9 de dezembro de 2014

Questões judaicas: um esclarecimento aos cristãos sobre sua percepção dos judeus


Questões judaicas: um esclarecimento aos cristãos sobre sua percepção dos judeus

Degolações, crucificações, Inquisição, Cruzadas, pogroms, cuspes e socialismo

Julio Severo
De vez em quando, recebo cobranças de cristãos, que me dizem que destaco a perseguição dos muçulmanos aos cristãos no Oriente Médio, mas nunca menciono como os judeus também perseguem os cristãos.
É verdade, nunca publiquei um único texto sobre judeus em Israel degolando e crucificando cristãos. Por outro lado, já publiquei muitos artigos sobre muçulmanos cometendo essas atrocidades.
A razão disso não é omissão nem alguma tentativa de esconder supostas degolações e crucificações que judeus estariam cometendo contra os cristãos.
A razão é simples: essas atrocidades contra os cristãos nunca são perpetradas por judeus — a não ser que você queira comparar uma cusparada com degolações e crucificações.
Sim, os judeus ortodoxos — uma minoria em Israel que realmente pratica o judaísmo — tem desprezo pelos cristãos, e manifestam esse desprezo cuspindo. É um ato desagradável, mas muito longe de degolações e crucificações.
A sociedade israelense não é dominada pelos judeus ortodoxos. Além disso, assim como ocorre na Cristandade, o judaísmo tem várias correntes: liberal, moderada, ortodoxa, ultra-ortodoxa. Mesmo assim, não há degoladores nem crucificadores entre eles. Há os cuspadores…
Qual a razão dos cuspes e desprezos? Muitos deles se ressentem da Inquisição e das Cruzadas, que trucidaram muitos judeus. Mas eles não distinguem entre os cristãos, achando que todos os cristãos são responsáveis pela Inquisição e pelas Cruzadas, quando na realidade quem começou e terminou tudo isso foi só a Igreja Católica.
Na mente deles, os atos da Igreja Católica contra os judeus são atos de todas as igrejas cristãs. É uma percepção errada. Mesmo com essa percepção errada, eles não degolam nem crucificam cristãos em retaliação à Inquisição e às Cruzadas.
Entretanto, não é só os judeus que têm uma percepção errada. Os cristãos que amam Israel às vezes exageram no seu amor adorando tudo o que se faz em Israel. Num culto numa grande igreja em Brasília ouvi um pastor pregando sobre as (supostas) maravilhas dos kibutzes — fazendas coletivas onde todos comem em refeitório comunitário e as crianças são criadas em creches comunais. Os kibutzes não têm origem na Bíblia. Sua origem são judeus europeus socialistas que se estabeleceram em Israel no começo do século XX.
Sim, há socialismo em Israel. O único país do Oriente Médio que tem aborto legalizado e paradas gays é Israel.
O alistamento militar israelense é obrigatório para homens e mulheres. Enquanto nos EUA os conservadores lutavam há anos para impedir suas forças armadas de alistarem mulheres para combates, Israel segue esse modelo socialista há anos.
O amor israelense pelo socialismo também é desprezado pelos judeus ortodoxos. Aliás, esse amor israelense pelo socialismo é muitas vezes usado pelos seus inimigos para pintar os judeus como maus.
No Brasil, os judeus, excetuando os ortodoxos, são apoiadores tradicionais da esquerda, inclusive do PT. Nos Estados Unidos, a vasta maioria dos judeus apoia o partido de Obama — um partido que está sempre na contramão dos interesses de Israel e dos verdadeiros cristãos.
Como se explica o amor dos judeus pelo socialismo? Por Karl Marx ter sido judeu?
Uma das explicações pode estar na Rússia dos tempos dos czares. Na segunda metade do século XIX e começo do século XX, o czar sancionou leis contra os judeus, estabelecendo os infames pogroms — ataques violentos aos judeus e suas propriedades.
