8 de maio de 2014

Entrevista de Feliciano à Playboy pode lhe custar título de pastor


Entrevista de Feliciano à Playboy pode lhe custar título de pastor

Em ano eleitoral, Assembleia de Deus decide se vai excluir um de seus mais destacados políticos e pastores

Julio Severo
A Convenção Fraternal das Assembleias de Deus no Estado de São Paulo (Confradesp) pode, de acordo com reportagem tendenciosa da Folha de S. Paulo, cassar o título de pastor do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) por ele ter dado uma entrevista à Playboy, revista conhecida pela promoção da pornografia.
Marco Feliciano
A entrevista, publicada em abril, não trouxe uma única foto de Feliciano em estado de nudez ou roupas íntimas. Em vez disso, tem oito páginas, num espaço muito grande no qual a revista pornográfica não poupou o pastor assembleiano, fazendo cair sobre ele uma chuvarada de perguntas maliciosas.
De um lado, estava Feliciano, debaixo de artilharia pesada, apresentando seus valores opostos à cultura da morte. Ao contrário de muitos convidados que ficam à vontade para desabafar suas sujeiras morais mais íntimas, a revista não deixou Feliciano à vontade por um só minuto, crivando-o de perguntas para fazê-lo escorregar em seus valores.
O pastor assembleiano não elogiou nem a revista nem suas pornografias e sem-vergonhices. Em vez de tirar a roupa, ele desnudou muitas mentiras na cultura de hoje, afirmando que “cerca de 80% dos casos de homossexualidade são decorrentes de abuso sexual na infância.”
Ele destacou também que o incentivo ao “casamento” de mesmo sexo faz parte de um “pensamento que vem da ONU.” Esse pensamento, segundo ele, inclui controle da natalidade e aborto.
Ele declarou que a criminalização da chamada “homofobia” é algo que a ONU está impondo no Brasil.
Numa de suas muitas alfinetadas, a revista perguntou-lhe: “O senhor não teme estar generalizando ao associar a promiscuidade ao homossexualismo?”
A essa pergunta burra, que alega, sem base nenhuma, que a homossexualidade não teria ligação nenhuma com imoralidade nenhuma, Feliciano respondeu:
“Eu defendo a base da família, que é algo puro e santo, sagrado para mim. Em todas as sociedades, antes da sociedade, antes do Estado, vem a família… E a família, para mim, é homem e mulher e aquilo que gerar disso. Qualquer coisa contrária a isso, para mim, é contrária à própria criação e natureza humana.”
A revista também perguntou, em tom de ataque: “Crimes de homofobia são mentira?”
Feliciano respondeu desfazendo percepções erradas: “Não são mentiras, mas são exagerados. Num país com 50 mil assassinatos por ano, 2012 teve 270 crimes tidos como de homofobia. Desses, apurados um a um, 70% foram crimes passionais. Crimes cometidos pelo parceiro homossexual. E o restante, crimes tidos como homofóbicos porque morreu um homossexual, mas que não foram elucidados.”
Com ousadia, Feliciano declarou que é completamente contra o aborto, pois, de acordo com ele, “a vida deve ser protegida desde a concepção.”
Ele também contou que antes de sua experiência de conversão estava envolvido com cocaína, bebidas alcoólicas e sexo.
Na tentativa de dar um testemunho para o público da Playboy que está totalmente mergulhado em trevas, Feliciano, sob fogo cerrado de perguntas mal-intencionadas, se mostrou humano, fraco e insuficiente em algumas respostas, mas nada que se aproximasse da apostasia das celebridades do mundo gospel, como Brian McLaren, que apoia o chamado “casamento” gay.
Houve fraqueza, mas não apostasia.
Então, por que a Folha de São Paulo e grandes mídia seculares do Brasil estão destacando, com mal-disfarçada satisfação, que a Confradesp está ameaçando Feliciano com perda do título de pastor?
