7 de agosto de 2014

Confirmado: Os EUA são o Principal Facilitador da Perseguição aos Cristãos


Confirmado: Os EUA são o Principal Facilitador da Perseguição aos Cristãos

Raymond Ibrahim
Indicadores proeminentes confirmam que os EUA são o principal facilitador da perseguição aos cristãos em todo o mundo hoje.
Senador John McCain se encontrando com terroristas islâmicos na Síria
De acordo com a recém-lançada Lista de Vigilância Mundial de 2014 que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos, a Síria é o terceiro pior país do mundo para ser um cristão, o Iraque é o quarto, o Afeganistão é o quinto e a Líbia é o décimo-terceiro. Todos os quatro países recebem a designação mais forte, de “extrema perseguição” (outras designações são perseguição de nível: “grave,” “moderado” e “raro”).
Além de estarem tão juntas e serem duramente classificadas, essas quatro nações têm outra coisa em comum: um grande envolvimento dos EUA. Três delas (Iraque, Afeganistão e Líbia) foram “libertas” graças às forças armadas americanas, enquanto que na quarta, a Síria, os EUA estão patrocinando ativamente os “combatentes da liberdade” contra o governo sírio, muitos dos quais merecem o rótulo de “terroristas.”
Só a situação da Síria é suficiente para incriminar a política externa americana. De acordo com a agência de notícias Reuters:
A organização Portas Abertas, um grupo não-denominacional que apoia os cristãos perseguidos em todo o mundo, disse nesta quarta-feira que documentou 2.123 assassinatos de cristãos que foram vítimas de martírio, em comparação com 1.201 que ocorreram em 2012. Só na Síria, foram 1.213 desses assassinatos no ano passado. “Essa é uma contagem mínima, com base no que foi divulgado na mídia e nós podemos confirmar,” disse Frans Veerman, chefe de pesquisa de Portas Abertas. Estimativas de outras organizações cristãs colocam a estatística anual em patamares maiores que chegam a 8.000.
Enquanto a maioria dos americanos estão protegidos contra a verdadeira natureza da guerra devido à relutância da mídia americana em noticiar sobre isso, a mídia, os sites e os ativistas de língua árabe diariamente noticiam e documentam atrocidade após atrocidade, decapitações e ataques de bomba a igrejas, cristãos sendo massacrados por se recusarem a se converter ao islamismo e incontáveis sequestros com o propósito de resgate ou estupros, tudo isso pelas mãos daqueles que os EUA apoiam.
É suficiente destacar que “o maior massacre de cristãos na Síria,” para citar um importante líder religioso, ficou totalmente sem cobertura jornalística de todas as grandes redes de notícias dos EUA.
De qualquer forma, as estatísticas falam por si: a Síria costumava ser tolerante com as religiões, mas depois que os Estados Unidos começaram seus esforços de trazer “democracia” a esse país, a Síria é hoje o terceiro pior país do mundo em termos de "extrema perseguição" aos cristãos.
A agência de notícias Blaze informa que o Dr. David Curry, presidente de Portas Abertas,
acusou que o governo de Obama tem, essencialmente, se recusado a fazer da proteção das minorias religiosas uma prioridade… “Há muitos casos em que o vácuo de liderança e representatividade criaram um problema real,” disse o líder dos direitos humanos. “Eu diria que todos os dados significativos apontados neste ano da Lista de Vigilância de 2014 são piores — e eu acho que um fator que contribuiu é a falta de liderança dos governos ocidentais, incluindo… os EUA em termos de liberdade religiosa.”
Mas é pior que isso. Longe de tomar qualquer ação ou mostrar liderança, ou simplesmente parar de apoiar os terroristas responsáveis — o governo de Obama recentemente tentou entrar em guerra com a Síria em favor dos “combatentes da liberdade” e, pasmem, em nome de “direitos humanos.” (Ao que tudo indica, o boato infundado de que Assad massacrou pessoas é o suficiente para os EUA irem à guerra, mas os bem documentados massacres de cristãos e outros civis que estão ocorrendo nas mãos da oposição não é suficiente para que os EUA parem de apoiá-los.)
O que é pior, mesmo os mais desinformados americanos que assistem ao noticiário da mídia em geral, hoje sabem que a chamada “Primavera Árabe” que foi usada para justificar o apoio dos EUA aos “rebeldes” de todas as espécies — no Egito, a Irmandade Muçulmana (que meses atrás destruiu cerca de 80 igrejas); na Líbia, a al-Qaeda, que se transformou em uma zona de terror em Benghazi; e agora os “combatentes da liberdade” na Síria — não é exatamente aquilo que estava sendo elogiado.
Em outras palavras, neste momento, sempre que os EUA intervêm em uma nação islâmica, os islâmicos chegam ao poder. Isso está muito bem comprovado nas outras três nações em que os EUA trouxeram a “democracia” e onde as minorias cristãs sofrem “perseguição extrema”:
Afeganistão: O governo supostamente “moderado” de Karzai, instalado pelos EUA, mantém muitas das leis draconianas impostas pelo Talibã, incluindo a lei da apostasia, que ferozmente perseguem aqueles que buscam se converter ao Cristianismo e, em 2011, com o patrocínio dos Estados Unidos, destruiu a última igreja cristã do Afeganistão.
Iraque: Depois que os EUA derrubaram Saddam Hussein, as minorias cristãs foram barbaramente atacadas e mortas, e dezenas de suas igrejas foram bombardeadas. Os cristãos foram quase extintos pelo terrorismo islâmico, com mais da metade deles fugindo do Iraque.
Líbia: Desde que terroristas ligados à al-Qaida e apoiados pelos EUA derrubaram Kadafi, os cristãos — inclusive cristãos americanos — têm sofrido perseguição extrema. Igrejas têm sofrido ataques de bomba, cristãos têm sido torturados e mortos (inclusive por se recusarem a se converter ao islamismo); e freiras tem sido ameaçadas.
Certamente um tema comum emerge aqui: Onde os EUA trabalham para derrubar os autocratas seculares, a qualidade de vida para os cristãos e outras minorias leva um grande tombo. Sob Saddam, Kadafi e Assad, os cristãos e suas igrejas eram amplamente protegidos.
Além disso, enquanto George W. Bush foi o responsável pelo Afeganistão e o Iraque, pode-se argumentar que, naquela época (2001 e 2003), esse padrão de radicalização islâmica que irrompe uma vez que os autocratas caem, era bem menos conhecido do que é hoje. Não havia muitos precedentes.
Por outro lado, o governo de Obama teve o Afeganistão e o Iraque para aprender — e ainda assim ele apoia os islamistas e jihadistas. Mas agora, o que acontece quando assumem o poder — perseguição religiosa, terror e opressão — já não é um segredo.
A propósito, aqueles que pouco se importam com o destino dos cristãos ou de outras minorias no mundo islâmico fariam bem em lembrar de uma simples banalidade: Sempre que elementos anticristãos chegaram ao poder, as forças antiamericanas chegaram ao poder. Os dois são sinônimos.
Dito de outro modo, a perseguição muçulmana aos cristãos é o teste decisivo de quão radical uma sociedade islâmica pode se tornar. Em todos esses países muçulmanos que os EUA interferiram — Afeganistão, Iraque, Líbia, Egito (até que os egípcios se rebelaram, para castigo dos EUA), e agora a Síria — o aumento da intolerância religiosa é um reflexo do fortalecimento das forças hostis à civilização ocidental.
Muitas vezes me perguntam, “Como podemos ajudar os cristãos perseguidos?” Neste ponto, deve-se responder: “Que tal começar fazendo com que o governo dos EUA deixe de ser o principal facilitador da perseguição aos cristãos?” Deixando o altruísmo de lado, seria do interesse de todos os que prezam a liberdade, religiosos ou não — e, especialmente, seus descendentes.
Leitura recomendada:

15 comentários :

Thiago disse...

ESQUERDISTAS + ATEUS = ÓDIO AO CRISTIANISMO. (se tornam aliados do Islã, indiretamente)

QUEDA DO CRISTIANISMO NOS EUA E UE;

ASCENSÃO MUÇULMANA NOS EUA E UE;

Se os esquerdistas libertários e ateus pensam que destruindo o cristianismo encontrarão a tal LIBERDADE/LIBERTINAGEM, "vão tirando o cavalinho da chuva". Onde o Cristianismo desaparece, o Islã passa dominar.

A Maçonaria Americana está seguindo os passos de Pike. Abrindo as portas para o radicalismo islâmico, para que ocorra o 3º grande conflito Islã x Israel. PARABÉNS SEUS FILHOS DE BELZEBU.

O inferno está esperando aqueles que proporcionaram tal cenário de matança de cristãos martirizados por essa MALDITA JIHAD (!!!). Vão sofrer o CASTIGO ETERNO DE ETERNIDADE EM ETERNIDADE, enquanto os mártires estarão no Seio de Abraão, no Céu de Luz, com Nosso Senhor Jesus Cristo.

Sugestão de Louvor
Patti Labelle- You Are My Friend (Gospel)
https://www.youtube.com/watch?v=chamsyiS6QE





Marcelo disse...

Como julgar uma nação com tamanho poderio bélico? Quem de nós se atreveria a se meter com os EUA? Ninguém teria coragem para isso...os que tentaram, se arrebentaram, pois, todos sabem que, como os demais impérios, os norte-americanos não pensariam duas vezes para usar todos os recursos, lícitos e ilícitos, diante de qualquer ameaça.