Esses ataques tinham o apoio de líderes ligados à Igreja Ortodoxa, que não estava agindo diferente da Inquisição e Cruzadas de sua irmã, a Igreja Católica.
Diante da perseguição extrema do governo czarista, os judeus russos só tinham duas opções: 1. Fugir para os EUA (que era a maior nação protestante do mundo). Fugir para uma Europa sob influência católica não estava nos planos deles. 2. Resistir e lutar.
Para os que não fugiram para os EUA, a resistência escolhida foi apoiar os movimentos marxistas, que deram origem à União Soviética. Os inimigos dos judeus usam esse episódio para tentar retratar os judeus como criadores desse império do mal, mas esse não foi o caso. Por uma questão de pura sobrevivência e para acabar com os pogroms, os judeus russos deram todo apoio à revolução comunista e à criação da União Soviética.
Se lhes fosse possível, eles também teriam apoiado alguma forma de resistência para escapar da Inquisição e das Cruzadas.
Os pogroms foram uma perseguição tão terrível que os judeus russos fizeram tudo ao seu alcance para dar um fim ao império do czar, até conseguindo ajuda de banqueiros americanos para financiar o nascimento da União Soviética. Mas a solução judaica, embora tenha começado com a intenção de salvar vidas, acabou demonstrando ser pior do que o problema. Criou um problema maior.
Fenômeno semelhante aconteceu na Alemanha do início da década de 1930. Com o comunismo ameaçando vencer nas eleições, até os pastores luteranos instruíram suas congregações a votar em Adolf Hitler como a única ‘salvação’ contra o comunismo. Mas a solução acabou ficando pior do que o problema, especialmente para os judeus, que sofreram o Holocausto. O desespero empurra os povos para ‘soluções’ mortais.
Verdade seja dita, na União Soviética os judeus puderam alcançar elevados postos no governo e no exército — algo que jamais aconteceria na Rússia ortodoxa ou na Europa católica. Mas o preço foi muito alto.
Os inimigos dos judeus têm prazer em destacar a participação dos judeus no nascimento da União Soviética, mas convenientemente escondem as matanças que os judeus sofriam na Rússia ortodoxa. Esses inimigos são capazes de louvar a Inquisição e as Cruzadas sem mencionar o sofrimento e os massacres que os judeus sofriam.
O tradicional amor dos judeus pelo socialismo tem base então nesses fatores históricos e em sua luta de apoiar movimentos que os livrassem de intensas perseguições de regimes políticos ligados à Igreja Ortodoxa e à Igreja Católica.
Os judeus ortodoxos têm suas razões históricas para cuspir nos cristãos. Mas eles não percebem que suas questões são apenas com católicos e ortodoxos.
Por causa dessas questões históricas, Israel é hoje o único Estado no Oriente Médio onde socialismo e capitalismo estão perfeitamente casados.
Os que detestam os judeus por causa do socialismo não deveriam ignorar que eles apoiaram esse sistema por desespero e para sobreviver a perseguições atrozes de ‘cristãos’ que amavam mais a Inquisição, as Cruzadas e os pogroms do que Jesus Cristo.
Os que amam os judeus não deveriam apoiar os kibutzes nem o amor de muitos deles pelo socialismo.
Um dia os judeus ainda descobrirão que sua única salvação da Inquisição, das Cruzadas, dos pogroms, do antissemitismo e do ódio islâmico é o maior Judeu de todos os tempos — Jesus Cristo.
Diferente da ‘salvação’ socialista, a salvação de Jesus não tem efeitos colaterais mortais generalizados.
Os que conhecem a salvação desse Judeu precisam orar para que os judeus no mundo inteiro sejam libertos de suas ilusões com relação a uma ‘salvação’ socialista e ‘messias’ socialistas.
Leitura recomendada:

30 comentários :

Anônimo disse...

muito bom, júlio.

Anônimo disse...

minha familia e amigos sao compostos de varias religioes e minha frase pra eles quando vamos nos desentender e a seguinte`indole nao escolhe religiao´´e a cada dia isto me parece mais verdadeiro.....Silvia

Anônimo disse...

Thiago

Com este maravilhoso texto, que põe os pingos nos "is", você consegue separar o apoio a Israel dos erros ideológicos dos judeus "humanistas".

É preciso mais textos como este para " dar um chega pra lá " nos reformados progressistas, amantes do judaísmo comuna; e para combater a extrema-direita anti-judaica.

O bom-senso reinou em cada parágrafo, em uma cadência harmoniosa com o conservadorismo evangélico e a nossa aliança teológica eterna com Israel.

Este é o melhor texto que eu já li em toda minha vida, sobre as relações cristianismo-judaismo-politica na contemporaneidade.

Obs:

Mais uma profecia bíblica se realizando:

Conversão em massa de judeus.

O Messianismo Judaico cresce vertiginosamente em Israel.

http://www.libertar.in/2014/12/numero-recorde-de-judeus-convertidos.html?m=1

Peço que reflitam sobre esta passagem de Hebreus 11:1-15;


"1 Pergunto, pois: Acaso Deus rejeitou o seu povo? De maneira nenhuma! Eu mesmo sou israelita, descendente de Abraão, da tribo de Benjamim.
2 Deus não rejeitou o seu povo, o qual de antemão conheceu. Ou vocês não sabem como Elias clamou a Deus contra Israel, conforme diz a Escritura?
3 “Senhor, mataram os teus profetas e derrubaram os teus altares; sou o único que sobrou, e agora estão procurando matar-me.” [68]
4 E qual foi a resposta divina? “Reservei para mim sete mil homens que não dobraram os joelhos diante de Baal.” [69]
5 Assim, hoje também há um remanescente escolhido pela graça.
6 E, se é pela graça, já não é mais pelas obras; se fosse, a graça já não seria graça. [70]
7 Que dizer então? Israel não conseguiu aquilo que tanto buscava, mas os eleitos o obtiveram. Os demais foram endurecidos,
8 como está escrito: “Deus lhes deu um espírito de atordoamento, olhos para não vere ouvidos para não ouvir, até o dia de hoje” [71].
9 E Davi diz: Que a mesa deles se transforme em laço e armadilha, pedra de tropeço e retribuição para eles.
10 Escureçam-se os seus olhos, para que não consigam ver, e suas costas fiquem encurvadas para sempre[72].
11 Novamente pergunto: Acaso tropeçaram para que ficassem caídos? De maneira nenhuma! Ao contrário, por causa da transgressão deles, veio salvação para os gentios, para provocar ciúme em Israel.
12 Mas se a transgressão deles significa riqueza para o mundo, e o seu fracasso, riqueza para os gentios, quanto mais significará a sua plenitude!
13 Estou falando a vocês, gentios. Visto que sou apóstolo para os gentios, exalto o meu ministério,
14 na esperança de que de alguma forma possa provocar ciúme em meu próprio povo e salvar alguns deles.
15 Pois se a rejeição deles é a reconciliação do mundo, o que será a sua aceitação, senão vida dentre os mortos?"

RELEIAM O ÚLTIMO VERSÍCULO...

É IMPRESSIONANTE!

O SENHOR JESUS ESTÁ ÀS PORTAS! VAMOS COLOCAR A NOSSA VIDA NO ALTAR, ORAR, JEJUAR, CONGREGAR... Você vai querer ficar aqui na grande tribulação? E mesmo que esta demore, vai querer arriscar passar a ETERNIDADE no CASTIGO QUE FOI PREPARADO PARA SATANÁS E OS SEUS DEMÔNIOS?

É HORA DE VIGIAR E ORAR!

ACORDA TU QUE DORMES!

Anônimo disse...

Thiago


Texto para reflexão:

Isaias 44:9-20


"9 Todos os que fazem imagens nada são, e as coisas que estimam são sem valor. As suas testemunhas nada vêem e nada sabem, para que sejam envergonhados.
10 Quem é que modela um deus e funde uma imagem, que de nada lhe serve?
11 Todos os seus companheiros serão envergonhados; pois os artesãos não passam de homens. Que todos eles se ajuntem e declarem sua posição; eles serão lançados ao pavor e à vergonha.
12 O ferreiro apanha uma ferramenta e trabalha com ela nas brasas; modela um ídolo com martelos, forja-o com a força do braço. Ele sente fome e perde a força; passa sede e desfalece.
13 O carpinteiro mede a madeira com uma linha e faz um esboço com um traçador; ele o modela toscamente com formões e o marca com compassos. Ele o faz na forma de homem, de um homem em toda a sua beleza, para que habite num santuário.
14 Ele derruba cedros, talvez apanhe um cipreste, ou ainda um carvalho. Ele o deixou crescer entre as árvores da floresta, ou plantou um pinheiro, e a chuva o fez crescer.
15 É combustível usado para queimar; um pouco disso ele apanha e se aquece, acende um fogo e assa um pão. Mas também modela um deus e o adora; faz uma imagem e se curva diante dela.
16 Metade da madeira ele queima no fogo; sobre ela ele prepara sua refeição, assa a carne e come sua porção. Ele também se aquece e diz: “Ah! Estou aquecido; estou vendo o fogo”.
17 Do restante ele faz um deus, seu ídolo; inclina-se diante dele e o adora. Ora a ele e diz: “Salva-me; tu és o meu deus”.
18 Eles nada sabem, nada entendem; seus olhos estão tapados, não conseguem ver, e suas mentes estão fechadas, não conseguem entender.
19 Ninguém pára para pensar, ninguém tem o conhecimento ou o entendimento para dizer: “Metade dela usei como combustível; até mesmo assei pão sobre suas brasas, assei carne e comi. Faria eu algo repugnante com o que sobrou? Iria eu ajoelhar-me diante de um pedaço de madeira?”
20 Ele se alimenta de cinzas, um coração iludido o desvia; ele é incapaz de salvar a si mesmo ou de dizer: “Esta coisa na minha mão direita não é uma mentira?”"

