3 de julho de 2014

Líderes evangélicos reivindicam ditadura socialista no Brasil


Líderes evangélicos reivindicam ditadura socialista no Brasil

Julio Severo
Numa campanha de pressão sobre os deputados e senadores, cada um deles recebeu, nesta primeira semana de julho de 2014, um email contendo manifesto assinado por diversos pastores e líderes evangélicos conhecidos. O manifesto, que tem a intenção de representar a vontade da maioria dos evangélicos do Brasil, dá apoio total ao Decreto 8.243/2014, assinado pela presidente Dilma Rousseff e que foi classificado pelo colunista da revista Veja Reinaldo Azevedo como um golpe que extingue a democracia no Brasil.
Apesar da grave ameaça, o decreto de Dilma está sendo apoiado pelo manifesto evangélico que foi assinado por Ariovaldo Ramos e representantes de várias entidades evangélicas, inclusive Visão Mundial, CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs), Igreja Presbiteriana do Brasil, Editora Ultimato, RENAS, Aliança Bíblica Universitária do Brasil, Rede FALE, Rede Social de Negras e Negros Cristãos e outros. Os nomes completos dos assinantes encontram-se no final deste artigo.
Pelo que indicou o site do jornalista esquerdista Luís Nassif, membros desse grupo estiveram com o ministro Gilberto Carvalho em 24 de junho, para dar apoio ao decreto ditatorial de Dilma. O texto deles acabou virando o manifesto que foi enviado a todo o Congresso Nacional em nome dos evangélicos.
Gilberto Carvalho
De acordo com denúncia do Dep. Arolde de Oliveira, o decreto ditatorial é um projeto sob o comando de Gilberto Carvalho, que conta até mesmo com a assessoria direta de um teólogo presbiteriano da linha da Teologia da Missão Integral. O teólogo, Alexandre Brasil, é responsável por aproximar as igrejas evangélicas dos objetivos estratégicos do PT.
Numa nota pública que mencionou que o decreto foi assinado na surdina pela presidente Dilma, o Dep. Arolde disse:
“Isso ameaça a democracia. É o começo de uma ditadura. Essa medida foi feita de maneira similar na Rússia, conhecido como os Conselhos Soviets, em Cuba, na China e também na Venezuela… Cria os conselhos populares usurpando dos representantes legítimos do povo o direito de legislar. É complicado e perigoso. É o grande projeto do PT para amordaçar a Nação, comandado pelo segundo homem mais forte do partido, depois do Lula, que é o Gilberto Carvalho, comunista de carteirinha.”
Ariovaldo Ramos assina o manifesto como representante do EPJ (Evangélicos Pela Justiça), que de forma prática substitui o MEP (Movimento Evangélico Progressista), fundado pelo bispo marxista Robinson Cavalcanti.
Não é de estranhar que Ariovaldo encabece um manifesto reivindicando uma ditadura socialista. Ele já chegou a declarar que por causa do ditador socialista Hugo Chávez, “o mundo ficou melhor.” Ele agora quer para o Brasil a mesma “melhora” que Chávez deu na Venezuela?
Muitos dos que assinaram com ele, inclusive a revista Ultimato, também haviam se juntado num manifesto semelhante um ano atrás contra a presença do Dep. Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, por causa das posturas dele contra o aborto e a agenda gay. A linha desses líderes evangélicos, que seguem a Teologia da Missão Integral, é fazer oposição a evangélicos com posturas conservadoras e dar ao PT e outros partidos esquerdistas apoio evangélico para suas metas ditatoriais.
Aliás, o CONIC, que também endossa o atual decreto ditatorial de Dilma, chegou ao cúmulo de fazer um manifesto a favor do infame PLC 122 no ano passado.
Todo esse esforço de Ariovaldo Ramos & Cia. apoiando ou fazendo vista grossa a ditaduras socialistas ou campanhas para implantá-las é movido pela Teologia da Missão Integral, que supostamente tem mais preocupação com os pobres do que o próprio Evangelho de Jesus Cristo.
Abaixo, transcrevo, conforme me foi enviado hoje oficialmente pela Frente Parlamentar Evangélica, o manifesto mandado a todos os parlamentares do Congresso Nacional.
De: Particição Social Manifesto [mailto:manifesto.pnps@gmail.com
Enviada em: terça-feira, 1 de julho de 2014 16:27
Assunto: EVANGÉLICOS DIVULGAM CARTA DE APOIO Á POLÍTICA NACIONAL DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL
Prezados deputados e deputadas,
Durante o evento Arena de Participação Social, de 21 a 23 de maio, a Presidência da República lançou a Política Nacional de Participação Social (PNPS), através do Decreto 8.243/2014. Causou estranheza a muitos de nós que temos participado de espaços formais de participação há décadas as tantas manifestações contrárias à PNPS que foram verbalizadas por alguns senadores desta casa. Pastores e lideranças evangélicas comprometidas com as diferentes formas de participação social viemos nos manifestar publicamente sobre tal decreto.
Sem Participação Não Há Democracia!
A capacidade do homem para praticar a justiça torna a democracia possível; mas a inclinação do homem para a injustiça torna a democracia necessária. Reinhold Niebuhr
