22 de outubro de 2014

Vivendo e aprendendo nas eleições do Brasil


Vivendo e aprendendo nas eleições do Brasil

Julio Severo
Na eleição presidencial entre Collor e Lula duas décadas atrás, diziam para você: “Se você votar em Lula, o Brasil vai mergulhar no comunismo.” (Alerta corretíssimo.)
A única solução apontada (e imposta pela direita) era Collor. E aí diziam: “Se você não votar em Collor, você vai entregar o Brasil para o comunismo.” Sob essa pressão muitos votaram em Collor, que teve um governo cheio de corrupções e sancionou o maldito ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente, que dá liberdade e impunidade para menores de idade cometerem crimes e atrocidades). Mais tarde quem acabou se revelando amigo de Lula foi na verdade Collor, que se tornou grande aliado do PT. De que adiantou todo aquele discurso “se você não votar em Collor, você é amigo de Lula”? Collor foi um traidor ao roubar do povo e ao aliar-se ao PT. Mas nada mais natural do que ladrão se aliar com ladrão.
Nas eleições para a prefeitura de São Paulo, nos embates entre Maluf e petistas, vinha o mesmo discurso: “Se você votar no PT, São Paulo vai mergulhar no comunismo.” (Alerta corretíssimo.)
A única solução apontada (e imposta pela direita) era Maluf. E aí diziam: “Se você não votar em Maluf, você vai entregar São Paulo para o comunismo.” Sob essa pressão muitos votaram em Maluf, cujas administrações foram marcadas por corrupções. Mais tarde, Maluf se tornou grande aliado do PT. Todo aquele discurso “se você não votar em Maluf, você é amigo do PT” foi por água abaixo. Maluf foi um traidor ao roubar do povo e ao aliar-se ao PT. Mas nada mais natural do que ladrão se aliar com ladrão.
Concordo plenamente que o PT é e sempre foi ameaça. Sempre batalhei contra o PT e suas ideologias. Quando o PT ameaçou expulsar dois deputados por causa de suas posturas contra o aborto, eu estava lá para ajudar um deles, Henrique Afonso, levando o caso dele para a mídia internacional. Embora eu sempre fui contra o PT, apoiei Afonso, que acabou se tornando pastor. Combato o PT e ajudo petistas quando precisam.
No entanto, diferente dos que apontam Malufs e Collors como única solução contra o comunismo, proponho oração e intercessão.
Vejo o grande problema (o PT e sua ideologia promovida por Dilma), mas não vejo como solução a “solução” que — novamente — está sendo imposta. Os que apontam o PSDB como única solução fazem vista grossa à sua agenda homossexualista, que é tão maligna quanto a agenda do PT.
E para empurrar sua “única solução,” ameaçam os que escolheram apenas orar: “Se você não votar no PSDB como eu vou fazer, você é culpado e entregará o Brasil ao comunismo do PT,” ou “Se você não votar no PSDB, você é omisso,” ou “Se você não votar no PSDB como eu vou fazer, vou quebrar nossa amizade,” ou “Se você não votar no PSDB, você é um criminoso.” Só ameaças. É o mesmo discurso de ameaça usado nos tempos de Collor e Maluf. Eu não estranharia se essa única solução deles aparecesse daqui a alguns anos abraçada com Dilma e aliada do PT. Já vi essa novela antes.
Se pelo menos neste segundo turno houvesse um católico como Levy Fidelix, que foi claramente contra a agenda gay, teríamos opção. Mas o que sobrou foi PT e PSDB, ambos a favor da mesma agenda homossexualista.
Conversei ontem de noite com um amigo americano, que é amigo de Olavo de Carvalho, e ele me disse: “É horar de orar, não de votar.”
Quando buscamos a Deus em oração, estamos reconhecendo que Ele é a única solução. Deus é o único que pode livrar o Brasil do comunismo e da ditatorial agenda gay do PT e do PSDB.
Por isso, nesta eleição eu só vou orar.
Leitura recomendada:

27 comentários :

Ivan Simões disse...

LAMENTAVELMENTE ESTAMOS NO BECO SEM SAÍDA É A FAMOSA FRASE: SE CORRER O BICHO PEGA MAS SE FICAR O BICHO COME MAS SE ORAR ELE CORRE EXCELENTE ARTIGO

Marilena disse...

