26 de dezembro de 2014

Igreja Ortodoxa da Rússia Condena Fundo Infantil da ONU por Promover Homossexualidade


Igreja Ortodoxa da Rússia Condena Fundo Infantil da ONU por Promover Homossexualidade

Dr. Stefano Gennarini
NOVA IORQUE, EUA, 26 de dezembro (C-Fam) Enquanto os cristãos do mundo inteiro se preparavam para contemplar a inocência do menino Jesus, na semana passada a Igreja Ortodoxa da Rússia se revoltou contra um documento do UNICEF que diz que as crianças têm direitos LGBT.
Igreja Ortodoxa Russa
A Comissão da Família do Patriarca da Igreja Ortodoxa da Rússia divulgou uma declaração feroz criticando um documento da postura oficial do UNICEF que exorta os países a protegerem direitos LGBT porque, ela diz, está nos “melhores interesses das crianças.” A Comissão inverte a jogada maliciosa do UNICEF e diz: “Colocar crianças para serem criadas por duplas de mesmo sexo é uma violação grosseira dos direitos e interesses de uma criança.”
A Comissão Ortodoxa disse que estava “seriamente preocupada” que o UNICEF usaria todo o seu poder para apoiar o que chama de noções que são “desprovidas de sã base legal internacional” e “contrárias às culturas tradicionais bem como normas de moralidade natural e religiosa da maioria das nações.” Como resultado, a comissão diz que é “prejudicial para a comunidade internacional e minará a legitimidade moral do UNICEF e outros órgãos da ONU.”
O documento do UNICEF reconhece que “não existe instrumento internacional obrigatório que explicitamente lide com discriminação contra indivíduos com base em sua orientação sexual e identidade de gênero.” Ao mesmo tempo o UNICEF cita a opinião não obrigatória de especialistas da ONU no Comitê dos Direitos da Criança (CDC), que monitora a implementação da Convenção dos Direitos da Criança, para elevar a orientação sexual e a identidade de gênero ao nível de categorias de não discriminação como raça, sexo e religião.
O mesmo comitê da ONU disse à Igreja Católica neste ano que sua doutrina sobre o aborto violava os direitos humanos, e disse a Israel que a circuncisão viola a integridade física da criança.
O documento oficial vai além de meramente reconhecer uma interpretação do CDC com relação à Convenção dos Direitos da Criança. Pretende instruir os países sobre como devem prestar seus relatórios ao Comitê sobre os Direitos da Criança: “Os países membros e signatários da CDC precisam prestar relatórios sobre discriminação na base da orientação sexual e identidade de gênero, inclusive discriminação e bullying nas escolas e estabelecimentos educacionais.”
O UNICEF convida os países a revogar as leis que criminalizam a promoção da homossexualidade para menores de idade ou que proíbam a associação de crianças com adultos LGBT, tais como as leis que a Rússia aprovou no ano passado, e então “igualar a idade de consentimento para a conduta heterossexual e homossexual.”
O documento também recomenda dar às “duplas LGBT e seus filhos o reconhecimento legal de seus laços de família.” Acerca disso a Comissão do Patriarca teve algumas palavras especiais: “O UNICEF precisa saber que crianças nascem da união de um homem e uma mulher, não de uma união de mesmo sexo. Está nos melhores interesses de uma criança nascer e ser criada numa família, de modo que ela conheça seu pai e mãe que cuidam dela e a amam” diz a declaração.
A Comissão finaliza pedindo que a comunidade internacional “use todos os meios legais para impedir os órgãos internacionais de abusar de suas posições dessa maneira.”
Tradução: Julio Severo
Fonte: Friday Fax
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Sobre a Igreja Ortodoxa da Rússia:
Entrevista com Don Hank: Interpretando o que está acontecendo com os EUA, Europa e Rússia hoje

2 comentários :

Janaína disse...

No tempo do querido Santo Padre João Paulo II o Vaticano também condenava o UNICEF. Hoje, com Francisco, o máximo que se condena é a falta de redistribuição de renda, se é que me entendem.....

Saga disse...

Severo, olha essa mensagem de Natal esquerdista : http://www1.folha.uol.com.br/colunas/guilhermeboulos/2014/12/1565983-natal-sem-hipocrisia.shtml
Ele chega a dizer que Jesus seria Bolivariano e estaria do lado da causa GLBT etc e etc. Compara as vitimas da Ditadura Militar com a morte de Jesus por Pilatos.