Anônimo disse...

É isso ai, Julio Severo. Fazendo o trabalho para ganhar o seu dinheiro de grupos sionistas.

O Julio Severo sabe muito bem o que acontece com as pessoas que trabalham para grupos sionistas: Quando eles não precisarem mais de você Julio, os sionistas não pensaram duas vezes em eliminá-lo.

Acorde Julio.

Benjamin Netanyahu já disse que considera os cristãos como escoria (e ele estava se referindo aos protestantes) e quando chegar o momento vai se livrar totalmente dos mesmos.

Thiago disse...

ANTISSEMITISMO É COISA DE:


FASCISTA

OU

COMUNISTA

OU

ISLAMITA

Thiago disse...

Observação:

Quando digo COMUNISTA, me refiro aos Gramiscinianos e os da lina Frankfurtiana.

Daniela disse...

Vc esquece de uma coisa, Tiago. Durante muitos séculos a Igreja Católica não foi nadinha bonzinha com os judeus. Foi a principal máquina de anti-semitismo da Europa. E hoje vc pensa que o Vatino é mais aberto aos judeus do que ao seus inimigos islâmicos?

Thiago disse...

Daniela,

Se eu aceitasse a Tradição da Igreja Católica, seria católico.

Não sou católico justamente por que a tradição da Igreja entra muitas vezes em conflito com as Escrituras Sagradas.

Só seria Católico, se a Igreja voltasse, quem sabe, a doutrina de 1600-1200 anos atrás... Acredito que um protestante se sentiria confortável com o que a Igreja foi até o século VIII.

R. Vilhena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Não concordo, e não é certo, colocar como razoável um judeu desrespeitar um católico ou ortodoxo, até mesmo desrespeito aos muçulmanos, os 3 podem dar perfeitamente bem, tendo como princípio o respeito, e outra, quando mais divisões na igreja, mas abusos vão ser cometidos como "igrejas gays", que não visam a salvação dos homossexuais como todo mundo merece, e sim a justificação do ato homossexual. O desfecho de seguir a Cristo é justo, mas você nega que Católicos esconderam judeus em monastérios na segunda guerra. E embora que Lutero tenha falado de fato contra judeus de forma desrespeitosa, isto também não deve ser levado em consideração, já que evangélico e católico, embora tenham visões teológicas diferentes, não deixam de serem cristãos.

Sandro disse...

O fato de que bons católicos individuais esconderam judeus na segunda guerra mundial não isenta de culpa a instituição católica. O papa daquele tempo nunca instruiu suas instituições a salvar os judeus. Pelo contrário, há registros da Igreja Católica escondendo líderes nazistas e ajudando-os a fugir para o Brasil e Argentina.

Tânia disse...

Cuidado, Júlio, este R.Vilhena parece um neo-nazista disfarçado. Finge ser cristão,

Anônimo disse...

Tanto um quanto outro estão equivocados. A igreja católica ajudou judeus e nazistas na guerra grande passada porque ela não discrimina quem precisa de ajuda.

Anônimo disse...

Thiago

Amigo Vilhena,

O Julio só usou um pouco de proporcionalidade.

Compare a diferenca entre cuspir e ser morto degolado/queimado na fogueira. Mesmo que a atitude de cuspir seja altamente repreensível, não é um caso de polícia.

Vamos comparar:

O radicalismo judaico cospe nos seus inimigos;

O radicalismo cristão levou para a fogueira seus inimogos;

O radicalismo islâmico, degola e crucifica até hoja seus inimigos.

Amigo, toda religião tem seu grupinho de radicais. Mas o que importa se quisermos julgar com mais imparcialidade os fatos, é o quanto este radicalismo afeta outros membros da sociedade. Uma ofensa ou discordância é, em termos proporcionais, infinitamente menor do que uma perseguição sanguinária.

O cristão deve amar o seu próximo como a si mesmo. E o proximo é qualquer ser humano, até mesmo os seus inimigos, se no passado igrejas agiram de outra forma, foi em desobediência ao Evangelho, pois o Reino de Cristo não é deste mundo. Só o será quando Ele na sua ira e juizo, voltar. Aí sim, o Diabo será preso por mil anos e o mundo será julgado no Vale da Decisão.

A deficiência para os cristãos católicos e ortodoxos está em serem radicais nas doutrinas homens e desconhecer totalmente ou ignorar os ensinamentos no Novo Testamento. Vamos deixar as doutrinas dos homens prá lá para sermos radicais na doutrina de Cristo. Com isso o cristianismo cresceria e se fortaleceria perante os ataques de outras religiões.

