seja pregada no Brasil. O cartaz do evento dizia somente: “Homossexualismo: ajudando, biblicamente, a prevenir e tratar aqueles que desejam voltar ao padrão de Deus para sua sexualidade”. Agora é crime no Brasil ensinar que a homossexualidade é pecado? É justamente o que o deputado deseja, que a opinião contra a prática seja criminalizada, instaurando uma ditadura moral.
Wyllys, por exemplo, sente-se no direito de defender a prostituição como prática exemplar para a sociedade, inclusive apresentou um projeto para que as prostitutas tenham os mesmos direitos de trabalhadores comuns. Mas os cristãos não tem o direito de se posicionar contra a homossexualidade? Isso é revoltante. Mordaça, ditadura ideológica, autoritarismo e imposição é coisa de nazistas.
Não aceito ditadura ideológica, mordaça ou gueto, nem para mim nem para ninguém, nem para o crente nem para o ateu, nem para o heterossexual nem para o homossexual. Se qualquer pessoa tem o direito de defender o aborto, o uso de drogas, práticas criminosas, tem gente até favorável a pedofilia, e o Ministério Público não interfere, nós cristãos temos o direito de oferecer ajuda para homossexuais que queiram deixar essa prática.
O deputado gosta de acusar os cristãos de preconceituosos e fundamentalistas. Lenin quem disse: “Xingue-os do que você é, acuse-os do que você faz.” Wyllys é um oportunista que tenta  manter seu nome em alta as custas de perseguir e intimidar cristãos Brasil a fora.
Se nos calarmos agora, se os cristãos aceitarem essa imposição ideológica, devem estar preparados para verem pastores e padres sendo presos acusados de homofobia por pregar contra o pecado da prática homossexual em suas igrejas. Temos que dar uma resposta à altura a esse episódio.
O Ministério Público recuou na denúncia, decidiu arquivar o caso por não haver indício de discriminação após o depoimento de um dos palestrantes, que levou o promotor a conclusão óbvia: o curso é voltado para lideranças evangélicas interessadas em acolher homossexuais.
Nós cristãos precisamos aprender a enfrentar a apostasia e lutar contra a influência do mal na sociedade moderna. Precisamos nos posicionar em defesa do evangelho. Em Salmos 2:8 diz: “Pede-me, e te darei as nações como herança e os confins da terra como tua propriedade”. Deus está disposto a nos entregar essa nação, para que o mundo testemunhe da sua glória, mas precisamos estar dispostos a nos posicionar contra a apostasia, o pecado, a depravação moral, o anti-cristo.
O que se insinua é que as pessoas podem escolher agir por qualquer motivo, menos pela fé. Isso é puro preconceito, intolerância religiosa, perseguição, cristofobia, violação dos direitos humanos, dos direitos constitucionais que nos garantem a livre manifestação de culto. O cristão deve ser sal e luz para o mundo e deve apontar o temor do Senhor e seus mandamentos como dever de todo o homem (Eclesiastes 12:13).
Ateus tem o direito de se manifestar contra a fé, mas não de tentar impedir a manifestação de culto. Se aceitarmos essa imposição ideológica, em breve nossas escolas de obreiros e escolas bíblicas dominicais serão fiscalizadas por órgãos públicos para ter seu conteúdo aprovado.
Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

18 comentários :

Thiago disse...

Isso é um absurdo!

Os homossexuais têm direito à consciência religiosa. Se alguns deles crêem na Bíblia e querem prosseguir suas vidas como eunucos,o Jean irá obriga-los a terem uma vida sexual ativa?

Estão ferindo o direito a liberdade de consciência religiosa de ex-homossexuais (ou eunucos... como quiserem definir).

Caramba, até nas escolhas mais íntimas os LGBTS querem ditar regras.

Tem de ter mais cursos como este que capacitem pastores a tratar desta questão à Luz do Evangelho, dentro das limitações das legislação existente e do direito de escolha de homossexuais que queiram viver de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo; seja casando com sua esposa e iniciando uma nova família, seja em abstinência total do sexo.

Politica sem Medo disse...

