25 de agosto de 2014

Gays são 1 em 50, e não 1 em 4


Gays são 1 em 50, e não 1 em 4

Michael Brown
De acordo com uma pesquisa do Instituto Gallup de 2011, os americanos pensavam que 25 por cento da população era gay (ou seja, uma em cada quatro pessoas), enquanto que aqueles com idade entre 18-29 anos apresentavam um número de cerca de 30 por cento (ou seja, quase uma em cada três pessoas). A realidade é que menos de 2 por cento da população é gay (ou seja, menos de uma em 50 pessoas), e muitos líderes gays sabem que isso é verdade.
Povo dos EUA, vocês foram enganados.
Por muitos anos, foi dito aos americanos que “um em cada 10 americanos” era gay, um número com base em um estudo esmagadoramente falho de 1948 de Alfred Kinsey. (Kinsey, na verdade, se baseou em dados de presos do sexo masculino para chegar a suas estatísticas.)
Mesmo sabendo que essa estatística foi inflada, os ativistas gays a usaram como uma mentira conveniente, já que, como salientaram dois líderes estrategistas gays no final de 1980, “há força nas estatísticas.” Conforme expresso por um líder gay há poucos dias, “A verdade é, números importam, e importam para se ter influência política.”
Em outras palavras, se os americanos percebessem que menos de 2 por cento da população era gay, em vez de 10 por cento (e muito menos de 25 por cento), eles teriam tido uma visão muito diferente dos “direitos dos homossexuais.”
Para ficar claro, é errado intimidar ou oprimir ou maltratar alguém com base no sexo ou na etnia ou suas atrações românticas, de forma que não é essa a questão. Mesmo que os gays sejam 1 por cento da população, ou 90 por cento, eles não devem ser maltratados.
Mas você não precisa reformular o sistema jurídico, a ponto de atacar as liberdades de expressão, de consciência e religião baseado no desejo sexual e romântico de uma pequena porcentagem da população, nem tem cabimento alguém se envolver em um grande experimento social, como redefinir o casamento, por causa de um grupo de pessoas estatisticamente pequeno.
Em 2003, no breve relatório da decisão histórica da Suprema Corte dos EUA sobre o caso Lawrence versus Texas, uma grande coalizão de 31 gays e organizações pró-homossexualismo utilizou a estatística de 2,8 por cento da população masculina e 1,4 por cento da população feminina como pessoas que se identificam como gays, lésbicas ou bissexuais.
Isso significa que essas organizações de ativistas estavam plenamente conscientes de que o número de 10 por cento era completamente falso e ainda assim eles nunca protestaram quando esse número foi utilizado para fazer avançar a sua causa. Por que expor uma mentira tão útil?
Em 2011, o Instituto Williams da faculdade de direito da UCLA divulgou um estudo feito pelo Dr. Gary J. Gates, que está a serviço do Instituto Charles R. Williams como um Distinto Acadêmico da Williams sobre Orientação Sexual e Direito de Identidade de Gênero e Políticas Públicas. Sua biografia oficial afirma ainda que, “o Dr. Gates, co-autor da obra The Gay and Lesbian Atlas, é um reconhecido especialista em geografia e demografia de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros… Muitos meios de comunicação, nacionais e internacionais, regularmente exibem o seu trabalho.”
Segundo o Dr. Gates, apenas 1,7 por cento da população se identifica como gay, com aproximadamente o mesmo número para os que se identificam como bissexual.
Compare isso com uma pesquisa informal que realizei ao falar em uma conferência de jovens cristãos no mês passado, perguntando a esses jovens de compromisso qual a percentagem da população que era gay. (Algumas desses jovens foram educados em casa e pareciam conhecer pouco sobre os mais famosos programas de TV a cabo, então eles eram menos conhecedores do mundo do que os jovens comuns.) O primeiro adolescente respondeu: “Trinta por cento.” O segundo disse: “Quarenta por cento.”