Um abraço.

Anônimo disse...

CORRIGINDO


Thiago

Amigo Vilhena,

O Julio só usou um pouco de proporcionalidade.

Compare a diferenca entre cuspir e ser morto degolado/queimado na fogueira. Mesmo que a atitude de cuspir seja altamente repreensível, não é um caso de polícia.

Vamos comparar:

O radicalismo judaico cospe nos seus inimigos;

O radicalismo cristão levou para a fogueira seus inimigos;

O radicalismo islâmico, degola e crucifica até hoje seus inimigos.

Amigo, toda religião tem seu grupinho de radicais. Mas o que importa se quisermos julgar com mais imparcialidade os fatos, é o quanto este radicalismo afeta outros membros da sociedade. Uma ofensa ou discordância é, em termos proporcionais, infinitamente menor do que uma perseguição sanguinária.

O cristão deve amar o seu próximo como a si mesmo. E o proximo é qualquer ser humano, até mesmo os seus inimigos, se no passado igrejas agiram de outra forma, foi em desobediência ao Evangelho, pois o Reino de Cristo não é deste mundo. Só o será quando Ele na sua ira e juizo, voltar. Aí sim, o Diabo será preso por mil anos e o mundo será julgado no Vale da Decisão.

A deficiência para os cristãos católicos e ortodoxos está em serem radicais nas doutrinas homens e desconhecer totalmente ou ignorar os ensinamentos no Novo Testamento. Vamos deixar as doutrinas dos homens prá lá para sermos radicais na doutrina de Cristo. Com isso o cristianismo cresceria e se fortaleceria perante os ataques de outras religiões.

Um abraço.

Flavio disse...

Os judeus já reconheceram até papas como amigos, como papa pio, por exemplo. E os judeus foram nomeados pelo apóstolo Paulo como adeptos da sinagoga de satanás. Nos primeiros séculos do cristianismo os judeus perseguiam cristãos. E só 8% dos israelenses são fiéis ao judaísmo. É um país ateu e agnóstico.

Thiago disse...

Quero deixar bem claro que NÃO estou defendendo ANARQUIA política.

"Vamos deixar as doutrinas dos homens prá lá para sermos radicais na doutrina de Cristo."

Quando digo isso, é DEVEMOS SEGUIR O NOVO TESTAMENTO COMO UM TODO, DE MATEUS À APOCALIPSE, DE JESUS NOSSO SENHOR, PASSANDO POR TODOS OS APÓSTOLOS (E POR PAULO TAMBÉM). E também devemos nos inspirar no Antigo Testamento, mas sempre conscientes que estamos de baixo da Graça e não da Lei.

Rejeitar o princípio de autoridade é coisa de comunistazinho, com conversa de serpente, querendo se infiltrar na Igreja Cristã.

Nós devemos SIM nos submeter às autoridades constituídas por Deus, mas não podemos misturar a Igreja com o Estado, pois a visão de determinada igreja, seja lá qual for, será imposta a sociedade como um todo.

Isso não impede a POPULAÇÃO CRISTÃ de ser representada no Parlamento. E isso é constantemente negado por um sistema político enviesado (estratégia das tesouras), onde os gramiscinianos (PT) disputam com os socialistas fabianos (PSDB). Precisamos urgentemente de um grande partido conservador no Brasil.

OBS:

Vejam a vergonhosa e safada distorção que os anarquistas e comunistas promovem contra o Cristianismo:

http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-resist%C3%AAncia-pac%C3%ADfica-a-outra-side-com-tostoy-ghandi-e-o-anarquismo-crist%C3%A3o

Querem destruir o princípio de autoridade para implementar a anarquia e o comunismo utópico?

VÃO PRO QUINTO DOS ... PIIII!!!

RAÇA DE VÍBORAS!!!!

marcelo disse...

Haverá um remanescente judeu que se converterá dos seus maus caminhos no final dos tempos...mas a humanidade, de uma forma geral, está MORTA para Deus, inclusive eles.

Quem morre barbaramente ou quem morre de morte natural não tem vantagem alguma, disse o Senhor Jesus, quando perguntado sobre alguns que haviam morrido de forma terrível (Lc 13:1-5).

Ninguém têm quaisquer direitos perante Deus! Tudo o que merecemos é a morte, pois o "salário do pecado é a morte". Se o homem tem alguma esperança ou algum benefício, é fruto da GRAÇA DE DEUS, na pessoa de Jesus Cristo (o único justo).