Mas caro Julio Severo, esse meliante tem poder para impedir esse curso? Impedir cursos nao cabem ao parlamentar. Se fosse assim por que eles nao impediram os muculmanos de criar uma sede de Estudos do Isla la em Brasilia? Ou isto esta dentro das intencoes desses "soviets". Espero que nao porque ja temos terroristas demais no pais e nao precisamos de estrangeiros. Quanto ao curso desse gay arrependido e que quer ajudar aos outros a voltar as praticas cristas da sexualidade, como manda a Palavra de Deus deve ter sim o direito de prosseguir.

Woshington Ribeiro da Silva disse...

"Deus usou um jumento, para falar, ele impondo o islamismo (também maldito), nas escola, será fuzilado. O islamismo não aceita o o doentes homossexuais. E por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos se esfriarar! Mat. 24:12

Thiago disse...

Correção (o espRito do Seu Creyson anda me perturbando hahaha):

Isso é um absurdo!

Os homossexuais têm direito à consciência religiosa. Se alguns deles crêem na Bíblia e querem prosseguir suas vidas como eunucos, o senhor Jean poderá obrigá-los a ter uma vida sexual ativa?

Estão ferindo o direito a liberdade de consciência religiosa de ex-homossexuais (ou eunucos... como quiserem definir).

Caramba, até nas escolhas mais íntimas os LGBTs querem ditar regras.

Seria bom se existissem mais cursos como este, que capacitem pastores para tratar desta questão à Luz do Evangelho, dentro das limitações da legislação existente e do direito de escolha de homossexuais que queiram viver de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo; seja constituindo família, ou em abstinência total do sexo.

( ficou cRaro?) Hahaha...

Juarez disse...

Se o deputado Jean Wyllys não quiser se arrepender enquanto há tempo, ele mesmo será o ator principal deste filme após a morte:

JEAN WYLLYS NO JUÍZO FINAL

O deputado Jean Wyllys morreu e foi direto para o inferno. Depois de ter passado muitos séculos sofrendo nas mãos do diabo e dos demônios (e finalmente descobrir que foi enganado por eles), chega finalmente o dia do seu julgamento. Era o momento que ele mais temia: estar diante de Jesus!

Jean Wyllys está cabisbaixo! Não tem coragem de encarar Jesus! E, então, o diálogo começa:

— Jean, — diz Jesus, com voz mansa — Eu dei Minha vida na cruz por amor a você! Eu morri pelos seus pecados! Por que você preferiu continuar fazendo uma coisa que Eu condeno (o homossexualismo)?
— Senhor, — balbucia Jean, quase chorando — eu nunca imaginava que o meu final seria este. Muitos evangélicos (que eu chamava de homofóbicos e fundamentalistas) me falavam que eu precisava me arrepender antes da morte, mas eu não acreditei. Agora eu vejo que eles estavam falando a verdade. Por favor, Senhor, me dê outra chance!
— Jean, — Jesus fala agora num tom enérgico — Minha Palavra é bem clara: após a morte, vem o juízo (Hebreus 9:27). Muitos servos Meus (que você chamou de homofóbicos e fundamentalistas) te falaram que Eu perdôo (e também salvo) aqueles que Me aceitam como Salvador, se arrependem dos seus pecados, e obedecem à Minha Palavra. Você teve uma vida inteira para se converter. Mas, ao invés disso, você preferiu continuar vivendo na prática do pecado. Por que Eu deveria lhe dar uma segunda chance?
— Senhor, — diz Jean num tom de lamúria — Tu mesmo disseste que Tu és amor. E que Tu não fazes distinção de pessoas (inclusive os homossexuais).
— Jean, — respondeu Jesus — Eu sou amor, mas Eu também sou justiça. Eu amo o pecador, mas Eu condeno o pecado. É verdade que Eu não faço distinção de pessoas. Mas o que Eu realmente quis dizer com isso é que todo e qualquer pecador (inclusive o homossexual) que Me aceita como Salvador, se arrepende dos seus pecados, e se mantém obediente à Minha Palavra até à morte será salvo para a vida eterna. Se você pensa que Eu falei isso no sentido de aceitar qualquer um com seus pecados (e sem se arrepender), você cometeu um erro gravíssimo!
— Por que ninguém nunca me disse isso, Senhor?
— Jean, — diz Jesus — você nunca quis conhecer a verdade da Minha Palavra (que é contra o pecado)! Você só queria ouvir o que lhe agradava!
— Senhor, — suplica Jean — me perdoe por eu ter duvidado dos Teus servos!
— Jean, — diz Jesus num tom bem firme — Eu mesmo disse que quem rejeitar a Mim será julgado pela Minha Palavra (João 12:48). Você foi um dos que Me rejeitou. E a Minha Palavra também diz que todo aquele que não tiver o nome escrito no livro da vida será lançado no lago de fogo (Apocalipse 20:15)!