O pastor Lelis Washington, que faz parte da diretoria da Confradesp, diz que o problema não está no conteúdo das declarações de Feliciano à Playboy. Ele disse: “Deixando de analisar a entrevista, não é essa literatura que recomendamos aos fiéis.”
Se a questão fosse apostasia, a Confradesp teria obrigação de fazer com Feliciano o que a denominação de McLaren não está fazendo com ele.
Se a questão fosse fraqueza, caberia à Confradesp tratar de forma fraternal e bíblica para corrigir os erros de seu pastor.
Mas se a única questão, conforme destacou o Pr. Lelis, é que a Playboy não é uma revista que a Assembleia de Deus recomenda, a solução é simples: é preciso averiguar as declarações públicas de Feliciano para apurar se ele tem promovido a leitura da Playboy entre assembleianos e outros cristãos. Se o fez, a Confradesp tem o direito e a obrigação de discipliná-lo com rigor.
No entanto, se ele não fez nenhum proselitismo em prol da revista pornográfica, mas em vez disso só aproveitou o espaço que lhe foi oferecido para alcançar o público pornográfico da revista, qual é o mal em dar testemunho para quem está nas trevas?
O seguidor de Jesus Cristo tem chamado para brilhar na escuridão. Se não podemos brilhar onde os pecadores estão, onde nossa luz deve acender? Só dentro da igreja?
Não posso falar pelo Feliciano, mas se um pai-de-santo, a Globo ou outro me convidar, sou livre para aceitar. Nós cristãos somos chamados para brilhar no meio das trevas, não no meio da luz. Claro que não podemos usar esse espaço para dizer: “Os trabalhos do pai-de-santo são bons. A Globo é uma emissora pró-família, etc.” Cristão que só brilha no meio de cristão não sabe seu chamado. Se a Playboy, que é das trevas, me quisesse entrevistar, sem censura e imposição, eu poderia aceitar. Mas isso não é desculpa para nenhum cristão comprar essas revistas sujas. É oportunidade para um testemunho, ainda que pequeno, brilhar no meio da escuridão. Lâmpada que brilha só de dia não presta.
José Wellington: apoio a Dilma. E Feliciano?
O Pr. José Wellington Bezerra da Costa, como presidente da Convenção Geral das Assembleia de Deus do Brasil (CGADB), tem a responsabilidade de cuidar para que a entrevista de Feliciano à Playboy não seja julgada por líderes de sua denominação como “apostasia” ou algo parecido. Pelas fraquezas e termos impróprios expressos em algumas respostas, no máximo uma reprimenda fraternal seria suficiente. Se mais que isso for imposto, ficará a impressão de que neste ano eleitoral alguém quer tirar a base de eleitores assembleianos de Feliciano. E todos os assembleianos sabem que Paulo Freire, o filho de Wellington que é deputado e federal e atual presidente da Frente Parlamentar Evangélica, tem igualmente a sua base eleitoral em São Paulo.
José Wellington, num comportamento que em nada perde para tirar a roupa para a Playboy, no ano passado sinalizou apoio a Dilma Rousseff, mesmo depois de inúmeras evidências de um governo obstinadamente contrário à família e à vida. Se deve haver disciplina, por que só Feliciano? Pelo menos no caso da Dilma, ele já se arrependeu.
De acordo com reportagem de Neto Gregório, do GospelPrime, Feliciano está sob risco de ser excluído da CGADB, como se ele tivesse cometido um pecado maior do que sinalizar apoio a uma abortista e homossexualista ou como se ele tivesse apoiado o aborto e o “casamento” gay.
Se Feliciano perder o pastorado por decisão da Confradesp, ele automaticamente perde sua base eleitoral assembleiana. Quer queira quer não, vai ficar a impressão de que alguém limpou o caminho para o filho de alguém se eleger com facilidade.
Que um esforço de testemunho para o público nas trevas da Playboy não se transforme em porta aberta para as trevas da ambição na maior denominação assembleiana do Brasil.
Leitura recomendada:
Sobre a Playboy e pornografia:
Sobre Marco Feliciano:

