20 de agosto de 2014

A maioria dos pastores evita questões controversas para manterem os dízimos elevados


A maioria dos pastores evita questões controversas para manterem os dízimos elevados

Jennifer LeClaire
Pastores geralmente acreditam que o casamento do mesmo sexo e o aborto são errados, mas a maioria deles não vai falar com suas congregações sobre isso por medo de perderem membros.
Esse é um aprendizado básico de um estudo recente do Grupo Barna. O perito em pesquisas, George Barna, esteve no programa de rádio “Família Americana” para discutir sobre as questões relacionadas ao que ele descobriu.
"O que estamos descobrindo é que quando perguntamos a eles sobre todas as questões-chaves do dia, [90 por cento deles] nos dizem: 'Sim, a Bíblia fala de cada uma dessas questões." Em seguida, perguntamos, 'Bem, você está ensinando ao seu povo o que a Bíblia diz sobre essas questões? " — e os números caem… para menos de 10 por cento dos pastores que nos dizem que vão falar sobre essas questões," disse Barna à agência de notícias “One News Now“.
Como se vê, os pastores não estão dispostos a fazer "quase nada" para fazem com que as pessoas sejam ativas em questões políticas.
"Então, a coisa que mais me impressionou foi que, quando se fala sobre a separação entre Igreja e Estado, vemos que as igrejas têm se separado das atividades do Estado — e isso é em detrimento do Estado e de seu povo", disse Barna.
Barna apontou cinco fatores que a maioria dos pastores enumeram quando são questionados se as suas igrejas são bem-sucedidas: participação, doação, número de atividades, número de funcionários e área construída.
"Agora, todas essas coisas são boas medidas, com exceção de um pequeno fato: Jesus não morreu por nenhuma delas", disse Barna. "O que eu estou sugerindo é que [aqueles pastores] não vão ficar provavelmente envolvidos nas questões políticas, porque elas são muito controversas. A controvérsia impede as pessoas de estarem nos bancos, a controvérsia impede as pessoas de darem dinheiro, de comparecerem às atividades."
Barna também culpa a escola bíblica, em parte, pela falta de motivação. Os pastores, disse ele, são ensinados a se envolverem com interpretações das Escrituras ao invés de se envolverem em questões culturais.
Traduzido por Dionei Vieira do artigo da revista Charisma: Most Pastors Avoid Controversial Issues to Keep Tithes Up
Leitura recomendada:

17 comentários :

Julio Severo disse...

Um pastor presbiteriano, que tem medo de falar que dons como profecias e outros estão disponíveis para nós hoje, prega sobre o pecado da idolatria, mencionando especificamente adoração a Aparecida, mas de forma muitíssimo educada. Nem é preciso falar isso, pois a igreja é presbiteriana e presumivelmente ninguém ali tem hábitos religiosos diferentes. Mas então o marido de uma das membros, casado com ela há mais de 50 anos, fica ofendido, porque ele sempre foi católico. Mas também sempre frequentou essa igreja com a esposa. Ele reclama para a esposa que nunca mais voltará à igreja e dará o dizímo, apesar de que a pregação do pastor foi muito rasa e jamais confrontativa. O pastor vai à casa deles, pede desculpa e se compromete a não mais tocar no assunto. Sobre dons espirituais, há um grupo de presbíteros na igreja que é cessacionista e se o pastor tentar navegar por essas águas, os presbíteros orientarão suas panelinhas na igreja a não pagar o dízimo e, em casos extremos, farão uma reunião para substituir o pastor. Claro que a revista esquerdista Ultimato rola a solta na igreja e ai do pastor se tentar dizer que ela faz mal para a saúde espiritual… Nessas igrejas, se o pastor não andar na linha das panelinhas mais importantes, perde os dízimos ou até o cargo. Quem lê que entenda…

Julio Severo disse...