Na verdade é pior que isso senhor Júlio. Se vc não vota no PSDB como a única salvação fazem todo tipo de terrorismo psicológico contra vc. Não vejo a hora da eleição passar.

OBS. Sou anti-PT.

Marilena disse...

Na verdade é pior que isso senhor Júlio. Se vc não vota no PSDB como a única salvação fazem todo tipo de terrorismo psicológico contra vc. Não vejo a hora da eleição passar.

OBS. Sou anti-PT.

Velho Pescador disse...

Olá amado Júlio

Vejo que tirar o PT do poder, e sei que vai ser difícil, mesmo com a vitória do Aécio, e vejo a necessidade de unir as forças da direita para impedir uma retomada dos comunistas.
O PSDB também é socialista, sabemos disso, mas é o primeiro passo que precisa ser dado.
Quanto ao mais, sei que a solução para o Brasil, e o mundo, não virá pelo voto, pela politica, mas pela oração e clamor pelo avivamento, que transformará o coração das pessoas.
Dia 26 voto 45

Leony disse...

Verdade pura.

Pr. João disse...

Hoje de manhã em nossa reunião de pastores, conversamos sobre este tema que você escreveu, sem o haver lido. E decidimos que vamos votar, mas que o melhor é orar! Sempre vou a Cuba e lá, sob pressão e perseguição existe uma igreja vigorosa. Não sabemos o que se espera para o Brasil. Sempre pensávamos no passado que a perseguição viria pelos comunistas; agora, depois de anos sabemos que a perseguição virá pela democracia, como já acontece nos Estados Unidos e na Europa.

Marcos M. Ribeiro disse...

Meu querido,
Estou com você! Não quero ter a opção de votar no "menos pior". Pois, se trata de "farinha do mesmo saco". A diferença é que um já mostrou suas garras (PT), e o outro pretende mostrá-las (PSDB). Quem nos garante que o governo deste, não será pior que daquele. Vou estar orando também, pois, não há lugar melhor pra este país estar, do que nas mãos de nosso Senhor!
Forte abraço!

Julio Severo disse...

Não há o que estranhar, gente. Em todos esses anos tenho sido ferrenho opositor do PT. E quantas vezes eu votei no PSDB para suspostamente salvar o Brasil? Nenhuma. Não vou, porém, obrigar ninguém a deixar de votar, pois não gosto que me obriguem a votar. Nunca tive casa própria ou carro. Se o PT me desse tudo isso, eu não votaria na Dilma. Se o PSDB me desse tudo isso, eu não votaria no Aécio. Por que? Porque ao apoiarem a agenda gay ambos se mostram anti-família. Mas se um dos dois apoiasse a família, teria meu voto, gratuitamente. Simples assim. A família é a base de tudo e todo partido a favor da desfiguração da família através de leis homossexuais merece repúdio.

Anônimo disse...

Caro Julio, você esta certo com sua convicção. Em post anterior comentei, solicitando que você não escrevesse nesta altura do campeonato sobre eleições. DESCULPE, ME PERDOE, ERREI em procurar argumentos e explicações para os mistérios do senhor.

Anônimo disse...

EM quem votar ? Ou anular é a melhor forma ?

Rickimsky disse...

Bem tenebrosa essas eleições, nunca na minha vida cheguei a pensar que um voto é tão importante para o futuro das crianças. Me sinto impotente diante de tantas mentiras e traições que até, lideres evangélicos estão popularizando essa situação, em que o PSDB será o libertador do povo brasileiro, ridículo! Infelizmente tenho que votar em alguém do circulo do demônio, mas buscando sempre fazer o que Deus quer. Parece piada!

Rickimsky disse...

Parabéns pelos artigos!

Eliel disse...

Respondendo a todos que postaram seus comentários aqui,

Volto a repetir o que eu já disse em um artigo semelhante a este: o ideal seria que o povo, antes de votar, orasse a Deus e pedisse discernimento na hora de escolher algum candidato (para não se decepcionar depois). Só que nem sempre o povo age assim.