28 comentários :

ÉLQUISSON disse...

Júlio,

Pelo teor deste seu ótimo artigo, fica bem claro que a Confradesp usa 2 pesos e 2 medidas: quer cassar o título de pastor do deputado Marcos Feliciano (como se ele tivesse cometido algum crime ao dar a entrevista para a "Playboy"), mas, ao mesmo tempo, não diz nem faz nada contra José Wellington Bezerra da Costa (que admite abertamente o seu apoio ao governo do PT).

O problema é que muitos não entendem determinadas coisas. Porque Marcos Feliciano deu essa entrevista na "Playboy", muitos pensam que ele é aliado dessa revista (ou que dá ele apoio ao que ela publica). Se fosse assim, Jesus não andaria no meio de pecadores para pregar o evangelho.

Só que estar no meio de pecadores não significa, necessariamente, concordar com o pecado deles (ou adotar o mesmo estilo de vida deles). Se me convidarem para ir a um terreiro de candomblé, eu irei. Mas eu irei lá somente para falar do evangelho de Jesus (e não para fazer aliança com os praticantes do candomblé). Claro que, para eu ir a um local desses, eu tenho que, antes, me preparar espiritualmente. Não posso ir de qualquer maneira. Primeiro eu tenho que consultar a Deus. Se for da permissão Dele, aí sim, eu irei aonde Ele mandar.

E você está certíssimo: a luz tem que brilhar aonde existe trevas. O verdadeiro cristão não tem que brilhar somente dentro da sua congregação. Pelo contrário: o cristão tem que irradiar a luz do evangelho para aqueles que estão vivendo nas trevas. É como disse o profeta Isaías:

"O povo que andava nas trevas viu uma grande luz; e sobre aqueles que habitavam na região da sombra da morte, a luz resplandeceu" (Isaías 9:2)

A mesma coisa é dita por Jesus:

"Eu sou a luz do mundo. Quem Me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida" (João 8:12)

Quantos, que se dizem cristãos, sabem disso?

Prof. Irapuan Teixeira disse...

Júlio, permita-me re-publicar teu artigo, agora em dos meus Blogs. Com os devidos créditos. Abraços.
P.S. Pode me responder via Facebook.

Julio Severo disse...

Pode publicar, Irapuan

Eliel disse...

Eu sou assembleiano e confesso a vocês: me sinto envergonhado de pertencer a uma igreja comandada por líderes corruptos (como o pastor José Wellington Bezerra da Costa). Hoje há uma distância muito grande (ou melhor, uma diferença gritante) entre a verdadeira igreja de Jesus (a igreja primitiva) e as igrejas dos dias de hoje.

E digo mais: é muito mais digno votar nulo do que eleger ímpios a serviço do diabo. Não tem pastor, nem bispo, nem nenhum dirigente de igreja (ou seja quem for) que me faça votar a favor de um governo socialista como o PT (ou outro partido esquerdista). Não abro mão dos meus princípios por nada neste mundo.

Se a lei da ficha limpa fosse realmente cumprida, não teríamos nenhum político corrupto no Congresso Nacional. Toda a vida pregressa dos candidatos seria rigorosamente investigada, para saber se algum deles teria condições (inclusive morais) de ser eleito para o exercício de algum cargo político. O mínimo erro detectado já seria o suficiente para barrar uma candidatura.

O mesmo critério (ficha limpa) também deveria ser utilizado para se eleger os líderes de determinadas igrejas: só seriam admitidos os verdadeiros cristãos (os que obedecem somente à Palavra de Deus), e somente aqueles que nunca tiveram, não tem, e nem terão nenhum contato, amizade, ou aproximação com o PT ou outro partido esquerdista (e nem com nenhum político esquerdista). Creio que só assim a verdadeira igreja de Jesus estará irrepreensível aos olhos do público.

Que tal as igrejas serem mais rigorosas na escolha dos seus líderes (para que o evangelho não seja motivo de escândalo)?

Fica aqui a minha sugestão para a análise de todos.

Everaldo disse...

O pastor José Wellington Bezerra da Costa pode até nem ser político, mas, com certeza, não tem nada de bobo. Pelo contrário: ele é muito esperto. Segundo eu soube de alguns pastores (e também de algumas pessoas próximas a ele), ele só declarou seu apoio a Dilma depois de já ter sido reeleito presidente da CGADB (Convenção Geral das Assembléia de Deus do Brasil). Se ele tivesse se manifestado antes, certamente não seria reeleito (sem contar as explicações que ele teria que dar aos cristãos esclarecidos). A atitude dele não difere em nada do bispo Manoel Ferreira (que esteve com os adeptos do "reverendo" Moon).

