19 de março de 2014

Teologia anti-Israel: um erro mortal


Teologia anti-Israel: um erro mortal

Michael Brown
A ideia de que Deus não tem mais nada a ver com o povo judeu como nação e que a igreja substituiu Israel no plano de Deus não só é um sério erro teológico. É também um erro mortal.
Foi essa falsa teologia que ajudou a inflamar as chamas do ódio aos judeus num dos mais respeitados líderes da igreja primitiva, João Crisóstomo (347-407), que certa vez disse: “Deus odeia os judeus, e no Dia do Juízo dirá aos que simpatizam com eles: ‘Afastem-se de Mim, pois vocês têm relações com Meus assassinos’! Fujam, então, das reuniões deles, fujam das casas deles e tratem as sinagogas deles com ódio e aversão.”
Sem essa teologia falsa, as Cruzadas jamais ocorreriam 700 anos mais tarde.
Foi essa falsa teologia que ajudou a inflamar as chamas do ódio aos judeus no grande reformador Martinho Lutero (1483-1546), que deu este conselho aos governantes alemães de sua época: “Primeiro, incendeiem as sinagogas ou escolas deles… Segundo, aconselho que as casas deles sejam demolidas e destruídas… Em vez disso, eles poderiam morar debaixo de um telhado ou num celeiro, como os ciganos… Terceiro, aconselho que todos os livros de orações e escritos de Talmude deles, em que são ensinados tais idolatrias, mentiras, maldições e blasfêmias, lhes sejam tirados. Quarto, aconselho que os rabinos deles sejam proibidos de ensinar de agora em diante sob pena de perderam a integridade física.” (Para mais exemplos, leia meu livro em inglês “Our Hands Are Stained With Blood” [Nossas Mãos Estão Manchadas de Sangue].)
As palavras sanguinárias de Lutero foram implementadas por ninguém mais do que o próprio Adolf Hitler, começando na noite de 9 de novembro de 1938, que é chamada de Krystallnacht, a Noite dos Cristais Quebrados, quando, de acordo com o oficial nazista Reinhard Heydrich, “815 lojas [judaicas] foram destruídas, 171 casas foram incendiadas ou destruídas… 119 sinagogas foram incendiadas, e outras 76 foram completamente destruídas… 20.000 judeus foram presos, 36 mortes foram registradas e os feridos graves foram também contados em 36.”
Tudo isso foi consequência de uma teologia que estava totalmente errada ajudando a justificar ações mortais. (Os nazistas obviamente não eram cristãos, mas foram séculos de antissemitismo “cristão” na Europa que ajudaram a possibilitar o Holocausto.)
Sem dúvida, há cristãos excelentes hoje que adotam esse mesmo erro teológico (chamado de teologia da substituição ou supersessionismo, significando que a igreja substituiu ou suplantou Israel), e definitivamente eles não são antissemitas e jamais aprovariam a perseguição do povo judeu no nome de Jesus. E eles repudiam totalmente declarações de ódio como as que acabei de citar acima.
Mas o triste fato da história é que foi essa mesma teologia que abriu as portas para séculos de antissemitismo “cristão” no passado, e está ameaçando abrir essa porta horrível mais uma vez hoje.
Considerando a terceira conferência “Christ at the Checkpoint” (Cristo no Posto de Controle) que ocorreu recentemente na antiga cidade de Belém, onde questões como essas não foram apenas abstrações teológicas, é importante recordar como uma teologia errada leva a ações erradas.
De acordo com Atos 1, depois que os discípulos haviam passado 40 dias com Jesus depois de Sua ressurreição, falando com eles “sobre o Reino de Deus” (v. 3), Seus seguidores dedicados queriam Lhe fazer mais uma pergunta antes que Ele subisse ao céu.
Eles perguntaram: “Senhor, será este o tempo em que restaurarás o Reino a Israel?”
Ele respondeu: “Não vos compete saber as épocas ou as datas que o Pai estabeleceu por sua exclusiva autoridade. Contudo, recebereis poder quando o Espírito Santo descer sobre vós, e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra!” (versículos 6-8, KJA)
Em outras palavras, essa é uma boa pergunta, e certamente faz sentido considerando tudo o que vimos tratando, mas a hora certa em que isso ocorrerá — quando Deus irá “restaurar o reino a Israel” — não é algo com que devemos nos preocupar neste momento. Precisamos nos concentrar em cumprir a Grande Comissão com a ajuda do poder do Espírito.
Mas não foi desse jeito que João Calvino interpretou a resposta de Jesus. Conforme o Dr. Paul R. Wilkinson comentou em seu livro em inglês “Understanding Christian Zionism” (Compreendendo o Sionismo Cristão), Calvino declarou que “‘havia tantos erros… quanto palavras na pergunta dos discípulos’ com relação à restauração de Israel. Isso, ele cria, mostrava ‘como eles eram péssimos estudiosos sob um Mestre tão bom,’ e portanto ‘quando ele [Jesus] disse, recebereis poder, ele os admoestou acerca da imbecilidade deles.’”
Wilkinson também comenta: “Na 5ª Conferência Sabeel Internacional em 2004 [que foi uma conferência antissionista], Mitri Raheb denunciou os discípulos como homens ‘de mente muito estreita,’ ‘nacionalistas’ e ‘cegos’ por fazerem tal pergunta.”
Para ser sincero, interpretações desse tipo não são nada mais do que bobagens exegéticas, colocando o texto bíblico de cabeça para baixo.
Por exemplo, se os discípulos tivessem dito a Jesus, “Senhor, é este o tempo para pegarmos espadas para decapitar nossos inimigos?” Ele não teria respondido: “Não vos compete saber as épocas que o Pai determinou para decapitardes. Concentrai-vos apenas na pregação do evangelho.”
Longe disso! Em vez disso, Ele os teria repreendido de forma muito clara.
Mas não é isso o que Ele fez nesse ponto, apesar do fato de que Suas palavras são constantemente interpretadas como se Ele tivesse dito: “Seus idiotas! Vocês não sabem que não quero mais nada com Israel? Vocês não sabem que a igreja substituiu Israel? Eu tenho estado com vocês há tanto tempo e vocês ainda não entendem?”
Em vez disso, Ele simplesmente lhes disse que não lhes competia saber o tempo exato em que o Pai restauraria o reino a Israel (algo que Jesus, Pedro e Paulo confirmaram; veja Mateus 19:28; Atos 3:19-21; Romanos 11:28-29; 15:8); a missão deles era serem testemunhas dEle.
Infelizmente, em nossa época, enquanto estamos vendo um número crescente de cristãos se voltando contra o moderno estado de Israel — e não quero dizer com isso simplesmente que eles estão criticando Israel quando Israel merece críticas, mas que eles estão rejeitando Israel como um cumprimento profético em todo sentido da palavra, também adotando a versão palestina de Israel como um ocupante maligno e afirmando que não resta nenhuma promessa ao povo judeu como nação — estamos vendo as sementes do ódio aos judeus sendo plantadas de novo no coração de muitos desses crentes. A hostilidade deles a Israel mal dá para esconder.
Cuidado, povo de Deus!
A história pode bem se repetir — para vergonha do nome de Jesus, para vergonha da igreja e para prejuízo espiritual e físico do povo judeu —, a menos que corrijamos nossa teologia.
Vocês foram avisados.
Traduzido por Julio Severo do artigo da revista Charisma: A Deadly, Anti-Israel Theological Error
Leitura recomendada:

17 comentários :

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Amado irmāo, excelente postagem. Faço parte do corpo de Cristo e concordo plenamente com tudo isso. Isso é com a certeza de que Israel "nunca" saiu dos planos de Deus. E me deleito lendo Romanos 11. Ora, onde estavam e estão todos os que achavam e acham que Israel não pertence mais aos planos de Deus? Não consigo compreender...pois ba verdade muito longe da Palavra de Deus. É lastimável que ainda hoje tenha irmãos ou "teólogos" que ainda apertam essa tecla. Que coisa... Além de Romanos (claríssimo) temos as profecias!
Para nosso aprofundamento nisso tem um livro pequeno e muito precioso do Derek Prince:
"O Destino de Israel e da Igreja".

Que diz:
Uma das características mais interessantes do período em que vivemos hoje é que os destinos de Israel e da Igreja estão a convergir novamante. Esta convergência vai produzir os mais dramáticos e significativos desenvolvimentos de toda a história humana.
Por que razão um tāo pequeno paīs como Israel é o cerne da atenção mundial?
Como é que o Médio Oriente pode conhecer a verdadeira justiça?
De que modo a história e o futuro de Israel afetam os Cristãos hoje?
Estas são algumas das perguntas abordadas por Derek Prince neste estudo lúcido e minucioso das profecias de Deus relativamente à terra e ao povo de Israel. Uma rigorosa análise bíblica revela de que modo o destino de Israel e da Igreja , embora claramente distintos, estāo intimamente ligados .
(Contra capa)

Livro muito precioso e imperdível.