Nós, membros de diferentes igrejas e organizações cristãs que temos participado de diversos espaços de participação social nas últimas décadas, nos posicionamos em favor do Decreto 8.243/2014 que regulamenta a Política Nacional de Participação Social (PNPS). Consideramos esta regulamentação um importante passo no sentido de institucionalizar a participação social como procedimento de governo. Acreditamos que a democracia brasileira é aperfeiçoada com a garantia da utilização dos mecanismos de participação da sociedade civil na construção de políticas públicas em toda a administração pública federal, conforme define o decreto, proporcionando assim a permanente interação e diálogo entre o poder público e a cidadania tanto na definição das prioridades e critérios na elaboração das políticas como na sua prestação de contas.
É preciso lembrar que a democratização do processo de construção das políticas públicas no Brasil não é nova, e que se constituiu através das demandas da própria sociedade brasileira nas suas lutas democráticas. A Constituição de 1988 veio, por sua vez, consagrar instrumentos de democracia participativa que garante aos cidadãos e cidadãs brasileiros a possibilidade de participação direta.
Nos últimos anos vimos o uso mais regular e sistematizado de diferentes mecanismos de participação social como as conferências e conselhos, além de audiências e mais recentemente as plataformas online, o que corrobora que a sociedade brasileira se apropria cada vez mais dos processos de formulação de políticas públicas no período pós-redemocratização.
Em consonância com esta participação nos mecanismos institucionais, a sociedade brasileira vem demonstrando também recentemente, como nas Jornadas de Junho, que deseja mudanças reais e profundas que levem nosso país a superar problemas estruturais como a desigualdade, a falta de ética na política e transparência na gestão pública, o acesso a serviços sociais básicos etc.
Por isso, surpreende-nos que alguns setores da sociedade brasileira, incluindo lideranças evangélicas, não percebam que a Política Nacional de Participação Social (PNPS) amplia a capacidade da sociedade de incidir para garantir políticas públicas que sejam efetivas.
Afirmamos que a democracia se faz e se constrói no dia a dia com a participação da sociedade civil. Como cristãos e cristãs de diferentes igrejas e organizações que têm contribuído para o fortalecimento de nossa democracia através de diferentes formas de participação social, nos comprometemos e declaramos que não vamos abrir mão dessa prerrogativa assim como continuaremos lutando para que o Estado brasileiro seja cada vez mais democratizado para que atenda aos ideais de dignidade humana, justiça, liberdade e solidariedade, valores evangélicos que decidimos encarnar.
Assinam:
Pr. Ariovaldo Ramos dos Santos, EPJ- Evangélicos Pela Justiça, CONSEA - Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional.
Pr. Welinton Pereira da Silva, secretário nacional do Fórum Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente, Visão Mundial.
Pra. Romi Márcia Bencke, CONIC, Comitê Nacional de Respeito à Diversidade Religiosa.
Pr. Christian Gillis, Igreja Batista - Belo Horizonte.
Pra. Lusmarina Campos Garcia, Conselho de Igrejas Cristãs do Estado do Rio de Janeir - CONIC-Rio.
Rev. Helio Sales Rios, IPB e SINPRO-ABC, CONTEE.
Klênia César Fassoni, Editora Ultimato, Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente.
Daniela Frozi, RENAS, Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional.
Márcia Brandão Rodrigues Aguilar, Aliança Bíblica Universitária do Brasil, Conselho Nacional de Juventude (2009-2011).
Flávio Conrado, Visão Mundial, Diálogos Sociais sobre Rio+20 e Agenda Pós-2015.
Caio Marçal, Rede FALE e Igreja Batista da Redenção (MG), Conselho Nacional de Juventude (2008).
Hiranildes Valentina Lobo, PIB em Santo Hilário, Conferencia Municipal de Mulheres.
Tábata Mori, Igreja Presbiteriana, Conferência de PP de Juventude.
Maria do Carmo Barros de Carvalho, Comunidade Evangélica Vale da Benção em São Roque, CMAS e 3 conferências do mesmo.
Aldo Cardoso, EPJ - Evangélicos pela Justiça, CONSOCIAL.
Ana Maria F. S. de G. Santos, Federação Brasileira de Direitos Humanos, 13º Congresso da ONU sobre Prevenção do Crime e Justiça Criminal.
Gerhard Fuchs, RENAS - Rede Evangélica Nacional de Ação Social, CEDECA-PR.
Emerson Meira da Silva, SINPRO-ABC, CONAE – 2014.
David Fehrmann, Tree of Life, REPAS.
Sueli Catarina de Carvalho, Visão Mundial, Fórum Estadual de Direitos da Criança e do Adolescente do Rio de Janeiro.
Mauri de Carvalho Braga, ISJB/CESAM MG.
Pr. Clemir Fernandes, RENAS.
Rafael Simões Vaillant, Igreja Batista em Guarapari, Conferência Municipal de Educação.
Pr. Reinaldo Vieira Lima Junior, Primeira Igreja Batista em São Paulo, Conferência do Estado de São Paulo sobre Políticas Públicas de Juventude.
Alexandre de Oliveira Demidoff, AGU.
Hernani Francisco da Silva, Afrokut - Rede Social de Negras e Negros Cristãos, Direitos Humanos.
Renan Porto, Rede FALE, 4ª Conferência Municipal de Juventude de Uberaba-MG.
Anivaldo Padilha, Koinonia.
José Carlos Oliveira Costa, Sinpro-ABC.
Luciney Coutinho Luz, Igreja Batista da Graça, Assistência Social.
Ana Elizabete Barreira Machado, Aliança Bíblica Universitária do Brasil, Conselho Nacional de Juventude – CONJUVE.
Luiz Claudio Oliveira dos Santos, PIB Ponto Chic, Conferência de juventudes.
André Luiz da Silva, Cívico, Conferência de Transparência e Controle Social.
Bruno de Souza Ferreira, Igreja Presbiteriana do Brasil.
Leitura recomendada:

18 comentários :

Wanderley Dantas disse...

Quem que é esse Bruno de Souza Ferreira?!

Anônimo disse...

Júlio, examinando a lista dos que assinaram, vejo que, pelo menos um deles se identifica como sendo de uma instituição, mas com certeza não representa o pensamento desta instituição. Eu me refiro ao último da lista, que colocou ao lado de seu nome, o nome instituição da qual faço parte (Igreja Presbiteriana do Brasil - IPB). Acho que deveria ter colocado que pertence a IPB, mas que está falando apenas por si próprio. Não sei se o mesmo ocorre com algum outro nome da lista. Os deputados que receberam esta mensagem, podem ter a impressão de que cada um deles está expressando o pensamento da instituição colocada ao lado de seu nome, fortalecendo assim o documento.

Adriano J C Moura disse...

Caro Julio Severo, Boa noite! Manifesto-me afirmando, categoricamente, que a IPB só fala através de documentos, aprovados por meio de seus conciliares, os pastores e presbíteros, devidamente eleitos em seus respectivos concílios locais federados, para este fim em Reunião (4 em 4 anos) do Supremo Concílio da Igreja. Portanto, qualquer um que apareça só ou mesmo acompanhado, assinando ou afirmando a sua posição sobre qualquer assunto, o faz por si mesmo! Havendo dúvida, favor procurar a Secretaria Executiva da IPB ou seu Presidente(Moderador). Em Cristo, Adriano J C Moura.

Anônimo disse...

Quem é este Rev. Helio Sales Rios, da IPB, alguém conhece? Precisamos denunciá-lo ao SC.

orley silva disse...

Julio, seria pertinente levantar o percentual do universo de evangélicos brasileiros que essas lideranças representam. Garanto que o resultado será ínfimo, mas quem não os conhece acha que eles representam muita gente...

Thiago disse...

Irmão Júlio,

Estamos vendo mais uma vez a usurpação que os Protestantes Históricos Liberais fazem em nome do grupo social chamado "evangelicos". Eles não chegam a 20% desse grupo. Não tem o direito de falar pelos demais. Os Pentecostais e Neopentecostais não tem apoiado as políticas gayzistas, abortistas, muito menos o esquerdismo "bolivariano" totalitarista desse partido NOJENTO E ODIOSO chamado PT.
E vocês, históricos liberais, tem mostrado quem anda habitando no corações de suas lideranças, o DIABO, E SUAS LEGIÕES DE DEMÔNIOS. Toda árvore se conhece pelo fruto. E apoiar o gayzismo, o abortismo e agora o totalitarismo cucaracha é a prova cabal de que vocês são "uns caídos". Só não enxerga quem não quer, ou quem é uma topeira espiritual e confunde Jesus com Genésio.