Ambos podem se achar espertalhões agora (apoiando Dilma, o PT, e outros partidos esquerdistas), mas talvez nem saibam que são mera massa de manobra. E ai deles se tiverem posições contra o aborto, o homossexualismo,e outras coisas contra a Palavra de Deus! Com certeza sofrerão retaliações na mesma hora, até porque o deus socialista moderno (ou o Baal moderno, que é o PT) não admite traições. Qualquer infidelidade a esse mesmo deus merece ser "justiçada"!

Alguém concorda comigo?

Anônimo disse...

Ha momentos em que penso que vou cair fulminado por um ataque do coracao. Nao vejo a finalidade dar ibope pras obras do kapeta, como esse infelizchiando faz. Primeiro, cumprindo papel de neo-balaao, percorreu as igrejas apresentando um dos "sinistros" de "justissa' "sussial"(no caso, uma mulher) daquele anjo caido, que se apresenta como portador de luz), para que ela fosse eleita presidente; agora, mais essa. Ai daqueles pelo qual vem os escandalos. Serah que foi retirado da Biblia esse versiculo e eu nem fiquei sabendo?

Antonio.

Duílio disse...

Respondendo ao Antônio,

Antônio,

É muita ingenuidade alguém acreditar que o PT e os demais partidos esquerdistas vão mudar a sua agenda política algum dia. Quem acredita nisso também acredita que o diabo, um dia, vai se converter a Jesus!

Se o PT, algum dia, falou o contrário, foi por puro oportunismo eleitoral (já que é exatamente assim que o PT e os demais partidos esquerdistas agem).

Um bom exemplo disso (desse mesmo oportunismo) foi a própria eleição de Dilma. Durante a campanha presidencial, ela corria forte risco de não ganhar por ter se declarado favorável ao aborto. Sabendo que a população brasileira e o segmento evangélico são radicalmente contra o aborto, ela se comprometeu (inclusive assinando um documento em público) em não legalizar o aborto. Todos acreditaram piamente nessa promessa mentirosa dela.

E o que aconteceu depois? Quando ela foi eleita, o aborto anencefálico foi legalizado (contando também com uma "mãozinha" do STF para isso)! Não é esta uma prova mais do que evidente de que Dilma mentiu somente com a intenção de ser eleita? Não só ela, mas também todo e qualquer político esquerdista faria a mesmíssima coisa nas campanhas eleitorais (disso eu tenho plena e absoluta certeza)!

Alguém ainda acredita que os políticos do PT (e dos demais partidos esquerdistas) vão falar a verdade algum dia? Só mesmo quem for muito burro!

Jorge Trimboli disse...

Os líderes eclesiásticos em vez de apoiar ao pastor, o apedrejam.
Jesus foi jantar com publicanos e pecadores, os fariseus o censuraram.
O que mais me irrita é saber que uma dos maiores problemas que os evangélicos tem hoje é o consumo de pornografia na Internet. Coam o mosquito e engolem o camelo.

Anônimo disse...

Deveriam esta ganhando almas para Cristo ao invés de estarem por ai usando a Fe dos Fieis para se promover! O juízo final será de grande surpresa! Jesus nunca precisou de mídia para pregar! Jesus chicoteou e derrubou as mesas dos cambistas no templo! Estamos precisando fazer isso de novo!

Flávio Da Vitória disse...

Eu acho que durante aquele problema todo com o ativismo gay Marco Feliciano já provou ser um cristão, não recuou em nenhum momento. Ele devia fazer que nem o Silas Malafaia, dar o fora dessa CGADB (que PARECE ser ninho de cobras) e tornar sua Assembleia de Deus independente...

Cristianismo & Política - @CristPolit disse...

Ao contrário do que alguns "cristãos zelosos" (fariseus?) dizem, imoralidade e vergonha não é o deputado e pastor Marco Feliciano ter, CORAJOSAMENTE, dado uma entrevista à Playboy, onde falou boas e necessárias verdades.

