21 de dezembro de 2014

Por que o marxismo odeia o Cristianismo


Por que o marxismo odeia o Cristianismo

Eguinaldo Hélio Souza
                O marxismo autêntico sempre odiou e sempre odiará o cristianismo autêntico. Se não puder pervertê-lo, então terá que matá-lo. Sempre foi assim e sempre será assim.
E por que essa oposição manifestada ao cristianismo por parte do marxismo? Por que o ódio filosófico, a política anticristã, a ação assassina direcionada aos cristãos? Por que o país número um em perseguição ao cristianismo não é muçulmano e sim a comunista Coréia do Norte?
As pessoas se iludem quando pensam no marxismo como doutrina econômica ou política. Economia e política são meros pontos. Marx não acreditava ter apenas as resposta para os problemas econômicos. Acreditava ter todas as respostas para todos os problemas.
Marxismo na verdade é uma crença, uma visão de mundo, uma fé. O socialismo nada mais é do que a aplicação dessa fé por um governo totalitário. O comunismo, por sua vez, é apenas a escatologia marxista, o suposto mundo paradisíaco que brotaria de suas profecias.
                E esta fé não apresenta o caráter relativista de um hinduísmo ou de um budismo. Tendo nascido dos pressupostos cristãos, o marxismo roubou seus absolutos e se apresenta como a verdade absoluta, como o único caminho para redenção da humanidade. E ainda que tenha se apossado dos pressupostos cristãos, inverteu tais pressupostos tornando-se uma heresia anticristã.
                No lugar do teísmo o ateísmo, no lugar da Providência Divina o materialismo dialético. Ao invés de um ser criado à imagem e semelhança de Deus, um primata evoluído cuja essência é o trabalho, o homo economicus. O pecado é a propriedade privada, o efeito do pecado, simplesmente a opressão social. O instrumento coletivo para aplicar a redenção não é a Igreja, mas o proletariado, que através da ditadura de um Estado “redentor” conduziria o mundo a uma sociedade sem classes. E o resultado seria não os novos céus e a nova terra criados por Deus, mas o mundo comunista futuro, onde o Estado desaparecerá, as injustiças desaparecerão e todo conflito se transformará em harmonia. Está é  a fé marxista, um evangelho que não admite rival, pois assim como dois corpos não ocupam o mesmo espaço, duas  crenças igualmente salvadoras não podem ocupar o mesmo mundo, segundo o marxismo real.
                Sim, o comunismo de Marx era um evangelho, a salvação para todos os conflitos da existência, fosse o conflito entre homem e homem, homem e natureza, nações e nações. Assim lemos em seus Manuscritos de Paris:
“O comunismo é a abolição positiva da propriedade privada e por conseguinte da auto-alienação humana e, portanto, a reapropriação real da essência humana pelo e para o homem… É a solução genuína do antagonismo entre homem e natureza e entre homem e homem. Ele é a solução verdadeira da luta entre existência e essência, entre objetivação e auto-afirmação, entre liberdade e necessidade, entre indivíduo e espécie. É a solução do enigma da história e sabe que há de ser esta solução”.
                E como o marxismo nega qualquer transcendência, qualquer realidade além desta realidade, seu “paraíso” deve se realizar neste mundo por  meio do controle total. Não apenas o controle político e econômico, mas o controle social, ideológico, religioso. Não pode haver rivais. Não pode haver cristãos dizendo que há um Deus nos céus a quem pertencem todas as coisas e que realizou a salvação através da morte e ressurreição de Cristo. Não pode haver outra visão de mundo que não a marxista, não pode haver outra redenção senão aquela que será trazida pelo comunismo. O choque é inevitável.
                Está é a raiz do ódio marxista ao cristianismo. Seu absolutismo não permite concorrência.
                 David  H. Adeney foi alguém que viveu dentro da revolução maoísta (comunista) na  China. Ele  era um missionário britânico e pode ver bem de perto o choque entre marxismo e cristianismo no meio universitário, onde trabalhou. Chung Chi Pang, que prefaciou sua obra escreveu:
                “(...) a fé cristã e  o comunismo são ideologicamente incompatíveis. Assim, quando  alguém chega a uma crise vital de decisão entre os  dois, é inevitavelmente uma questão  de um ou outro (...) [o autor] tem experimentado  pessoalmente o que é viver sob  um sistema político com uma filosofia básica diametralmente oposta à fé  cristã”[1]
                Os marxistas convictos sabem da incompatibilidade entre sua crença e a fé cristã. Os cristãos ainda se iludem com uma possível amizade entre ambos. “... para Marx, de qualquer forma, a religião cristã é uma das mais imorais que há”. (Mclellan, op. Cit., p.54). E Lenin, que transformou a teoria marxista em política real, apenas seguiu seu guru:
            “A guerra contra quaisquer cristãos é para nós lei inabalável. Não cremos em postulados eternos de moral, e haveremos de desmascarar o embuste. A moral comunista é sinônimo de luta pelo robustecimento da  ditadura proletária”[2]  
Assim foi na China, na Rússia, na Coreia  do Norte e onde quer que a fé marxista  tenha chegado. Ela não tolerará o cristianismo, senão o suficiente para conquistar a hegemonia. Depois que a pena marxista apossar-se da espada, então essa espada se voltará contra qualquer pena que não reze conforme sua cartilha.
                Os ataques aos valores cristãos em nosso país não são fruto de um acidente de percurso. É apenas o velho ódio marxista ao cristianismo, manifestando-se no terreno das ideias e das discussões, e avançando no terreno da legislação e do discurso. O próximo passo pode ser a violência física simples e pura. Os métodos podem ter mudado, mas sua natureza é a mesma e, portanto, as conseqüências serão as mesmas.
                Se nós, cristãos, não fizermos nada, a história se repetirá, pois como alguém já disse, quem não conhece a história tende a repeti-la. E parece que mesmo quem a conhece tende a repeti-la quando foi sendo anestesiado pouco a pouco pelo monóxido de carbono marxista.
                Será que confirmaremos a máxima de Hegel, que afirmou que a “história ensina que não se aprende nada com ela”?
Leitura recomendada:
Outros artigos de Eguinaldo Hélio de Souza:
Um cristão deve ser antimarxista


