24 de julho de 2014

Por que a Inglaterra se humilha diante dos tiranos da China? Porque quem está falido não tem liberdade de escolher


Por que a Inglaterra se humilha diante dos tiranos da China? Porque quem está falido não tem liberdade de escolher

Peter Hitchens
Em junho, a Inglaterra se prostrou diante da China — e se prostrou bem baixo aos pés dos senhores do mundo. A pobre Rainha da Inglaterra foi forçada a receber Li Keqiang, o primeiro-ministro chinês, que não estava em visita de Estado e não tinha direito a tal encontro.
Rainha da inglaterra recebe ditador chinês
O momento infeliz tinha de acontecer, pois a Inglaterra está mais ou menos falida e os ingleses têm de pegar dinheiro e investimento de qualquer um que lhes der, a qualquer preço.
Visitei a China muitas vezes. É um lugar cheio de emoções e energia. Mas é também um Estado policial nojento, corrupto e cruel, no qual as pessoas têm medo de expressar suas opiniões e os inimigos do governo desaparecem. Todos os meios de comunicação são cruelmente censurados e punidos quando se rebelam.
O Partido Comunista, responsável por inúmeros assassinatos e uma das piores fomes provocadas pelo homem na história humana, ainda domina o governo, e suas autoridades tratam de forma brutal os que ficam no seu caminho.
Conheço pessoalmente uma mulher cuja casa foi demolida ao redor dela porque ela violou a lei que obriga os casais a terem apenas um filho. Outras mulheres têm sido forçadas a fazer abortos.
A China está implacavelmente colonizando seus vizinhos. A maioria sabe sobre o Tibet. O dinheiro fala mais alto.
Olha, quem está falido não tem liberdade de escolher. Mas o governo inglês que de modo imundo deu às boas vindas ao Camarada Li Keqiang é o mesmo que está sempre com os sentimentos a flor da pele para intervir contra a tirania e o desgoverno no Iraque, Líbia e Síria, e que de forma arrogante condena a Rússia por anexar a Crimeia.
Não podemos mais tolerar isso. É óbvio que a Inglaterra realmente não se importa com direitos humanos e agressão. A Inglaterra só gosta de pensar que se importa. Princípios são princípios, e se a Inglaterra não confronta os ditadores grandes, então ela não deveria tentar encobrir sua pobreza e covardia caçando os pequenos.
Traduzido e adaptado por Julio Severo do artigo do Daily Mail: Why do we grovel to China’s tyrants? Because bankrupts can’t be choosers
Leitura recomendada:
Outros artigos de Peter Hitchens:

3 comentários :

khispano atlántico disse...

el money es el money.... Y la mafia comunista chinesa es la que manda hoy en la Deuda Internacional, POR MOR DE SU EJERCITO DE CIENTOS DE MILLONES DE ESCLAVITOS sus ciudadanos.

FIN de Occidente cristiano-humanista. the end for all...

Thiago disse...

Oi khispano atlântico,

Concordo com o que você disse, o Ocidente está em crise... colapso econômico e moral.

um abraço

Anônimo disse...

É impressionante o discernimento de vocês! Se esses países, blocos, associações, etc. estão falidos é por causa da própria ganância. As colonias as quais eles saqueavam estão se exaurindo ou mudando de dono. Agora chamar a maior proprietária de terras do planeta de coitadinha, faça-me um favor!