Devido à falta de bons partidos (e também de candidatos) de direita para esta disputa, não temos opção. E aí, infelizmente, ficamos novamente entre a cruz e a espada. Em outras palavras: seremos obrigados entre um mal maior e um mal menor.

Eu vejo assim: combater um mal maior com um mal menor (ou "menos pior") é o mesmo que querer corrigir um erro com outro erro. No caso, o PSDB é o "mal menor" diante do PT (que é o "mal maior"). Infelizmente, é o cenário que se apresenta no momento (e não há como fugir dele, até porque não há mais nenhuma outra alternativa melhor).

Só que tem um detalhe crucial que muitos parecem não ver: o mal, independente de ser maior ou menor (ou de qualquer outra designação que inventem), é mal sempre (e precisa ser firmemente combatido). Quem tolera o mal tem parte com o diabo. E digo mais: um verdadeiro cristão JAMAIS vai apoiar qualquer tipo de mal (seja maior ou menor). O compromisso do cristão é única e exclusivamente com a obediência à Palavra de Deus, que combate o mal de todas as formas. Ainda que um mal menor se apresente de forma aparentemente inocente ou "inofensiva", não poderá jamais ser tolerado com a desculpa de se evitar um mal maior. Em outras palavras: mesmo que um mal menor seja, momentaneamente, a única opção válida (ou disponível) para se evitar um mal maior, ainda assim é um mal. Como se diz no popular, é como "trocar seis por meia dúzia" (não vai fazer nenhuma diferença ao final).

P.S.: Se alguém daqui quiser se manifestar, esteja à vontade

Saga disse...

Como se desenhou a Dilma do PT (Socialista) é pró-aborto, pró-GLBT, Pró-Bolivarianismo e Pró-Maioridade Penal de 18 anos.

Aécio, o candidato do PSDB (Social Democrata) é Contra o Aborto, Pró-GLBT, Anti Boliviarianismo e Pró-MENORidade Penal (16 anos).

Os direitistas, liberais e conservadores orfãos do Brasil esperam que pelo menos economicamente o país avance e deixe de se aliar a ditaduras, terroristas e bolivarianos, pois o PSDB ainda está dentro da esquerda (centro-esquerda), mas não tem discursos antidemocráticos e anticapitalistas como os partidos vermelhos que estão mais a esquerda que ele (PSOL por exemplo é extrema-esquerda).

Os eleitores do PSDB querem um governo economicamente liberal e com uma política externa mais lógica, quebrando um pouco esse curso que a América Latina está dando ao socialismo bolivariano, se não detendo ao menos barrando e adiando o plano de poder desses partidos do Foro de SP.

Osmar Neves disse...

Eu ainda não me decidi. Queria votar nulo mas temo que ao fazer essa escolha eu esteja contribuindo com o mal maior, com a possibilidade real de colocar o meu país no caminho de uma guerra civil, pois a permanência do PT no poder significará a destruição da nossa economia. infelizmente a ignorância econômica do nosso povo é lamentável, as supostas conquistas do PT foram obtidas através de endividamento e a conta demorou a chegar mas chegou. Precisaremos de 2 anos (no mínimo) de ajustes e o PT se recusa a fazê-los. Se fizer, o que acho improvável, as pessoas, os eleitores do PT, se sentirão traídas. Se não fizer, o país quebra de vez, vira uma Venezuela mesmo. Não é terrorismo, é apenas economia básica. Se o PT for eleito, algumas pessoas correrão o risco de passarem fome, ou por causa do desabastecimento ou por causa da inflação ou por causa do desemprego (ele voltará e será terrível). Se você pensa no seu pão de cada dia, tire o PT do comando da economia do nosso país. É sério gente, eles quebraram o país e se não forem retirados através das urnas, do voto popular, nós corremos o risco de vivermos uma guerra civil e, ou uma ditadura bolivariana do PT, ou o retorno da Ditadura Militar ou a intervenção da ONU (com a sua agenda gayzista e abortista implantada). As referências históricas trazidas à lembrança pelo Júlio (Collor e Maluf) não se aplicam aqui, nossas circunstâncias são outras e o PT é mais poderoso agora do que já foi. E se vencer as eleições se julgará legitimado, com certa razão, para continuar no caminho desastroso percorrido até aqui ou aprofundará as medidas bolivarianas e aí será o caos. Digo novamente: não é terrorismo, é apenas economia básica e análise política elementar. Se o PT perder nas urnas ele fará o inferno para atrapalhar a governabilidade do próximo governo mas não terá legitimidade nem muito apoio popular para dar um golpe e se tentar será derrotado. se vencer as eleições, eles ganham legitimidade. Não contribua para a quebra do Brasil!

