3 de novembro de 2014

Terra de Billy Graham legaliza “casamento” homossexual e seis juízes pedem demissão para não serem forçados a celebrar essa perversão


Terra de Billy Graham legaliza “casamento” homossexual e seis juízes pedem demissão para não serem forçados a celebrar essa perversão

Julio Severo
De acordo com o WND, com a imposição do chamado “casamento” homossexual na Carolina do Norte, EUA, pelo menos seis juízes pediram demissão a fim de não serem forçados a celebrar tais uniões.
Billy Graham
Todos eles se demitiram, desde 10 de outubro, porque acreditam que o casamento é a união entre um homem e uma mulher.
Os juízes são: John Kallam Jr., Gilbert Breedlove, Bill Stevenson, Tommy Holland, Gayle Myrick e Jeff Powell.
Usando o golpe sujo do ativismo judicial, o “casamento” homossexual foi imposto na Carolina do Norte, a terra de Billy Graham, derrubando uma lei aprovada em 2012 que proibia o “casamento gay,” a união civil e outras formas de parcerias entre pessoas do mesmo sexo.
Essa lei havia sido fruto da campanha de pastores evangélicos.
O Rev. Billy Graham, o mais famoso evangelista do mundo, havia sempre evitado lutas políticas. Mas numa atitude rara ele entrou na época na batalha eleitoral da Carolina do Norte, expressando sua opinião sólida:
“Nunca pensei que chegaríamos a debater a definição do casamento… A Bíblia é clara — Deus define o casamento como entre um homem e uma mulher. Quero exortar meus compatriotas da Carolina do Norte a votar a favor da emenda que proíbe o casamento gay na terça, 8 de maio. Deus abençoe vocês ao votarem”.
A opinião oficial de Graham havia sido colocada, por iniciativa dele, em anúncios de página inteira em 14 importantes jornais da Carolina do Norte. Seu site encorajou as igrejas a fazer o download de um pôster com a imagem de Graham e a mensagem: “Vote em Defesa do Casamento.”
“Observar o declínio moral de nosso país me causa grande preocupação”, o pastor de quase 100 anos, que orou com vários presidentes dos EUA, desde Dwight Eisenhower, disse, de acordo com a CNN, no site da Associação Evangelística Billy Graham. “Creio que o lar e o casamento são o alicerce da nossa sociedade e devem ser protegidos.”
Com a ajuda importante dele, a lei de proteção ao casamento contra a agenda gay foi aprovada. Mas a força homossexualista que hoje avança nos EUA não respeita ninguém, nem famílias nem crianças nem líderes cristãos de renome mundial.
Apesar da influência de Graham como o maior evangelista da história moderna, uma coalizão de líderes religiosos americanos entrou com uma ação legal contra a lei. Na ação, eles afirmaram que essa lei violava sua liberdade religiosa ao proibi-los de casar homossexuais. Essa medida era tudo o que a Esquerda precisava para aplicar seu ativismo judicial.
A coalizão é dirigida por um grupo de líderes progressistas compostos por pastores da Igreja Unida de Cristo, Igreja Luterana, Igreja Universalista Unitariana e um rabino. Eles declararam que não queriam ser penalizados por seguirem sua fé que permite o chamado “casamento” homossexual.
“Estamos adotando uma postura em favor da liberdade de religião,” disse o Rev. Geoffrey Black, presidente da Igreja Unida de Cristo, que é uma denominação protestante com mais de um milhão de membros nos EUA. A mensagem deles em defesa do “casamento” homossexual era: “Jesus não rejeita ninguém.”
A coalizão progressista alcançou seu objetivo: derrubou todos os esforços e sacríficos de Billy Graham e outros pastores para protegerem o casamento tradicional contra os ataques da militância homossexual.
A fase crucial da luta hoje nos EUA é pastores protestantes progressistas que estão se levantando para derrubar os esforços pró-família de pastores conservadores.
É pastor progressista contra pastor conservador. É luta entre irmãos. Aliás, é luta de falsos irmãos contra irmãos verdadeiros.
Um pastor lutando para derrubar leis contrárias ao “casamento” gay é muito mais que uma grande anormalidade. É uma aberração que em nada é diferente do próprio pecado das práticas homossexuais.
