13 de maio de 2014

Missa Negra satânica na Universidade de Harvard foi em frente, apesar do protesto de milhares de católicos


Missa Negra satânica na Universidade de Harvard foi em frente, apesar do protesto de milhares de católicos

Ashley Collman e Reuters
Comentário de Julio Severo: A Missa Negra Satânica, que foi cancelada dentro da Universidade de Harvard, acabou sendo realizada na Praça Harvard, que fica exatamente ao lado da universidade. Embora Harvard leve o nome de um pastor calvinista e tenha origens calvinistas, quem foi responsável pelos protestos contra o evento satânico foram os católicos. Ninguém sabe onde estão o calvinistas. Mas estou certo de que se a Universidade de Harvard tivesse anunciado um culto neopentecostal, com R.R. Soares ou Silas Malafaia, apareceriam líderes calvinistas de tudo quanto é lado para protestar e denunciar. Fariam até marchas e procissões calvinistas contra o “satanismo” neopentecostal. Pelo menos, o comportamento rotineiro da blogosfera calvinista do Brasil é ocupar-se em seu vício favorito: atacar neopentecostais. Mas por que só os católicos reagiram ao evento satânico em Harvard? Onde estavam os calvinistas? Talvez eles estejam tão acostumados à maçonaria que a missa negra não os incomode. “Satânico” para eles são cultos com expulsão de demônios e manifestação dos dons do Espírito Santo. Isso eles não aceitariam em Harvard em hipótese alguma! Diante do dragão, ficam em silêncio, mas não têm pudor algum para expulsar a pomba. Preferem até se omitir vergonhosamente diante do liberalismo teológico da Teologia da Missão Integral apenas para atacar o neopentecostalismo. O título deste artigo parece estranho, mas a responsabilidade é do DailyMail, autor da reportagem traduzida por mim do inglês. Eis o artigo original:
Uma organização satânica que havia planejado realizar uma missa negra na Universidade de Harvard foi forçada a levar o evento para fora do campus depois que milhares de pessoas assinaram uma petição contra a missa.
Católicos protestando contra a missa negra
O Clube de Estudos Culturais da Extensão de Harvard havia originalmente planejado realizar o evento, conduzido pelo Templo Satânico de Nova Iorque, no subsolo do Salão Memorial da universidade na segunda-feira.
Satanistas reunidos ao lado de Harvard para realizar sua missa negra
Contudo, o grupo estudantil desistiu do patrocínio do evento que estava programado para acontecer, depois dos protestos de católicos no campus e na cidade de Boston.
Muitos veículos de comunicação noticiaram que o evento havia sido cancelado completamente, porque o templo não havia conseguido encontrar um local fora do campus para realizar a missa.
Missa negra, que foi cancelada em Harvard, foi realizada em restaurante chinês ao lado de Harvard
Mas eles acabaram fazendo um acordo com o restaurante Hong Kong na Praça Harvard e postaram em sua página de Facebook que o evento ocorreria “dentro de uma hora” por volta das 10h30min.
Salão Memorial de Harvard onde a missa negra foi cancelada
Na semana passada, o clube de estudos culturais provocou polêmica quando anunciou planos para realizar uma reencenação histórica de uma missa negra.
O clube disse que a intenção do evento era ser educacional e seria precedido por uma palestra sobre a história e origens da missa negra, um ritual que imita, de forma zombadora, a missa católica, em que o pão e o vinho são consagrados e consumidos.
Estátua de Satanás que grupo satanista da missa negra quer colocar em Oklahoma
A reencenação estava marcada para ser realizada pelo Templo Satânico, uma organização satanista que atraiu atenção no começo deste ano depois que propôs a colocação de uma estátua de Satanás de mais de 2 metros de altura ao lado do monumento existente dos Dez Mandamentos em Oklahoma.
O anúncio provocou indignação no campus e até em Boston, com a arquidiocese divulgando um comunicado dizendo que o evento “coloca os participantes perigosamente perto das obras destrutivas do mal.”
Drew Faust, presidente da Universidade de Harvard, chegou a condenar o evento como “abominável,” mas disse que a universidade não cancelaria a missa a fim de proteger a liberdade de expressão.
Mas muitos no campus não ficaram contentes com a decisão de Faust de deixar a missa prosseguir.
Aurora Griffin, a estudante católica que iniciou a petição contra a missa negra
A estudante bolsista Aurora Griffin começou uma petição e acabou conseguindo mais de 60 mil assinaturas de estudantes, ex-alunos e professores em apoio da proibição da missa no campus.
“Sinto vergonha que minha universidade esteja permitindo que tal evento repugnante ocorra sob o patrocínio da ‘educação,’” Griffin, ex-presidente da Associação de Estudantes Católicos de Harvard, disse ao jornal Boston Globe.
Manifestação católica contra missa negra em Harvard
A arquidiocese protestou contra o evento realizando uma procissão eucarística na segunda-feira de noite, culminando numa hora santa na Igreja de São Paulo que teve a presença do presidente Faust.
Missa católica contra missa negra
A Liga de Ação Católica de Massachusetts realizou sua própria manifestação com um evento chamado “Rosário do Conserto” fora do Salão Memorial — onde a missa negra estava originalmente marcada para acontecer.
“É inimaginável que a Universidade de Harvard permitiria tal paródia obscena dos ritos sagrados de outra religião,” C.J. Doyle, diretor-executivo da liga, disse numa declaração na manhã de segunda-feira. “O anticatolicismo, porém, permanece um preconceito respeitável.”
Traduzido e editado por Julio Severo do artigo do DailyMail: Harvard Satanic “black mass” goes ahead despite protests from thousands of Catholics
Leitura recomendada:

18 comentários :

Marlon Marques disse...

Foi cogitado do escritor Roger Olson palestrar na Mackenzie sobre arminianismo no lançamento do livro Teologia Arminiana - Mitos e Realidades, mas lhe foi negado, Só que o deputado gayzista Jean Wyllys palestrou lá sobre homossexualidade. Ou seja, para muitos calvinistas é melhor deixar um homosssexual defender a homossexualidade do que um arminiano palestrar sobre arminianismo na Mackenzie!

Flávio Da Vitória disse...

Puxa parece que calvinismo é uma cegueira mesmo, cessacionismo,predestinação,maçonaria... o que mais tem?

Felipe Duarte disse...

O Calvinismo é um verdadeiro câncer espiritual, não só para a Igreja Brasileira, mas Global. Este é um fato indiscutível para aqueles que não se corromperam.

Julio Severo disse...

Preciso discordar de você, Felipe. Se você disser que o cessacionismo, a maçonaria e a Teologia da Missão Integral são um câncer no calvinismo, aí eu concordo. Dizer que o calvinismo como um movimento é um câncer seria a mesma coisa que dizer que qualquer outro movimento evangélico, inclusive o pentecostalismo e o neopentecostalismo, é um câncer. Acredite: há excentes calvinistas. Meu blog tem textos deles. Eu leio livros deles. Podemos e devemos rejeitar os elementos nocivos do movimento calvinista, mas seria errado dizer que o movimento todo é um câncer. Seria nos rebaixarmos aos calvinistas liberais e esquerdistas que tacham o movimento pentecostal inteiro de herético.

Anônimo disse...

Júlio, sou católica e preciso te agradecer muito pelo seu trabalho. Só soube dessa infeliz notícia pelo seu blog.
Jesus Cristo seja sempre louvado!

Guilherme A Casarotto disse...

"A arquidiocese protestou contra o evento realizando uma procissão eucarística na segunda-feira de noite, culminando numa santa hora na Igreja de São Paulo que teve a presença do presidente Faust."

Imagino que o correto seria Hora Santa, que é um culto de adoração a Jesus presente na Eucaristia.

ÉLQUISSON disse...