Anônimo disse...

osmar neves ,você infelizmente parece ter sido, ser esquerdita também,pois falar que a volta do regime militar seria ruim é no mínimo ignorância ou má- fé ,o regime militar foi uma benção para o Brasil,bastava ler os jornais que não havia nenhum caso de corrupção no país ,aliás seria bom demais se os militares tomassem o poder e inplamtassem novamente a ditadura militar ,no tempo da ditadura a mulher voltaria a seu lugar que é em casa cuidando dos filhos,as ruas eram seguras ,não havia bandidos ,nem propaganda a favor do aborto(assassinato),nem as infames paradas gays, não havia corrupção ,nem violência ,pois nenhum dos militares que tomaram o poder ficou rico,sem contar que havia liberdade religiosa para nós podermos pregar o envangelho e falar a verdade que o aborto(é assassinato),que lugar de mulher é em casa (reproduzindo e cuidando dos filhos) e não trabalhando já que isso masculiniza a mulher ,fazendo ela abandonar a família e arranjar amante,e nem havia paradas gays onde homossexuais praticam seus pecados imundos no meio da rua, incentivando as crianças de hoje em dia a imitar tudo que é de ruim,sem falar na falta de respeito deles de querer ficar se esfregando e fazendo suas imoralidades no meio da rua,destruindo as futuras gerações que é por causa disso que temos tanta violência ,assalto,e mortes e você ainda acha que a ditadura militar foi ruim ,você está cometendo um grave erro e pregando as mesmas coisas que os comunistas dizem na inpremsa para denegrir a boa imagem da ditadura militar,se você poder cite pelo menos um motivo por que é contra a ditadura militar.

Anônimo disse...

Prezado, Julio.

Depois que o povo de Israel exigiu de Deus que fosse governado por um homem, e não mais pelo Senhor, a coisa foi de mal a pior.

Hoje, no Brasil, infelizmente, temos que colocar alguém na presidência no Palácio do Planalto, e a opção está entre Dilma e Aercio.

Nessas alturas, ninguém precisa dizer o que cada um dos candidatos pensa, porque todos sabemos. Não importa se eu ou você irá anular o voto. Um deles sentará na cadeira de presidente no dia 1º de janeiro de 2015.

Eu venho orando para o Senhor ter misericórdia do Brasil e assim guiar o povo brasileiro para votar no melhor, ou menos pior, entre eles.

Particularmente, eu tenho fé que o Senhor pode usar do católico Aércio para ajudar o Brasil sair dessa lama moral, espiritual e governamental em que se encontra. Por isso, votarei nele.

Agora, perdoe-me a fraqueza espiritual pela pouca fé, mesmo sabendo que Deus é Poderoso para usar de quem Ele quer, não tenho fé para orar para que igual intervenção possa acontecer com a Dilma, se continuar na presidência.

Que seja feita a vontade de Deus e não a minha. Vou continuar orando, mas na certeza que no próximo dia 26, quando estiver diante da urna, digitarei o 45 e confirmarei em seguida.

Sob a ótica bíblica, se fora da lei de Cristo, ambos estão na mesma situação. O PT e o PSDB tem muitas coisa em comum. Mas eu lembro que, um dia, um deles, por meio de um líder, prometeu que acabaria com o poder de influência dos cristãos.

Portanto, fica o recado para os evangélicos e católicos. É melhor descer do muro e se posicionar enquanto há tempo. Alguém pode ter esquecido desse fato, mas tenho certeza que aquele que fez a promessa não se esqueceu. E há de cumpri-la, assim que puder.

Deus te abençoe.

Marlos.

Anônimo disse...

Eliel,

Gostaria de me manifestar sobre suas ideias expressas no último comentário, as quais respeito muito.

