8 de outubro de 2014

Defensoria Pública de São Paulo ingressa com ação contra Fidelix por declaração sobre gays


Defensoria Pública de São Paulo ingressa com ação contra Fidelix por declaração sobre gays

Lilian Venturini - O Estado de S. Paulo

Núcleo de Combate à Discriminação aponta 'manifestação de ódio' em fala do então candidato do PRTB à Presidência durante debate e pede indenização de R$ 1 milhão por dano moral coletivo

Comentário de Julio Severo: Suprema vergonha para o Estado brasileiro. Tantos assassinatos ocorrendo neste país. Tanta violência. Tantos estupros. E o Estado está ocupado perseguindo um avô, o católico Levy Fidelix, que expressou sua opinião sobre homossexualismo, inclusive dizendo que dupla homossexual não é família. Eis que o Estado mostra agora toda a sua força contra esse avô, a mesma força que deveria usar, mas não usa, contra os assassinos. Tudo começou durante a eleição, quando Dilma, Marina e Aécio se opuseram à opinião de Levy num debate. Marina chegou a ameaçar de fazer sua Rede Sustentabilidade processar o avô católico, e ainda teimam em nos vender uma imagem de Marina cristã e piedosa. O diabo agradece o desserviço desses e do Estado brasileiro.
São Paulo - A Defensoria Pública de São Paulo ingressou nessa terça-feira, 7, com uma ação civil pública por danos morais contra Levy Fidelix, candidato derrotado do PRTB à Presidência, por causa de suas declarações sobre homossexuais feitas durante debate entre presidenciáveis, em 28 de setembro. À Justiça de São Paulo, o órgão afirmou que as falas incitaram o ódio contra a comunidade LGBT e pede indenização de R$ 1 milhão.
Levy Fidelix
Para o Núcleo Especializado de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito, autor da ação, a fala de Fidelix foi uma "clara manifestação de ódio e desprezo" à comunidade LGBT. No debate entre presidenciáveis promovido pela TV Record, Fidelix foi questionado pela então candidata Luciana Genro (PSOL) sobre a violência contra homossexuais. Com respostas irônicas e enfáticas, o candidato disse que nunca viu procriação entre pessoas do mesmo sexo e que preferia perder votos a apoiar homossexuais. "Vamos enfrentar essa minoria, vamos ter coragem. Esses, que tem esses problemas, que sejam atendidos por planos psicológicos e afetivos, mas bem longe da gente", afirmou.
"Nitidamente [a fala do candidato] ultrapassou os limites da liberdade de expressão, para incidir em absurdo discurso de ódio", diz a ação, que destacou ainda o trecho da fala em que Fidelix associa a homossexualidade à pedofilia. "Este discurso de ódio é incompatível com o respeito à dignidade da pessoa humana, não só da pessoa, individualmente considerada, mas da dignidade de uma coletividade", complementa o órgão.
No documento encaminhado à Justiça, a Defensoria enumerou relatos de homossexuais que se consideraram discriminados e agredidos pelas declarações do então candidato e lembrou as manifestações de grupos de direitos homossexuais.
Após a repercussão de sua participação no debate, Fidelix manteve seu posicionamento e negou ter sido homofóbico. "Estou defendendo a legitimidade de expressão", disse. Para a Defensoria, no entanto, a garantia à liberdade de expressão deixa de ser assegurada quando há violação de outros direitos também previstos na Constituição.
O órgão entendeu ter havido dano moral pelo fato de as declarações sugerirem o enfrentamento e a segregação da comunidade gay. "(...) As afirmações de Levi Fidelix são ilícitos jurídicos, pois implicam em atentados ao direito à honra da população LGBT, bem como ao direito de não discriminação", afirma a ação.
Reparação. A Defensoria pede indenização de R$ 1 milhão para reparação de dano moral coletivo. O valor deverá ser revertido em ações de promoção dos direitos da comunidade LGBT. Em razão da exposição das falas, transmitidas ao vivo, e da repercussão causada, o órgão solicita ainda que Fidelix produza uma programa que promova os direitos da população LGBT "com a mesma duração dos discursos" exibidos durante o debate e no mesmo horário.
Procurado, o PRTB, também alvo da ação, não se manifestou sobre a decisão. Levy Fidelix, atual presidente da legenda, também foi procurado, mas não atendeu às ligações.
Procedimento. Na semana passada, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, abriu procedimento para apurar as declarações. A medida tomou como base a representação da Comissão Especial de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) levada à Procuradoria-Geral Eleitoral. O Ministério Público Federal também recebeu representações de cidadãos sobre o assunto. No procedimento, Janot ponderou que a liberdade de expressão da opinião não pode ser utilizada para propagação de discursos de ódio.
Fonte: Estadão
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

27 comentários :

Anônimo disse...