[1] ADENEY, David. China: estudantes cristãos perante a revolução. Inter-Varsity Press, Downers Grove, Illinois, EUA, 1973.
[2] Citado  em Comunismo: Crítica doutrinária. Geraldo Bezerra de Menezes, São Paulo: IBRASA, 1978, p. 36.

12 comentários :

Wellington disse...

O autor deste artigo está de parabéns. Este artigo merece ser divulgado para o maior número possível de pessoas. Espero que continue escrevendo mais artigos contra o marxismo (e suas variações), porque, infelizmente, esta é uma praga que já infectou muitas igrejas ditas cristãs.

O desejo dos marxistas é a existência de uma sociedade (teoricamente) igual, onde, aparentemente, não há diferença entre as pessoas. Ou, como eles mesmos fazem questão de dizer com todas as letras, o ideal é ter "uma sociedade perfeita" (sem oprimidos nem opressores).

Na verdade, o que os marxistas realmente desejam é criar uma sociedade totalmente controlada, onde somente um (o sistema de governo) controla tudo e todos. Ninguém estará a salvo deste mesmo controle. Em outras palavras: o marxismo nada mais é do que uma "prévia" do futuro governo da NOM (Nova Ordem Mundial), no qual só poderá fazer parte da sociedade regida por este mesmo governo quem tiver a marca da besta. É como diz o livro de Apocalipse:

"E conseguiu fazer com que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, recebessem um sinal na mão direita ou na testa, para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão somente aquele que tiver o sinal, o nome da besta, ou o número do seu nome" (Apocalipse 13:16–17)

Alguém daqui ainda tem alguma dúvida quanto a isso?

Nivaldo disse...

Este artigo começa com uma pergunta bem direta:

"Por que o marxismo odeia o cristianismo?"

A resposta para este pergunta é muito simples: Karl Marx era um satanista. O próprio Marx deixou isso bem claro quando afirmou:

"Os vapores infernais se elevam e me enchem o cérebro, até que eu enlouqueça e meu coração seja
totalmente mudado. Vê esta espada? O príncipe das trevas a vendeu para mim... Desejo me vingar Daquele de lá de cima" (Marx)

Quem é o príncipe das trevas? O diabo. E de quem Marx deseja se vingar? Deus. O trecho acima é bem claro! São palavras ditas pelo próprio Marx! Só não entende ou não aceita quem não quiser! Como diz um ditado popular, "contra fatos, não há argumentos"

Para que ninguém não tenha mais nenhuma dúvida disso (de que Karl Marx era satanista), leiam aqui:

http://pabloodavid.byethost17.com/autores/Richard%20Wurmbrand/Richard%20Wurmbrand%20%20Era%20Karl%20Marx%20Um%20Satanista.pdf

Após isto, tirem suas conclusões!