Vergonha e imoralidade de fato é o que fazem essas pessoas (poucas, provavelmente, mas talvez influentes) da sua igreja e do meio evangélico que tentam aproveitar isso para apoiar (ainda mais) os inimigos do povo cristão e tentar prejudicar o Feliciano e toda a MAIORIA DO POVO BRASILEIRO que ele, sim, REPRESENTA.

Nosso total apoio ao deputado e pastor Marco Feliciano!

Ulisses disse...

A obrigação da igreja do Senhor é ser luz neste mundo de trevas. A respeito disso, o apóstolo Paulo afirmou com autoridade:

"Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela Palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível" (Efésios 5:26–27)

Infelizmente, o que está acontecendo com a maioria das igrejas é muitas delas estão se deixando influenciar por qualquer tipo de doutrina (como o apóstolo Paulo adverte em Efésios 4:14). Em outras palavras: está faltando uma vigilância firme contra as astúcias do diabo (e de seus escravos)!

Diante disso, eu pergunto: o que nós, cristãos, temos realmente feito para preservar a pureza das igrejas (para que elas estejam sendo guiadas somente pelo autêntico evangelho), ou melhor, de que forma temos agido contra as alianças com ímpios, as heresias, as falsas teologias, os falsos evangelhos, e os falsos profetas (e outros erros que têm contaminado a pureza da igreja do Senhor)?

O apóstolo Paulo também já havia prudentemente alertado sobre alguns dos perigos que iriam ameaçar a igreja do Senhor nestes últimos tempos:

"Pois eu bem sei que, após a minha partida, surgirão no meio de vós lobos vorazes, os quais não pouparão ao rebanho; E que entre vós mesmos aparecerão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si" (Atos 20:29–30)

"Mas tenho receio de que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de algum modo corrompidos os vossos costumes, e se apartem da simplicidade que há em Cristo" (2 Coríntios 11:3)

"Cuidado para que ninguém vos faça presa sua, através de filosofias e vãs sutilezas de acordo com a tradição dos homens e conforme os preceitos do mundo, e não segundo Cristo" (Colossenses 2:8)

"Mas o Espírito expressamente adverte que em tempos posteriores muitos apostatarão da fé, e darão ouvidos aos espíritos enganadores e às doutrinas de demônios" (1 Timóteo 4:1)

Não é exatamente isto o que está acontecendo com muitas das igrejas do Brasil de modo geral?

Deixo esta pergunta no ar para alguém daqui responder na primeira oportunidade.

VILLAS BOAS disse...

Mt 7.3 E por que vês o argueiro [no olho] do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho?

Quando o Pastor Cisino Bernadirno, confessou que pastores pregavam bêbados e se prostituíam, ficaram quietos. Hipocrisia pura e simples, o que os move é a politica, e não o zelo pela palavra de DEUS. Como se DEUS precisasse de advogado, ELE põe ELE tira.

Ewerton Emmanuel disse...

No mínimo curiosa essa postura da Igreja. Se fosse nos tempos de Jesus isso lhe "custaria" o "título" de "Mestre" por comer e beber com publicanos e meretrizes ao ser convidado.

Anônimo disse...

Boa noite, pessoal:
1. Gente não perca o foco: o nosso “inimigo” comum é a PoTestade. Duvido se essa (aparente) “saia justa” não foi planejada para desmoralizar o pastor. Essa repercussão tem saído melhor que a encomenda. Pensem!
2. Não votei nele nas últimas eleições, mas o farei agora se ele se mantiver corajosamente representando os ideais em que acredito.
3. É impressionante a falta de discernimento desse pessoal que quer “detonar” o pastor. Que sabedoria é essa que eles têm? Não conseguem perceber a jogada?
4. É hora de nos unir aos que já provaram solidamente sua posição a favor da família, da vida, da liberdade na luta contra essa PaTifaria estabelecida, ávida por poder.
5. Pelo amor de Deus, gente: não caiam nesse truque. O que o inimigo quer é dividir para conquistar.
6. Deus levantará outros, mas no momento é o que temos! Não precisa muito não: basta que alguém que tema a DEUS, se apresente, se instrua, e que não tenha medo de exercer o poder em nome de DEUS, para que as coisas mudem.
7. E quanto aos oportunistas e politiqueiros que estão infiltrados no nosso meio "por trinta moedas de prata": a parte de vocês deve ser mesmo nos quintos do Inferno. Vocês estão caídos. Voltem ao primeiro amor. Sejam fiéis ao chamado cristão que receberam.

