14 de outubro de 2014

Tom Parker: A maior ameaça ao aborto nos EUA, de acordo com escritora pró-aborto


Tom Parker: A maior ameaça ao aborto nos EUA, de acordo com escritora pró-aborto

Julio Severo
A ativista pró-aborto Nina Martin rotulou um juiz do Alabama como um homem que “descobriu como desmantelar Roe versus Wade,” a lei federal dos EUA que legalizou em 1973 o aborto desde o primeiro até o último mês de parto.
Em seu artigo em inglês no site New Republic, ela também disse, “Tudo o que Tom Parker escreve alimenta a maior ameaça aos direitos de aborto numa geração.”
Entretanto, antes de pregá-lo à sua cruz, ela aponta as credenciais “malévolas” dele.
Ela diz que em 2005, o juiz Parker deu uma palestra a um grupo de estudantes de homeschooling num retiro da Faculdade de Direito e Políticas Públicas Witherspoon. Ela provou que Witherspoon é um projeto do Fórum Visão, um ministério cristão com sede no Texas.
Movida pela mesma motivação, ela poderia desqualificar a Constituição dos EUA provando as conexões cristãs de cada um de seus autores.
Ela também acha que Parker não é digno porque ele apoiou o monumento dos Dez Mandamentos no prédio do Supremo Tribunal do Alabama.
Ela então citou uma declaração “abominável” dele: “O próprio Deus das Santas Escrituras, o Criador, é a fonte da lei, vida e liberdade.”
O que ela esperava de um juiz de uma nação cujos fundadores eram cristãos? Se ela queria que Parker louvasse o aborto, ela deveria lhe mostrar George Washington e outros americanos originais defendendo a matança de bebês.
Juiz Tom Parker
Outras declarações de Parker que a irritaram:
“São os juízes que legalizaram o aborto e a homossexualidade… Eles estão abalando o próprio alicerce de nossa sociedade.”
“Temos de assumir uma postura em prol do que é certo.”
“Pelo fato de que Deus, não o Estado, concedeu aos pais a autoridade e a responsabilidade de governar seus filhos, os pais deveriam fazer isso livres de interferência estatal.”
As palavras de Parker fazem lembrar as palavras dos americanos originais, inclusive de Washington. Se Nina quisesse ouvir o que eles diriam hoje, Parker é a resposta. Mas se Nina voltasse àquele tempo, eles certamente lhe perguntariam: “Tem certeza de que você é americana? Todos nós somos cristãos, pró-vida e pró-família.”
O que é mais irritante sobre Parker para Nina é o que ela chama de “campanha implacável dele para minar o aborto legal.” Ela se queixa: “Ele faz argumentos em prol de plena condição legal para os bebês em gestação.”
Ela acrescentou um parecer do juiz Harry Blackmun: “Se instituírem a sugestão de que o bebê em gestação é uma pessoa, a lei [de aborto nos EUA] evidentemente se desmorona, pois o direito do feto à vida seria então garantido.”
Parker crê que um bebê em gestação tem direito à vida, exatamente como os americanos originais criam. Mas Nina está completamente irada sobre Cristianismo e seus valores pró-vida nos EUA.
Enquanto o direito à vida dos bebês em gestação não é reconhecido, mais de um milhão deles são assassinados em abortos legais nos Estados Unidos a cada ano sob Roe versus Wade, uma lei que protege matança de bebês e seus assassinos desde 1973.
De novo, Nina se queixa: “Passo a passo, Parker mostra sua evidência: leis que dão direitos de herança para crianças em gestação, leis que proíbem presidiárias grávidas de serem executadas, leis que dão aos fetos guardiões legais para o propósito de proteger seus interesses, leis que permitem que os pais processem por danos se os fetos forem prejudicados ou mortos como resultado de negligência ou algum outro ato errado.”
Nina acrescenta um comentário de Parker: “Hoje, a única grande área em que negam proteção legal às crianças em gestação é o aborto e essa negação existe apenas por causa dos ditames de Roe.”
“O que o juiz Paker fez,” disse Lynn Paltrow, diretora-executiva da organização sem fins lucrativos National Advocates for Pregnant Women (Defesa Nacional às Mulheres Grávidas), “é mostrar claramente o mapa e plano de ação para derrubar Roe versus Wade.”
Parker está pedindo que o Supremo Tribunal dos EUA resolva o assunto de plenos direitos para os bebês em gestação de uma vez por todas.
Ativistas pró-aborto, inclusive Nina, estão profundamente preocupados que os escritos de Parker venham a influenciar os juízes na capital dos EUA.
Nina Martin identificou com precisão o juiz do Alabama como a melhor chance do movimento pró-família dos EUA derrotar Roe versus Wade.
Parece um desafio grande demais: Tom Parker se defrontando com o Golias legal e seus exércitos pró-aborto.
No entanto, Deus não usou um jovem chamado Davi para derrotar um gigante chamado Golias no passado?
Ele é o mesmo hoje.
Outros artigos sobre o juiz Tom Parker:

2 comentários :

Esther disse...

Oremos por ele e por essa causa!

Edson Gaspar disse...

Reconhecer os direitos dos nossos bebês indefesos, é o Evangelho autêntico.