Henoc disse...

O comunismo não é uma religião ateia, mas AUTOIDÓLATRA, pois se exalta e reprime quem exalta o Senhor Deus Criador de todas as coisas.
Quanto à questão de inexistir o Estado em certo ponto seria conto de fadas, pois o comunismo sendo uma doutrina satânica, sobrevive de chantagens e fraudes; então sempre haveria um Estado a comandar os outros, pois na linguagem por ex. da NOVILINGUA governo do proletariado é o Estado comunista e altos empresários juntos comandando e apenas aquela 1/2 dúzia escravizando o restante de lacaios os obedecendo, assim como DEMOCRACIA que significa PARTIDO COMUNISTA.
A miserável Cuba, depois de mais de 54 anos de comunismo por ser uma ilhota e pouco populosa deveria ser a vitrina das vitória dessa ideologia, mas foi a desgraça do povo cubano, isso sim.
Aliás, onde entra a bandeira vermelha do sangue dos adversários; do martelo, da destruição; da foice, da morte e da "luz" da estrela de 5 pontas que é o pentagrama satânico só geram atraso, miséria, destruição e morte e a favela a ceu aberto Cuba é a vitrine dessa desgraça, do mesmo esquema do PT!

George disse...

Respondendo ao Henoc,

Henoc,

Se o diabo se mostrasse como ele realmente é, ninguém jamais iria querer aproximação com ele. Mas ele sempre se apresenta como anjo de luz, para enganar os que não estão firmes na Palavra de Deus. É como bem disse o apóstolo Paulo:

"E não vos admireis disto, já que o próprio Satanás insiste em se transformar em um anjo de luz. Não é muito, portanto, que os seus ministros (como os marxistas) apareçam como ministros da justiça; e o fim deles será segundo as suas obras" (2 Coríntios 11:14–15, o parêntese é meu)

Marxismo, esquerdismo, comunismo, e socialismo (e outras variações) são invenções do diabo. E todas essas mesmas ideologias têm diversos objetivos em comum:

– Destruir a família;

– Eliminar todos os valores morais e os bons princípios;

– Legalizar o aborto;

– Destruir a fé cristã;

– Destruir (ou corromper) as igrejas;

– Promover o homossexualismo, a pedofilia, o casamento gay (e outras depravações);

– Aprovar a eutanásia;

– Usar a tirania (ou a ditadura) para permanecer no poder, sempre com o argumento mentiroso de ajudar os pobres e necessitados (através de políticas populistas e assistencialistas);

– Eliminar todos os possíveis opositores dos regimes esquerdistas;

– Impor a idéia de que todos devem ser submissos somente ao Estado (ou melhor, que o Estado deve substituir Deus em todas as áreas da vida humana).

Estas ideologias usam um jogo de palavras tão sutil (compaixão, ajuda aos necessitados, justiça social, e outros termos semelhantes) que conseguem enganar facilmente muitas pessoas (principalmente aquelas que não têm conscientização política)! Daí a razão de muitos partidos esquerdistas (PT, PC do B, PV, PSOL, e outros semelhantes) sempre estarem no poder em quase toda eleição!

Se essas ideologias diabólicas (e também as teologias corrompidas como Missão Integral, Prosperidade, e Libertação) contaminaram o nosso sistema educacional (e também as nossas igrejas e nossos seminários), foi devido à negligência dos servos de Deus (que se deixaram seduzir pelos enganos do diabo). Toda e qualquer filosofia, ideologia, ou teologia tem que ser obrigatoriamente testada e aprovada pela Palavra de Deus (para saber se é verdadeira ou não). Foi como disse o apóstolo Paulo:

"Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade" (2 Coríntios 13:8)

Eu prefiro ficar com a Palavra de Deus, porque somente ela tem todas as respostas que eu preciso! Não confio em nada que venha do homem. Novamente o apóstolo Paulo se manifesta:

"Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso" (Romanos 3:4)

A mesma coisa é dita pelo profeta Jeremias:

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

Será que eu estou certo neste meu ponto de vista? Se você quiser se manifestar, esteja à vontade.