Chega o momento fatal. Jesus ordena ao anjo relator: "Abra o livro da vida e veja se o nome do deputado Jean Wyllys está escrito nele!"

Após folhear o livro da vida por horas, dias, semanas, meses, anos, décadas, séculos, e milênios procurando, o anjo finalmente diz: "Senhor, o nome dele, infelizmente, não consta aqui!"

Jesus, então, sentencia em voz alta: "DEPUTADO JEAN WYLLYS, VOCÊ ESTÁ CONDENADO AO LAGO DE FOGO POR TODA A ETERNIDADE!"

Ao ouvir isto, Jean Wyllys começa a gritar desesperado: "NÃO! POR FAVOR, NÃO! EU NÃO QUERO VOLTAR PARA AQUELE FOGO NOVAMENTE! SOCORRO! SENHOR, TENHA MISERICÓRDIA! SENHOR, EU TE ADORO! EU TE ACEITO COMO MEU SALVADOR E VOU TE SEGUIR! PERDÃO, SENHOR!"

Mas Jesus foi taxativo: "ENQUANTO VOCÊ AINDA ESTAVA NA TERRA, EU PODERIA SER SEU ADVOGADO! COMO VOCÊ ME REJEITOU, AGORA EU SEREI O SEU JUIZ! E QUE SE CUMPRA A SENTENÇA QUE EU PROFERI!"

O anjo, então, segura o deputado e o lança no lago de fogo, onde já estão outros homossexuais (que morreram sem se arrependerem)!

Será que o deputado Jean Wyllys quer ver para crer se isto é verdade? Quero ver se ele é corajoso o suficiente para enfrentar Jesus no dia do juízo final!

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

De acordo com o pensamento politicamente correto do governo (e dos homossexuais), ser homofóbico é:

– ser contra o homossexualismo (e dizer que o homossexualismo é pecado);

– não aceitar a agenda gay (nem a doutrinação gay para as nossas crianças);

– ser contra o casamento gay (e também contra as paradas gays);

– ser contra o kit gay nas escolas (e também ser contra a pedofilia);

– obedecer à Palavra de Deus (e dizer que o Deus ama o pecador, mas condena o pecado).

Se ser homofóbico significa ser tudo isto, então eu posso dizer com todas as letras (e com muito orgulho): eu sou homofóbico (com "H" maiúsculo).

Podem fazer qualquer lei ímpia que obrigue a todos (até mesmo com ameaças de morte) a aceitarem o homossexualismo, mas, ainda assim, eu JAMAIS IREI ME CURVAR AOS DESEJOS DO DIABO E DOS HOMOSSEXUAIS. Eu, como cristão, sempre prego (e sempre continuarei a pregar) contra o pecado. Nunca vou deixar de dizer que o homossexualismo é pecado (não estou nem aí para o que os homossexuais vão pensar de mim). Adoto comigo o mesmo lema dos antigos mártires da fé cristã: "Antes morrer do que pecar". Faço como disse o apóstolo Pedro:

"Importa antes obedecer a Deus do que aos homens" (Atos 5:29)

A lei de Deus é soberana, eterna, e imutável (nunca poderá ser mudada por nada, e nem por ninguém). Para Deus, pecado (seja qual for, inclusive o homossexualismo) é pecado sempre (e ponto final). A lei de Deus nunca irá se sujeitar (ou "se adaptar") aos tempos modernos ou ao "politicamente correto" do governo, dos homossexuais, dos abortistas, dos falsos profetas, e dos falsos evangelhos. A lei de Deus não foi feita para agradar aos homens (e nunca irá se sujeitar a homem nenhum). A respeito da lei de Deus, Jesus foi taxativo:

"Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. Pois em verdade Eu vos digo que, até que passem os Céus e a Terra, nenhum i ou til jamais passará da lei, sem que tudo se cumpra" (Mateus 5:17–18)

De uma coisa eu tenho plena e absoluta certeza: Jesus voltará um dia para julgar a todos (inclusive os homossexuais e seus cúmplices). O próprio Jesus garantiu isso na Sua Palavra:

"Não seles as palavras da profecia deste livro, pois o tempo está próximo. Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, que se suje ainda mais; e quem for justo, procure se manter justo; e quem é santo, continue a se santificar. Eis que Eu venho sem demora, e tenho Comigo o Meu galardão, para dar a cada um segundo a sua obra. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro. Bem–aventurados aqueles que lavam as suas vestes no sangue do Cordeiro, para que possam ter direito à árvore da vida e para que entrem na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os idólatras, os homicidas, os que se prostituem, e todo aquele que ama e pratica a mentira. Eu, Jesus, enviei o Meu anjo para vos testificar estas coisas nas igrejas; Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã" (Apocalipse 22:10–16)

Já preguei o evangelho para muitos homossexuais. Mas, como quase sempre acontece na maioria das vezes, eles não me deram ouvidos. Muitos me xingaram de fundamentalista, homofóbico, preconceituoso (e de outros nomes feios que eu nem vou publicar aqui, por uma questão de educação), enfim, me insultaram de tudo quanto é jeito.

Só sei de uma coisa: eu já fiz a minha parte (que é pregar contra o pecado). Estou com a minha consciência tranqüila (até porque eu já cumpri o meu dever de cristão). Se, mesmo assim, esses homossexuais não quiserem se converter, é problema única e exclusivamente deles. No dia do juízo final, será cada um por si diante de Deus na hora de prestar contas. É como alertou o apóstolo Paulo:

"Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:12)

Se os homossexuais e seus cúmplices quiserem ver para crer, depois não vai ter desculpa de falta de aviso!

Anônimo disse...

Eu li o cartaz do evento e lá dizia que o seminário era voltado para quem deseja. Então podemos entender que, quem deseja mudar seu comportamento (que para mim não há nenhuma prova científica que o ser humano nasce homossexual) pode participar. Fala-se que ser gay não é doença. Ora, se não é doença porque esse alarde todo para impedir alguém que, por livre vontade, deseja mudar tal comportamento? O ser humano não tem direito ao livre arbítrio, algo respeitado até pelo próprio Deus? Outra coisa: é importante lembrarmos que certos segmentos são muito mais intolerantes do que os cristãos. E se o ativista Jean Wyllys defende a disseminação dos ensinamentos destes segmentos, pode estar dando um tiro no próprio pé.

Leandro disse...

Essa semana, a Assembleia Nacional (em Portugal) rejeitou, pela quarta vez, um projeto que permite a adoção de crianças por duplas gays.

No Brasil, esse projeto nem foi necessário, porque apenas o reconhecimento civil das duplas (ao que não temos nada a opor, pois apenas garante algumas formalidades que não podem ser negadas a qualquer cidadão) foi o suficiente para cartórios serem instruídos a oficializarem uniões públicas - conforme o critério de cada juiz - e sendo duplas reconhecidas civilmente poderem fazer adoções de crianças sob a justificativa de que há poucos casais interessados.
Nos Estados Unidos, os juízes estão pedindo demissão do cargo em estados com casamento homossexual legalizado. Mas aqui parece que ninguém quer perder o emprego.

Existe toda uma campanha que visa convencer a sociedade (e os próprios cristãos) que uma negativa em reconhecer a agenda LGBT não é um ato de convicção pessoal, e sim um ato ofensivo. Portanto, é sempre uma questão delicada, em que devemos saber que cada ato, por mínimo que seja, terá observadores atentos e preparados para uma agressão como essa patrocinada pelo deputado Wyllis.

PS: parece ter sido um problema de desatualização do deputado Wyllis apontar que o evento intra-evangélico estaria a prometer a uma 'cura' (na realidade, sei que a bancada está muito bem municiada a respeito de não tratar como doença, o que aliás não seria correto do ponto de vista bíblico).