Se os Estados Unidos, até hoje, mantivesse a obediência à Palavra de Deus desde a sua fundação, certamente não estaria nesta decadência moral e espiritual nos dias atuais. Ainda segundo algumas pessoas contam, a nação americana nasceu e cresceu sob o temor e a obediência à Palavra de Deus. Enquanto se manteve assim, prosperou em todos os sentidos. Todo verdadeiro cristão sabe muito bem que a obediência à Palavra de Deus é a verdadeira e única segurança espiritual de que dispomos para estarmos protegidos contra o mal neste mundo corrompido pelo pecado.

Só que, com o passar do tempo, o desenvolvimento material, científico, e financeiro fez com que os Estados Unidos começasse, aos poucos, a negligenciar a obediência à Palavra de Deus. Sem contar que a influência da Maçonaria (e de outras filosofias erradas) também contribuiu muito para aumentar essa mesma negligência. E também houve um outro fator que agravou ainda mais esse processo: a retirada do ensino religioso das escolas americanas a partir dos anos 60 (coincidência ou não, foi na mesma década que teve o início do movimento feminista). Em suma: os Estados Unidos passou a não dar mais prioridade à obediência à Palavra de Deus!

E o que acontece? Muito simples: a partir do momento em que uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente em sua própria sabedoria, ela fica espiritualmente desprotegida e se torna uma presa fácil para os ataques do diabo e dos demônios (e também de todo tipo de pecado e vício). É como bem disse o profeta Jeremias:

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

O que está acontecendo hoje nos Estados Unidos nada mais é do que a conseqüência do abandono total da verdadeira fé cristã. Em outras palavras: a nação americana agora está colhendo os frutos de pouco mais de 50 anos do seu desprezo à obediência à Palavra de Deus!

O maior erro dos Estados Unidos foi exatamente este: trocar Jesus por Satanás! E o que é pior: foi um erro deliberado (ou seja, foi feito de forma consciente)! No dia do juízo final, este mesmo erro vai ser seriamente cobrado! É como Jesus diz na Sua Palavra:

"Por que vós Me chamais de Senhor, e não fazeis o que Eu digo?" (Lucas 6:46)

"E aquele a quem muito foi dado, muito mais lhe será exigido" (Lucas 12:48)

Muito foi dado aos Estados Unidos (no caso, o conhecimento da Palavra de Deus). Só que agora muito mais vai ser exigido (a obediência à mesma Palavra). Logo, os responsáveis pelo destino moral e espiritual dos Estados Unidos fatalmente irão prestar contas da sua negligência na obediência à Palavra de Deus! O livro de Hebreus adverte sobre isso de forma muito séria:

"Pois se pecarmos voluntariamente, depois de já termos recebido o conhecimento da verdade, já não haverá mais sacrifício pelos pecados, Mas uma terrível expectativa de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça? Porque bem conhecemos Aquele que disse: Minha é a vingança, Eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o Seu povo. Coisa horrível é cair nas mãos do Deus vivo" (Hebreus 10:26–31)

Tomara que os Estados Unidos "desperte" o mais rápido possível dessa sua indiferença moral antes que seja eternamente tarde demais!

P.S: Se alguém daqui quiser dizer alguma coisa (ou puder responder a este meu comentário), ficarei agradecido.

Wellington disse...

Por que vocês estão espantados com essa morte espiritual dos Estados Unidos? Tudo isso que está acontecendo lá nada mais é do que a confirmação das palavras do apóstolo Paulo:

"Ninguém, de forma nenhuma, vos engane; pois não será assim sem antes vir a apostasia, e sem que se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus, ou se adora; de modo que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus" (2 Tessalonicenses 2:3–4)

É muito fácil o diagnóstico: quando uma nação deixa de obedecer à Palavra de Deus, esta mesma nação apostatou da fé (e deu lugar ao diabo)! Não é preciso ser formado em faculdade para entender (ou enxergar) algo tão simples assim!