O referido órgão público arbitrariamente ignora por um lado a apologia ao aborto e ao uso de drogas por parte de alguns candidatos que defendem a ruptura dos valores pertinentes à família natural, e por outro lado insiste em subtrair o direito constitucional da livre opinião, impondo a mordaça contra um candidato digno do cargo que estava pleiteando. É o típico retrato da ditadura ideológica a todo vapor: não admite críticas. só aceita elogios à prática da sodomia e seus derivados culturais que preconizam o colapso da célula máter da sociedade. Não passará uma geração sem colher os frutos amargos desta cultura decadente.

Anônimo disse...

Só gostaria de saber se o Levy falou alguma inverdade. Expressou apenas sua crença sem, contudo, ter tido apoio nas urnas daqueles que teoricamente pensariam da mesma forma que ele (cadê o voto dos católicos?). Quem não previa que ele sofreria todo este massacre?. Até quando?

Sebastião

Claudio Vaz disse...

É isso que acontece quando cristãos apoiam comunistas. Ontem Feliciano, agora Fidelix cujo PRTB apoiou o governo da presidanta.

Sem esquecer do pastor Malafaia que apoiou o PT e agora se arrepende. Mas não aprende. Seu candidato a federal veio pelo PSD partido criado pelo PT para esvaziar o DEM, único partido com aroma de conservador.

Abra o olho senhores Edir Macedo e Manuel Ferreira.

fococristao disse...

O judiciário paulista está ideologizado, infelizmente.

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Não encontro outra palavra para definir esta covardia e imoralidade.

Vergonha!

Anônimo disse...


Existe também outra discriminação que o POLITICAMENTE CORRETO não tá nem aí: pode ofender os outros, mas JAMAIS ser ofendido em seus principios!
Quando começarem as propagandas oficiais e nos debates em que Aécio é mestre, confronto de ideias, veremos em que saia-justa a vermelha Dilma irá ficar, pois seu governo, além de repressivo, incompetente é fortemente marcado pela corrupção; é tão sinistro que apoia a perseguição e os degoladores dos cristãos do ISIS na Siria e Iraque, apesar de inimiga dos cristãos, quer os votos dos daqui do Brasil para se eleger, quer de evangélicos ou católicos!...
Que atitude estranhíssima, se quer que os cristãos explodam, afinal, os votos dos daqui, hem, pra quê?
V votaria em que o detesta?

Anônimo disse...


Todo povo cristão deveria se manifestar a favor de Fidelix,inclusive as Igrejas e contra a Defensoria Pública que no caso dos correios não se manifestou por que?

R. Vilhena disse...

Mais uma prova de que o Estado não tem mais autoridade alguma para prender nem o pior dos homicidas posto que é ele tão criminoso quanto aquele.

O Estado é hoje uma entidade jurídica que não mais segue a lei, e tornou o não seguir a lei a sua ideologia oficial, o Estado se julga ilimitado na defesa da Religião do Ocidentalismo, religião está que nada mais é que a crença de que basta invocar a palavra "Direitos Humanos" e então nenhum argumento racional ou factual pode ser invocado contra o agente que se imbui como agindo em nome de tal religião.

Desta forma o pacto feito com o Rei João Sem Terra que deu início e fundamento existencial ao princípio da legalidade, hoje não mais existe, foi revogada pela gang no poder, que hoje cria crimes, penas, delegacias especializadas e tudo mais para punir e julgar comportamentos que não são criminosos como se o fossem, sem necessitarem para isto de lei alguma que os autorizem.

Todos devem saber dessa forma que a gang no poder não respeitará nada que não seja a força das armas, argumentos para ela valem apenas o seu, que utiliza fartamente para interpretar a lei penal para criar crimes sem leis que a prevejam e perseguir a família e qualquer um que limite o seu poder.

Que todos saibam, sejam vocês cidadãos honestos ou o pior dos criminosos, saibam que o Estado perdeu já qualquer autoridade legítima, que é hoje uma força representativa apenas de mais uma gang de criminosos como outra qualquer, como a sua inclusive se você vive de atividades não legais. Isto porque o poder do Estado hoje não mais se baseia na razão e na lei, mas apenas na força e é plenamente legítimo resistir e derruba-lo também pela força.

Chegamos finalmente ao ponto em que é ilegal dizer que esfincter é esfincter e que ninguém nasce disto, exceto é claro os esquerdistas que são autoridades, membros do MP e defensores públicos do Brasil.