Contudo, o que está acontecendo com os EUA que até na terra do maior evangelista do mundo conseguem impor o “casamento” homossexual, com a ajuda de pastores apostatas? Será que esse é o reinado do mal nos EUA? Será que esse é o reinado da sodomia nos EUA?
Dias atrás, Billy Graham disse: “Os EUA são tão maus quanto Sodoma e Gomorra.” E muitas vezes ele menciona: “Se Deus não castigar os Estados Unidos, Ele terá de pedir perdão para Sodoma e Gomorra”.
Vendo o avanço implacável da agenda gay nos EUA, vários grandes líderes evangélicos americanos estão investindo na propagação da resistência em outros países. Recentemente, a Campanha pelos Direitos Humanos (CDH), que é o maior grupo homossexualista americano, publicou um relatório intitulado “Exportação de Ódio,” denunciando líderes cristãos americanos que, em contrariedade à política externa oficial dos EUA que promove a agenda gay no mundo inteiro, estão promovendo uma resistência mundial a essa agenda.
É claro que quando o próprio Mal diz que é “Exportação de Ódio” é exatamente o contrário. A real “Exportação de Ódio” — ódio pela família, crianças e cristãos — é o governo dos EUA financiando o ativismo homossexual no mundo inteiro.
Tenho saudades dos dias em que a maior exportação dos EUA eram o Evangelho de Jesus Cristo, com a bênção do governo americano. Hoje, é a sodomia…
O lugar número 1 do relatório da CDH ficou para o Rev. Scott Lively, autor livro “Pink Swastika,” que tem se destacado por inspirar os russos a assumir uma firme postura contra as políticas homossexualistas do Ocidente. O relatório também aponta que além da Rússia, ele também viaja para Uganda, Europa Oriental e Inglaterra.
Lively é autor de uma “Carta aberta ao presidente Vladimir Putin,” de 2013, onde ele diz:
“O movimento homossexualista não está simplesmente buscando tolerância social, ou aceitação, mas poder e controle político. Eles querem o poder de reprimir toda desaprovação à homossexualidade na sociedade russa e forçar todos os cidadãos (principalmente os jovens) a adotar a opinião de que a conduta homossexual é boa e normal. Eles pedem igualdade, mas logo que conseguem todos os ideais sociais que exploraram para chegar ali, tais como tolerância social, liberdade de expressão e respeito pela diversidade cultural, vem o descarte desses ideais. Em lugar desses ideais introduz-se uma nova cosmovisão e moralidade reversa e invertida que condenam toda desaprovação à homossexualidade como uma nova forma imaginária de intolerância. Chamo esse fenômeno de ‘homo-fascismo’ e o defino como uma forma de extremo radicalismo esquerdista e retrógrado que busca estabelecer rígidos controles autoritários sobre todos os discursos públicos e políticas governamentais com relação a normas e boas maneiras sexuais, e sancionar medidas punitivas contra pessoas que discordam por motivo de consciência, punindo ou suprimindo toda desaprovação à homossexualidade e condutas sexuais relacionadas (que evidentemente, muito embora eles neguem, rapidamente incluiriam doutrinação e exploração sexual de crianças). Nos próximos meses e anos a Rússia e seu povo serão cada vez mais retratados por exagerações abusivas e carregadas de paixão como portadores de ódio e intolerância, decididos a exterminar os homossexuais. Aliás, a campanha de propaganda sobre esse tema já foi iniciada, com filmagens de vídeo professando mostrar neo-nazistas russos batendo em homossexuais agora circulando na internet, junto com a falsa insinuação de que essa é a intenção da lei russa.”
Outros líderes evangélicos americanos citados no relatório da CDH também viajam para outros países para ajudá-los na resistência mundial à agenda gay hoje fortemente promovida pelo governo dos EUA.
A CDH e outras organizações homossexualistas radicais dos EUA estão bem confiantes que podem continuar devastando os esforços cristãos conservadores, até mesmo na terra de Billy Graham. Mas eles estão temerosos com a resistência de outras nações.
Leitura recomendada:
Artigos de Scott Lively:

7 comentários :

Anônimo disse...