Um outro texto do apóstolo Paulo que explica melhor o caso em questão (a morte espiritual dos Estados Unidos) é precisamente este aqui:

"Pois o ministério da injustiça já opera; há somente um que ainda resiste, até que do meio seja tirado; E então será revelado o iníquo, o qual o Senhor desfará com o assopro de Sua boca, e aniquilará pelo resplendor de Sua vinda; A esse cuja vinda é conforme a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios de mentira; E com todo engano da injustiça para aqueles que perecem, pois não receberam o amor da verdade para que se salvassem. E é por isso que Deus lhes mandará a operação do erro, para que acreditem na mentira; Para que sejam julgados todos aqueles que não creram na verdade, antes sentiram prazer na iniqüidade" (2 Tessalonicenses 2:7–12)

O mal já domina 99,9% do mundo, até porque, como a própria Bíblia diz, "o mundo jaz no maligno" (1 João 5:19). O poder restringente de Jesus (que é exatamente esse "um que ainda resiste") é o que está, por enquanto, impedindo que a humanidade inteira passe a estar sob o controle total de Satanás. Isso devido ao clamor de alguns poucos cristão autênticos que têm suplicado para que o Senhor adie o Seu juízo sobre as nações.

Só que inevitavelmente vai chegar um tempo em que será necessário que o Senhor venha para julgar a humanidade. E quando o Senhor remover suas últimas restrições contra o mal, então o ser humano, já totalmente corrompido pelo pecado, finalmente terá o que sempre desejou: um mundo sem Deus! E aí o mundo inteiro estará totalmente entregue nas mãos de Satanás!

E então veremos quem é o verdadeiro cristão: se é aquele que diz que é cristão só de boca, ou se é aquele que é fiel ao Senhor em toda e qualquer circunstância (principalmente nas piores adversidades e provações). É como bem disse o profeta Malaquias:

"E vereis a diferença entre o justo e o ímpio, entre aquele que serve a Deus e aquele que não O serve" (Malaquias 3:18)

Alguém concorda comigo?

Julio Severo disse...

Obrigado pela correção, Guilherme. Já coloquei hora santa.

Eliel disse...

A decadência moral e espiritual dos Estados Unidos pode ser comparada à situação de um doente em estado terminal. Estão tentando fazer de tudo para que este mesmo doente permaneça vivo, mas os remédios que estão sendo oferecidos já não estão mais fazendo efeito. Agora que a enfermidade já se agravou a ponto de se tornar irreversível (e onde a morte parece ser o desfecho inevitável) é que estão querendo achar uma possível cura! Essa mesma enfermidade não poderia ter sido diagnosticada (e tratada) muito antes, ou seja, logo no início (para que houvesse maiores chances de cura)?

Precisou os Estados Unidos chegar a esse nível crítico de decadência, para que todos finalmente entendam de uma vez por todas que o desprezo deliberado à obediência à Palavra de Deus equivale a dar permissão para que o diabo e os demônios ataquem impiedosamente a tudo e a todos? Não foi sem razão que Jesus advertiu a todos:

"E quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra. Então diz: Voltarei para a minha casa, de onde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros. Assim acontecerá também a esta geração má" (Mateus 12:43–45)

Em outras palavras: basta dar um pequeno vacilo ou uma única brecha (sair um instante da presença de Deus) para que o ataque do diabo e dos demônios seja imediato e inevitável! O diabo não brinca em serviço! Ele tem que ser combatido sempre! O cristão não pode se descuidar espiritualmente nem por um único segundo!