Onde no mundo eles conseguiram números tão absurdos? Você pode agradecer à mídia por isso, ou seja, pelas séries de TV, as novelas e os filmes, juntamente com as principais agências de notícias.
Mas é aí que as coisas ficam muito interessantes. Durante anos, os ativistas gays trabalharam para introduzir uma questão sobre a orientação sexual na Pesquisa de Saúde Nacional (NHIS) do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), um documento de grande importância tanto na política do governo americano como na percepção pública.
Essa questão foi incluída na pesquisa de 2013, e os resultados, divulgados no mês passado, produziram manchetes chocantes: “1,6 por cento dos adultos se identificam como gays ou lésbicas e 0,7 por cento se consideram bissexuais.”
Esses números são próximos aos números usados por líderes conservadores durante anos, pelos quais fomos ridicularizados como sendo mentirosos e difamados como sendo inimigos. Agora, o governo confirmou o que sabíamos ser verdade.
Os líderes gays e lésbicas não estavam felizes com os resultados, com o Dr. Scout, diretor da organização sem fins lucrativos da Rede de Saúde LGBT do CenterLink, que afirmou: “Se realmente somos 2 por cento contra 4 por cento, isso significa que as pessoas vão dizer: ‘OK, eu só vou cuidar dessa metade com o mesmo empenho.’”
Que tal mudar isso para: “Se realmente somos 2 por cento contra 25 por cento, as pessoas vão dizer, ‘OK, eu só vou cuidar de um duodécimo com o mesmo empenho.’” E tome nota: o Dr. Scout apenas alegou que 4 por cento eram gays.
Os líderes bissexuais estavam preocupados também com Ellyn Ruthstrom, presidente do Centro de Recursos Bissexuais em Boston, que opinou: “Para uma pesquisa do NHIS de tão respeitada que é produzir um número tão pequeno, é um golpe.”
“Isso apenas vai tornar ainda mais difícil para nós quando sairmos e conversarmos com as pessoas sobre a população bissexual,” disse ela. “Nós já temos uma dificuldade real com as pessoas por não levarem a identidade bissexual a sério.”
Mas fica ainda mais interessante. Um artigo no Washington Post, intitulado “grupos de defesa dos homossexuais contestam a pesquisa federal do número estimado da população,” observa que a Pesquisa Nacional de Fumantes Adultos de 2013 veio com resultados que “mais lembrava o que os grupos de defesa dos direitos dos homossexuais tinham esperado. Descobriu-se que 3,5 por cento dos norte-americanos se consideravam gays, lésbicas ou bissexuais, com 1,9 por cento rotulando-se gay ou lésbica e 1,6 por cento se identificavam como bissexual.”
Isso significa que os grupos de defesa dos homossexuais sabiam muito bem que, ao invés de ser um em 10 pessoas, seus números eram mais perto de um em 50 pessoas, com menos de um em 60 pessoas que se identificam como bissexual.
A verdade é que se tem enganado e mentido para o povo americano, e os ativistas gays têm sido cúmplices nesse engano, isso se não lideraram ativamente as estratégias dessa fraude. Com a nova pesquisa, é hora de expor as mentiras.
A realidade é que menos de um em 50 americanos se identificam como gays, dos quais apenas uma minoria quer ser “casado.”
Que tolice, então, redefinir o casamento, restringir as liberdades de consciência, de expressão e de religião, e se envolver em um experimento social colossal com base em uma pequena porcentagem da população para tal.
Nós não seremos enganados novamente.
Traduzido por Dionei Vieira do artigo da revista Charisma: Gays Are 1 in 50, Not 1 in 4
Leitura recomendada:

21 comentários :

Thiago disse...

Esse movimento LGBT é somente a "ponta de lança" dos Globalistas e sua engenharia social.

O objetivo é a DESTRUIÇÃO do Cristianismo e da Família natural.

Gostaria de entender uma coisa: se o paraíso de liberdade dos gays são as sociedades cristãs democráticas, por que destruí-las? Existe algum edifício que permaneça de pé após o abalo de seus fundamentos? O Ocidente democrático e republicano não criou um ambiente de liberdade individual, dentro do Estado de Direito, onde todos se beneficiam de liberdades e proteção legal?

Não foi o Ocidente Cristão que proporcionou essa liberdade? Não foram as famílias cristãs que se puseram como base para que ocorresse o fenômeno do Estado de Direito? Não será a democracia Americana o suficientemente pra permitir a convivência dos gays e do cristianismo conservador?

O movimento gay vai prosseguir na sua psicopatia em destruir o cristianismo? O movimento gay vai insistir na destruição do modelo natural familiar, mesmo que isso gere inúmeros transtornos? Será o Ocidente pior que o Mundo Árabe e o Oriente?

Vale mesmo à pena destruirmos esses dois pilares civilizacionais do Ocidente, a família e o cristianismo? O que ganharemos em troca, MAIS ESTADO? MAIS REGULAÇÃO? MAS CERCEAMENTO DE LIBERDADE E PENSAMENTO? Será o Estado capaz de gerir todas as áreas de nossas vidas, até o pensamento?

O Estado é gerido por humanos de carne e osso. Uma sociedade, onde todas os instituições foram absorvidas/reguladas pelo Estado será uma sociedade realmente LIVRE? Um partido que controle a máquina governamental conseguirá proporcionar um ambiente propício a alternância no Poder, requisito fundamental da democracia?

Peço que leiam o artigo do site (ohomossexualismo.blogspot.com.br):
O movimento homossexual como arma da Nova Ordem Mundial
http://ohomossexualismo.blogspot.com.br/2014/08/o-movimento-homossexual-como-arma-da.html

Que os gays vivam suas vidas em paz, afinal não estamos num estado democrático de direito (?), mas que deixem em paz as Igrejas Cristãs (a moral judaico-cristã) e o modelo de Família Natural. E que também não haja exagero por parte dos conservadores, pra que não oferecer mais munição para esse movimento (nada de propostas esdruxulas).

conselho ao movimento LGBT: vocês estão destruindo o edifício que sustenta a liberdade de vocês.

Sugestão de Louvor
Diante Do Trono - Um Coração Igual Ao Teu
https://www.youtube.com/watch?v=2Qx70ib6rHw

Julio Severo disse...

Thiago, vc mencionou “democracia americana.” Se você ler, como eu li, a literatura dos fundadores dos EUA você vai ver que eles detestavam a democracia e, acertadamente, diziam que a democracia sempre descamba em ditadura. Mais ao ponto, Benjamin Franklin dizia: “Democracia são dois lobos e uma ovelha decidindo sobre o que comer no jantar.”

Hoje, os EUA são uma democracia, algo que os fundadores dos EUA nunca quiseram.

Mas não é só por isso que a sociedade americana está descambando. O componente essecial da sociedade americana em sua fundação era o Cristianismo. Sem isso, nada funciona.

John Adams (1735-1826), segundo presidente dos Estados Unidos, disse sabiamente: “Nossa Constituição foi feita para um povo cristão e com valores morais. Ela é totalmente inútil para o governo de um povo sem esses princípios”.

Thiago disse...

Júlio, obrigado pela distinção... é bem acadêmica...

eu não quis entrar nesse aspecto Republica Romana versus Democracia Ateniense... quando falei, me expressei de forma geral...

Quis dizer que o sistema político americano proporciona um ambiente onde pode ocorrer a existência pacifica entre conservadores e gays. Sem que um grupo destrua o outro.

Mas os movimentos revolucionários não admitem isso... buscam a destruição do Cristianismo e da Família Tradicional, bases fundamentais da Civilização Americana (e Ocidental).

Julio Severo disse...