Isso não é nada. Apesar das panelinhas e diferenças, todos os presbíteros são maçons. Se por um milagre o pastor não for maçon e ousar pregar contra a maçonaria, ele será expulso aos pontapés pelos presbíteros.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Amado irmão Júlio Severo,

Do jeito que o pecado já contaminou o mundo inteiro, muitas pessoas procuram uma igreja ou religião que satisfaça somente as suas próprias conveniências pessoais (ou que não diga nem faça nada contra o pecado). Em outras palavras: muitas pessoas só querem acreditar no que elas desejam (e não no que elas realmente precisam). Não é de se espantar que o que vivemos hoje é uma total inversão de valores: o errado é certo, o certo é errado, o mal virou bem, o bem virou mal, enfim, os preceitos morais da nossa sociedade estão completamente ao contrário. É como bem disse o profeta Isaías:

"Ai daqueles que chamam o mal de bem, e o bem de mal; que fazem da luz as trevas, e das trevas a luz; que fazem do amargo o doce, e do doce o amargo" (Isaías 5:20)

Não será surpresa se, qualquer hora dessas, criarem uma lei nos obrigando a adorar ao diabo (e nos proibindo de crer em Deus). Aliás, do jeito que existe tanta podridão e tanta imoralidade reinando tanto aqui no Brasil como também em todo o mundo, eu nem me espantaria se uma lei dessas fosse aprovada. Em virtude isso, não é sem razão que a Bíblia diz que "o mundo jaz no maligno" (1 João 5:19)

Eu diria mais: está sendo muito difícil, ultimamente, achar cristãos autênticos (que tenham compromisso somente com a obediência à Palavra de Deus). Quem quiser ser um verdadeiro cristão tem que ter uma postura firme e forte para combater o pecado (e, ao mesmo tempo, estar pronto para ser odiado pelos homens). Mas quantos, hoje, teriam essa mesma disposição?

Jesus, na Sua primeira vinda à Terra, não veio para agradar aos homens. E por agir assim, Ele foi odiado por muitos (principalmente pelos poderosos da época). Por que Jesus foi odiado? Porque Ele sempre falava a verdade. Ele desmascarava os hipócritas (e Ele também revelava os pecados ocultos de muitos). Quem fala a verdade sempre é odiado. Se com Jesus foi assim, quanto mais com os Seus servos!

Você, irmão Júlio, é um bom exemplo isso. Por você ter falado a verdade sobre o ativismo homossexual, você passou a ser odiado (e também perseguido) pelos homossexuais e pelo governo (já quiseram até saber o seu endereço, se é que já não o ameaçaram de morte). Por causa disso, você teve que ir, com a família, para um exílio forçado no exterior.

Este é o doloroso preço que o verdadeiro cristão tem que pagar pela sua fidelidade a Jesus (e pela sua luta contra o pecado). Quantos, hoje, fariam como os fiéis da igreja de Esmirna (que, por amor a Jesus e à verdade da Sua Palavra, aceitaram a morte sem nenhum medo)? Quem, nos dias de hoje, teria a mesma postura firme de um Elias, um Jeremias, ou um João Batista para combater o pecado (e também para falar certas verdades que muitos estão precisando ouvir)?

Os mártires da fé cristã não hesitaram quando foram obrigados a escolher entre o pecado e a morte. O lema deles era: "Antes morrer do que pecar". Eles permaneceram firmes nas suas convicções, e acreditavam que esta corajosa decisão que tomavam agora certamente será lembrada no tribunal divino.

Se estivermos realmente decididos a ser verdadeiros cristãos (ainda que tenhamos que ser odiados pelo mundo), temos que obedecer ao que Jesus diz em Sua Palavra:

"Se alguém quiser vir após Mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz, e Me siga. Pois quem desejar salvar sua vida vai perdê-la, mas aquele que perder a sua vida por amor a Mim vai achá-la. Porque de que adiantará ao homem conquistar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que dará o homem em troca de sua alma?" (Mateus 16:24–26).

"Entrai pela porta estreita; porque grande é a entrada e largo e espaçoso é o atalho que leva à perdição, e muitos são os que vão por ele; ao passo que estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos são os que encontram" (Mateus 7:13–14)

Eu pergunto: quem teria coragem para agir assim nos dias de hoje?