É que o mal maior só se torna maior inevitavelmente com a ação do tempo. Nenhum mal (no campo humano, e não espiritual) nasce maior. É preciso anos, eleições e mais eleições, para que o mal, que era menor, se tornar em maior através, no caso do Lula, do populismo.

Dentro da sua ambivalência de ideias, o mal menor, em tese, é menos árduo para ser desmontado, visto não ter ainda a força, o apoio popular, que as muitas palavras torpes podem lhe proporcionar.

Diante disso, amigo, receio haver entre o mal maior e o mal menor alguma discrepância pela qual podemos tira proveito. É certo que um mal é sempre mal, mas se combatido no primórdio da sua existência, a libertação será menos sofrível.

Perdoe-me, pela divergência.

Deus te abençoe.

Irineu Siqueira Neto disse...

Meu irmão Julio Severo, sou grande admirador do seu trabalho, divulgo vários dos seus artigos no meu humilde blog, concordo com 95% das suas idéias, e sei onde você quer chegar com textos como esse e como o anterior a esse.
Só que sinto muito em te informar, que a sua campanha de oração está vinte e cinco dias pelo menos atrasada!
Ela deveria ter sido empreendida e convocada na ocasião do primeiro turno, e não agora!
Deveríamos ter-nos unidos e colocados o Fidelix ou o pastor Everaldo no segundo turno.
Agora devemos escolher entre o pior de doer, e o menos pior!
Espero que essas sua linhas não subtraiam votos preciosos do menos pior candidato, pois dadas as atuais circunstâncias é o senhor Aécio Neves!
E não adianta chorar e se lamentar que são farinha do mesmo saco, toda mudança deve ser gradual, e começa extirpando o "piorzíssimo" e colocando em seu lugar o piorzinho
45 neles, o menos pior não o candidato ideal!
Pensem nisso!
http://oseias46a.blogspot.com.br/2014/10/eleicoes-2014-2-turno-aecio-x-dilma-o_21.html

Anônimo disse...

Prezados,

Pensei bastante antes de comentar o post do nosso irmão Julio Severo.
Pelo que entendi, mais do que nos informar o seu posicionamento, ou até mesmo conseguir adeptos do mesmo posicionamento "não votar", o presente artigo tem uma outra função que penso ser de maior importância: nos chamar à reflexão.
Infelizmente as duas opções que temos não chega nem perto daquilo que podemos chamar de um governo moralmente aprovado por Deus, mas...
Tem um ditado popular aqui no nordeste que diz: trocam-se os caranguejos mas a lama é a mesma. Pela total falta de opção, independente de como será o nosso voto, 13, 45, nulo ou branco, penso que no mínimo está na hora de trocar os "caranguejos", talvez nós não estejamos preparados para uma mudança tão profunda na política brasileira.
Estamos tão acostumados com corrupção, que até mesmo nós crentes, que temos a mente de Cristo, nos surpreendemos com um guarda que não aceita suborno, um politico que não se envolve com roubo, nos surpreendemos até com pastores honestos e que tem sua vida no altar de Deus, é bom pai, bom filho, bom marido, bom amigo, bom pastor, enfim, nos surpreendemos.
Imagina se até nós, acordássemos um dia e não houvesse mais o jeitinho brasileiro, quantos crentes hoje se beneficiam por ter um amigo no poder, um juiz, um médico um político?
Como diz o irmão Velho Pescador que comentou lá em cima "Quanto ao mais, sei que a solução para o Brasil, e o mundo, não virá pelo voto, pela politica, mas pela oração e clamor pelo avivamento, que transformará o coração das pessoas."
O momento realmente é de orar e apresentarmos a Deus as nossas mazelas, e pedir a Deus que nos ajude a não compactuar com o pecado, pedir a Deus que abra o nosso entendimento para que possamos entender que não é trocando de presidente que resolveremos o problema moral e espiritual do Brasil.
O Brasil só pode ser mudado pelo poder transformador do evangelho.

Ricardino Lacerda.

Anônimo disse...