O Senhor Jesus te abençoe, amado irmão tão comprometido com Deus e Seu Reino...

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Vou até reler o livro...

Roger disse...

E, respondendo todo o povo, disse: O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos. Mateus 27:25.
Tenho a impressão de antes de qualquer consideração a sentença do que está por detrás do versículo acima prevalece: afinal, o povo judeu desafiou a Jesus e seu poder sobre eles, como que: "tome as medidas que convier contra nós"!
Assim, todas as perseguições diáspora à frente aos judeus provieram desse desafio, como Marx, percebendo a derrota de ter se indisposto contra Deus, clamou á sua morte: Venceste, Galileu!
Isso tudo seria o castigo nessa terra por tantos séculos dispersos mundo afora e perseguições incluídas!
Afinal, quem foram logo desafiar. além das contas que prestarão por rejeição a Jesus, no Juízo Final!

Anônimo disse...

A paz do Senhor Jesus Cristo irmao Julio.

Um excelente livro para melhor esclarecer esse tema , e o livro Em defesa de Israel, do pastor Jonh Hagee, editado pela CPAD.

Israel, eterna e indivisivel.

Pastor Caleb.

Anônimo disse...

As igrejas, pelo que vejo, de dirigem ao vento das ondas políticas, o que é um erro grotesco. Para qualquer movimento que surja, lá vem um teólogo vomitando relativismo e distorcendo a palavra às raias da loucura.
Não há como negar que os Judeus são o Povo de Deus. Também não há como negar que o Talmud e a Cabala são demoníacos e um grande muro que os Judeus de olhar para a cruz.
Nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Os Judeus são o Povo De Deus, porém espiritualmente estão em uma UTI. Os únicos sadios são os cristãos fundamentalistas (pentecostais ou não). Os Judeus compartilham a mesma doença dos Católicos, que preservam e valorizam mais a tradição da Igreja do que as Escrituras.
E para aquele protestantes que odeiam a Igreja Católica, aí vai um recado. Todos nós saímos de dentro dela. Porém não devemos voltar para lá, como quase todas as Igrejas Históricas estão fazendo, no Conselho Mundial das Igrejas e no Ecumenismo pregado por João Paulo II. Quem voltar receberá de suas pragas.

Anônimo disse...

As igrejas, pelo que vejo, de dirigem ao vento das ondas políticas, o que é um erro grotesco. Para qualquer movimento que surja, lá vem um teólogo vomitando relativismo e distorcendo a palavra às raias da loucura.
Não há como negar que os Judeus são o Povo de Deus. Também não há como negar que o Talmud e a Cabala são demoníacos e um grande muro que impedem os Judeus de olhar para a cruz. Nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Os Judeus são o Povo De Deus, porém espiritualmente estão em uma UTI. Os únicos sadios são os cristãos fundamentalistas (pentecostais ou não). Os Judeus compartilham a mesma doença dos Católicos, que preservam e valorizam mais a tradição da Igreja do que as Escrituras.
E para aqueles protestantes que odeiam a Igreja Católica, aí vai um recado. Todos nós saímos de dentro dela. Porém não devemos voltar para lá, como quase todas as Igrejas Históricas estão fazendo, no Conselho Mundial das Igrejas e no Ecumenismo pregado por João Paulo II. Quem voltar receberá de suas pragas.

Anônimo disse...

continuando... Israel já "brotou", nossas querida figueira. Vocês não vêem que estamos no fim dos tempos? Que essa onda teológica vem para preparar um contexto de mais rejeição a Israel. Não se esqueçam que as nações se congregarão no Vale de Megido, e os cristãos apóstatas com certeza estarão no meio da muvuca. As Igrejas Apóstatas (Virgens Loucas) estão voltando para de baixo das asas de Roma e ainda vão preparar os incautos contra Israel.

Fran cisco disse...

As Cruzadas não tiveram nada ver com os judeus (embora eles tenham sido de alguma forma atingidos também), mas com os muçulmanos.

Anônimo disse...