Se você (ou alguém daqui) quiser dizer alguma coisa, fique à vontade.

Marcelo disse...

A febre pelo dinheiro e a mentira estão em todos os lugares: capitalismo, comunismo, denominações religiosas...
Só não vê quem é cego: https://www.youtube.com/watch?v=cQsSw4OSJBY

Noel Gomes disse...

O Pastor presbiteriano não tem medo de pregar sobre o continuísmo, a bíblia em sua linha conclusiva(ou seja, analisada de forma universal e continua, não em textos isolados) e quem diz isso.
Eu queria que você citasse fontes(comprovadas) de que essa alegoria já aconteceu em alguma igreja presbiteriana, como local ou nome do pastor, senão só passa de papo furado e calunia.
Vocês estão livres para criticar nossa cosmovisão teológica, mas tenham pelo menos a decência de faze-lo com inteligencia.
No mais, segue esse artigo que ensina a criticar o calvinismo de forma inteligente (ao invés de usar estorinhas para boi dormir):

http://bereianos.blogspot.com.br/2014/08/um-brevissimo-conselho-aos-militantes.html#.U_TC_3VdWEI

Rosana disse...

Poxa vida!!! A descrição que o senhor Júlio fez de uma igreja Presbiteriana até parece minha congregação! Eu achando que só minha igreja local tinha esta forma de problema......

teocracia disse...

É meu caro Júlio, essa alegoria cabe na maioria das denominações cristãs, pois a despeito doutrina bíblica sobram apenas alguns com o uso e costume que felizmente não são bíblicas, mas preceitos humanos acordados por suas concupiscências, Paulo fala em Gálatas 5:1 que não devemos mais nos por debaixo de jugo, por que somos feitos livres em Cristo, mas não dar lado à carne e nem sermos persuadidos a errar em vãs filosofias como nos adverte em Colossenses para que seja despojado de toda a inclinação da carne para o que ofende a Deus e amar o próximo como Cristo nos ensinou, mas vemos que a regra criada por homens em construir templo e fazer ajuntamento segundo revelação humana prossegue Lutero apesar de suas 95 teses acabou deixando-se levar e acabou instituindo uma nova religião da qual ele foi contra em suas primeiras tentativas de mostrar o erro em que seus irmãos estavam inclinados. Parece ser uma praga à religiosidade toda a vez que a revelação divina vem logo após grandes feitos do Altíssimo o povo vai atrás dos seus ídolos e começam a construir altares a estes ídolos, Moisés institui os 10 mandamentos logo após tudo o que o Senhor fez pecaram e construíram templos de pedra e acabaram o tornando um ídolo, Jesus vem e acaba com o templo institui a igreja que são pessoas que devem andar como igreja vem uma meia dúzia de pilantra e constrói um templo e ai começa a idolatria novamente, agora dizem vamos a igreja e deixam de ser igreja, de ser sacerdócio real, para serem guiados por cegos e tudo isso desemboca em hoje estarmos lutando contra um caminhão de heresias que encheram a igreja de modos e liturgias colocaram a divindade em seu serviço e não a serviço da divina revelação do Deus eterno que se fez homem em prol da nossa redenção, é triste ver que ainda tem os que vociferam contra qualquer um que por ver o erro o aponta, que o Senhor tenha misericórdia de nós nestes dias em que o certo tornou errado e o errado é defendido como certo e que a bíblia apenas é usada para defender argumentação humana e como apenas mais um livro de auto ajuda. Paz.

Edinei Machado disse...

Noel, por que então eles pregam cessacionismo já que não têm medo de pregarem "continuismo", e ainda mais, que Bíblia em sua linha conclusiva, sem sombra de dúvida suporta os dons espirituais nos dias de hoje ?

Noel Gomes disse...