Concordo em partes. Vou votar no Aécio, mas sem ser "o" meu candidato.
O fato é o seguinte: essa é a ÚLTIMA eleição livre pra Presidente se o PT ganhar. Se Dilma continuar, vai aparelhar todo o Judiciário, ela já disse que vai "democratizar a mídia" (linguajar bolivariano: vai censurar a mídia) e já há meios técnicos para censurar a internet. Então é o seguinte: uma ditadura de esquerda é tremendamente duradoura (vejam Cuba, que apesar de miserável não existe a mínima chance do regime cair) e se você quiser ter alguma esperança de morar aqui, de ter um futuro para seus familiares e descendentes no Brasil tem que votar 45 - fechando o nariz, mas fazer o quê...É dramática a nossa situação se continuar o PT. Talvez tenhamos que fazer como o Julio, ir embora do Brasil. Nisso você deve pensar. Se você acha que o Brasil já acabou e se dispõe a começar do ZERO, veja, eu disse do "ZERO" no exterior, aprender uma língua diferente, clima estranho, outros hábitos, bem, vc pode fazer o que Julio aconselha.

Ricardo2

Diácono Elias (Igreja Batista Nova Jerusalém) disse...

Não sei se muitos daqui vão concordar com o meu ponto de vista, mas eu penso o seguinte (me corrijam se eu estiver errado): se todos os eleitores do Brasil (inclusive os cristãos) tivessem orado e pedido discernimento a Deus antes de votar, não teríamos no poder um governo pró–homossexualismo, pró–aborto, anti–família, e anti–cristão. E nem elegeríamos uma bancada que se diz evangélica, mas que não tem tido nenhum compromisso verdadeiro com a obediência à Palavra de Deus (além de ser omissa no combate ao pecado e conivente com o mesmo governo)!

Creio que o problema está não somente em muitos dos políticos que se dizem cristãos (como os da bancada evangélica), mas também de alguns cristãos eleitores que os colocam lá. Alguns desses mesmos eleitores votam somente por votar, influenciados por alguém (tipo: "Vou votar no irmão da minha igreja, pois foi o pastor quem pediu"), ou sem saber quem realmente é o candidato, quais ideais defende, quais compromissos tem, quais interesses visa, enfim, o que realmente fará ao ser eleito.

Daí, surgem certos "políticos cristãos" que estão mais preocupados em cuidar de seus negócios particulares (ou dos negócios de suas igrejas) do que em ter um compromisso sério com a obediência à Palavra de Deus e com questões que afetam a sociedade como um todo (especialmente a maioria cristã).

Portanto, é necessário que todos (não só o povo, mas também as igrejas) sejam politicamente conscientizados sobre a responsabilidade do voto. Se em toda eleição colocarmos ímpios no poder, estaremos dando carta branca para que o diabo e os demônios ataquem a tudo e a todos (além de promoverem a destruição dos valores morais, familiares, e dos princípios cristãos). Em suma: o que não podemos fazer é perpetuar este ciclo vicioso, ou melhor, não podemos continuar alimentando esta política imoral e anti–cristã que já tomou conta do Brasil. Aliás, não só o cenário político, mas, infelizmente, até algumas igrejas evangélicas estão infestadas de falsos cristãos gananciosos e vaidosos que só usam o nome de Deus para seus próprios interesses (ou para suas próprias conveniências pessoais).

Que este alerta seja amplamente divulgado a todos, para que todos saibam o quanto o voto é importante para decidir o futuro de um país.

Um grande abraço,

Diácono Elias (Igreja Batista Nova Jerusalém)

ELISEU disse...

Não só eu assino embaixo de tudo que o diácono Elias disse no comentário dele, como eu ainda acrescentaria o seguinte: todos os eleitores (principalmente os cristãos) deveriam investigar a vida pregressa dos candidatos (principalmente os da bancada evangélica), o que dizem os estatutos, diretrizes, ou resoluções dos partidos aos quais esses mesmos candidatos são filiados, como votam, como atuam no Congresso Nacional, quais ideais defendem, enfim, procurar se informar (e também esclarecer a todos), para que não haja ninguém sendo enganado pelos muitos lobos em pele de cordeiro que sempre aparecem em todas as eleições.