Aí alguém poderia dizer: "Mas os Estados Unidos é um país cristão". Dizer ser cristão da boca pra fora é muito fácil (qualquer um pode dizer isso, independente de estar obedecendo ou não à Palavra de Deus). Dizer que crê em Deus qualquer um diz (até mesmo o diabo). É como disse o apóstolo Tiago:

"Tu crês que só existe um Único Deus? Fazes bem; porque até os demônios também crêem e tremem" (Tiago 2:19)

Adianta alguém (ou alguma nação) dizer que crê em Deus, mas não obedece à Sua Palavra? Adianta alguém se dizer cristão, mas não ter uma vida santificada? Obediência à Palavra de Deus também significa ter uma postura firme contra o pecado: tem que denunciar o que estiver errado, não tolerar nada fora da Palavra de Deus, não ser condescendente com o erro (seja de quem for), resistir às tentações, enfim, é servir integralmente a Deus (mesmo com todas as adversidades). Novamente o apóstolo Tiago se manifesta:

"E sede cumpridores da Palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos" (Tiago 1:22)

O que está realmente faltando para muitas pessoas que se dizem cristãs é um compromisso sério e irrestrito com a obediência total à Palavra de Deus. Falando num tom bem direto: o verdadeiro cristão tem que fazer a diferença onde estiver (tem que ser luz onde há trevas). É como disse o apóstolo Paulo:

"Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; Para que sejais sinceros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Filipenses 2:14–15)

Para finalizar minha mensagem, cito as palavras que o apóstolo Paulo recomenda aos cristãos para terem segurança somente na Palavra de Deus:

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para vos manterdes firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque temos uma luta que não é contra a carne e o sangue, mas contra os principados, as potestades, os príncipes das trevas deste século, e as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais" (Efésios 6:11–12)

Julio Severo disse...

Entre calvinistas (assim como em outros grupos), há os bons e os maus. Os maus calvinistas são maçônicos, cessacionistas, seguem o liberalismo teológico da Teologia da Missão Integral e a maldita e herética teologia da substituição, que diz que a igreja substitiu Israel, dando-lhes a desculpa perfeita para atacar os judeus e Israel. E os bons calvinistas? Muitas vezes são omissos e silenciosos, como no caso vergonhoso de Harvard. Mas quando os maus calvinistas começam a atacar o neopentecostalismo e as manifestações sobrenaturais do Espírito Santo como se fossem heresia, o que os bons calvinistas fazem? Muitas vezes se calam, ou simplesmente se juntam com seus irmãos maus no ataque. Quantas vezes não vemos isso acontecer? Bons calvinistas que, para não ofender os maus calvinistas, se calam dianta da maçonaria no púlpito de suas igrejas. Mas, desgraçadamente, não se calam e ainda ajudam quando os maus calvinistas atacam Silas Malafaia, Marco Feliciano, etc. Algo está podre aí, não?

O Sousa da Ponte disse...

Os estados unidos, como felizmente um elevado número de países, tem liberdade religiosa.

As constituições, a exemplo da constituição americana, garantem a liberdade de religião.

Isto é diferente da tolerância religiosa que existia no Islão medieval : os cristãos e judeus podiam praticar a sua religião mas sob controlo e não podiam tentar catequizar os muçulmanos.

Numa perspectiva de liberdade religiosa todas as religiões devem ter igual tratamento.

Todas são iguais perante a lei e sujeitas à lei.

Sou o primeiro a defender que qualquer grupo religioso deve ter o direito a exercer o seu culto. Por mais exdruxulo que o ritual possa ser e por mais absurda que pareça a fé o estado tem o dever de permitir que as pessoas exerçam essa fé sem ser perturbadas. E que não sejam discriminadas pela sua fé.

Isto é claro com a primazia da lei e do respeito dos direitos fundamentais.

É lícito a um crente crer que negros são amaldiçoados. É uma questão de fé e pode não os aceitar na sua associação religiosa

Não pode é fora da sua associação discriminar negros. Numa empresa, por exemplo.

A universidade de Harvard é laica.

Pode tomar duas posições que podem ser corretas:

Não permitir qualquer culto religioso.

Se permite tem de dar igual tratamento a todas as crenças.

Para mim , que não fui educado na fé cristã, o cristianismo parece-me tão estranho como a umbanda.

