5 de março de 2014

George Soros investiu pesadamente na crise da Ucrânia


George Soros investiu pesadamente na crise da Ucrânia

Bilionário esquerdista quer a intervenção da União Europeia

Aaron Klein
Comentário de Julio Severo: George Soros investe em entidades esquerdistas. Uma de suas entidades é responsável por processar o Rev. Scott Lively com a acusação absurda de ter cometido “crime contra a humanidade” somente porque ele pregou o Evangelho em Uganda, reafirmando a postura da Bíblia sobre a homossexualidade. Daí, se vê a meta desse bilionário ocidental: sociedades dominadas pela ideologia do aborto e homossexualismo, com a consequência previsível de perseguição aos que se opõem a essas perversões. Soros nunca faz um investimento sem esperar retorno. Ele já investiu mais de 100 milhões de dólares na Ucrânia. O artigo a seguir, do grande site conservador WND, foi escrito por Aaron Klein de sua base em Jerusalém:
George Soros e o destino da Ucrânia
O bilionário George Soros é um grande investidor no ativismo esquerdista na Ucrânia, estabelecendo um centro em Kiev que doa enormes quantias de dinheiro para as organizações não governamentais do país enquanto ao mesmo tempo defende laços mais próximos com a União Europeia.
Na semana passada, Soros interveio na crise ucraniana, recomendando a intervenção da UE para ajudar a salvar os mercados financeiros ucranianos.
Soros se envolveu pela primeira vez nos assuntos ucranianos em 1989, quando estabeleceu a Fundação do Renascimento Internacional Ucraniano, ou FRIU, dois anos antes que a Ucrânia se tornasse um país independente. Desde então, Soros já forneceu mais de 100 milhões de dólares para sustentar grupos ucranianos, em grande parte por meio da FRIU e do Instituto da Sociedade Aberta.
A sede da FRIU de Soros fica em Kiev e não somente sustenta muitas organizações não governamentais, mas realiza seminários e sessões de treinamento regulares para grupos locais com relação a tópicos como “fronteiras abertas” e a transformação da região por meio da União Europeia.
Uma conferência realizada em Kiev em maio de 2012, por exemplo, buscou fortalecer o potencial das ONGs ucranianas de absorver o apoio financeiro da UE.
A FRIU em 2009 criou um consórcio de especialistas para ajudar a reformar o governo e desenvolver um grupo de tão chamados políticos progressistas.
Com pesquisa adicional de Brenda J. Elliott.
Traduzido e editado por Julio Severo do artigo do WND: Soros heavily invested in Ukraine crisis
Outros artigos que mencionam George Soros:
Sobre a Ucrânia:

3 comentários :

Nil disse...

http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/cultura/o-monstro-de-bangu-e-a-barbarie-na-periferia/

Meus comentários : Vamos bradar contra a miséria moral e espiritual das periferias.
Por que o mundo só vê e
fala da miséria material ?

Aprendiz disse...

Julio

Um artigo sobre a Ucrânia. O autor é frontalmente contra a intervenção dos EUA, mas noto que ele usa argumentos bem construídos.

http://espectadorinteressado.blogspot.com.br/2014/03/que-nao-se-de-atencao-ao-partido-da.html#more

Agora, é muito diferente isso do argumento: "Se Soros é contra a Rússia, logo devemos ser a favor da Rússia".

Marcio Estanqueiro disse...

Julio, existem mais ou menos umas 300 a 500 famílias de bilionários na Europa e que movimentam o centro vital do poder mundial de onde emanam todas as orientações na tentativa de conduzir os acontecimentos globais. Tudo está se encaminhando para um futuro totalitário, para um governo único. Estou lendo a Nova Ordem Mundial de Alexandre Costa. As coisas que estão acontecendo de certa forma já foram profetizadas e o reino do anticristo está se formando. Minha pergunta: o que devemos fazer?