Sugestão de Louvor
Shirley Caesar - He's Got It All In Control
http://www.youtube.com/watch?v=mYEDVFCX5Hk

Thiago disse...

Irmão Júlio,

Há muita confusão sobre o pq de tanta diferença entre as igrejas cristãs... sobre tudo o que li e passei a conhecer eu apresento aqui alguns argumentos para o cristão fundamentalista bíblico que anda meio perdido “feito cego em tiroteio”:


Eu Rejeito:

- A TRADIÇÃO da Igreja Católica que se sobrepõe às Escrituras, anulando-a em vários pontos, como por exemplo, no caso de adoração de Imagens de Escultura (Idolatria);
- O CESSACIONISMO, que diz que Deus não faz mais nada. Que diz que quando há curas, que é o diabo quem faz, que diz que não há profecias, ou que não se pode expulsar os demônios. Pra mim essa interpretação não passa de uma justificação muito “cara de pau” da incredulidade;
- O CALVINISMO, que diz que Deus não ama a todos, ou seja, que não há livre arbítrio, que todos já estão salvos ou condenados à priori. Tenho náuseas só de pensar na possibilidade de tamanha injustiça. O Meu Deus é Justo;
- O LIBERALISMO teológico que adequa as Escrituras a todo tipo de pecado, todo tipo de relativismo da sociedade moderna. O conhecimento secular humanístico pode “dar nó em pingo d’água”, que eu não rejeito nem um til das Escrituras pra me adequar as concupiscências de homens possessos de espíritos inteligentíssimos, porém imundos;
- A teologia da PROSPERIDADE, que foca na aquisição de bens materiais e não em outras coisas como salvação, santidade, fé, etc... O foco do cristão é a sua salvação, sua comunhão com Deus, e não as conquistas terrenas. Se colocarmos Deus em primeiro lugar, Ele é fiel e justo pra acrescentar as demais coisas.

Eu Amo:
- O PENTECOSTALISMO, amo ver as pessoas sendo libertas da opressão dos demônios, ver os irmãos cheios do Espírito Santo e da Paz de Deus. Que dá força, fé e coragem aos que esperam pela cura das suas Enfermidades no Senhor; Ou seja, que acredita que o Deus tem pela Igreja de hoje o mesmo zelo que Ele teve pela Igreja Primitiva;
- O LIVRE ARBÍTRIO, que todo ser humano, quando passa a conhecer as Escrituras; tem o poder de decisão sobre obedecer ou não, sobre acreditar ou não em Jesus Cristo. Deus amou a todos, mas nem todos o amaram (arminianismo);
- O CRISTIANISMO BÍBLICO, que procura se basear somente no Antigo Testamento e no Novo Testamento. Com ênfase no novo, no advento da Graça;
-A FÉ absoluta, que contraria tudo e a todos. Que é “teimosa”, não se fia por vista, não dá crédito ao que se ouve, a não ser as Escrituras, a Jesus e sua maravilhosa Graça. Não teme ser chamada de louca, fanática, FUNDAMENTALISTA, ignorante, ou seja, não se importa com a época, com o meio social em que se vive, com a escassez ou abundância. Que crê no milagre, que é grata, seja qual for o a resposta do Senhor; ou seja, que em tudo dá Graças a Deus, que em tudo e qualquer situação confia e espera n’Ele, que é o autor e consumador da Fé.


Sugestão de Louvor
Banda Mundial - Renova-me
http://www.youtube.com/watch?v=IyCjInOBgr4

Jabesmar A. Guimarães disse...

Thiago, Por favor não generalize. Sou de uma igreja histórica e te garanto que estes caras não as representa. O grupo ao qual pertenço tem umas 700 igrejas no Brasil e nenhum destes que assinaram este MALDITO MANIFESTO é de uma delas (Casa de Oração ou Ig. dos Irmãos).
Nem mesmo este que assinou pela IPB fala em nome da denominação.
O Silas Malafaia é PENTECOSTAL e é adepto da Teologia da Prosperidade. Certo? Então eu te pergunto: Ele representa os meus irmãos pentecostais? É óbvio que não, não é mesmo? O mesmo se dá em relação aos seus irmãos históricos?

Thiago disse...

Irmão Jabesmar,

Pelo que você diz irmão, sua igreja é Histórica Tradicional, alinhada com o cristianismo bíblico, de direita, conservadora... Ou seja, não é uma Igreja Histórica Liberal, que muitas vezes está linhada com a Teologia da Libertação ou com a TMI apoiadores das esquerdas latino-americanas. Se o irmão se ofendeu peço desculpas... Que fique bem claro que discordo dos liberais esquerdistas, não dos históricos tradicionais.