Edinei, acredito que você não entendeu direito o contexto do diálogo, o autor do blog afirmou que os pastores presbiterianos não pregam o continuísmo por medo (de que eu não sei), no meu comentário eu afirmei que não é por medo que eles deixam de pregar o continuísmo, mas sim por que a bíblia dentro de seu contexto geral não da bases para que o continuísmo seja pregado como verdade empírica.
Resumindo, os presbiterianos pregam o cessacionismo por que crêem nele, e não por medo de pregar o continuísmo como informou o autor do blog.
Sinceramente, não entendi a segunda pergunta.

Claudio Vaz disse...

Mais uma vez desejo deixar registrado aqui a CORAGEM de Júlio Severo por tratar de tais temas. Quem mais fala sobre maçonaria nas igrejas? Quem fala sobre o medo dos pastores de perder dinheiro?
Não estou exaltando o homem mas RECONHECENDO a coragem de um cristão.

Edinei Machado disse...

Noel, amigo, sua segunda resposta esclarece este ponto confuso da seu primeiro comentário:"O Pastor presbiteriano não tem medo de pregar sobre o continuísmo, a bíblia em sua linha conclusiva(ou seja, analisada de forma universal e continua, não em textos isolados) e quem diz isso." Isso o quê ? Diz que o pastor tem medo de pregar sobre o continuísmo que a Bíblia diz ? Mas tudo bem, agora ficou claro sua posição. Por isso, a minha segunda pergunta que você não entendeu. De todos os modos, em nenhum lugar a Bíblia diz sobre cessacionismo que os pastores presbiterianos, luteranos e alguns batistas pregam. Isso é certo. Mas Jesus, o dono da boiada afirma e não põe data de validade: "17 E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas;"
Durante o pentecostes, Pedro citando a profecia de Joel(Atos 2:17-21), para explicar o fenômeno que eles estavam vivenciando naquele momento(Atos 2:3-4), sabia que a profecia se estendia até o fim dos tempos que ainda não acabou, nós ainda estamos aqui, não estamos ? E que era para para TODA A CARNE, anciãos, mancebos, filhas e filhos, servos e servas. Obviamente, tirando os os apóstolos, ainda está faltando muita coisa: Nem de longe, naquela época o Espírito se derramou sobre TODA CARNE, muito menos mancebos, anciãos, filhos e filhas. Pr causa disso mesmo Pedro conclui: "38 Pedro então lhes respondeu: "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.

39 Porque a promessa vos pertence a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe: a quantos o Senhor nosso Deus chamar."(Atos 2:38-39) PORQUE A PROMESSA PERTENCE A VÓS(A geração de Pedro)....A VOSSOS FILHOS(A próxima geração)... E A TODOS OS QUE ESTÃO LONGE( Nós inclusive- A QUANTOS O SENHOR NOSSO DEUS CHAMAR). O Prazo de validade desta profecia e dos sinais termina com o TERRÍVEL GRANDE DIA DO SENHOR. Até lá, Ele chama, e todos os que Ele chama, estão aptos para receber a promessa: Serem batizados e receber o dom do Espírito Santo(v.v. 38)

Pr. Raimundo Campos disse...

Minha inquietação é com a mania que temos de interpretarmos a vida a partir de pesquisas americanas em terra americana. Fazer uma pesquisa com pastores americanos e concluir que todos os pastores tem o perfil traçado na dita pesquisa, me parece insano. Para mim não reflete a realidade. O pior é que passamos a discursar e somos até capazes de criar teses em cima disso! A Igreja americana se assemelha à brasileira em que área? Me ajudem aí, pois esta tá difícil de digerir.

Noel Gomes disse...