Você pode até querer macular a imagem norte-americana, mas tentar mexer no alto padrão de vida que os norte-americanos levam, pelo qual o mundo paga um preço muito caro, seria o mesmo que cutucar a onça com vara curta (só Deus pode com eles).

Sabiamente (uma sabedoria maligna), os norte-americanos usam a estratégia de fazer guerra no quintal dos outros, e, isso, sem quaisquer limites, de sorte que a destruição dos valores morais das nações (as pobres vítimas), por exemplo, é apenas mais uma das diversas jogadas que esse xadrez maligno apresenta.

Uma guerrinha em terra alheia, além de aquecer a economia, entre outras coisas, permite que somente alguns agentes e os militares paguem com suas vidas, poupando os demais...para tanto, internamente, o governo valoriza sobremaneira a carreira militar, criando monstros de guerra, pois, em sã consciência, ninguém sente prazer em entrar na casa dos outros para saquear suas riquezas (isso é coisa do diabo).

Dessa forma, tanto capitalistas como comunistas acabam sendo doutrinados a fazerem de tudo pela CAUSA, uns de uma forma e outros de outra...como escapar desse sistema BESTIAL escravagista? Só há um caminho...

marcelo victor disse...

Por trás disso tudo está o diabo, dando gargalhadas dos seres humanos que, em Adão, viraram as costas para o Senhor Deus voluntariamente.

O vídeo do site https://www.youtube.com/watch?v=ZgNck66Ldl4 mostra o que é a CULTURA DO ÓDIO e como ela se forma.

É triste para um cristão, que ama a luz e o príncipe da vida, ver naquilo que se transformaram esses pobres mortais, tomados pelo espírito da morte.

Inclusive os líderes islâmicos, que aparecem nesse vídeo, declarando o ódio que sentem do ocidente, não passam de vítimas dessa enganação diabólica, que aprenderam de seus antecessores e que dão continuidade, uns por que acreditam nessa mentira, outros por prazer no mal e outros por causa do poder.

Agora sei por que pesou no coração de Deus ter criado o homem...

Mas, o que me deixa perplexo, quanto à situação brasileira atual, é assistir uma série de pessoas de bem (incluindo as autoridades que efetivamente podem agir) se deixar levar por algo semelhante ao que ocorre no mundo islâmico: a cultura do ÓDIO.

Salvo erro, apoiar grupo terrorista, assassinar pessoas (como o caso de Celso Daniel), calar as opiniões contrárias (mesmo por decretos presidenciais), destruir a independência entre os poderes governamentais (comprando ou intimidando), roubar os bens públicos, mentir descaradamente diante de todos, etc, são claros exemplos do estabelecimento, neste país, da CULTURA DO ÓDIO (numa versão mais light).

Os comunistas, mesmo não sendo islâmicos, salvo erro, se aproximam muito dessas pobres criaturas, sobretudo os que nunca viveram debaixo de tal regime, pois, apesar dos vários exemplos de fracasso, acreditam que ele é a única solução para todos os problemas da humanidade (ou fingem que acreditam apenas para chegar ao poder, do qual não querem largar mais quando conquistam, custe o que custar).

Anônimo disse...

Tenho muita estima pelos americanos. Praticamente, todo objeto da vida moderna tem a ver com o esforço deles em pesquisar, produzir e colocar aa disposição. Mérito deve ser dado a quem de direito. O "problema" é que a inveja, como está na Bíblia, é o pior que o coração pode abrigar. Assim, culpam os americanos pelas misérias do mundo. Olhemos para nos, povo imbecil, desonesto, sem educação, etc. e, invejoso. Parece que falta aos "críticos' tupiniquins ver que o mundo TODO jaz no maligno. Mas, a se levar em conta a "sabedoria" dos tapuias, o inferno são os outros (americanos).
Ora, hj, mais do que nunca, o kapeta assumiu os governos de TODOS os países, sendo que, em alguns, COMO NO NOSSO CASO nunca largou.
Mesmo que os americanos fossem o que se diz, ainda assim, NUNCA me esquecerei de que o Senhor os usou para trazer a mim a Verdade que liberta. Para dizer a verdade, nem o demônio esquece, por isto levanta o ódio sobre todas as pessoas daquela grande nação, como vingança.
Sobre o Mc Cain, é sintomático que, sendo Mc/Mac prefixo para "filho de", Cain lembra o filho do diabo que se salvou na arca e, o dito aí do artigo só está sendo fiel ao "pai" do pai.

Antonio.

Julio Severo disse...