QUE HORROR

Nil disse...

Gravíssimo atentado a LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Pastor é preso por pregar contra a homossexualidade.
Membros da ala gay da prefeitura de São Paulo e militância gay vieram com a Policia e prenderam o Pastor.

Vejam Vídeo : https://www.facebook.com/video.php?v=739541399465423&fref=nf

Thiago disse...

Julio, a prisão desse pastor postada no link do nil merecia um post de seu blog, não acha?

Vai faltar cela nos presídios. Eu não vou deixar de me orientar pela Bíblia. Antes ser preso do que seguir a lei de mensaleiros safados e guerrilheiros assassinos.

Nil disse...

Julio ! Grave denuncia já estão censurando vídeo que mostra um pastor sendo preso por ordem da ala gay da prefeitura e militantes gays.

Busque pelo link :https://www.facebook.com/video.php?v=739541399465423&fref=nf

E encontrara esta resposta :Este conteúdo está atualmente indisponível
A página solicitada não pode ser exibida no momento. Ela pode estar temporariamente indisponível, o link clicado pode ter expirado ou você não possui permissão para ver esta página.

Também fiz pesquisa no Google com a pergunta : PT MANDA PRENDER EVANGÈLICOS. As páginas do Facebook estão bloqueadas.

Só aparece está página que não tem o vídeo e só com um comentário dizendo;É PRECISO LEMBRAR QUE A CULPA NÃO É DA POLICIA ,MÁS DOS DEPUTADOS ,SENADORES E PRINCIPALMENTE DO GOVERNO QUE ELEGEMOS A LEI ANTi-BÍBLICA E A ORDEM PARA PRENDER VEM DELES. ( conciência tranquila não votei no PT). http://www.correiodesantamaria.com.br/?p=18442

A quem interessa calar e sumir com o vídeo de denuncia do Crente Santão?

Espero que alguém tenha feito cópias do vídeo. Estava na cara que este vídeo não ia demorar muito tempo para ser censurado.
Lutemos contra a censura na Internet e Facebook.

Desconfiou que o sumiço do vídeo tenha sido uma obra de "evangélicos petistas".

Opa ! A página do Crente Santão no Facebook ainda está funcionando e pode-se ver o vídeo : "PT manda prender evangélicos" Lá.

https://www.facebook.com/CrenteSantao?ref=ts&fref=ts


khispano atlántico disse...

SODOMIA del fin civilizatio a disfrutarla per tutti...

THE END

ÉLQUISSON disse...

Respondendo ao Nil, ao Thiago, e ao Khispano Atlántico,

Não sei se a opinião que eu vou dar aqui vai ser 100% satisfatória em relação ao assunto deste artigo, mas eu vou dizer exatamente o que eu penso (me corrijam se eu estiver errado):

Se os Estados Unidos, até hoje, mantivesse a obediência à Palavra de Deus (como desde a sua fundação), certamente não estaria nesta decadência moral e espiritual nos dias atuais. Ainda segundo algumas pessoas antigas contam, a nação americana nasceu e cresceu sob o temor e a obediência à Palavra de Deus. Enquanto se manteve assim, prosperou em todos os sentidos. Todo e qualquer autêntico cristão sabe muito bem que a obediência à Palavra de Deus é a verdadeira e única segurança espiritual de que dispomos para estarmos protegidos contra o mal neste mundo corrompido pelo pecado.

