10 de dezembro de 2014

Como vai o Congresso dos EUA sob influência republicana? Tudo na guerra


Como vai o Congresso dos EUA sob influência republicana? Tudo na guerra

Julio Severo
O governo de Obama está obcecado pela agenda pró-aborto e pró-homossexualismo. Na prática, transformou o governo americano na maior máquina de promoção mundial dessa agenda.
John McCain, uma das maiores estrelas de guerra do Partido Republicano
O povo americano, cansado do partido de Obama e dessa agenda, votou no outro partido — o Partido Republicano. O resultado?
De acordo com duas importantes reportagens de ontem do WorldNetDaily (WND), os republicanos querem guerra. Infelizmente, não é guerra contra a agenda pró-aborto e pró-homossexualismo.
Uma das reportagens do WND é do escritor evangélico William Murray, que tem um ministério de ajudar cristãos perseguidos.
A outra reportagem é assinada pelo católico tradicionalista Pat Buchanan, que era assessor especial de Ronald Reagan, o presidente americano mais conservador da história recente.
Murray e Buchanan são dois grandes colunistas do WND.
Em sua reportagem intitulada “House OK’s funding to repeat Damascus Massacre” (Câmara dos Deputados aprova financiamento para repetir massacre de Damasco), Murray alerta que a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou 585 bilhões de dólares para o orçamento militar americano. Dentro desse orçamento, no mínimo 1 bilhão será destinado para os rebeldes islâmicos que querem derrubar o governo sírio.
Murray explica a manobra para aprovar esse projeto, H.R. 3979, que primeiro foi apresentado como um projeto para o orçamento dos corpos de bombeiros e outros serviços emergenciais. Mas depois foi modificado para desviar os bilhões de dólares para intervenções militares. “A linguagem [desse projeto] autoriza parte das verbas para investimento no combate ao governo secular da Síria, o que significa que será usado numa tentativa de estabelecer um governo sunita pró-Arábia Saudita na Síria. Os cristãos terão de fugir ou ser mortos,” disse Murray.
Ele também diz que os rebeldes muçulmanos que receberão essa “ajuda” de mais de 1 bilhão de dólares são conhecidos por atacarem os cristãos. Murray esclarece que esse dinheiro todo será usado para os islâmicos massacrarem cristãos.
Por que os republicanos, que foram eleitos para fazer oposição a Obama, não destinaram essa enorme quantia para os grupos pró-família internacionais que lutam para deter as políticas pró-aborto e pró-homossexualismo que o próprio governo americano está promovendo e impondo no mundo inteiro?
Murray deixa claro que a Síria, durante muitos séculos, deu mais liberdade aos cristãos do que a Arábia Saudita, a parceira dos EUA, nunca deu aos cristãos. Ele denuncia a interferência dos EUA, que está desestabilizando a Síria e a segurança dos cristãos na região.
Se o governo da Síria cair, conforme os EUA querem, o que vai imperar na Síria é a lei islâmica, conforme acontece na Arábia Saudita, onde o Cristianismo é totalmente suprimido.
Murray finaliza dizendo que americanos como ele deveriam ficar revoltados com o fato de que seus impostos estão sendo usados para massacrar cristãos e implantar ditaduras islâmicas da Arábia Saudita.
Murray sabe do que está falando. Ele é presidente da Coalizão de Liberdade Religiosa em Washington, D.C., entidade que envia alimentos e roupas para os cristãos na Síria vítimas dos rebeldes islâmicos financiados pelo governo dos EUA.
Em sua reportagem intitulada “A Russophobic rant from Congress” (Desvarios Russofóbicos do Congresso), Pat Buchanan fala do projeto aprovado pelos republicanos, o H.R. 758, que, de acordo com ele, “é desvario russofóbico cheio de falsidades e saturado de hipocrisia de superpotência.”
Ele cita Ron Paul, que disse que esse projeto é “cheio de propaganda de guerra que rivaliza com a retórica da era mais fria da Guerra Fria.”
Ele diz que o projeto acusa a Rússia de “invadir a Crimeia,” numa declaração quase que de guerra contra a Rússia. Ele então questiona: “Mas não houve nenhuma invasão por ar, terra ou mar. Os russos já estavam ali por tratado e a reanexação da Crimeia, que tinha pertencido à Rússia desde Catarina a Grande, foi efetuada sem nenhuma perda de vida. Compare como Putin recuperou a Crimeia com o modo como Abraão Lincoln recuperou os estados separatistas da Confederação — uma guerra de quatro anos em que 620.000 americanos pereceram.”
Segundo ele, o projeto republicano provocativo acusa a Rússia de interferir na Ucrânia, mas então ele pergunta: “Victoria Nuland, do Departamento de Estado, junto com John McCain, não estavam saltitando em Kiev, incitando os revoltosos a derrubar o governo democraticamente eleito de Viktor Yanukovych? Nuland não foi flagrada se gabando de como os EUA haviam investido 5 bilhões de dólares para reorientar politicamente a Ucrânia?”
Buchanan diz que o projeto dos republicanos acusa a Rússia de fornecer armas para o governo da Síria. Ele então argumenta que o que os russos estão fazendo pelo governo sírio, dando-lhes armas para enfrentar o Estado Islâmico, ou ISIS, é a mesma coisa que os EUA estão fazendo pelo Iraque, dando-lhes armas para enfrentarem o ISIS.
William Murray e Pat Buchanan são uma voz evangélica e católica de bom senso num momento em que, com os EUA loucamente impondo a agenda pró-aborto e pró-homossexualismo no mundo inteiro, a “oposição” republicana só pensa em guerras que derramam sangue cristão.
Parabéns ao WorldNetDaily por ser um farol no meio da escuridão.
Quer ficar bem informado do que acontece nos EUA e no mundo? Leia o WorldNetDaily (somente em inglês).
Leitura recomendada:

5 comentários :

Anônimo disse...

Dilma/pt impondo fortemente a agenda gay e do aborto e a nossa oposição só se preocupa em conservar suas contas bancárias...seres extremamente dinheiristas q valorizam mais suas contas bancarias q a própria vida...

Anônimo disse...

Republicanos = Neocons

Mistura entre:

Liberais

+

Conservadores VENDIDOS

A Cola:

Lobby da indústria bélica

+

Maçonaria


E os cristãos conservadores tradicionais (paleo conservadorismo), como ficam?

São desprezados!


$$$ 1 BILHÃO DE DÓLARES $$$ para rebeldes islâmicos, para a Fraternidade Muçulmana?

TRAIDORES! MALDITOS FOMENTADORES DO RADICALISMO ISLÂMICO.

O MAIOR INIMIGO DO CRISTIANISMO HOJE É O FALSO CONSERVADORISMO NEOCON.





Anônimo disse...

Thiago


Republicanos = Neocons

Mistura entre:

Liberais

+

Conservadores VENDIDOS

A Cola:

Lobby da indústria bélica

+

Maçonaria


E os cristãos conservadores tradicionais (paleo conservadorismo), como ficam?

São desprezados!


$$$ 1 BILHÃO DE DÓLARES $$$ para rebeldes islâmicos, para a Fraternidade Muçulmana?

TRAIDORES! MALDITOS FOMENTADORES DO RADICALISMO ISLÂMICO.

O MAIOR INIMIGO DO CRISTIANISMO HOJE É O FALSO CONSERVADORISMO NEOCON.





Anônimo disse...

Como nos EUA e Brasil etc., instalaram Satanás via comunistas no poder e os frutos de suas "boas obras" estão aí, inclusive bem relatadas nesse site - seduções, chantagens gerais e infindas corrupções, sendo que os EUA são velhos cultuadores ostensivos de Satanás, inclusive em templos oficiais.
O pior é que o monstro, dado o tempo, ambos casos, numa população cada vez mais alienada ao cristianismo, tem sido fácil se espalhar nela pois as bases da sociedade, a ética-moral está apodrecida, terreno fértil para crescimento do vírus satânico das obras das trevas, a começar da modéstia da maioria das mulheres na maior cara-dura nas ruas, a começar das velhas, em todo lugar mais mal despudoradas que prostitutas dentro dos bordeis!
E isso sem dizer que a um simples "clic", como nas novelas da Globo, BBB e A Fazenda etc., v tem a boemia em seu lar!
Doravante, é só esperar pela misericórdia de Deus, pois se os comunistas estão no poder, como disse Lula, ai de nós se não fossem os (vermelhos)religiosos, especialmente católicos da TL-CNBB, mesmo de certos grupos evangélicos, o PT(Satanás) NÃO estaria no poder!
E tem razão!
Henoc

bjaraujo disse...

Está perto.