Vanzuite disse...

Caro Júlio Severo, gostaria de saber se o livro Straight & Narrow? do escritor Dr. Thomas E. Schmidt possui tradução. Possuo este livro em inglês, mas meu inglês não é tão bom para que eu possa lê-lo com fluência. Desde já grato.
Vanzuite

Julio Severo disse...

Suprema vergonha para o Estado brasileiro. Tantos assassinatos ocorrendo neste país. Tanta violência. Tantos estupros. E o Estado está ocupado perseguindo um avô, o católico Levy Fidelix, que expressou sua opinião sobre homossexualismo, inclusive dizendo que dupla homossexual não é família. Eis que o Estado mostra agora toda a sua força contra esse avô, a mesma força que deveria usar, mas não usa, contra os assassinos. Tudo começou durante a eleição, quando Dilma, Marina e Aécio se opuseram à opinião de Levy num debate. Marina chegou a ameaçar de fazer sua Rede Sustentabilidade processar o avô católico, e ainda teimam em nos vender uma imagem de Marina cristã e piedosa. O diabo agradece o desserviço desses e do Estado brasileiro.

Esther disse...

Penso que seria bom o site de petições CitizenGo, criar uma petição em favor do Levy Fidelix. Alguém com o nome de Guilherme Ferreira criou várias boas petições lá.

João Batista disse...

Sebastião você pergunta em seu comentário: (cadê o voto dos católicos?), eu sou católico e votei no candidato em questão, eu sou a favor da família constituída por Deus, o que ele falou está de acordo com os valores morais que agrada a Deus. Devemos ter em mente que: "O príncipe deste mundo tenebroso é satanás", é ele que rege o seu reino e muitos estão a serviço dele espalhando o ódio. Quando Cristo voltar em Sua segunda e última vinda, todo esse sistema abominável cairá por terra e a Verdade prevalecerá, quem estiver do lado da Verdade viverá eternamente.

João Batista disse...

O pecado grave nas eleições.
Católico que se filia, apoia ou vota em um partido que tem um programa contrário à fé e à moral católica é incoerente...
http://www.zenit.org/pt/articles/o-pecado-grave-nas-eleicoes

Marcelo disse...

Vejam o papelão do católico Fidelix na matéria intitulada "A hipocrisia de Fidelix", no site:
http://adireitabrasileira.blogspot.com.br/

Talvez o mais importante nessa sujeira toda é conseguir compreender que não se pode dizer que é cristão e, ao mesmo tempo, apoiar o diabo.

Em outras palavras, as Escrituras nos asseguram que quem apoia o diabo não é cristão, em hipótese alguma, pois está agradando a dois senhores.

A postura do católico Fidelix é um exemplo disso...

Marcelo disse...

No que se refere à Defensoria Pública, talvez um dado que, por vezes, nós ignoramos é a imensa quantidade de sodomitas enrustidos que estão por detrás dos colarinhos brancos, das fardas, das togas, dos guarda-pós, dos uniformes, das batinas e de outras máscaras sociais.

Por isso, entendo que não deveria ser surpresa para ninguém essa postura de tais autoridades brasileiras, pois é natural que cada qual defenda os seus próprios interesses, condutas, credos e pensamentos.

Além disso, tradicionalmente, a maior parte das autoridades brasileiras vive numa realidade diferente do povo brasileiro, morando nos condomínios fechados da vida (um claro sinal da falência social das grandes cidades); andando, pra baixo e pra cima, em carros luxuosos, normalmente veículos oficiais; voando para o exterior muitas das vezes à custa do povo; desfrutando os melhores planos de saúde, pago pelo contribuinte (enquanto o povo morre nas filas e corredores); além de usufruir outras mordomias moralmente ilícitas, mas legalmente aceitas e impostas.

Por isso que para essa turma de privilegiados há tempo para se voltar para questões irrelevantes e esquecer-se de questões tão importantes e fundamentais para a própria sobrevivência da espécie, como, por exemplo, o número absurdo e assustador de homicídios que ocorrem a cada ano nesta nação, cujas estatísticas são semelhantes a algumas guerras espalhadas pelo mundo.

Não há outra saída: o CAOS social se aproxima a passos largos desta pobre nação e as vítimas seremos nós mesmos, os cidadãos comuns, e muito mais os cristãos, os quais serão obrigados a conviver com um bando de ladrões, de homicidas e de rapazes escandalosos soltos pelas ruas e alguns deles empossados em cargos públicos, legislando em causa própria.