Lino disse...

Em 1913, Lênin (ditador marxista–comunista–socialista–esquerdista) escreveu o "Decálogo". Trata-se de um documento contendo 10 ações táticas da esquerda para a tomada do poder (qualquer semelhança com a agenda política do PT e outros partidos esquerdistas nos dias de hoje não é mera coincidência! É pura realidade)!

Vejamos, na íntegra, o que diz o tal "Decálogo":

1 – Corrompa a juventude, e dê a ela total liberdade sexual;

2 – Procure se infiltrar nos meios de comunicação de massa, e depois controle todos eles;

3 – Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a promover discussões sobre assuntos sociais e de interesse comum;

4 – Destrua a confiança do povo em seus líderes. Faça com que eles fiquem com a imagem denegrida perante a opinião pública;

5 – Fale sempre sobre democracia e em Estado de Direito; mas assim que puder (e tão logo haja a primeira oportunidade), assuma o poder sem nenhum escrúpulo;

6 – Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País (principalmente no exterior), e provoque o pânico e o caos na população por meio da inflação;

7 – Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;

8 – Provoque distúrbios sociais, e contribua para que as autoridades constituídas não os proíbam;

9 – Contribua para a destruição total dos valores morais, da honestidade, e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não–comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

10 – Procure catalogar todos aqueles que possuem armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando, deste modo, que seja impossível oferecer qualquer resistência à nossa causa.

Anexo ao mesmo "Decálogo", tem mais um outro documento intitulado "Os 10 princípios da esquerda". Vejamos quais são estes princípios:

1 – Os esquerdistas crêem que não existe moral. Na verdade, os esquerdistas crêem apenas na moral que for favorável a eles mesmos, isto é, "não roubar" vale somente para os outros (mas os esquerdistas podem roubar à vontade para si próprios, e também para aqueles que os ajudam);

2 – Os esquerdistas promovem o anti–convencional, violentam os costumes, e preferem a descontinuidade. Não gostam de seguir regras diferentes das que eles mesmos criam;

3 – Os esquerdistas derrubam tudo que seja pré–estabelecido. São, por natureza, contra todo e qualquer sistema padronizado (que contém princípios já determinados há muito tempo);

4 – Os esquerdistas agem com imprudência e irresponsabilidade, não importando quais prejuízos venham a causar aos que estão sob seu comando;

5 – Os esquerdistas desejam a uniformidade universal: todo mundo igual (exceto eles, quando estão no poder usufruindo de tudo que é privilégio);

6 – Os esquerdistas não se impõem limites e acreditam que podem melhorar, aperfeiçoar, e acabar com as imperfeições de tudo e todos (inclusive do próprio ser humano). Para fazer uma omelete, é preciso quebrar os ovos (mas eles partem para quebrar todos os ovos, mesmo que não consigam fazer omelete alguma);

7 – Os esquerdistas são contra a liberdade e a propriedade privada. Preferem a escravidão, embora a chamem, de maneira sutil, por outros nomes: igualdade, responsabilidade social, justiça social, senso de coletividade, etc;

8 – Os esquerdistas impõem coletivismo forçado. Tudo deve ser de todos (mas desde que seja sob controle total do Estado);

9 – Os esquerdistas desejam o poder desmedido e a liberação de todas as paixões humanas (marxismo clássico e marxismo cultural);

10 – Os esquerdistas não querem estabilidade: pregam a revolução perpétua. Dizem promover a paz, mas são os maiores incentivadores de todas as manifestações, arruaças, protestos, badernas, guerras, e lutas armadas.

Diante de tudo que foi mostrado aqui, eu pergunto: alguém ainda tem mais alguma dúvida das reais intenções do governo do PT (e de outros partidos esquerdistas)?

Apóstolo Ezequiel disse...

O principal argumento do marxismo (e de seus simpatizantes) é realizar uma suposta justiça social, e (teoricamente) tornar a sociedade igualitária (como eles mesmos dizem, "sem oprimidos nem opressores"). Só que o marxismo, para realizar a tão propagada "justiça social", precisa do poder absoluto nas mãos.