Paulo.

Osvaldo disse...

Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.

2 Timóteo 2:4

Anônimo disse...

"Provou solidamente o compromisso com a familia...". Serio?! Quem se mistura com porco come farelo. Para algumas pessoas, vaka sagrada nao pode ser contestada.

Antonio.

Anônimo disse...

Alô, Antônio:

1. Você disse: “para algumas pessoas, vaka sagrada não pode ser contestada”. Bem, eu pelo menos, não quis dizer isso. Os fins não justificam os meios e “de uma mesma fonte não pode jorrar água boa e água salobra”.

2. Um cristão autêntico sequer cogita a existência de “vakas sagradas”. O apóstolo Paulo nos ensinou a não quebrar o galho (“a não deixar sem censura pública”) os “pedros” quando esses vacilarem feio ou agirem de forma politicamente correta. Dá uma olhada em Gálatas 2.11-21 (Novo Testamento, Bíblia Sagrada).

3. Por outro lado, por falta de orientação, de imprudência pessoas tem morrido moral e espiritualmente ao entrarem só com a “cara-e-oragem” e boas intenções em terreno inimigo por subestimar a vileza do inimigo ou superestimar a própria natureza corruptível (a si mesmo).

4. Isso vai servir de experiência. Quem confessa os seus pecados e os deixa alcança a misericórdia. E, nesse caso, os meus VOTOS também. É o que eu penso.

Paulo.

Leony disse...

Alguém (sem consultar a revista, em hipótese nenhuma, é claro) tem a entrevista na integra, que pudesse colocar o link ou a entrevista em si para ser lida?

Leony disse...

Achei!!! Entrevista Completa:


http://olharcristao.blogspot.com.br/2014/05/pastor-marcos-feliciano-entrevista.html

VILLAS BOAS disse...

valeu Leony

Anônimo disse...

Feliciano ainda é um político fraco e ingênuo, porém, com o decorrer das lutas e tribulações que ele vem passando, melhorou muito a sua visão e postura política. Ele até mencionou as canalhices da OSNU (Organização Socialista das Nações Unidas). De fato, as lutas nos moldam para melhor, como a "eucatástrofe" do escritor J.R.R. Tolken.

Anônimo disse...

Boa noite, pessoal:
1. Valeu a dica, Leony. Show! Espero que as pessoas que se posicionaram a favor do argumento dessas entidades, sem ler a reportagem, o façam agora.

2. Pessoas dentro dessas entidades representativas religiosas (e não me refiro só as das igrejas protestantes não!) tem nos envergonhado e nos expostos a riscos já faz tempo. São corresponsáveis pela eleição desse desgoverno. O percentual de religiosos brasileiros que professam a fé judaico-cristã é de quanto mesmo? Uns 25% dos votos válidos? !

3. Eles deveriam ter sido capazes de alertar e instruir a igreja sobre o “vale tudo” dos partidos de esquerda, mas não fizeram isso, até agora! Faltam quantos meses para as eleições?

4. Seu pastor, bispo, padre, o quê eles tem dito a você? Eles têm colocado toda a culpa dos males sociais na ação de demônios? Se é só SÓ ISSO que você houve como explicação, você está diante de um gravíssimo caso de omissão!

5. A nossa luta não é contra a carne e o sangue (homens), mas é através da ação deles que as coisas acontecem, na democracia...

6. Ninguém se engane. Os desastres naturais são “pinto” perto das aflições que sobrevirão a America Latina devido a adoção de doutrinas anticristãs. E quando penso que estão sendo implantadas debaixo de nossos olhos, e por mau uso de nossos VOTOS, entendo melhor a analogia “a síndrome do sapo na panela de água quente”.


7. Dentre os brasileiros que tem dado a cara a tapa, na defesa dos interesses do povo, não podem faltar fundamentalistas cristãos bem instruídos, destemidos, para representar os valores que a cultura judaico-cristã nos legou.

8. Não há nada errado um cristão aspirar aos cargos políticos de sua nação. Errado é não se instruir, é não buscar aprender política com quem sabe, e entrar com a cara, a coragem e boa intenção nesse campo de batalha declarado.