A propósito, uma sugestão seria fazer um seminário voltado às igrejas de como lidar com dementes como Wyllis.

Mirian Portugal disse...

Roteiro interessante

ELISEU disse...

Apesar de não atacarmos física ou verbalmente os homossexuais, somos constantemente atacados por eles simplesmente por não aceitarmos o que eles fazem. Para que todos daqui tenham uma idéia do ódio que os homossexuais têm dos cristãos, este mesmo deputado (Jean Wyllys) censurou um cidadão (Carlos Vendramini) pelo Twitter simplesmente porque o mesmo cidadão se manifestou contra o PLC 122, o "kit gay", e o homossexualismo. E o próprio Jean Wyllys ainda teve o despeito de dizer que os cristãos são homofóbicos, fundamentalistas, preconceituosos, e que iria tomar providências contra os seus "inimigos" (não só os cristãos, como também todas as demais pessoas que são contra o homossexualismo).

Eu pergunto: a liberdade de expressão é permitida somente aos homossexuais? E para os cristãos e para as pessoas que são contra o homossexualismo, não pode haver liberdade de expressão? Que justiça é essa de 2 pesos e 2 medidas (tudo para os homossexuais, e nada para os cristãos e para os que são contra o homossexualismo)? Por acaso os homossexuais são tão especiais (ou tão privilegiados), para só eles terem todo e qualquer tipo de direito?

Caso o deputado Jean Wyllys e os homossexuais estejam esquecidos, faço questão de relembrar a eles o que a Constituição Federal diz sobre a liberdade de expressão. Leiamos:

– Artigo 5º, inciso IV: "É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato"

Eu sou livre para dizer o que eu quero. E eu aproveito a minha liberdade para dizer ao deputado Jean Wyllys e aos homossexuais com todas as letras: SOU CONTRA O HOMOSSEXUALISMO E CONTRA TODA E QUALQUER LEI A FAVOR DOS HOMOSSEXUAIS! Sinto muito se ele e os homossexuais se sentiram ofendidos, mas eu penso assim (eles aceitem se quiserem)! Eles podem até me chamar de homofóbico, fundamentalista, e preconceituoso (ou de qualquer outra coisa), mas eu não estou nem aí para o ódio que eles vão sentir da minha pessoa! Minha opinião é esta: sou contra o homossexualismo (e ponto final)! E não vai ter nada nem ninguém que me faça mudar de opinião!

- Artigo 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Ninguém jamais vai me obrigar a deixar de crer em Deus e na Sua Palavra. Eu creio e obedeço ao que Ele me ordena. Se os homossexuais não quiserem concordar com o que eu penso (ou se eles não quiserem se arrepender, e nem aceitar o que a Bíblia diz sobre o homossexualismo), é um direito que eles têm. Porém, me obrigar a mudar meu ponto de vista só porque eles querem que eu ache certo uma coisa que é biblicamente errada, isso eu NUNCA vou fazer. Não abro mão dos meus princípios para agradar a ninguém (principalmente os homossexuais). Eu obedeço ao que a Bíblia diz:

"Importa antes obedecer a Deus do que aos homens" (Atos 5:29)

Se eu tiver que ser preso ou morrer pela verdade da Palavra de Deus, eu aceito com muito prazer a prisão ou a morte (até porque eu confio no Deus em quem eu creio). E digo mais: não tenho nenhum medo de ser preso ou de morrer, porque o Senhor Jesus, na Sua Palavra, garantiu aos Seus servos:

"Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida" (Apocalipse 2:10)

Se o deputado Jean Wyllys e os homossexuais não quiserem se arrepender enquanto ainda têm tempo, é problema única e exclusivamente deles. No dia do juízo final, eles não vão poder dizer que não foram avisados! E aí já será tarde demais para o arrependimento!

Será que eles querem pagar pra ver se a justiça de Deus é verdadeira ou não?

Hélio Bandeira disse...