Por que é necessário ter este mesmo poder? Porque para tirar de quem tem mais para dar a quem tem menos, é necessário ter um regime que dê sustentação a esta ideologia. Do contrário, o objetivo proposto (a suposta "justiça social") se torna algo impossível de ser realizado apenas por mera teoria. Logo, o regime mais adequado para tais pretensões é o totalitarismo.

No totalitarismo, os interesses do Estado se sobrepõem aos dos cidadãos. É como dizia uma filosofia totalitarista dos tempos de Hitler e Mussolini: "Nada acima do Estado, nada fora do Estado, e nada contra o Estado!" Por isso é que o marxismo defende o poder total (totalitarismo) nas mãos dos representantes do Estado.

Na verdade, o verdadeiro objetivo do marxismo é somente a tomada do poder. Após isso, vem a escravidão e o empobrecimento da sociedade. Isso tudo é feito sob o comando de um governo ditatorial (e contando com um aparato policial a serviço deste mesmo governo). Pra que melhor exemplo atual disso do que Cuba?

O humanismo (ideologia que inspirou o marxismo) apregoa que "o ser humano é bom, mas o meio social é quem o corrompe". Em contraste, a Palavra de Deus diz que "não há um justo, nem um sequer" (Romanos 3:10). O ser humano já nasce com a natureza pecaminosa (e esta mesma natureza, por si só, é má em sua essência). Em virtude disso, muitos ainda são ingênuos a ponto de acreditar que as boas intenções são válidas em todo o mundo.

Em outras palavras: muitos ainda acreditam que podemos confiar em determinadas pessoas (principalmente os representantes do Estado) que afirmem estar se preocupando com o bem de todos (ainda que as atitudes dessas mesmas pessoas provem ou mostrem exatamente o contrário). A simples demonstração (ou propagação) de boas intenções não garante que elas serão necessariamente postas em prática. São apenas uma forma de dissimular o mal. Ou será que muitos estão esquecidos de que "o diabo insiste em se transformar em um anjo de luz" (2 Coríntios 11:14)?

A verdade nua e crua é que o mal nunca teve, não tem, e nunca terá nenhum compromisso com o bem (o mal só tem compromisso consigo mesmo). Assim como a Palavra de Deus diz que "nenhuma mentira pode vir da verdade" (1 João 2:21), a recíproca também é verdadeira (ou seja, nenhuma verdade jamais poderá surgir da mentira). Afinal, o diabo é o pai da mentira (João 8:44). Por que os seguidores dele (no caso, os esquerdistas) agiriam diferente?

Gostaria que os simpatizantes dos partidos esquerdistas respondessem a esta pergunta!

Saga disse...

Julio, a pergunta deveria ser, por que o Marxismo adora o Islamismo?



marcelo disse...

Olavo de Carvalho, em uma entrevista, trás luz à discussão sobre aquilo que representa a religião da "onipotência do Estado", chamada de COMUNISMO:
https://www.youtube.com/watch?v=YoApKNuOQ1A

ÉLQUISSON disse...

Na minha época de estudante de faculdade (sou formado em Administração de Empresas), lembro que teve um semestre que estudamos Sociologia. Eu simplesmente odiava esta disciplina, porque ela é toda recheada de conteúdo esquerdista (estudava somente para ser aprovado). E a nossa professora, além de Marx e Engels, "endeusava" muitos marxistas–comunistas–socialistas–esquerdistas: Lênin, Stálin, Che Guevara, Fidel Castro (e outros). Para ela, "somente o socialismo é capaz de criar uma sociedade justa, sem oprimidos e nem opressores" (este é o jargão preferido dos esquerdistas). Sem contar que a maior parte do pessoal do DA (Diretório Acadêmico) era tudo simpatizante da UJS (União da Juventude Socialista).

Infelizmente, a verdade é que a educação brasileira está totalmente contaminada pelo esquerdismo. Da escola primária à universidade, todos já saem educados com a mentalidade socialista de que é o governo que tem que atender às necessidades de todos (ou melhor, que o governo deve substituir Deus em todas as áreas da vida humana).

Eu, graças a Deus, nunca me deixei influenciar por nenhuma destas ideologias diabólicas (tive mais inimigos do que amigos na faculdade por sempre estar combatendo os argumentos dos esquerdistas). E eu digo sem medo: tudo o que eu aprendi na faculdade não é absolutamente nada diante das verdades eternas da Palavra de Deus!