9. “Se Eles se calarem, as pedras clamarão” !

Paulo.

Gilson disse...

Respondendo ao Paulo,

Paulo,

O que deixa todos nós (cristãos) tristes é saber que muitos irmãos em Cristo ainda não conhecem totalmente essas ideologias demoníacas (marxismo, esquerdismo, comunismo e socialismo) e também as teologias corrompidas (Prosperidade, Libertação, e Missão Integral) que destroem os verdadeiros valores cristãos.

E essas mesmas ideologias e teologias sempre aparecem disfarçadas de uma compaixão cristã assistencialista. Isso sem contar os que abraçam essas mesmas ideologias e teologias (e contaminam a pureza da verdadeira igreja do Senhor). Temos que extirpar esse câncer maligno de dentro das nossas igrejas.

Infelizmente, o que vemos são homens com muita sabedoria terrena, mas com pouca (ou nenhuma) consagração de vida no altar de Deus. Falando num tom bem direto: não estamos mais vendo a humildade para pregar o autêntico evangelho e viver uma vida simples (sem muito luxo).

Falta alguém com autoridade para dar um basta em toda essa imoralidade que vemos nas nossas igrejas. Falta alguém com decisão firme e forte de romper de vez com o pecado. Enfim, falta alguém com coragem o suficiente (como Jeremias, Elias, ou João Batista) para dizer certas verdades que muitos estão precisando ouvir!

Quem, hoje, estaria disposto a renunciar ao seu comodismo e dar a sua própria vida em favor das verdades da Palavra de Deus?

Deixo esta pergunta no ar para alguém daqui responder na primeira oportunidade!

Anônimo disse...

Boa Noite, pessoal. E aí, Gilson:

1. Um das doutrinas cristãs mais inquietantes é a que diz respeito ao Tribunal de Cristo – os salvos terão suas obras, sua obediência e sua administração (mordomia) dos bens e responsabilidades examinadas pelo próprio SENHOR JESUS CRISTO.

2. Não se embaraçar com os negócios desta vida não significa enfiar a cabeça na terra como um avestruz, ser um “moita”, um alienado. Mas, significa fazer tudo para que Deus seja louvado. Como está escrito: “quer comais, quer bebais ou façais qualquer outra coisa fazei tudo para a glória de Deus.”

3. Conforme você disse, realmente, é preciso: conhecer o pensamento cristão expresso cristalinamente no Novo Testamento e para a Igreja; conhecer as ideologias e teologias demoníacas travestidas de compaixão cristã e assistencialismo e dar a elas e aos seus promotores o devido trato: tolerância zero;

4. Manter a própria vida consagrada no “altar de Deus”. Isso deve significar não esquecer nunca que DEUS tudo vê, que estamos nus diante de Seus olhos, que não podemos desviar de Seu olhar; e assim mesmo viver conscientemente nessa dimensão espiritual, sem contudo deixar de viver de modo natural e saber agir com praticidade (sem se embaraçar!...)

5. Deus nos ajude. O dia da prestação de contas se aproxima. Não podemos falhar como servos – preparados por DEUS para toda a boa obra.

Abraço fraterno, Paulo.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Respondendo ao Paulo,

Amigo Paulo,

Não só eu concordo com o que você disse em relação ao comentário do Gilson, como eu ainda acrescentaria o seguinte: do jeito que o pecado já contaminou o mundo inteiro, muitas pessoas procuram uma igreja ou religião que satisfaça somente as suas próprias conveniências pessoais (ou que não diga nem faça nada contra o pecado). Em outras palavras: muitas pessoas só querem acreditar no que elas desejam (e não no que elas realmente precisam). Não é de se espantar que o que vivemos hoje é uma total inversão de valores: o errado é certo, o certo é errado, o mal virou bem, o bem virou mal, enfim, os preceitos morais da nossa sociedade estão completamente ao contrário. É como bem disse o profeta Isaías:

"Ai daqueles que chamam o mal de bem, e o bem de mal; que fazem da luz as trevas, e das trevas a luz; e que fazem do amargo o doce, e do doce o amargo" (Isaías 5:20)