Não sei se o Irmão Júlio entendeu meus dois comentários que enviei anteriormente. Eu não disse que a religião Judaica é demoníaca. Apenas que uma parte do Judaísmo que não se satisfaz com a Torá, e acrescenta o Talmud e a Cabala está redondamente equivocado e cego, pois essas duas "filosofias" anulam as Escrituras Sagradas e os impedem de enxergar o sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário.

Soldier disse...

"Sem dúvida, há cristãos excelentes hoje que adotam esse mesmo erro teológico..."

Faço uma enfática objeção contra essa parte do texto.

Alguém que se diz cristão e adota uma falsa doutrina grave a crassa com essa, é na melhor das hipóteses um completo imbecil.

As profecias do AT, a Sã Doutrina revelada no NT, como em Hebreus, Romanos etc. deixam mais do que óbvio que o plano de Deus é restaurar o povo de Israel, que se encontra em profundo sono (Rm 11.8), para que se cumpra o que o Senhor determinou através de Isaías: "Em lugar da vossa vergonha, tereis dupla honra; em lugar da afronta, exultareis na vossa herança; por isso, na vossa terra possuireis o dobro e tereis perpétua alegria" (Is 61.7).

Quem abençoa Israel será abençoado, quem amaldiçoa Israel será amaldiçoado.

Um cristão excelente jamais aceita uma heresia repugnante dessas, em condição nenhuma.

Anônimo disse...

... assim como os concílios católicos anularam parte das Escrituras.

Soldier disse...

Recomendo essa leitura:

http://www.chamada.com.br/mensagens/plano_de_deus.html

Duarte Souza disse...

Eu já tentei entender o antissemitismo de toda maneira e de todos os ângulos e não o entendi nestes últimos 30 anos. Já li livros sobre o Holocausto do ponto de vista cristão, judaico e até nazista (Hitler - Culpado ou Inocente? de Sérgio Oliveira). Tentei plantar em minha mente as razões antissemitas para odiar os judeus, pensar como eles (antissemitas), sentir como eles, sonhar como eles, ser nacionalista como eles, mas em vão fadiguei-me. Não há razão plausível para tanto ódio por tanto tempo. Ódio que transcende as barreiras do tempo, geográficas, política, filosófica. Que ódio é esse que nem o tempo apaga? Que ódio é esse que, como a Peste Negra, contamina milhões e tão rapidamente. Ódio atemporal, internacional e transcendentemente secular. Os judeus erram em alguns pontos na história? Sim! Muitas vezes. Outros povos também o fizeram. Mas o tempo se incumbiu de apagar os vestígios e os sentimentos aflorados. As feridas foram curadas! Povos cruéis, dignos de ódio já passaram e estão na terra: Babilônicos, Persas, Sírios, Fenícios, Filisteus, Egípcios, Romanos, Soviéticos, Americanos, Japoneses, Chineses e muitos outros foram cruéis, desprezíveis e alguns ainda o são. Mas ódio acaba com o tempo! O ódio apaga com surgimento de nova geração. Mas o antissemitismo nunca desvanece, nunca acaba. Geração vem, geração vai e sempre surge do nada, motivos, razões e explicações para se desejar matar os Judeus. Alguns esboçam prazer em matar judeus. Motivos políticos, bélicos, ciúmes, inveja, mentiras, fobias de um suposto domínio judeu (Sionismo). Esta chama nunca se apaga! Quem está mantendo esta chama abrasiva de geração em geração? Quem, por milênios, fornece combustível para que esta chama abrase com injustiça famigerada? Seja quem for não pode ser mortal! Não pode ser geográfico! Não pode ser físico! Não pode ser limitado pelas leis da física! É inteligente, tem poder de convencimento. É astuto, mentiroso e é inimigo declarado de Israel há milênios. Quem será esta tenaz criatura, heim?
Quem será que se possível fosse-lhe enganaria até os eleitos? Donde vem a ideia de um “Antissemitismo Cristão” alicerçado em dita “Teologia da Substituição”. Ah! Gente me poupe! As promessas do Senhor são irrevogáveis! A eleição do Senhor é eterna! O povo de Israel é do Senhor para sempre, quem intentará acusações contra eles? Quem poderá contra Israel se é o próprio Deus Todo Poderoso quem desembainha a espada para defendê-los? Loucos antissemitas! Estão guerreando contra o Grande Senhor dos Exércitos. O fim disto não será bonito de se ver!
Jamil S. Nascimento