Vc disse: “Quis dizer que o sistema político americano proporciona um ambiente onde pode ocorrer a existência pacifica entre conservadores e gays. Sem que um grupo destrua o outro.”

Você está terrivelmente enganado. Até mesmo Franklin Graham, filho de Billy Graham, diz que os EUA estão se transformando numa ditadura. É a democracia, abominada pelos fundadores dos EUA, descambando no que deveria ser.

Se vc acha que é possível uma sociedade que aceita Cristianismo e práticas homossexuais, pergunte aos fundadores dos EUA o que eles permitiriam e se eles estariam dispostos a aceitar essas práticas.

Thiago disse...

Julio, eu penso que uma sociedade não tem uma visão única sobre um assunto. Uma parte desta é contra um tema e outra é à favor. Não há como ter unidade de pensamento. Um grupo defende calorosamente uma coisa e outro defende arduamente outra. O sistema republicano exite pra que essas duas visões coexistam sem que haja um implosão da sociedade. No meu limitado entendimento, pensamento único só no Absolutismo, Rei + ICAR.

Duvido que os fundadores adotariam uma denominação cristã como padrão. Eu acredito que eles estabeleceram esses sistema justamente para que houvesse liberdade religiosa. Queriam que na America não houvesse o que ocorreu na Europa em relação a perseguições religiosas.

De forma parecida, nos tempos contemporâneos, há uma grande parcela da população que é à favor dos gays. Então, eu acredito que as pessoas tem o direito de defender seus pontos de vista. Assim como os cristãos conservadores também tem direito de defender seus pontos de vista, de defender sua maneira de viver. E é justamente isso que está sendo negado aos cristãos. Quem nunca ouvir essa frase: "política não se mistura com religião"? Mas na verdade, tem tudo à ver.

obs: eu não estou dizendo que os cristãos devam aceitar o estilo de vida homossexual. Os cristãos devem obedecer ao evangelho, mesmo que para isso, tenha que desobedecer leis civis. E o restante da população vai defender o que lhe der na telha... é a vida. Mas é importante o RESPEITO MÚTUO, se não, não há sistema político que dê jeito... Como eu vou exigir respeito se não respeito o direito do outro?

obs2: eu não sou o dono da verdade, essa é só a minha opinião pessoal, cheia de falhas...

Julio Severo disse...

Thiago, os fundadores dos EUA já conheciam as práticas homossexuais, e não as aceitavam. Eles as proibiam. Eles também não aceitavam a democracia. Entre a democracia pró-homossexualismo dos EUA de hoje e o sistema dos fundadores dos EUA, fico com o último.

Thiago disse...

Julio amigo,

Eu vejo o sistema republicano como uma "foto" da sociedade. Os EUA do século XVIII era um país cristão, de pensadores cristãos. Nos últimos 150 anos, a "massa crítica", os pensadores da sociedade são majoritariamente ateus. O mundo mudou muito. A sociedade continuou de maioria Cristã, só que, cada vez menos representada no sistema político. Os cristãos, apesar de maioria, aparecem cada vez em menor número em cada "foto" (eleição legislativa) no Ocidente.

Essa máxima que "política não se mistura com religião" é balela de comuna. Eles se tremem de medo do poder da Igreja. Por isso se infiltram, pra domá-la. Só que a Igreja é uma instituição fundada por Deus. Eles não podem alterar suas leis como se fosse uma associação de bairro.

Eu acredito, que dentro do sistema político como se apresenta hoje, temos de nos organizar numa direita cristã conservadora, não para impormos a outros grupos sociais nossos pontos de vista, mas para defendermos da imposição dos ideais deles. Somente os inimigos do evangelho tem podem se organizar? Somente eles têm o monopólio da política? Nós cristãos devemos de ter nossa consciência ESTUPRADA por esquerdopatas, e ainda devemos agradecê-los por isso, servilmente? MIL VEZES NÃO!

