18 de março de 2014

A controvérsia olímpica de Putin


A controvérsia olímpica de Putin

Matéria de capa da edição de março da revista americana Decision da Associação Evangelística Billy Graham

Franklin Graham
De acordo com um recente artigo da revista Politico, os americanos têm a opinião mais baixa dos russos e seu presidente que já tiveram em mais de duas décadas. Citando uma pesquisa de opinião pública do Gallup, Politico disse que 60 por cento dos americanos têm uma opinião desfavorável da Rússia e 63 por cento têm uma opinião negativa do presidente Vladimir Putin.
Contudo, a aversão americana a Putin não tem diminuído o prestígio que ele tem no mundo inteiro. Em outubro passado, a revista Forbes declarou que Putin é o homem mais poderoso do mundo. Qualquer um que assistiu aos recentes Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, Rússia, pôde ver o motivo. Mais do que qualquer um dos vencedores de medalha de ouro, Putin foi a presença dominante.
Os Jogos Olímpicos foram um espetáculo de 51 bilhões de dólares, mas os dias logo antes dos Jogos foram eclipsados por uma questão polêmica — uma lei que Putin assinou em 2013 para proteger menores (crianças) na Rússia de homossexuais que promovem seu estilo de vida. Especificamente, a lei proíbe a “propaganda de relações sexuais não tradicionais para menores.”
Os meios de comunicação dos EUA e os ativistas de esquerda ficaram horrorizados que tivessem permitido que as Olímpiadas fossem realizadas numa sociedade tão “intolerante.” Muito embora Putin dissesse que os gays e as lésbicas teriam permissão de ir às Olimpíadas, o fato de que ele assumiu uma posição — de simplesmente proteger as crianças — provocou uma explosão cultural mundial. Além disso, ele explicou a lei dizendo: “A Rússia proíbe a propaganda da homossexualidade e pedofilia.”
De certo modo, as Olímpiadas de Inverno se tornaram como a Guerra Fria.
Para que não nos esqueçamos, faz quase 25 anos desde a queda do Muro de Berlim, do colapso da União Soviética e do recuo do comunismo ateu. Não muitas gerações atrás, os EUA tinham o elevado fundamento da moralidade.
Como os tempos mudaram!
É muito triste, mas já dava para se prever a resposta dos EUA à lei de Putin. O presidente Obama intencionalmente incluiu homossexuais em sua delegação americana oficial para Sochi. Então seu ministro da Justiça roubou as manchetes da semana de abertura com o anúncio para a Campanha de Direitos Humanos (uma grande organização homossexual dos EUA): no que se refere ao governo federal dos EUA, não existe mais nenhuma diferença entre o casamento tradicional e o “casamento” homossexual — até mesmo nos 33 estados que proíbem tais “casamentos.”
É óbvio que o presidente Obama e seu governo estão impondo a agenda gay e lésbica nos EUA hoje e se venderam completamente para aquilo que é contrário aos ensinos de Deus.
Então, como os americanos deveriam compreender Putin, que veio a dominar o cenário mundial mais do que o presidente dos EUA? Será que Putin está certo nessa questão?
O pai de Putin é descrito como um ateu militante, sua mãe era uma ortodoxa devota e seu avô era cozinheiro pessoal do revolucionário marxista Vladimir Lênin.
O próprio Putin era oficial da notória agência de segurança KGB da União Soviética de 1976 a 1991. Aliás, ele estava encarregado de monitorar estrangeiros em Leningrado (agora São Petersburgo) quando meu pai, Billy Graham, pregou ali em 1984. Se ele estava monitorando o que estávamos conversando em nossa reunião, que espero que sim, ele ouviu o Evangelho!
Quando a URSS se desmoronou em 1991, Putin entrou para a política, e em 2000 ele substituiu Boris Yeltsin como presidente da Rússia. Limites de mandato o forçaram a sair do cargo em 2008, mas ele foi reeleito em 2012 para um mandato de seis anos.
Nunca ouvi Putin citar a Bíblia, mas durante sua campanha eleitoral de 2012, ele se encontrou com líderes cristãos em Moscou e se comprometeu a proteger os cristãos perseguidos no mundo todo. Essa é uma das razões por que ele apoia o governo de Assad na Síria.
A Síria, por todos os seus problemas, pelo menos tem uma constituição que garante proteção igual dos cidadãos. No mundo inteiro, temos visto que isso é essencial onde os cristãos são minoria e não são protegidos. Os radicais na Síria querem uma constituição islâmica baseada na lei islâmica.
Os cristãos têm vivido na Síria desde a época de Cristo. O Apóstolo Paulo estava na estrada para Damasco quando teve um encontro com Cristo. Os cristãos na Síria sabem que se os radicais derrubarem Assad, haverá perseguição generalizada e massacres em grande escala de cristãos.
Para ser claro, não estou endossando o presidente Putin. Para sobreviver na KGB e chegar ao governo da Rússia, é preciso ser duro. Os inimigos dele dizem que ele é brutal. Para alguns, ele é uma versão moderna de um czar. A vida pessoal dele tem suas próprias polêmicas.
Não é triste, porém, que a própria moralidade dos Estados Unidos tem caído a tal ponto nessa questão — de proteger as crianças de qualquer agenda ou propaganda homossexual — que o padrão da Rússia é mais elevado do que o padrão americano?
Vladimir Putin
Em minha opinião, Putin está certo nessas questões. Obviamente, ele pode estar errado em muitas coisas, mas ele assumiu a posição de defender as crianças de sua nação contra os efeitos destrutivos da agenda gay e lésbica.
Obama e seu ministro da Justiça viraram as costas para Deus e Seus mandamentos, e muitos no Congresso estão seguindo a liderança do governo. Isso é vergonhoso
O mundo costumava olhar para os EUA em busca de liderança moral. Mas esse tempo já era.
Hoje, os EUA abdicaram sua liderança moral. Os EUA derrotaram o comunismo, apenas para relaxar e ver o secularismo e os progressistas dominarem sua nação. O secularismo é tão iniquo quanto o comunismo. Os secularistas e os progressistas dominaram as escolas, os meios de comunicação e o governo local e federal dos EUA. E tudo isso aconteceu num piscar de olhos.
Mas a Bíblia deixa claro que um dia “todas as nações serão reunidas diante de Deus” (Mateus 25:34) para serem julgadas, e que “diante do nome de Jesus todo joelho vai se prostrar” (Filipenses 2:10). Agora é hora de se arrepender do pecado e colocar a fé no Senhor Jesus Cristo.
Traduzido por Julio Severo da matéria de capa da revista Decision da Associação Evangelística Billy Graham: Putin’s Olympic Controversy
Leitura recomendada:

Um comentário :

Anônimo disse...

Morei na Russia, sou admiradora de Putim,assim como a grande maioria do povo Russo,Putin é SIM o cara de + influencia no mundo,é perseguido pq protege s eu povo da falacia gay,se fosse + um babando ovo desses movimentos gays era amado pelo mundo,uma coisa garanto, tem muito + gente q admirava ele do q é divulgado.