Particularmente, eu dou graças a Deus por viver no Brasil e não debaixo do islamismo, ou do comunismo ou de outro regime tirano. O que posso fazer é orar para que Deus tenha misericórdia da humanidade de uma forma geral e continue nos dando liberdade de culto, mais nada.

Anônimo disse...

Thiago


Marcelo,

Gostaria de um dia conhecer pessoas tão inteligentes quanto você.


Emocionalmente é muito pesado ser um comhecedor da Palavra e entender esse mundo contemporâneo.


Me solidarizo profundamente com a tua aflição.

Um abraço amigo!

marcelo disse...

Amém!!!
Mas...sábio mesmo é o Senhor, nós não passamos de trapo de imundícia.
Se o Espírito de Deus nos deixar...coitados de nós!!!
Deus te abençoe, caro irmão Thiago!!!

Augusto Paiva disse...

PRIMEIRA PARTE DO MEU COMENTÁRIO:

Alguns judeus, não sei se talvez os do tipo cuspidor, mas cheios de contenda, alegam que o livro mais anti-semita do mundo não é o ''Protocolos dos Sábios de Sião'', forjado por Nicolau II da Rússia, ou o ''Mein Kampf'' de Adolf Hitler — este sim talvez o maior anti-semita declarado que a História já registrou —, mas sim o Novo Testamento, a revelação e palavra de Jesus Cristo, a Boa Nova. Isto é uma ignomínia. Só poderia ser coisa do revisionismo histórico. Mas faço algumas breves observações.

''Ahasvero'' é o nome simbólico do ''judeu errante''. Diz a tradição que Cristo, vergado sob a cruz, quis descansar um pouco diante da porta do judeu Ahasvero; este repeliu-o brutalmente. Jesus, então, para o castigar, disse-lhe: ''Serás errante sobre a Terra até que eu venha (segunda vinda de Jesus a Terra).'' Os grandes profetas (Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel) traçaram-lhe o destino: todos falam do cativeiro em Babilônia; do retorno da vida errante de todas as nações do mundo; do perdão de Deus e volta final à Palestina no fim dos tempos. Jeremias diz (24, 9; e 29, 18): — ''Persegui-lo-ei com a espada, a fome, a peste; dá-los-ei para servirem de comoção a todos os reinos da Terra, por maldição, opróbrio, escárnio, espanto, provérbio e assobio*, entre todas as nações para os lançar''. E em 31, 17: — E há esperanças, no derradeiro fim, para os teus descendentes, diz o Senhor, porque teus filhos voltarão para os seus termos''. (*Repare que nas palavras provérbio e assobio; há provérbios contra os judeus em vários povos; em português, por exemplo, quando alguém pisa no pé: ''Cuidado, o de cima é meu; o de baixo é de um judeu; nos países anti-sionistas, muita gente assobia quando passa na rua um judeu.)

Através dos séculos, as perseguições têm sido horríveis. Cumprem o destino que eles mesmos pediram, no dia do julgamento de Cristo, feito pelo representante de Roma: Pilatos. Este, lavando as mãos, disse: ''Estou inocente do sangue deste justo; julgai-o vós''. E todo o povo disse: — ''O seu sangue seja sobre nós e nossos filhos''. Pilatos pergunta antes, pois era Páscoa e era costume soltar um preso: — ''Quem quereis que vos solte? Barrabás (que era criminoso terrível), ou Jesus, chamado Cristo?'' E todos disseram: — ''Barrabás; Cristo seja crucificado'' (Mateus, 27: 21 a 25). Belezas do sufrágio universal, liberal, democrático, com votos a peso!

Augusto Paiva disse...

SEGUNDA PARTE DO MEU COMENTÁRIO:

E o sangue de Cristo continua a cair sobre os judeus, através dos séculos. Quanta crueldade, durante esta da Grande Guerra, contra este povo infeliz! Mataram 6 milhões de judeus. E até hoje estão à espera do Messias, profetizado, porque Cristo não foi o Messias segundo eles. Enfim, é um povo à parte, que não quer se misturar. Mas o seu destino é misturar-se com todos os povos do mundo. No Talmud, há um apólogo, que os anti-sionistas gostam de citar: ''Um dia, três gotas gotas de azeite quiseram entrar num grande pote de água. A água disse-lhes que não: — ''Não vos misturareis; ficareis no alto; e o pote ficará sujo, embora o lavemos depois.

