11 de março de 2014

Objetivo da Conferência “Christ at the Checkpoint”: Enfraquecer o apoio evangélico a Israel


Objetivo da Conferência “Christ at the Checkpoint”: Enfraquecer o apoio evangélico a Israel

Financiamento de governos ocidentais possibilita intolerância religiosa contra Israel

NGO Monitor
Jerusalém — Em antecipação da 3ª Conferência “Christ at the Checkpoint,” marcada para ocorrer de 10-14 de março em Belém, NGO Monitor lançou um relatório em inglês: “Christ at the Checkpoint: How the U.S., U.K. and Dutch Governments Enable Religious Strife and Foment Mideast Conflict” (Cristo no Posto de Controle: Como os governos dos EUA, da Inglaterra e da Holanda Possibilitam Brigas Religiosas e Fomentam Conflito no Oriente Médio).
Yitzhak Santis, diretor do projeto BDS in the Pews, disse: “Nossa pesquisa indica que o propósito político da conferência é enfraquecer o apoio dos evangélicos a Israel nos Estados Unidos e outros países. Eles fazem isso fornecendo um palco para deslegitimar o Estado de Israel e rejeitar seus fundamentos históricos, religiosos e legais.”
Os patrocinadores da conferência, o Colégio Bíblico de Belém e a Fundação Terra Santa, têm recebido financiamento direto e indireto dos governos dos Estados Unidos, Holanda e Inglaterra, e de proeminentes instituições religiosas e educacionais.
Conferências anteriores em 2010 e 2012 avançaram a agenda nacionalista palestina dentro das igrejas evangélicas, enquanto simultaneamente revivificavam temas teológicos antissemitas tais como a teologia da substituição.
Os palestrantes dessas conferências anteriores fizeram comentários antissemitas, tais como “Deus está continuando a ter um plano para o povo judeu que Paulo descreve como inimigos do Evangelho…” e “Jesus é a verdadeira videira, não Israel. Ele é o israelita fiel que realizará tudo o que a nação de Israel não conseguiu realizar.” Outros temas anti-judeus promovidos nas conferências “Christ at the Checkpoint” incluem a eliminação da identidade judaica de Jesus e a promoção de uma teoria racial de origens judaicas.
“O financiamento de governos e outras fontes está possibilitando a promoção da intolerância religiosa precisamente quando o que mais se precisa é acalmar as águas nesta região,” disse Santis.
A conferência oferece várias excursões para postos de controle, o “muro da segregação,” uma vizinhança palestina em “Jerusalém Oriental,” bem como encontros com famílias palestinas. Ao que tudo indica, não se organizam visitas às vizinhanças judaicas em Jerusalém nem reuniões com famílias de judeus. Além disso, ao que parece não se organizam visitas aos muitos locais em Jerusalém onde palestinos realizaram ataques terroristas. Com exceção de uma breve visita superficial e formal a um israelense numa colônia da Margem Ocidental, a opinião da grande maioria dos judeus está praticamente ausente. Os únicos participantes judeus aparentemente encontrarão e ouvirão supostos judeus messiânicos.
Para conhecer as metas políticas e patrocinadores da Conferência “Christ at the Checkpoint,” leia o relatório completo em inglês aqui: Christ at the Checkpoint: How the U.S., U.K. and Dutch Governments Enable Religious Strife and Foment Mideast Conflict.
Traduzido por Julio Severo do artigo do NGO Monitor: “Christ at the Checkpoint” Aims to Weaken Evangelical Support for Israel
Leitura recomendada:

Um comentário :

Ademir Goulart disse...

Meu irmão Júlio Severo, sempre é muito bom ler seus artigos, o que faço com frequência. Sou completamente favorável às postagens que você posta, pois partilho das mesmas ideias e do mesmo segmento teológico.
Tenho, porém, uma pequena sugestão que é sobre o logotipo das postagens que compartilhamos no Facebook, pois esse logotipo com o Arco Iris não cai bem nas páginas, parecendo ao analfabeto que estamos defendendo os gays, o que de fato não é verdade haja vista que somos exatamente contra tal prática.
Continue sempre com essa disposição e temor a Deus e somente a Ele. Um forte abraço