10 de julho de 2014

Mundo condena Israel por proteger seu povo


Mundo condena Israel por proteger seu povo

Tzippe Barrow
JERUSALÉM, Israel — Enquanto contra-ataca o Hamas — a organização terrorista palestina que declara publicamente sua intenção de varrer o Estado judeu do mapa —, Israel enfrenta condenação do mundo árabe.
Terroristas palestinos
O porta-voz do Reino Hashemita da Jordânia pediu uma parada imediata na “agressão bárbara” de Israel.
A República Islâmica do Irã, responsável em grande parte pelo financiamento, treinamento e armamento do Hamas e outras organizações islâmicas, pediu ao Ocidente que condene a “agressão selvagem” dos sionistas “contra o povo inocente e indefeso da Palestina.”
O presidente Barack Obama igualou ambos os lados ao exortá-los “a não agir na base da vingança.”
Enquanto isso, a Liga Árabe quer que o Conselho de Segurança da ONU convoque uma reunião por causa da resposta de Israel aos foguetes que estão mirando seus grandes centros populacionais.
Mas muitos israelenses e seus amigos no mundo inteiro estão perguntando: Como é que o mundo pode condenar um país por proteger seu povo? Mas é exatamente isso que Israel enfrenta toda vez que é forçado a agir contra os que buscam sua destruição.
Não parece importar quantas vezes Israel explique, mesmo que muito bem, sua posição, nem importa se Israel tenta evitar danos colaterais enquanto está destruindo fábricas de munições, depósitos de armas, locais de lançamentos de foguetes e túneis de contrabando de armas na Faixa de Gaza.
Os líderes israelenses prometeram que a operação em Gaza se expandirá e continuará até que o ataque de foguetes cesse e a tranquilidade volte.
“O Hamas pagará um preço pesado por disparar foguetes contra os cidadãos israelenses,” o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse depois de se reunir com o ministro da Defesa Moshe Ya’alon, o tenente geral Benny Gantz, chefe do Estado-maior das Forças de Defesa de Israel, e o general-de-divisão Sami Turgeman, chefe do comando do Sul.
“A segurança dos cidadãos de Israel é prioridade absoluta. Nosso exército é forte, a frente interna é firme e nossa nação é unida,” Netanyahu disse.
“O Hamas escolheu o aumento da violência,” Gantz disse. “A outra organização se uniu a ele e nós usaremos todo o poder que temos, em graus variados, para garantir o que consideramos vitória. Cobraremos o preço total [do Hamas] pelo erro estratégico que fez.”
Ya’alon também disse que o Hamas pagaria “um preço muito pesado” e a campanha terminaria “numa questão de dias.”
“Estamos destruindo as armas [das organizações terroristas], a infraestrutura terrorista, os sistemas de comando e controle, as instituições, os prédios governamentais, as casas dos terroristas,” Ya’alon disse. “ E estamos matando terroristas no alto comando da organização,” se referindo aos ataques aéreos precisos que eliminaram um terrorista de alto nível do Hamas na quarta-feira enquanto ele viajava de moto no norte de Gaza.
“Continuaremos a atingir bem forte o Hamas e outras organizações terroristas do ar, mar e terra a fim de garantir a segurança dos cidadãos de Israel,” Ya’alon disse.
A maioria dos israelenses apoia a operação total do governo contra os jihadists com sede em Gaza. Muitos esperam que as Forças de Defesa de Israel conseguirão de forma vitoriosa destruir tanta infraestrutura terrorista quanto possível, que estão agora ameaçando os grandes centros populacionais do Estado judeu.
Traduzido por Julio Severo do artigo da TV CBN: World Condemns Israel for Protecting Its People
Leitura recomendada:

4 comentários :

Anônimo disse...

Em varias profecias biblicas estah dito que nao vai ficar um soh da casa de Esau. Os falsos palestinos sao descendentes de Esau/Edom. A menos que eles venham a conhecer o Salvador, o destino deles estah selado "desde a fundacao do mundo". Qto a Israel, todos sabemos, Deus guardarah sempre.

Antonio.

Anônimo disse...

O Grande e erro do Estado e Governo de Israel foi entregar a regiao de gaza para esses bandidos terroristas, isso foi um erro fatal, pois agora gaza nao passa de um claro reduto de terroristas, onde somente em um unico dia, mais de 200, disse 200 foguetes foram lancados de gaza em direcao a populacao civil de Israel. Lastimavel e lamentavel a cegueira da midia e de muitos governos em ver o obvio, que o Estado de Israel esta fazendo um excelente favor ao mundo em combater, praticamente sozinho, os assassinos terroristas islamicos em Gaza. O Governo do Estado de Israel tem a obrigacao de defender seu povo e nacao com a total destruicao e paralizacao dos atos terroristas que estao em gaza, e que esse fatal, de entregar seu territorio para os terroristas mulcumanos nunca mais se repita.

Anônimo disse...

Israel é a nação que pertence ao Deus Altíssimo e ninguém a destruirá, pois é a Palavra do Senhor que o garante:é vão achar que os palestinos são "bonzinhos" porque são mais fracos militar e economicamente ao povo judeu. Sou cristã e estou do lado de Israel.

Leonardo Melo disse...

Olá Júlio Severo, a paz do Senhor Jesus Cristo. sou cristão, professo minha fé e estou com ISRAEL, infelizmente nós ouvimos muitas opiniões destituÍdas do verdadeiro conhecimento acerca de ISRAEL e do povo dito palestino. Oxalá inclusive muitos cristãos e pastores que se posicionam contra ISRAEL conhecessem a palavra de ADONAY. AMÉM. SOLA SCRIPITURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLUS SPIRITUS, SOLI DEO GLORIA, SOLUS CHRISTUS.