Como em Sodoma e Gomorra, em breve, os cristãos verão as próprias autoridades defenderem a imoralidade e se tornarem os algozes daqueles que se posicionarem do lado da VERDADE.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Respondendo a todos que puseram seus comentários aqui:

De acordo com o pensamento politicamente correto do governo (e dos homossexuais), ser homofóbico é:

– obedecer somente à Palavra de Deus (e dizer que o homossexualismo é pecado);

– não aceitar a doutrinação gay para as nossas crianças (e nem o kit gay nas escolas);

– ser contra o casamento gay (e ser contra as paradas gays);

– ser contra o homossexualismo (e ser contra toda e qualquer lei a favor dos homossexuais).

Se ser homofóbico significa ser tudo isto, então eu posso dizer com todas as letras (e com muito orgulho): eu sou homofóbico (com "H" maiúsculo).

Podem fazer qualquer lei ímpia que obrigue a todos (até mesmo com ameaças de morte) a aceitarem o homossexualismo, mas, ainda assim, eu JAMAIS IREI ME CURVAR AOS DESEJOS DO DIABO E DOS HOMOSSEXUAIS. Eu, como cristão, sempre prego (e sempre continuarei a pregar) contra o pecado. Nunca vou deixar de dizer que o homossexualismo é pecado (não estou nem aí para o que os homossexuais vão pensar de mim). Faço como disse o apóstolo Pedro:

"Importa antes obedecer a Deus do que aos homens" (Atos 5:29)

A lei de Deus é soberana, eterna e imutável (nunca poderá ser mudada por nada, e nem por ninguém). Para Deus, pecado (seja qual for, inclusive o homossexualismo) é pecado sempre (e ponto final). A lei de Deus nunca irá se sujeitar (ou "se adaptar") aos tempos modernos ou ao "politicamente correto" do governo, dos homossexuais, dos abortistas, dos falsos profetas, dos pastores progressistas, dos esquerdistas, comunistas, marxistas, socialistas, e dos falsos evangelhos. A lei de Deus não foi feita para agradar aos homens (e nunca irá se sujeitar a homem nenhum). A respeito da lei de Deus, Jesus foi taxativo:

"Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. Pois em verdade Eu vos digo que, até que passem os Céus e a Terra, nenhum i ou til jamais passará da lei, sem que tudo se cumpra" (Mateus 5:17–18)

De uma coisa eu tenho plena e absoluta certeza: Jesus voltará um dia para julgar a todos (inclusive os homossexuais e seus cúmplices). O próprio Jesus garantiu isso na Sua Palavra:

"Não seles as palavras da profecia deste livro, pois o tempo está próximo. Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, que se suje ainda mais; e quem for justo, procure se manter justo; e quem é santo, continue a se santificar. Eis que Eu venho sem demora, e tenho Comigo o Meu galardão, para dar a cada um segundo a sua obra. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro. Bem–aventurados aqueles que lavam as suas vestes no sangue do Cordeiro, para que possam ter direito à árvore da vida e para que entrem na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os idólatras, os homicidas, os que se prostituem, e todo aquele que ama e pratica a mentira. Eu, Jesus, enviei o Meu anjo para vos testificar estas coisas nas igrejas; Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã" (Apocalipse 22:10–16)

Já preguei o evangelho para muitos homossexuais. Mas, como quase sempre acontece na maioria das vezes, eles não me deram ouvidos. Muitos me xingaram de fundamentalista, homofóbico, preconceituoso (e de outros nomes feios que eu nem vou publicar aqui, por uma questão de educação), enfim, me insultaram de tudo quanto é jeito.

Só sei de uma coisa: eu já fiz a minha parte (que é pregar contra o pecado). Estou com a minha consciência tranqüila (até porque eu já cumpri o meu dever de cristão). Se, mesmo assim, esses homossexuais não quiserem se converter, é problema única e exclusivamente deles. No dia do juízo final, será cada um por si diante de Deus na hora de prestar contas. É como alertou o apóstolo Paulo:

"Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:12)

Se os homossexuais e seus cúmplices quiserem ver para crer, depois não vai ter desculpa de falta de aviso!

Bernardo disse...

Pessoal, vejam vocês até que ponto os homossexuais estão blasfemando de Deus sem a mínima cerimônia. Vejam esta reportagem aqui (e, principalmente, vejam a foto que publicaram):

http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-10-04/ativistas-do-bastardxs-promovem-beijo-gay-na-candelaria.html

Eu pergunto: isso é ou não é uma blasfêmia contra Deus?

Tirem suas conclusões

Anônimo disse...

Marcelo, este vídeo é de 2010.