Não será surpresa se, qualquer hora dessas, criarem uma lei nos obrigando a adorar ao diabo (e nos proibindo de crer em Deus). Aliás, do jeito que existe tanta podridão e tanta imoralidade reinando tanto aqui no Brasil como também em todo o mundo, eu nem me espantaria se uma lei desse tipo fosse aprovada. Em virtude isso, não é sem razão que a Bíblia diz que "o mundo jaz no maligno" (1 João 5:19)

Eu diria mais: está sendo muito difícil, ultimamente, achar cristãos autênticos (que tenham compromisso somente com a obediência à Palavra de Deus). Quem quiser ser um verdadeiro cristão tem que ter uma postura firme e forte para combater o pecado (e, ao mesmo tempo, estar pronto para ser odiado pelos homens). Mas quantos, hoje, teriam essa mesma disposição?

Jesus, na Sua primeira vinda à Terra, não veio para agradar aos homens. E por agir assim, Ele foi odiado por muitos (principalmente pelos poderosos da época). Por que Jesus foi odiado? Porque Ele sempre falava a verdade. Ele desmascarava os hipócritas (e Ele também revelava os pecados ocultos de muitos). Quem fala a verdade sempre é odiado. Se com Jesus foi assim, quanto mais com os Seus servos!

O nosso amado irmão Júlio Severo é um bom exemplo isso. Por ter falado a verdade sobre o movimento homossexual, ele passou a ser odiado (e também perseguido) pelos homossexuais e pelo governo (já quiseram até saber o endereço dele, se é que já não o ameaçaram de morte). Por causa disso, ele teve que ir, com a família, para um exílio forçado no exterior.

Este é o doloroso preço que o verdadeiro cristão tem que pagar pela sua fidelidade a Jesus (e pela sua luta contra o pecado). Quantos, hoje, fariam como os fiéis da igreja de Esmirna (que, por amor a Jesus e à verdade da Sua Palavra, aceitaram a morte sem nenhum medo)? Como bem disse o Gilson, quem, nos dias de hoje, teria a mesma postura firme de um Elias, um Jeremias, ou um João Batista para combater o pecado (e também para falar certas verdades que muitos estão precisando ouvir)?

Os mártires da fé cristã não hesitaram quando foram obrigados a escolher entre o pecado e a morte. O lema deles era: "Antes morrer do que pecar". Eles permaneceram firmes nas suas convicções, e acreditavam que esta corajosa decisão que tomavam agora certamente será lembrada no tribunal divino.

Se estivermos realmente decididos a sermos verdadeiros cristãos (ainda que tenhamos que ser odiados pelo mundo), temos que obedecer ao que Jesus diz em Sua Palavra:

"Se alguém quiser vir após Mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz, e Me siga. Pois quem desejar salvar sua vida vai perdê-la, mas aquele que perder a sua vida por amor a Mim vai achá-la. Porque de que adiantará ao homem conquistar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que dará o homem em troca de sua alma?" (Mateus 16:24–26).

"Entrai pela porta estreita; porque grande é a entrada e largo e espaçoso é o atalho que leva à perdição, e muitos são os que vão por ele; ao passo que estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos são os que encontram" (Mateus 7:13–14)

Eu pergunto: quem teria coragem para agir assim nos dias de hoje?

Woshington Ribeiro da Silva disse...

Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.
Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem;
Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo.
Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.

1 Coríntios 5:8-11

Anônimo disse...

O texto do apóstolo Paulo ao qual o Woshington Ribeiro da Silva se refere é este:

"Pelo que celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade. Já vos adverti por carta para que não vos associeis com aqueles que se prostituem; Isso não dizer absolutamente com os devassos, nem com os avarentos, os roubadores, ou os idólatras; pois assim seria necessário para vós sair do mundo. Mas agora eu vos escrevo para que não vos associeis com aquele que, se dizendo irmão, for devasso, avarento, idólatra, maldizente, beberrão, ou roubador; com o tal, nem ainda comais. Pois, que tenho eu em julgar aqueles que estão de fora? Não julgais vós quem é de dentro? Mas Deus julga os de fora. Tirai, portanto, do meio de vós esse iníquo" (1 Coríntios 5:8–13)