Anônimo disse...

vocês realmente acham o o judaísmo hoje é o mesmo do Antigo Testamento? Seria se eles adotassem apenas a Torá. Até os profetas são colocados de lado por eles. A corrupção do Judaísmo é antiga, começou com Salomão, e o Profeta Ezequiel nos falou disso quando Deus mostrou o que se fazia em oculto dentro do Templo. Os fariseus também adotavam doutrinas que anulavam as Escrituras. Se o Judaísmo fosse perfeito, como os irmãos acima dizem, eles não teriam matado o Senhor Jesus. E sabe por que o Judaísmo não é perfeito? É por que eles mantêm em paralelo a "Tradição dos Homens" que os impedem de entender as Escrituras como elas são.
A tradição dos homens que os Judeus guardão é tão anti bíblica que Maçons, seguidores da Nova Era, e Satanistas também valorizam, como é o caso da Cabala.
Apesar de seus erros, ele não deixaram de ser O POVO DE DEUS. Assim como no Cristianismo também houve erros gravíssimos no Papado, por exemplo, nem por isso os católicos deixaram de ser cristãos e Jesus jamais mandaria que (nós evangélico) saíssemos dela. Quer dizer que, por um tempo, ela obedeceu a Palavra de Deus.

Geovani Santos disse...

Essa teologia antissemita é diabólica!

7 BUY 7 disse...

Não concordo com o Sr. quando escreve que DEUS ainda tem planos para Israel como Nação. BiBlicamente o Sr. está equivocadíssimo, talvez seja Judeu, por isso. Com a morte e Ressurreição do SENHOR JESUS CRISTO acabou o Plano de DEUS para Israel como Nação. Para obterem a Salvação tantos os Judeus como qualquer outro povo tem que recerber a CRISTO. O Apóstolo Paulo foi levantado para que todos conheçam e se rendam a CRISTO.

Inclusive, profeticamente, Israel quer dizer Vencedor...

Apocalipse 2
7 Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei o direito de comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus.

João 1
10 Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.
11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
13 Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.

Sou Cristão, amo qualquer povo, seja judeu ou não, mas se pesquisarmos a fundo na história descobriremos que quem habita e fundou Israel não são Judeus Semitas, descendentes de Sem (O da Promeça) e sim Judeus descendentes de Jafé.

A TV nunca vai te mostrar esta verdade, pois toda a mídia é deles, dos falsos judeus ashkenazi, sionistas "Illuminati".
Amo a todos os povos e também os sionistas "judeus" Ashkenazi "Illuminati", por isso anuncio a VERDADE.
Ashkenaz é descendente de Jafé e não de Sem, portanto eles mentem dizendo que são semitas, fazendo o mundo acreditar na mentira deles.

1948: A mentira da bandeira de Israel é finalmente revelada. O emblema na bandeira é uma versão azul do hexagrama vermelho dos Rothschilds.

Leia esse livro (A SINAGOGA DE SATANÁS) e descobrirá o plano verdadeiro que está por trás...

http://pt.scribd.com/doc/47640209/A-Sinagoga-de-Satanas-A-Linhagem-dos-Rothschild

https://www.youtube.com/watch?v=fBsemwK4DJc

Edinei Machado disse...

Oh 7buy7, já que você citou o apóstolo Paulo, que tal isso aqui:"
Irmãos, não quero que ignorem este mistério, para que não se tornem presunçosos: Israel experimentou um endurecimento em parte, até que chegue a plenitude dos gentios. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: “Virá de Sião o redentor que desviará de Jacó a impiedade. E esta é a minha aliança com eles quando eu remover os seus pecados”. Quanto ao evangelho, eles são inimigos por causa de vocês; mas, QUANTO À ELEIÇÃO , SÃO AMADOS POR CAUSA DOS PATRIARCAS, POIS OS DONS E O CHAMADO DE DEUS SÃO IRREVOGÁVEIS ." (Romanos 11:25-29 NVI)
SE eu fosse você, caro 7buy7, repensaria sua fala "de discordar dos planos de Deus para com Israel". Pois seu entendimento, se verdadeiro, torna Deus, o Espírito Santo que falou por meio de Paulo que os dons e o chamado de Deus, a eleição, SÃO IRREVOGÁVEIS"; Os tornam mentirosos, pois então se revogou. Repensa sua atitude, não é bom estar em contra o que Deus determinou.