Mas os anti-sionistas devem lembrar que o destino desse povo é diluir-se no mar da humanidade; de que no fim dos tempos, se converterá ao cristianismo (indiferente de qual seja a denominação - grifos meus) como predisse Paulo; de que ultimamente os norte-americanos cristãos que têm muito sangue judeu. Deus disse a Jacó: — ''A tua semente será como o pó da terra, e estender-se-á ao ocidente, e ao oriente, e ao norte, e ao sul, e em ti serão benditas todas as famílias da terra. E estou contigo, e te guardarei por onde fores, e te farei retornar a esta terra''. Trouxe do Egito, mais tarde, o povo israelita, que voltou guido por Moisés; predito pelos profetas bíblicos, trouxe-o do cativeiro de Babilônia; e há de trazê-lo, no fim dos tempos, para lá, depois de ter andado errante por todas as nações do mundo. É, então, depois lhe de perdoado seus pecados que Deus fará o segundo concerto. Já foi construído o Estado de Israel.

Como se vê, os israelitas estão espalhados por todas as nações, tendo-se misturado seu sangue com o de vários povos, sendo benditas todas as nações da terra. Até os anti-semitas devem ter sangue judeu. Alguns até dizem que o maior anti-semita que já houve, tinha sangue judeu. Oremos por Israel (Oséias 14, 1). P.S.: É impressionante! Assim como o fedor faz impregnar, Jonh Cornwell está no inconsciente dos detratores da Igreja Católica. Não sejais anistóricos nem ingratos.

Augusto Paiva disse...

Correção sobre a parte provérbio e assobio:''O de baixo é meu, o de cima é de um judeu.'' Eu me confundi e cometi alguns erros, como repetir palavras. Peço perdão. Deve ser o espaço pequeno para escrever, ainda mais com um comentário extenso. No mais, quero fazer só uns pequenos adendos.

Outra tradição: foi a maldição sobre aquele judeu que deu uma bofetada a Jesus. Há outros nomes dados ao judeu errante: ''Cartáphilo, Buttadeus, ou Buttedeiu e Laquedém.

Mas, lendo os livros de Moisés e dos Profetas, vê-se que o povo israelita era rebelde, violento, volúvel, irrequieta, mas frenético perquiridor da verdade divina; que cometia grandes pecados de inversão e perversão sexual, os quais Moisés frisa, com minúsculas rudes, claríssimas, para que não haja dúvida de interpretação no Levítico 18 e no Deuteronômio 27:23.

Vê-se que Moisés tem uma voz trovejante contra esses pecados, dizendo-lhes que não fizessem como os egípcios pecadores, como os homens anteriores ao Dilúvio e como os de Sodoma e Gomorra; que seguissem o monoteísmo; que eles repudiassem a idolatria, a usura e os vícios dos povos vizinhos, pois eles eram um povo escolhido, destinado a altas coisas.

Augusto Paiva disse...

ADENDO 2:

Fazem grandes ataques aos judeus, em todo o mundo, dizendo que eles perturbam os povos, na sua ânsia de formar o novo reino de Sião, que os profetas bíblicos prenunciam no fim dos tempos (mas a que os cristãos dão outro significado): são os banqueiros e os joalheiros do mundo (o medo do exílio, das perseguições, levou-os a juntar ouro e jóias, facilmente ocultáveis na roupa, nos saltos dos sapatos, nos fundos falsos das malas, dentro de sabonetes, etc., no caso de serem expulsos); são donos de vários jornais, ministrando assim idéias políticas e sociais dissolventes, para a ruína dos povos cristãos etc. Daí aquele estereótipo do avarento mão de vaca, que os próprios judeus, jocosos de si mesmos, repetem.

Mas são só os judeus que perturbam o mundo atual? O espírito cristão repele o ódio racial e o ódio religioso. Pela compreensão e pelo o amor, a humanidade terá um dia ''um só rebanho e um só pastor (João 10: 16)''.

Se todos os filhos de judeus se considerassem judeus, seriam, no mundo, talvez mais de 200 milhões. Uns têm culto da tradição religiosa mosaica; outros não, são livres pensadores e ateus, inclusive anti-sionistas e Anti-Israel. Prestam enormes desserviços para com Israel com os pecados que Moisés e Deus abominam.

Anônimo disse...

Thiago



MARCELO,

Não perca a fé amigo, eu já abandonei a fé uma vez na minha adolescência. Não Deixe que as desilusões desta vida te abata. Eu sei que você é ligadao em política. Busque sempre ao Senhor Deus, para que te fortaleça nos momentos de frustração.