Lembro que tinha um vizinho meu (que se dizia evangélico) que matava e morria pelo PT e pela esquerda. E era também um defensor ferrenho dos ditadores socialistas: Marx, Lênin, Stálin, Fidel Castro, Che Guevara (e outros). E não admitia que ninguém falasse mal deles!

Mas bastou eu mostrar alguns vídeos (e também algumas reportagens e alguns artigos) mostrando o que os esquerdistas realmente fazem às escondidas para que esse mesmo vizinho "acordasse". Quando ele finalmente viu a verdade sem nenhum disfarce, ele ficou tão horrorizado que me confessou: "Eu não sabia que esse pessoal (da esquerda) agia assim nos bastidores".

Num primeiro momento, ele custou a acreditar no que estava vendo. Mas, como se diz popularmente, "contra fatos, não há argumentos". Ele, finalmente, teve que admitir que tinha sido enganado durante todo esse tempo. Aí eu aproveitei a deixa e disse a ele: "Jesus disse, com todas as letras, que o diabo é o pai da mentira (João 8:44). Os esquerdistas agem da mesma forma (exatamente igual ao diabo): fazem mil e uma promessas mentirosas para se elegerem. É somente através da mentira e da dissimulação que a esquerda consegue estar no poder (para depois mostrar a sua verdadeira face). Se não fosse pela mentira, os políticos do PT (e de outros partidos esquerdistas) jamais seriam eleitos".

Diz um ditado popular que "quem vê cara, não vê coração", não é verdade? Quantas promessas de muitos esquerdistas são feitas na nossa frente com um sorriso (mas com as intenções mais perversas por trás desse mesmo sorriso)?

Por isso é que o governo não tem nenhum interesse que o povo tenha conscientização política. É lógico: quanto mais ignorante for o povo, mais esse mesmo povo é fácil de ser enganado. Em outras palavras: o povo politicamente ignorante se torna uma massa de manobra facilmente manipulável nas mãos de quem está no poder. E considerando que este mesmo povo vota mais com a barriga do que com a cabeça em quase toda eleição, não é nenhuma surpresa estarmos sendo governados por um bando de corruptos.

Tendo um governo totalmente pró–homossexualismo, pró–aborto, anti–família e anti–cristão (e uma bancada evangélica conivente com este mesmo governo), qual será o futuro do nosso país para as próximas gerações?

Deixo esta pergunta no ar para alguém daqui responder na primeira oportunidade.

Cicero disse...

Profecia cumprida! uma mulher é a nova presidente!

Bia de Jesus disse...

Belzebu foi reeleito... e agora?

Só nos resta clamar a misericórdia de Deus, para que intervenha a favor desta nação, somente Deus pode nos ajudar.

Wagner disse...

Sinceramente Júlio estou de saco cheio, o ódio e ira tomaram conta do país e o pt conseguiu sua maior conquista dividir a nação.

Nunca mais eu voto, seja nulo, branco ou em qualquer candidato ou partido, prefiro pagar multa do que me curvar e estas pessoas de índole perversa e comunista.

Mas como você disse, devemos rezar para que sejamos libertos das garras do comunismo

Abraços

Leandro disse...

Anônimo,
não é bem assim.

Muitas coisas associadas à ditadura militar não significam situações que poderão ser, em algum futuro próximo, restabelecidas.
Por exemplo, a violência urbana e a depreciação geral da cultura (incluindo nesse caso as intimidações de movimentos como LGBT, MN e outros) são coisas da época em que vivemos. Podemos buscar, talvez, uma solução mais incisiva, mas jamais a inexistência do problema.

Além disso, era uma ditadura militar, e não militarista. Não existia essa imaginária presença plena dos militares em todas as áreas. Na realidade, a tutela militar era apenas sobre a cúpula, sendo o restante da estrutura era civil. A segurança era também problemática naquele tempo e se dizia que o governo militar era "oba-oba" em comparação com o período anterior, democrático.

A ideia de ditadura militar é um peso que deve ser absolutamente abandonado e a ideia descartada.
Não existe futuro nisso.
O que devemos pensar, sim, é na formação de um governo democrático à direita, o que passa em primeiro lugar pela desarticulação do PSDB e o surgimento de um partido nacional comprometido com demandas tanto da livre iniciativa econômica quanto do social-conservadorismo.