Se fosse possível reformular a educação no Brasil de modo geral (e também as grades curriculares de todos os níveis de ensino), o conhecimento da Palavra de Deus deveria ser incluído como matéria obrigatória. Deveria também recolocar o ensino de Educação Moral e Cívica, Etiqueta, Boas Maneiras, Civilidade e Patriotismo. E só poderia ser professor quem fosse um verdadeiro cristão temente e obediente a Deus (e à Sua Palavra). Também deveria ser banida toda e qualquer matéria com conteúdo esquerdista.

Será que, algum dia, este sonho vai se tornar realidade?

Se alguém daqui puder responder a esta minha pergunta, ficarei agradecido.

Wilton disse...

A professora do Élquisson disse textualmente isto:

"... somente o socialismo é capaz de criar uma sociedade justa, sem oprimidos e nem opressores..."

Élquisson, certamente essa sua professora de Sociologia (que, pelo visto, é uma esquerdista de carteirinha) nunca disse a verdade sobre o que realmente aconteceu com a população dos países governados por ditadores socialistas.

Caso ela esteja esquecida, vamos relembrar aqui alguns dos "maravilhosos frutos" produzidos pela "sociedade justa" do socialismo que ela faz tanta questão de defender:

– China (governada por Mao Tsé–Tung): 77 milhões de mortos;

– União Soviética (governada por Stálin): 43 milhões de mortos;

– Alemanha (governada por Hitler): 21 milhões de mortos;

– Camboja (governado por Pol Pot): 2 milhões de mortos;

– Cuba (governada por Fidel Castro): 100 mil mortos.

Isso é só o que se sabe oficialmente (fora outros casos que nunca foram divulgados)!

Eu pergunto: é assim que o socialismo (que já matou mais de 100 milhões de pessoas) quer criar uma sociedade justa?

Roberval disse...

Durante a minha juventude, eu fui militante de esquerda (era filiado ao PC do B). Mas depois de ler "Era Karl Marx um satanista?", do pastor Richard Wurmbrand (e conversando com ex–esquerdistas, e também vendo o que dizem os estatutos de alguns partidos esquerdistas), descobri que o esquerdismo e suas variações (marxismo, socialismo, comunismo, e outras correntes ideológicas) estão intimamente interligadas ao satanismo. E os partidos esquerdistas nada mais são do que representantes do inferno, que desejam implantar o culto ao diabo na nossa nação (e também em todo o mundo).

Mas, graças à infinita misericórdia de Deus, fui liberto desse sistema de engano diabólico há 17 anos. Hoje sou um anti–esquerdista, anti–marxista, anti–comunista, e anti–socialista: prego contra o PT, o PC do B, e tudo que eles (e outros partidos de esquerda) desejam fazer. Hoje, eu mostro a todos a verdade oculta por trás do esquerdismo.

Ao conhecer a Jesus e à verdade da Sua Palavra (que desmascara as mentiras do diabo), vi que esquerdismo e fé cristã são totalmente incompatíveis entre si. Ambos são como luz e trevas: não podem conviver juntos. É como bem disse o abençoado apóstolo Paulo:

"Não vos coloqueis num jugo desigual com os incrédulos. Pois, que sociedade a justiça tem com a injustiça? E que união pode haver da luz com as trevas? E que aliança há entre Cristo e o maligno? E que parte tem o fiel com o infiel? E que concordância existe do templo de Deus com os ídolos?" (2 Coríntios 6:14–16)

Que esta minha mensagem sirva de alerta a todos, para que muitos não se deixem enganar pelas mentiras dos esquerdistas.

Gui disse...

Os socialistas consideram o seu guru-mor como alguém infalível e inerrante. Mas o engraçado é que o "infalível e inerrante" Marx carecia de clareza, visto que segundo os seus próprios adeptos o que houve de aplicação de suas teorias até hoje foram somente "deturpações".

"O marxismo autêntico sempre odiou e sempre odiará o cristianismo autêntico. Se não puder pervertê-lo, então terá que matá-lo. Sempre foi assim e sempre será assim."

Exemplo disso é o que ocorre com igrejas que adotam posturas esquerdistas:

http://ohomossexualismo.blogspot.com.br/2014/09/o-porque-dos-esquerdistas-forcarem-o.html