Irmão, você sabe o quanto admiro teu trabalho. O quanto considero você. Eu também gostaria que os tempos fossem outros. Mas, você mesmo sabe que as profecias tinham de se cumprir. Que o mundo degeneraria grandemente antes da volta de Cristo. Como nos tempos de Noé e de Ló.

Não me vai ficar bravo comigo... um abraço e fique na paz.

OBS1: você poderia preparar, futuramente, um artigo sobre esse tema, pra nos ajudar a entender melhor amigo.

OBS2: e pra piorar ainda o quadro, há organismos internacionais, infestados de revolucionários, que utilizam esses mecanismos pra "esmagar" a discussão política local de cada país, em prol de uma agenda global. Ou seja, o mundo mudou muito, e pra pior.

Sugestão de Louvor
Fernanda Brum - Outra Vez
https://www.youtube.com/watch?v=kICKsLfIZRk

Thiago disse...

EU ARRUMEI (dentro do possível kkk) A ORTOGRAFIA DE UM PARÁGRAFO MUITO IMPORTANTE:


Eu acredito, que dentro do sistema político como se apresenta hoje, temos de nos organizar numa direita cristã conservadora, não para impormos a outros grupos sociais nossos pontos de vista, mas para nos defendermos da imposição dos ideais revolucionários deles. Somente os inimigos do evangelho podem se organizar? Somente eles têm o monopólio da política? Nós cristãos devemos ter nossa consciência ESTUPRADA por esquerdopatas, e ainda devemos agradecê-los por isso, servilmente? MIL VEZES NÃO!

Marcelo disse...

Quem sabe a melhor solução para esse tipo de abominação (a sodomia) seja a criação de cidades-estado exclusivas para esse tipo de pessoa.

Dessa forma, os cristãos poderiam viver livres desses espíritos e os sodomitas, por sua vez, teriam a oportunidade de levar à frente suas práticas imorais e contrárias à natureza, longe dos supostos olhares condenatórios.

O grande problema é que essas pessoas não se contentam em trazer condenação somente a si próprias, mas, segundo os espíritos que as escravizam e governam, querem espalhar essa desgraça para os demais. E não só isso, elas querem obrigar os demais a aceitar como normal suas condutas abomináveis, entre outras coisas, para tirar, das suas consciências, o peso da culpa que naturalmente carregam.

Por isso, podemos claramente perceber que estamos diante de um problema de ordem espiritual, ou seja, de uma guerra espiritual, voltada para destruir o cristianismo, usando a máscara do humanismo.

Outro caso similar parece ocorrer com os judeus, pois, sem se dar conta, muitos povos, sem motivo aparente, parecem crescer já com certa reserva para com o povo judeu, de tal sorte que, quando a mídia relata um acontecimento envolvendo Israel, sem se preocupar em saber o que realmente houve, grande parte das pessoas já fazem um pré-juízo, condenando os judeus, ainda que eles tenham sido as vítimas.

Thiago disse...

Irmão Marcelo, continue participando do debate. Eu gosto de ver a sua garra pra entender esse mundo difícil de hoje. Vamos continuar lutando em prol da defesa do Evangelho irmão.

Amigos Marcelo e Júlio, Fiquem na Graça do Senhor Jesus, não percam a fé, nem a força. Vocês já são mais que vencedores.

OBS: A Marina e Aécio vão se engalfinhar agora? Gente, não seria mais coerente eles se pouparem e se unirem na detonação dos 12 anos de governo dos PTralhas (vidraça é o que não vai faltar)? Eles insistirão em se auto destruir? Não seria uma estratégia mais lógica, uma neutralidade entre os dois no primeiro turno e depois uma aliança no segundo pra tirar o PT do Foro do Poder? PSDB e PSB não me agradam, mas se eles conseguissem tirar o PT do Poder a nossa Democracia ganharia uma sobrevida e conseguia "sair dos aparelhos" e voltar a respirar. Falta bom senso entre Marina e Aécio, coloquem os pés no chão, ajam dentro do possível. Quem ficará contente caso ocorra uma eventual guerra entre os dois é a Presidente Dilma e sua cambada de Petralhas.