Sugestão de Louvor
Shirley Caesar - I Feel Like Praising Him
http://www.youtube.com/watch?v=75Hnd1mYWz8

Anônimo disse...

Ninguém tem uma resposta? Quem é este Rev. Helio Sales Rios, da IPB, alguém conhece? Precisamos denunciá-lo ao SC.

Tathy disse...

Olá Júlio, a Paz! Vc conhece o Pb. Solano Portela? Ele é da IPB e participou de um seminário falando sobre o Marxismo Cultural, está no You Tube, há dois dias..., e refuta as teorias da TMI, libertação, etc, veja:

https://www.youtube.com/watch?v=9m-lhp2PqcM&app=desktop

Eliel disse...

Torno a repetir, mais uma vez, o que eu já comentei em um artigo semelhante a este:

ESTA NOSSA BANCADA EVANGÉLICA E NADA É A MESMA COISA!

Desculpem se eu fui muito direto (ou muito grosseiro), mas, infelizmente, é desta forma que eu vejo a nossa atual bancada evangélica!

Pode ser que, dentro dessa mesma bancada, haja (se é que realmente há) algumas raras e honrosas exceções. Mas eu diria que 90% dela já está totalmente vendida aos interesses do governo do PT e dos demais partidos esquerdistas (sem contar os que fazem conchavos ou acordos com o mesmo governo para a obtenção de favorecimentos pessoais dos mais diversos tipos).

O que mais nos deixa indignados é vermos muitos dessa mesma bancada (que se dizem cristãos) estarem ao lado dos esquerdistas. Com "cristãos" desse tipo em algumas igrejas (e dentro de boa parte da bancada evangélica do Congresso Nacional), quem precisa se preocupar com os ataques do diabo? Ou, como se diz no popular, com "amigos" desse tipo, quem precisa de inimigos?

E digo mais: se Dilma for reeleita (como já se cogita que será), ou se Lula se recandidatar para disputar a presidência, não duvido nada que grande parte da bancada evangélica vai fazer campanha para um deles (ou ambos). Aliás, se depender dessa mesma bancada, o PT e os demais partidos esquerdistas sempre estarão no poder.

Alguém daqui ainda tem alguma dúvida quanto a isso?

Anônimo disse...

Jahme sinto humilhado qdo em qualquer artigo replicam que os estultos sao "evangelicos/pastores/diaconos/ou seja lah que titulo cristao ostentem". O ideal eh que nos reportemos a eles como o "suposto pastor, suposto apostolo, suposto evangelico" e assim por diante.

Antonio.

Joversi disse...

Vários comentários aqui já deixam claro o que já insisti com o articulista/blogueiro mais de uma vez. Ou seja, ligar diretamente calvinista à TMI ou ao esquerdismo e o mesmo que dizer que todo palmeirense tb é pq um desses pastores é palmeirense.
Enfim, é lamentável o que esses senhores dessa lista estão fazendo. Mas, a maioria de nós, reformados, somos frontalmente contra a TMI e tb ao governo do PT.
Resta saber o que virá disso e o que o povo brasileiro fará em outubro. Que o Senhor nos ajude!

Anônimo disse...

Que vergonha!
Parabéns pela matéria Júlio.
Que Deus te abençoe e te guarde.

Anônimo disse...

Não chamem esses infiltrados no evangelho de jesus de cristãos. Eles são os falsos cristãos, seguidores de satanás pra derrubar o cristianismo.

Anônimo disse...

Basta uma visita ao site da Igreja Presbiteriana do Brasil para verificar que não há ninguém da organização daquela entidade que tenha o nome de " Bruno de Souza Ferreira". Sou presbiteriana e não ouvi nenhum tipo de apoio a esse nefasto decreto vindo de qualquer pastor ou membro da igreja Presbiteriana.

Adna Silvana disse...

Eh muita pretensão dizer que "a maioria dos evangélicos apoiam o decreto bolivariano", de forma alguma isso eh verdade. Eu vejo isso como uma tentativa de ludibriar as pessoas com falsidades. Como fazem com as pesquisas eleitorais, que dizem que Fulano ou Sicrano estão nesta ou naquela posição, quando não estão na verdade. Não podemos aceitar o que estão falando, não eh porque alguns apoiam, se colocam nesta posição de infiéis, que podem generalizar. Eu sou contra, e sei que não estou só, somos muitos, os que não aceitam essa perseguição eminente.