Antonio, nós dois fomos muito abençoados pelo Evangelho pregado por americanos. Veja o que a Bíblia diz para nós dois:

“Se você avisar um homem mau, e ele não deixar de pecar, ele morrerá ainda pecador, mas você não morrerá. - Se um homem direito começar a fazer o mal, e eu o puser em uma situação perigosa, ele morrerá se você não o avisar. Ele morrerá por causa dos pecados dele, e eu não lembrarei do bem que ele fez. E você será responsável pela morte dele.” (Ezequiel 3:19-20 NTLH)

Julio Severo disse...

Proteger a vida dos cristãos indefesos é muito mais importante do que defender o nacionalismo americano. Os americanos sabem como defender a si e suas guerras. Ma a maioria dos cristãos ao redor do mundo que estão sendo massacrados não. Por isso, nossa prioridade absoluta deve ser a defesa dos inocentes.

Anônimo disse...

Por que ninguém (imprensa e governo) se escandaliza com isso: < http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/08/papa-francisco-pede-protecao-internacional-para-iraquianos-em-fuga.html > - CADÊ A COMUNIDADE INTERNACIONAL? NO IRAQUE TEM CRISTÃOS (PRESBITERIANOS, CATÓLICOS, ORTODOXOS ETC.)!

Anônimo disse...

O ditador iraquiano, que George W. Bush perseguiu e mandou matar, protegia os cristãos do Iraque, garantindo a permanência de uma das mais nobres e heroicas igrejas católicas do Oriente (rito caldeu, siríaco, armênio, grego ou latino). Enquanto Saddam vivia, a comunidade tinha mais de um milhão de fiéis.

Procurem saber mais neste Link:
http://corecatholica.blogspot.com.br/2014/08/martires-cristaos-no-iraque.htm

Nil disse...

http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/cultura/cristaos-ameacados-no-iraque-nao-espere-solidariedade-das-esquerdas-humanitarias/

ÒTIMO ARTIGO

Marcelo disse...

Logo logo essa será uma realidade brasileira, isso se a guerrilha continuar avançando e as autoridades continuarem se omitindo, ou se aposentarem, como fez Barbosa...
Aliás, a cada anoa milhões de brasileiros já estão saindo do país para viverem, com segurança, em outras nações...

Marcelo disse...

A fuga em massa do Iraque em breve será a nossa realidade nacional, se as autoridades continuarem se omitindo ou se aposentando, como fez o Brabosa, diante do avanço do governo da guerrilha...

Anônimo disse...

É que para a atual imprensa jornalistica, um guerrilheiro morto vale uns 1000 civis mortos. Aí explica a ojeriza que eles tem contra o regime militar Brasileiro, que "sumiu" com uns 200 militantes "pró democracia", mas em compensação nosso número de homicidios era mais baixo que os EUA. HOje, temos liberade política, do jeitinho que os esquerdistas queriam, mas a custa de 50 mil homicidios por ano. Democracia em lugar atrasado, sem leis e lideres forte, só gera como produto direto a violencia.

flavio disse...

Democracia imposta, não gerada espontaneamente e progressiva por uma nação, sempre, mas sempre, tem como produto direto a violencia justamente contra os mais fracos. Basta ver o que acontece com nosso país depois de 1984. Temos o cumulo de ter mais de 50 mil homicidios em um unico ano. E no iraque democrático é a mesma coisa.
Ah, e para os fanaticos de plantão, o protestantismo foi o caminho o pontapé para o declinio da cristandade, e não o catolicismo. A separação igreja-estado defendida pelos protestantes só existe nos paises de maioria crista e ocidental, e não existe em nenhum país com maioria não cristã. Isso explica porque as vezes uma população é 90% contra de algo e mesmo assim o governo laico faz, como no caso de adoção de crianças a homossexuais.

Marcelo disse...

Enquanto os comandantes militares se curvam à guerrilha, algumas vozes se levantam contra a bandalheira que se instalou neste país, vejam vídeo https://www.youtube.com/watch?v=ECUXcCoyy9U.

Preparem-se para a perseguição religiosa que se instalará em breve, a continuar esse desgoverno...

Isso, é claro, não deverá ocorrer contra aqueles que, desde já, estão se aliando aos bandidos, os quais, segundo o vídeo, formarão as igrejas do PT...

Gustavo Campos disse...

eu acredito que tudo isso que está acontecendo é realmente o reflexo da diminuição da fé, e também do fato de que a nação americana tem uma grande fonte de lucros na produção de armas, que serve para tentar manter sua sede por mais poder e mais dominação, mesmo que isso seja feita de forma discreta. Nao vejo necessidade de manter bases militares em todos os continentes. Não é estranho eles apoiarem e enviarem armas tanto a Israel quanto para o Iraque a Siria. O lucrativo mercado de armas agradece. No entanto, como a nação americana é muito desenvolvida tecnologicamente e economicamente, não vejo motivo para antiamericanismo, o que infelizmente está acontecendo com o Brasil, no governo Ptista.Temos sim algumas lições para aprender com eles.