(se eu pudesse dar um conselho para os dois, diria:)
Marina e Aécio, esqueçam um do outro no primeiro turno, e usem artilharia total contra a Gerentona.

Sugestão de Louvor
Yolanda Adams - Still I Rise
https://www.youtube.com/watch?v=efmV-qOtjqI

Trindade disse...

Olá Júlio;
Sempre acompanhando o blog, apesar de não ter comentado a algum tempo, Mas aprendi muito e quero agradecer a você Júlio Severo e ao Thiago, deveríamos sempre ter esses debates inteligentes e cordiais assim, eu por exemplo teria algumas coisas novas nesse belo debate de idéias, não farei no momento, mas acredito que isso nos faz crescer e evidentemente nos une mais, pois mesmo entre irmãos carnais em uma residência saudável há divergências, mas no amor elas são vencidas e fortalece os dois lados.
Obrigado aos dois irmãos até divergentes num tema, mas convergentes no amor de nosso Senhor Jesus Cristo e seu Reino eterno onde teremos a estatura perfeita e nada que é natural nos atrapalhara.

Claudio Vaz disse...

Marcelo sua ideia de isolamento em cidades é absurda. Tão errada como aqueles que defendem que o homossexualismo seja crime.

É absurda porque é desrespeitosa e inócua na guerra espiritual que existe de fato.

Respeitoso Abraço.

Orlando - Sou Teológico disse...

Julio se os glbtsssss.... são tão poucos assim, porque são tão apoiados de todos os lados??? Uma coisa meio paradoxal não??? Será q existe tanto sssssss assim??? Abraços

Thiago disse...

Oi amigo cristão ou amiga cristã Trindade.

Eu aqui sou um mero aluno do Júlio. Participe mais, tenho saudade daqueles que não postam mais.

um abraço.

Marcelo disse...

Nobre Cláudio Vaz,
O Senhor Deus fará a devida separação naquele grande Dia, quando Sodoma e Gomorra serão fichinhas para o castigo que será derramado sobre todos os pervertidos e aqueles que apoiaram a devassidão humana.

Enquanto isso, vamos aturando essas teorias diabólicas, com máscara de humanismo, de justiça, de verdade...mas que não passam de fachada, por trás, da qual, está o maligno.

A caridade não folga com a injustiça e nem pode conviver com ela. Por isso, minha inconformidade com esse crescente processo de feminilização da sociedade que não passa de uma armadilha do diabo para atrair fãs, atacar a moral judaico-cristã e atingir o coração do Senhor Deus.

Não venha me dizer que o Senhor Deus aprova ou fica feliz com essa conduta diabólica...a não ser, é claro, que o nobre amigo não esteja se referindo ao Deus de Israel. Quem é d´Ele também não pode (não consegue) aprovar tal abominação, pois como as trevas podem conviver com a luz?

Jamais aprovarei esse tipo de conduta e gostaria imensamente que nossos filhos fossem poupados dessa doutrinação diabólica (forçada). Todavia, se o nobre amigo aprova isso, pode ficar tranquilo, pois eu não vou sair nas ruas caçando sodomitas.

Aliás, no futuro, possivelmente, tal conduta será adotada por esses pobres diabos...basta dar uma brecha para esse tipo de espírito e você verá do que ele é capaz.

Os sodomitas, sim, possivelmente caçarão os cristãos, futuramente, neste país, exatamente como ocorre no mundo árabe. E sabe por quê? Por que: 1 - Contam com milhões de simpatizantes e defensores; e 2 - Grande parte deles não se contenta em caminhar sozinhos para o abismo, mas querem arrastar muitos inocentes para lá (vide o caráter das leis que lutam para aprovar).