AUGUSTO,

Muito bom o seu texto,

Devemos amar o judeu pois também é nosso próximo. O fato de a ira de Deus pesar sobre a sorte deles nestes dois mil anos não nos dá o direito de sermos antissemitas. Discordo também da tradição paralela deles (Talmud), pois entra em conflito com as Sagradas Escrituras (num nível bem mais grave do que qualquer tradição de outra igreja cristã), e é o grande obstáculo para que eles enxerguem Jesus como o Cristo. Mas assim como você, também os respeito. Lembrando o quê disse o Leony em outro comentário:


"Me estranha muito quem se diz cristão e que hostiliza os judeus. Alguns enxertados rejeitando a figueira."

Vejamos o seguinte trecho da Escritura, ROMANOS 11:15-21:


"15 Pois, se a rejeição deles é a reconciliação do mundo, o que será a sua aceitação, senão vida dentre os mortos?
16 Se é santa a parte da massa que é oferecida como primeiros frutos, toda a massa também o é; se a raiz é santa, os ramos também o serão.
17 Se alguns ramos foram cortados, e você, sendo oliveira brava, foi enxertado entre os outros e agora participa da seiva que vem da raiz da oliveira cultivada,
18 não se glorie contra esses ramos. Se o fizer, saiba que não é você quem sustenta a raiz, mas a raiz a você.
19 Então você dirá: "Os ramos foram cortados, para que eu fosse enxertado".
20 Está certo. Eles, porém, foram cortados devido à incredulidade, e você permanece pela fé. Não se orgulhe, mas tema.
21 Pois, se Deus não poupou os ramos naturais, também não poupará você."



OBS: PEÇO PERDÃO A TODOS POR UM ERRO NO COMENTÁRIO 3°, O LIVRO A QUE A PASSAGEM SE REFERE NÃO É HEBREUS, MAS SIM ROMANOS.

Augusto Paiva disse...

O que mais propaga o anti-semitismo hoje e sempre é o islã, que flagrantemente em seus sermões chama os judeus de porcos. Como disse o presidente da Turquia, Erdoğan, não existe essa de islã moderado e islã radical; islã é islã e ponto. Israel está dentro de um campo minado, rodeado por países muçulmanos e anti-semitas, que volta e meia, num surto revolucionário — e amparados pela esquerda —, gritam pela varredura do mapa do legítimo e consagrado Estado de Israel, atacando-o. Mas como o povo israelita é um bravo e resguardado senão por Deus, resiste heroicamente aos Golias que querem derrubá-lo, assim como os cristãos. Povos e nações inteiras foram dizimados ao transcorrer da história, mas o povo de Deus permanece, mesmo diante das piores perseguições atuais e já sofridas. Isso é a prova de que Deus é conosco. E se ele é por nós, quem será contra nós (Romanos 8; 32)? Os profetas são fidedigníssimos. Pois guardemos a palavra e vigiemos.A paz do Senhor, irmãos!

Anônimo disse...

Julio,

muito bom o seu texto. De fato, temos que perceber que na História da Humanidade existem vilões e mocinhos, assim como figuras que andam encima do muro e as massas, manipuladas pelo carisma dos lideres.

Mas os comentaristas foram quase unanimes em dizer que devemos amar o proximo, e acrescento que o destino da Terra está traçado em Apocalipse. Sabedor disto, que nós andemos com retidão, pois todos nos, protestantes, católicos, judeus, ateus e afins, iremos comparecer ao Tribunal do Senhor, prestar contas de nossos atos, palavras e pensamentos. Abraços!

Anônimo disse...

Muito bom o teu texto, Júlio. Esclarecedor.
Também fico tranquilo em apoiar a Terra de Israel sem ter de apoiar o governo atual que domina por lá (Maçom ou Illuminati por sinal).

Não somente eu, mas também a micronação que fundei (Ducado de Szarlonesia) apoia a Terra e o Povo de Iahweh, moralmente, incondicionalmente.

Wagner da Silva Lima disse...

Acho o texto simplista. Confere o apoio aos marxistas como desespero e sobrevivência do povo judeu devido ao pogroms. Viram é uma chance sim de acabar com a perseguição, é verdade, mas uma chance de vingança contra a cristãos católicos e de assumirem posição de poder. Então, se associar a ideologias e revoluções que retiram Deus da historia humana, como o materialismo histórico e a luta de classes era uma questão só de sobrevivência? Na verdade quem fez isto estava longe do próprio judaísmo.
Não sou contra judeu nenhum, mas Julio você está batizando os caras. Não faz sentido. É como para lutar pela liberdade de expressão de 1964 a 1985 no Brasil eu tivesse que aderir à luta armada. Virar um radical de esquerda revolucionaria marxista-leninista. A desculpa é a mesma. Eles erraram feio sim e pronto.