Edinei, confesso que meu primeiro comentário ficou para lá de confuso e você tem razão ao reclamar. Mas uma vez resolvido vamos ao que interessa.
Você citou o versículo 17, mas esqueceu de citar o 18 que o complementa.
"pegarão em serpentes; e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal nenhum; imporão as mãos sobre os doentes, e estes ficarão curados".
Nos dias atuais, quando foi que você viu alguém pegando em uma serpente com as mãos nuas sem ser picado ?
Quando foi que você viu alguém com total desconhecimento em algum idioma fala-lo fluentemente pela ação do Espirito.(esse é o verdadeiro dom de línguas)
Quando você viu alguém bebendo veneno sem morrer ?
Quando foi que você viu alguém impondo as mãos sobre deficientes(visuais,paralíticos,mentais,amputados e etc...) e no mesmo instante esses sendo curados ?
Pois esses sinais seguiram os crentes na era do apostolado, mas não os vejo hoje em dia.(Eu vivi grande parte da minha vida em igrejas pentecostais, que pregavam e acreditavam no continuísmo, mas nunca ví nenhum desses sinais acontecerem).
Quanto a questão de Joel seque uma citação do Rev. Nicodemus:
"O apóstolo Pedro, pregando no dia de Pentecostes, explicando o fenômeno, faz referência a Joel capítulo 2, para explicar o que estava acontecendo ali, só que ele faz uma mudança no texto de Joel: “E acontecerá que depois derramarei do meu espírito sobre toda carne”. Mas quando Pedro cita Joel 2 em Atos ele diz: “e acontecerá que nos últimos dias derramarei do meu espírito sobre toda carne”. O que Pedro estava dizendo? Que a profecia de Joel estava cumprida e que, com ela, se inaugurava o que ele chamava de últimos dias."
Finalizando, o que tenho para te dizer e que toda profecia, visão e revelação encontra-se na bíblia(essa sim é infalível).

Edinei Machado disse...

Noel, todos os dias vejo pessoas sendo curadas no programa 700 Club, de tudo quanto é coisa. Não citei o dezoito porque estamos tratando de outro assunto, os dom do Espírito, mas não quer dizer que eles também não esteja acontecendo. O dom de línguas, NÃO É O que você citou: "Quando foi que você viu alguém com total desconhecimento em algum idioma fala-lo fluentemente pela ação do Espirito.(esse é o verdadeiro dom de línguas)". Isso é o que sua teologia diz, mas a Bíbia diz que é isso(línguas de homens-Atos 2-8 e língua de mistérios que NÍNGUÉM possa entender, mas em mistérios fala a Deus: "2 Porque o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus; pois ninguém o entende; porque em espírito fala mistérios." 1Cor 14:2. Isso acontece em todos os cultos das igrejas pentecostais mundo afora, inclusive na minha. E Paulo disse pra não PROIBIR quando isso acontecesse(1Cor 14:39). MAIS, Toda semana, o program Its Supernatural com o pastor mesiânico entrevista gente que impondo as mãos, tem ressuscitado mortos. Olhos de cegos abertos, aleijados levantando. Na minha igreja já vi curas muitas. A pastora Antonieta Rosa testemunhou um fato no interior da Paraíba: Todo missionário enviado pra lá era expulso pelo padre da cidade, que pagava jagunços para expulsá-los. Um dia, um novo missionário chegou, os jagunços o ameaçaram que iriam trazer uma Jararaca e que se ele não a pegasse, ele teria de ir embora também. O domingo chegou e lá, eles estavam em oração quando chegaram com a Jararaca. Uma irmã da igreja que tinha passado a noite em oração, levantou e a pegou. Na frente de todos eles, fogo desceu e a queimou que não sobrou nem cinzas, e os jagunços saíram em correria. O fato de que você não acreditar ou ver, não quer dizer que não existe. Todos os dias Deus está fazendo coisas extraordinárias. Na África, o profeta da chuva, ora e faz a chuva cair no meio do deserto, e milhares de curas acontece. É uma questão de crença, quem não quer crer nem mesmo se Jesus estiver na frente dele, ele vai estar dizendo que é coisa de Belzebu, lembra ? pra terminar, o enrolamento teológico do Nicodemus, é a opinião dele só isso: " O que Pedro estava dizendo? Que a profecia de Joel estava cumprida e que, com ela, se inaugurava o que ele chamava de últimos dias." Inaugurava é ??? E quando é que termina ? Você Noel, já parou pra pensar nisso ?A profecia de Joel estava cumprida ? Coitado. Primeiro que o Espírito não foi derramado sobre TODA CARNE, somente nos que estavam dentro da casa. Segundo que, não foi sobre as crianças e nem nos velhos, afirmar isso pra aquela época é invenção. Terceiro que não houve os sinais que na lua e nem no sol e por último, o profeta Joel e o próprio Pedro termina dizendo que isso: O derramamento do Espírito SOBRE TODA CARNE, os sonhos e visões, os sinais na lua(por sinal está acontecendo agora-luas de sangue) e no sol é, ATENÇÃO!!!!...."antes que venha o grande e glorioso dia do Senhor." Ele ainda não veio. Pedro também disse que a promessa é para todos os que Deus chama, para eles próprios, os filhos deles e os de MUITO LONGE(Atos 2:38-39). Jesus disse ainda pra pedirmos ao Pai o Espírito Santo, é uma questão de pedir, quem não pede e fica pregando que não existe, não tem:"13 Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo." Jesus disse também que é Ele(Espírito Santo) que nos guia a verdade(João 16:13). Sem Ele, teremos de seguir homens sem tê-LO para ajudarmos a descobrir a verdade e o resultado é o que se vê nas igrejas que O rejeita: Ordenação de pastores gay, oficialização de casamento gay, esquerdismo, anti semitismo, coisas que empesteiam as IPs, Luteranas e algumas Batistas. Terminando, tudo com relação ao Espírito tem de pedir, é uma promessa, mas não é por força. Isso é o que a Bíblia diz. É pra quem quer ser guiado pela verdade e não por homens, foi o que disse Jesus. E segue valendo ATÉ o GRANDE DIA GLORIOSO DO SENHOR, aí sim, termina o fim dos dias. É o que a Bíblia diz.