Quando essa perseguição ocorrer, meu caro, não será novidade para nós, pois quem os guia, e escraviza, é o DIABO, o qual veio para matar, roubar e destruir.

Amo o Senhor Deus, pois Ele fala e cumpre. Ele disse a Adão que não comesse da fruta, pois, se o fizesse, iria morrer, e isso se cumpriu. Quando Adão desobedeceu, houve misericórdia por parte de Deus, mas a justiça foi feita.
Da mesma forma ocorreu por ocasião da crucificação do Senhor Jesus, quando um dos ladrões foi salvo por Ele, por ter se arrependido.
Todavia, o Senhor Jesus não o tirou da cruz, pois ele tinha que pagar a dívida que contraíra com a sociedade. Ao contrário disso, suas pernas foram quebradas para que ele morresse mais rápido...

Coitados de muitos de nós, cristãos, que trazemos no coração uma espécie de masoquismo, achando que se trata de caridade. Além disso, há, entre nós, vários preguiçosos que querem que o Senhor faça tudo por eles, como se Ele fosse escravo do homem.

Claudio Vaz disse...

Eu disse que separar homossexuais em cidades é um absurdo. Ponto.

Qualquer ilação feita a partir do que eu disse fica por sua conta, Marcelo.

Abraço fraterno.

Marcelo disse...

Prepare-se para ser excluído, meu amigo Cláudio, a não ser, é claro, que você não seja um cristão legítimo...
Não aprovo a sodomia e nem quero compartilhar com ela, muito menos com quem a defende ou pratica, embora saiba que se trata de uma escravidão diabólica, digna de dó.
Se você chama isso de homofobia (vejo que você é politicamente correto), seja livre para fazê-lo, mas deixe-me expressar a minha opinião.
Ao invés de ficar classificando as opiniões alheias, apresente outra melhor, com as suas justificativas (não absurdas, nem desrespeitosas e nem inócuas)...
Por certo, você é daqueles que aprova as paradas sodomitas (um ultraje para os valores cristãos e uma vergonha para os seres humanos de uma forma geral), as quais são realizadas nas principais ruas dos grandes centros, com dinheiro dos nossos impostos, os quais deveriam ser usados para construir e não para destruir os valores morais de uma sociedade eminentemente cristã (ainda).
Pela sua postura, creio que você assinaria embaixo, por exemplo, da realização desse tipo de abominação (parada sodomita) em Jerusalém, ou nos lugares sagrados das demais religiões, afinal, os sodomitas são humanos, certo?
Respeito sua posição de simpatizante da causa sodomita, estrategicamente confundida com um direito fundamental da pessoa humana (pelo jeito, até pelo Papa). Todavia, só posso dizer que parece estar claro, caro amigo, que nós dois cremos em deuses distintos, até porque o Deus de Israel diz, na Sua Palavra, que os que tais coisas praticam são dignos de morte (Rm 1:27,32). Aliás, não só eles , mas os que consentem também o são (v. 32).
Se os sodomitas querem perversão, que sejam livres para fazê-lo, mas bem longe de mim e da minha casa.
Respeitosamente,

Marcelo

Marcelo disse...

Guardadas as devidas proporções, cito duas passagens do Velho Testamento que nos mostram duas gerações, do povo de Deus, que foram abençoadas porque seus reis tomaram providências para erradicar o mal da sodomia do meio do seu povo, quais sejam:
1 - "Porque tirou da terra os sodomitas, e removeu todos os ídolos que seus pais tinham feito." I Reis 15.12;

2 - "Também expulsou da terra o restante dos sodomitas, que ficaram nos dias de seu pai Asa." I Reis 22.46;