E este ser imundo e doente, disse que apoiaria o islã numa matança aos cristãos. Sera que esta besta sabe que o islamismo odeia homossexuais? Sera que este ser desprezível e oportunista sebe que Marx, Engels, Stalin, Chê, Fidel e etc, odiavam, zombavam, perseguiam e tinham nojo de homossexuais? Sera que as lideranças corruptas do PT sabem disso? Esta mente doentia chamada Jean Wyllys deveria ser interditado e mandado para à Sibéria para nunca mais voltar.
P.S. Não combato homossexuais combato essa desgraça chamada homossexualismo.
Fiquem na Paz.

Everaldo disse...

Respondendo ao Hélio Bandeira,

Hélio,

Os homossexuais não seriam ingênuos a ponto de comprar briga com essas pessoas (islâmicos e muçulmanos)! Além disso, os homossexuais sabem muito que os países islâmicos e muçulmanos adotam a política de tolerância zero ao homossexualismo! Em outras palavras: nesses mesmos países, os homossexuais são mortos sem nenhuma compaixão!

Só para relembrar: Mahmoud Ahmadinejad (o presidente do Irã) é amigo pessoal do ex–presidente Lula. Lá no Irã, os homossexuais são condenados à morte na forca! Foi por isso que os homossexuais não fizeram nenhum protesto quando Ahmadinejad esteve aqui no Brasil (e nem o chamaram de homofóbico, fundamentalista, e preconceituoso)! Se fizessem isso, com certeza seriam imediatamente mortos!

Como, aqui no Brasil, os cristãos não agem da mesma forma violenta que os islâmicos ou muçulmanos, então os homossexuais se aproveitam dessa aparente "bondade" dos cristãos para ofender, agredir, ameaçar, atacar, e intimidar a todos.

Os homossexuais são assim: rugem como leões ferozes contra os que são pacíficos (no caso, os cristãos), mas ficam mansinhos como frágeis cachorrinhos de madame quando sabem que não podem enfrentar de igual para igual alguém mais poderoso que eles (islâmicos e muçulmanos)!

Cicero disse...

Esse Jean Wyllys é o maior exemplo de preconceito, discriminação, intolerância, perseguição e ódio ao próximo. Uma excrescência pútrida em nossa sociedade democrática com liberdade de pensamento e expressão (será ainda??).

Tobias disse...

Quem esse tal de Jean Wyllys pensa que é para querer calar os cristãos? Que moral esse sujeito tem para dizer que opinião cada um deve ter sobre determinados assuntos?

Eu digo sem medo: O HOMOSSEXUALISMO É UMA ABERRAÇÃO, UMA IMORALIDADE, UMA BLASFÊMIA CONTRA DEUS! QUEM NÃO SE ARREPENDER DESTE PECADO (E DE OUTROS) VAI PARA O INFERNO APÓS A MORTE!

Que ele me chame de homofóbico, fundamentalista, preconceituoso, enfim, que ele me insulte do jeito que ele quiser! Mas eu não me importo nem um pouco. Meu compromisso é com a obediência à Palavra de Deus (e não com pessoas corruptas).

Quero ver se ele vai ser corajoso o suficiente para dizer a Jesus: "Vou mandar fechar a Sua igreja, porque o pessoal de lá diz que homossexualismo é pecado!"

Se ele conseguir passar por cima da autoridade de Jesus e ficar impune, eu deixo de ser cristão e volto para a sujeira do mundo.

Será que o deputado Jean Wyllys é corajoso o bastante para aceitar este desafio?

Hélio Bandeira disse...

Julio meu querido, me responde o seguinte: O "santíssimo"pastor Renato Vargens manifestou publicamente algum repúdio sobre a ida do Jean Wyllys a "santíssima" universssidade Mackenzie?

Julio Severo disse...

A especialidade do Vargens, Hélio, é atacar questões apenas no quintal dos outros, nunca no quintal deles. Mas pode ter certeza de que se o Wyllys for a uma faculdade pentecostal, o Vargens vai colocar a boca no trombone!

Hélio Bandeira disse...

Coisas típicas de covardes. Júlio, mudando um pouco o tema: o Vargens por acaso disse para o seu ídolo Renato Russo: Renato o pecado veio cobrar a sua conta? Como disse se gloriando da morte da Amy Winehouse?

Hélio Bandeira disse...

Everaldo, muito boa e oportuna sua observação. É como diz um velho ditado: formiga sabe que roça come. Um abraço.