Flávio Da Vitória disse...

Noel Gomes coloca as experiencias pessoais dele acima da bíblia, ele nunca viu os dons em operação quando era pentecostal por isso não crê, mas se Jesus disse que os sinais seguem os que creem, então eles seguem, a bíblia deve ser mais importante do que nossas experiencias pessoais.

Pois eu já vi dons em operação, mas creio neles porque a bíblia fala sobre eles.

"Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente."

1 Coríntios 12:31

khispano atlántico disse...

ASIM SE TRABALHA PRO O DEMONIOS, perfeito dos chuletas evangelicos da pasta y chaquetilla de colorines...

juliano disse...

Nossa, li alguns comentários em que as pessoas pedem provas do que está escrito no comentário de Julio Severo. Estamos onde? Num tribunal?
Precisamos de um Juiz?

Ora, será que o bom senso e a consciência no espírito não basta pra reconhecer o que acontece diante de nossos olhos?
Há muito tempo que esse assunto têm sido pautado aqui e o que ainda não sabemos para que reconheçamos os fatos?

Mas falando diretamente da postagem, acredito que ainda existem aqueles que evitam escandalizar aos mais fracos na fé, pois imagine que fiz evangelismo de campo e sempre tínhamos e ainda têm os que vêm cheios de vícios e costumes e que eles mesmos reconhecem como errados e que precisam de transformação. No entanto, correm do local quando se fala diretamente de suas falhas, horas por constrangimento e outras vezes por se sentirem ofendidos. Quando os tratamos com sabedoria, ganhamos essas almas, e eles mesmos escolhem testemunhar para o mundo o que o Senhor fez com suas vidas!

Mas é notório que grande parte pratica a omissão de não alertar o seu povo do ativismo gay e essa agenda abominável, eu penso que não faz sentido perder arrecadação de dinheiro ao se tratar do assunto nas igrejas, já que, a maioria não é adepta do movimento e acreditam realmente no dízimo, e outra coisa é que os pastores que prezam por quanto estão arrecadando só falam disso mesmo, a maioria de suas pregações visam o lado financeiro, é fato.