Claro que isso não resolveu todos os problemas daquela geração e tão pouco resolveria todos os problemas da sociedade atual, pois o mundo jaz no maligno.
Mas aqueles reis foram aprovados por Deus naquilo que fizeram, pois seus atos, contrários à devassidão moral, agradaram de tal modo a Deus que suas providências ficaram registradas, para sempre, nas Escrituras Sagradas.
Deve haver medidas para frear essa fúria sodomita que se apossou da mídia, das ruas, das mentes e dos corações de milhões...
Quanto mais recuamos, mais esses espíritos avançam, até chegar ao ponto de sermos perseguidos e mortos por pregar a verdade (o que parece não estar muito longe de acontecer e seria uma honra para quem ama a Deus).
Não desejo que ninguém morra, mas que respeite a minha fé e a minha liberdade de educar meus filhos no caminho da justiça.
O resto, tanto quem pratica como quem aceita e apoia a sodomia, que fique bem longe de mim, e preste conta a Deus no último Dia.

"Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus." I Coríntios 6.9,10;

Marcelo disse...

Complementando minha argumentação, gostaria de dizer que, estrategicamente, o diabo tem provocado, a partir da teoria dos Direitos Humanos, uma confusão nas mentes de grande parte dos cidadãos das nações ocidentais.
Essa teoria tem lançado uma enxurrada diabólica contra a moral judaico-cristã, com perspectiva de destruir os alicerces da cultura ocidental, pois, finalmente, o homem ocupará o centro do universo, assumindo definitivamente o lugar de Deus nos corações de milhões (até mesmo dos menos avisados que acham que são cristãos e não são).
De posse dessa teoria, o diabo tem convencido o mundo que cada qual tem o DIREITO de fazer o que quer e ninguém tem nada a ver com isso, de sorte que, aqueles que estiverem incomodados que se mudem.
Todavia, num país como o nosso, onde a maioria das pessoas são mantidas na mais completa alienação cultural e moral, o humanismo certamente acabará afetando a liberdade de quem não concorda com as condutas diabólicas.
Sou contrário a essa libertinagem que está se instalando neste país, onde incluo a prática sodomita, ainda mais sob a alegação de humanismo.
Defendo, por exemplo, a pena de morte para crimes hediondos, exatamente como é realizado, por exemplo, em nações ricas e desenvolvidas como os EUA.
Se pensarmos em termos de Direitos Humanos, os primeiros a desrespeitá-los são exatamente os criminosos, os quais, fortemente armados, fazem o que quer de suas vítimas, humilhando-as, por vezes, até à morte.
A população, por sua vez, acaba sofrendo o dano, pois está cada dia mais indefesa, sem ter direito de empunhar armas para se defender, e sem poder contar com uma polícia motivada para nos livrar desses malditos.
Os direitos humanos estão proporcionando aos sodomitas ganhar espaço para impor abertamente, aos demais, suas condutas diabólicas, contando com o escudo e a máscara dos Direitos Humanos.
De tal sorte que muitos já estão convencidos de que não há mal nenhum nessa prática, até mesmo líderes religiosos e outros que garantem que sua fé se apoia nas Escrituras Sagradas.
Bem vindos à apostasia generalizada, que trará a destruição do nosso planeta.

Marcelo disse...

Para agradar estes e aqueles, como o sr Claudio, mudo meu discurso e sugiro, então, a criação de cidades-estado só para aqueles que temem a Deus, como ocorreu quando os europeus protestantes criaram a nação norte-americana.

Tenho certeza de que milhões de pessoas gostariam de migrar para esses refúgios e viver num lugar onde os sodomitas, com suas práticas diabólicas e leis malignas, estariam bem longe.

Querendo alguns ou não, tais pessoas se fazem abomináveis diante de Deus, com suas condutas contrárias à Palavra, as quais, nesta vida, já trazem grande desgraça sobre si, e trarão condenação ainda maior no século vindouro, junto daqueles que as apoiaram em suas condutas satânicas, mesmo com a maligna desculpa de humanismo.

Marcelo disse...

No Brasil há estatísticas quanto ao número de gays e lésbicas?