Tem rituais curiosos, gosto de assistir à missa católica em santiago de compostela, achei curioso a assistir a um terreiro na Bahia.

E defendo que todos tem o direito de os fazerem.

Um pouco de tolerância não fica mal a ninguém.

E lembrem-se que os deuses de uns são os demónios de outros.

Quanto evangélicos não crêem que a igreja católica é a encarnação do diabo ?

Fernando Silva disse...

Kkkkkk Eu tenho que rir aqui com tanta hipocrisia julgam os calvinistas de maçons, como se não tivesse pastores Pentecostais Neo Pentecostal e arminianos maçons também e quem disse que todo calvinista segue o Liberalismo teologico ta muito equivocado quem falou isso ai em !
Conheço igrejas calvinistas serias que prega santidade e e contra a maçonaria e outra prefiro Mil vezes o Calvinismo do que o Lixo Neo Pentecostal ( não sou cessacionista )

Tobias disse...

O irmão Júlio Severo disse textualmente isto:

"Entre calvinistas (assim como em outros grupos), há os bons e os maus. Os maus calvinistas são maçônicos, cessacionistas, seguem o liberalismo teológico da Teologia da Missão Integral e a maldita e herética teologia da substituição, que diz que a igreja substitiu Israel, dando-lhes a desculpa perfeita para atacar os judeus e Israel. E os bons calvinistas? Muitas vezes são omissos e silenciosos, como no caso vergonhoso de Harvard. Mas quando os maus calvinistas começam a atacar o neopentecostalismo e as manifestações sobrenaturais do Espírito Santo como se fossem heresia, o que os bons calvinistas fazem? Muitas vezes se calam, ou simplesmente se juntam com seus irmãos maus no ataque. Quantas vezes não vemos isso acontecer? Bons calvinistas que, para não ofender os maus calvinistas, se calam diante da maçonaria no púlpito de suas igrejas. Mas, desgraçadamente, não se calam e ainda ajudam quando os maus calvinistas atacam Silas Malafaia, Marco Feliciano, etc. Algo está podre aí, não?"

Amado irmão Júlio,

Muitos, ao invés de defenderem os princípios cristãos (e outros cristãos contra os ataques dos escravos do diabo e dos demônios), preferem simplesmente se omitir (ou se aliar aos que promovem tais ataques). É realmente lamentável vermos tal tipo de coisa acontecer dentro das igrejas. Ao invés de haver um combate efetivo contra o mal, está havendo uma indiferença em relação ao avanço do mal.

Parece que muitos, pelo jeito, estão esquecidos do que disse o apóstolo Tiago:

"Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não faz, comete pecado" (Tiago 4:17)

Usando um tom carregado, eu diria o seguinte: pior do que se aliar a um ímpio é estar ao lado daqueles que se dizem cristãos (mas que agem pior até do que os piores ímpios). A respeito disso, o apóstolo Paulo escreveu algo muito apropriado:

"Já vos adverti por carta para que não vos associeis com aqueles que se prostituem; isso não dizer absolutamente com os devassos, nem com os avarentos, os roubadores, ou os idólatras; pois assim seria necessário para vós sair do mundo. Mas agora eu vos escrevo para que não vos associeis com aquele que, se dizendo irmão, for devasso, avarento, idólatra, maldizente, beberrão, ou roubador; com o tal, nem ainda comais. Pois que tenho eu em julgar aqueles que estão de fora? Não julgais vós quem é de dentro? Mas Deus julga os de fora. Tirai, portanto, do meio de vós esse iníquo" (1 Coríntios 5:9–13)

Outra advertência séria neste sentido é a do apóstolo João:

"Todo aquele que prevarica e não persevera na doutrina de Cristo não tem a Deus; quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto o Pai quanto o Filho. Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa e nem tampouco o saudeis. Porque aquele que o saúda tem parte nas suas obras más" (2 João 1:9–11)

Será que eu estou certo? Se você quiser se manifestar, esteja à vontade.

JCavalheiro disse...