Sebastião

Anônimo disse...

Se o PT fizesse um plebiscito para perguntar a sociedade brasileira se ela esta a favor dos direitos reinvidicados pelos homossexuais , creio que os resultados seriam de calar a boca de muitos líderes do LGBT. Afinal o Sr.Levy Fidélix só falou aquilo que a maioria dos brasileiros queria dizer e ouvir, nada mais, nada menos. òdio e desprezo, não mesmo, só impotência diante de um "enfia guela abaixo", na minha opinião.

yuna007 disse...

Sebastião valores cristãos tem relevância pra uma minoria no brasil
não é nenhuma novidade essa votação pífia do fidelix

Anônimo disse...

Meu voto fez a diferença de Levy Fidelix saltar de 50.000 votos em 2010 para perto de 450.000 nessa última eleição.
Ainda pode não parecer nada mas essa ampliação de quase 10x mais refletiu o descontentamento de uma nação que ainda não dobra a ditadura dos radicais gays.

Anselmo disse...

Como disse Yuna 007, "valores cristãos têm relevância para uma minoria no Brasil". Eu diria melhor: valores cristãos são realmente seguidos por pouquíssimos cristãos autênticos.

Num mundo totalmente corrompido pelo pecado, ser um autêntico cristão nos dias de hoje é uma verdadeira raridade!

Não foi sem razão que Jesus disse:

"Entrai pela porta estreita; porque grande é a entrada e largo e espaçoso é o atalho que leva à perdição, e muitos são os que vão por ele; ao passo que estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos são os que encontram" (Mateus 7:13–14)

Quantos cristãos, hoje, agiriam assim (entrar pela porta estreita)?

Cicero disse...

Esse tema mostra quão preconceituosos, discriminadores, intolerantes e nervosinhos são os ativistas gays! e ainda querem falar de liberdade de expressão e pensamento não só o Levy como qualquer outro cidadão deveria ter o direito de concordar ou não; aceitar ou não; certas condutas e crenças.

Eu e minha esposa votamos em Levy pela sua coragem implacável em defender os princípios cristãos exarados na Escritura.

Augusto Paiva disse...

Essa ação contra Levy Fidelix é inconstitucional. É censura! Ele argumentou com as leis certas e que organizam o estado de direito no Brasil, enquanto os outros candidatos, Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (PSOL), sem terem autoridade, deram voz de prisão para o homem que disse nada menos que uma coisa óbvia, um axioma, inconteste. Ficou explícita ali a intenção de criminalizar a ''homofobia'': simplesmente encarcerar quem proferir contra a ''sacralidade'' do sexo fecal (prática que tem consequência médicas comprovadas): http://juliosevero.blogspot.com.br/2011/05/plc-122-cadeia-para-quem-discordar-da.html. Prender quem vilipendia culto eles não prendem, e os outros podem falar atrocidades contra os cristãos e sua fé. O apoio a Levy Fidelix foi MUITÍSSIMO maior do que a mídia gramsciana quis fazer parecer, de que as opiniões dele teriam chocado os brasileiros, a opinião pública. Mentira! Eles tentam induzir a opinião pública com essas matérias, mas se vermos nas redes sociais, a opinião pública está do lado de Fidelix, só os gayzistas magoadinhos - como eles são afetados! - é que ficaram histéricos. E os histéricos fazem barulho, muito barulho, o que faz parecer ser um enxame, uma maioria, mas não passam de gatos pingados, como aqueles que se manifestaram na Avenida Paulista. O homofascismo não passará! Agora a esquerdalha está desesperada com o novo congresso, tido como mais conservador desde 1964. Quem bom. O povo cristão tem que votar segundo os seus valores. Combater o bom combate... Venceremos!

Wilton disse...

A Palavra de Deus diz com todas as letras:

"Porque o que é elevado entre os homens, é abominação diante de Deus" (Lucas 16:15)

Este versículo se aplica muito bem ao homossexualismo (e outras depravações). Considerando que o mundo já está totalmente dominado pelo pecado, não é de se espantar que muitos já não têm mais o temor de Deus.

Se o pecador não teme em blasfemar contra Deus, então o mesmo pecador também não deve ter nenhum temor quando estiver diante de Deus no dia do juízo final!

Será que os homossexuais estarão preparados para este mesmo dia?

Anônimo disse...

como uma nação que se diz ser cristã em sua maioria dá uma votação medíocre pro único conservador que disputou as eleições de 2014?
eleitores não relevam mais valores cristãos?

Anônimo disse...

Anônimo Marcelo
prefiro um social cristão a um liberotario