Só que, com o passar do tempo, o desenvolvimento material, científico, e financeiro fez com que os Estados Unidos começasse, aos poucos, a negligenciar a obediência à Palavra de Deus. Sem contar que a influência da Maçonaria (e de outras filosofias diabólicas) também contribuiu muito para aumentar essa mesma negligência. E também houve um outro fator que agravou ainda mais esse processo: a retirada do ensino religioso das escolas americanas a partir dos anos 60 (coincidência ou não, foi na mesma década que teve o início do movimento feminista). Em suma: os Estados Unidos passou a não dar mais prioridade à obediência à Palavra de Deus!

O que acontece? Muito simples: a partir do momento em que uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente em sua própria sabedoria, ela fica espiritualmente desprotegida e se torna uma presa fácil para os ataques do diabo e dos demônios (e também de todo tipo de pecado e vício). É como bem disse o profeta Jeremias:

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

O que está acontecendo hoje nos Estados Unidos nada mais é do que a conseqüência do abandono total da verdadeira fé cristã. Em outras palavras: a nação americana agora está colhendo os frutos de pouco mais de 50 anos do seu desprezo à obediência à Palavra de Deus!

O maior erro dos Estados Unidos foi exatamente este: trocar Jesus por Satanás! E o que é pior: foi um erro deliberado (ou seja, foi feito de forma consciente)! No dia do juízo final, este mesmo erro vai ser seriamente cobrado! É como Jesus diz na Sua Palavra:

"Por que vós Me chamais de Senhor, e não fazeis o que Eu digo?" (Lucas 6:46)

"E aquele a quem muito foi dado, muito mais lhe será exigido" (Lucas 12:48)

Muito foi dado aos Estados Unidos (no caso, o conhecimento da Palavra de Deus). Só que agora muito mais vai ser exigido (a obediência à mesma Palavra). Logo, os responsáveis pelo destino moral e espiritual dos Estados Unidos fatalmente irão prestar contas da sua negligência na obediência à Palavra de Deus! O livro de Hebreus adverte sobre isso de forma muito séria:

"Pois se pecarmos voluntariamente, depois de já termos recebido o conhecimento da verdade, já não haverá mais sacrifício pelos pecados, Mas uma terrível expectativa de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça? Porque bem conhecemos Aquele que disse: Minha é a vingança, Eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o Seu povo. Coisa horrível é cair nas mãos do Deus vivo" (Hebreus 10:26–31)

Tomara que os Estados Unidos "desperte" o mais rápido possível dessa sua indiferença moral e espiritual antes que seja eternamente tarde demais!

P.S: Se alguém daqui quiser dizer alguma coisa (ou puder responder a este meu comentário), ficarei agradecido.

Everaldo disse...

O Thiago disse textualmente:

"... Eu não vou deixar de me orientar pela Bíblia. Antes ser preso do que seguir a lei de mensaleiros safados e guerrilheiros assassinos."

Thiago, isso que você falou é sinônimo do mesmo lema adotado pelos antigos mártires da fé cristã: "Antes morrer do que pecar". Se eu tiver que ser preso (ou morto) por amor a Jesus e à verdade da Sua Palavra, aceitarei a prisão ou a morte sem nenhum medo. O próprio Jesus garantiu:

"Sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida" (Apocalipse 2:10)

Os homossexuais e seus comparsas pensam que conseguirão destruir os cristãos (e acham que ficarão impunes). Mal eles sabem com quem estão comprando briga!

É bom que esses homossexuais e seus cúmplices se iludam (e se deixem enganar pelas mentiras do diabo). As vitórias momentâneas que, por acaso, eles tiverem aqui na Terra resultarão, no dia do juízo final, na maior e inevitável derrota para todos eles: a condenação eterna ao inferno (e, posteriormente, ao lago de fogo).

E nós (cristãos), que parecíamos ter sido derrotados, conquistaremos a maior de todas as vitórias: a vida eterna com Jesus!

Precisa dizer mais alguma coisa?