Estados Unidos, uma nação que tem sido uma
espécie de murio de arrimo
para o Cristianismo.
País onde havia abrigo para a manifestação livre do culto cristão mas que na segunda
metade do século XX e mais enfaticamente no final do
século passado e começo do
século XXI tem se posicionado a qualquer manifestação que
envolva o cristianismo e o
Estado, buscando amparo na
chamada Emenda número "1",
mas não tem usado da mesma
regidez para com outras
expressões religiosas (não cristãs), as quais tem
recebido um tratamento de expressão cultural (aliás, este tratamento também está sendo dado no Brasil). Isto está levando aquela nação a perder o seu lugar como baluarte do Cristianismo, espaço este que vem sendo sistematicamente ocupado pela Rússia (veja os últimos noticiários nesta área).
Creio que isto tem levado a cumprir-se a Palavra profética
dos Apóstolos, do salmista e do próprio Senhor Jesus(Sl 69.25;
Sl 109.8; At 1.20 e Mt 19.30).

pretinha disse...

O Sousa da Ponte

Você cometeu uma série enormes de erros.

O seu primeiro, e mais evidente erro, foi confundir bens públicos com bens privados, e vou focar nesse assunto. A Universidade de Harvard é privada. É um erri gravpussuni querer estabelecer para os espaços privados as mesmas regras que existem para espaços públicos. Se um ente privado não pode estabelecer regras internas, não é privado, mas uma simples franquia do estado.

Há cerca de cem anos, ninguém fazia confusão entre espaços públicos e espaços privados, e entre bens públicos e bens privados. Foi compreendendo essa diferença fundamental que foi construído o estado liberal clássico. Como parte de sua guerra cultural, as esquerdas conscientemente confundiram o debate, e a diferença entre espaço público e espaço privado está de tal forma embaralhada que hoje pessoas como você dizem uma barbaridade dessas.

Uma conseqüência inevitável da confusão entre o público e o privado é a tendência ao extremo intervencionismo estatal, até o ponto de ser quase indistinguível do socialismo. Inevitavelmente, as liberdades individuais sofrem pesado ataque.

Vou contar um caso emblemático, que aconteceu nos EUA. Certa moça cristã queria ter uma outra moça morando em seu apartamento, para dividir despesas. Fez publicar no boletim de sua igreja um anúncio oferecendo vaga para uma moça cristã. Pois bem, absurdamente essa moça foi processada por discriminação. Efetivamente ela discriminou três vezes: a companheira de quarto que ela queria deveria ser do sexo feminino (moça), jovem (moça) e cristã. Ora, se o estado tem o direito de proibir toda discriminação, tem o direito de proibir toda escolha particular (porque toda escolha é uma discriminação, a não ser que seja sorteio). Em particular, tem o direito de mandar que as pessoas recebam em suas propriedades privadas (pode ser uma escola, uma fábrica uma fazenda, uma residência) quem o estado determinar. Nessa situação, não existem espaços verdadeiramente privados, mas apenas espaços públicos. É claro que isso é o fim de toda a liberdade. Por mais absurdo que seja o processo que moveram contra essa moça, é conseqüência natural e inevitável do pensamento desta época.

Edmilson disse...

Estados Unidos ontem: uma nação que obedecia à Palavra de Deus;

Estados Unidos hoje: uma nação que perdeu totalmente o temor a Deus.

As palavras do apóstolo Paulo confirmam isso:

"Mas o Espírito expressamente adverte que em tempos posteriores muitos apostatarão da fé, e darão ouvidos aos espíritos enganadores e às doutrinas de demônios" (1 Timóteo 4:1)

Unknown disse...

Júlio, vou ter que discordar da sua posição sobre "se o Pr. Silas fosse discursar em Harvard seria vetado..."

Ora, não devemos julgar para não sermos julgados. Talvez as suas observações sobre os Calvinistas Esquerdistas no Brasil não se apliquem nos EUA.

Paz.