10 de fevereiro de 2014

Rachel Sheherazade, um bandido pelado e a moral de cueca do PSOL


Rachel Sheherazade, um bandido pelado e a moral de cueca do PSOL

Michael Caceres
O PSOL saiu – com sua moral de cueca – em defesa do bandido espancado, amarado ao poste, pelado, nu e com a mão no bolso. Faz-me rir! Basta lembrar que o partido está por trás do terrorismo moderno chamado Black Blocs. As esquerdas, com as suas ditaduras de opinião, acham convincente defender bandidos e ignorar a sociedade.
Rachel Sheherazade
No caso da jornalista Rachel Sheherazade o problema não é a dita “apologia ao crime”, mas a critica ao bandido.  É papel dos esquerdistas lidar com os fatos através da distorção. Falo caros leitores, da polêmica criada pelo PSOL em torno da opinião de Sheherazade no SBT Brasil de terça (4).
Ao fazer um comentário a favor dos cidadãos que detiveram um assaltante, o agrediram e o deixaram nu e preso com uma trava de bicicleta a um poste, Sheherazade provocou a ira dos intelectuais de esquerda e defensores dos Direitos Humanos.
Antes que prossiga: os leitores — católicos, evangélicos, agnósticos, ateus etc. — conhecem a minha opinião: Sou a favor da justiça, contra a violência, mas sempre favorável à punição de bandido. E ponto! Pode parecer tautológico, mas bandido bom é bandido preso – ou punido, leia-se como achar melhor.
Para começo de conversa, é importante ressaltar que pegar Sheherazade como ícone da “direita” é conveniente às ideologias de esquerda. Afinal, por mais que os cidadãos – os sem máscaras – sejam pressionados pelos fatos distorcidos apresentados pelos ditos intelectuais progressistas, o bom senso da maioria é contra a inversão de valores morais que a esquerda promove.
O PSOL fez um bafafá, o líder do partido na Câmara dos Deputados, Ivan Valente, com muita coragem – se me permitem o trocadilho – ameaçou procurar o Ministério Público e declarou: “Defendo total liberdade de imprensa, mas não a liberdade para mandar torturar, matar, assassinar e fazer justiça com as próprias mãos. Ser anticonstitucional, ilegal e aplaudida, para quê? Atrás do Ibope?”.
Muito bem! As sugestões de Valente não foram citadas por Sheherazade, tudo o que ela disse foi que era “compreensível” a atitude dos cidadãos que prenderam o bandido ao poste. A fala da jornalista foi: “Num país que sofre de violência endêmica, a atitude dos vingadores é até compreensível”, disse. “O Estado é omisso, a polícia desmoralizada, a Justiça é falha… O que resta ao cidadão de bem, que ainda por cima foi desarmado? Se defender, é claro”. Ela ainda completou: “O contra-ataque aos bandidos é o que chamo de legítima defesa coletiva de uma sociedade sem Estado contra um estado de violência sem limite”.
Mas valente fala aquilo que seu partido está familiarizado. O partido tem entre os seus fundadores o italiano Achile Lollo. Jogou gasolina por baixo da porta da casa de um adversário político e meteu fogo. No imóvel, estavam um gari, sua mulher e seis filhos. Dois morreram queimados: Stefano, de 8 anos, e Virgilio, de 22. Entenderam? Faz parte do jogo político do PSOL “torturar, matar, assassinar e fazer justiça com as próprias mãos”.
A jornalista cristã já havia sido alvo do terrorismo dos intelectuais de esquerda em outra ocasião. No ano passado, mais precisamente em 26 de dezembro, no Facebook do filósofo Paulo Ghiraldelli Jr. foi postada a seguinte mensagem: “Meus votos para 2014: que Rachel Sherazedo seja estuprada”. Logo em seguida: “Votos para 2014: que a Rachel Sherazedo abrace bem forte, após ser estuprada, um tamanduá”. Hum? Se os socialistas do PSOL saíram em defesa da jornalista? Evidente que não.
Para um socialista do PSOL a suposta luta contra o preconceito, é apenas uma nuvem de fumaça para esconder o totalitarismo, a ditadura de opinião e as campanhas sorrateiras para inversão de valores morais. Um exemplo desta falsa luta pela liberdade de expressão e pelos direitos sociais está nas manifestações nas ruas. Em São Paulo, por exemplo, o serviço secreto da PM descobriu que militantes do partido estariam recrutando punks para o quebra-quebra durante as manifestações contra o aumento das tarifas no transporte.
O que quer essa gente? Repito: a inversão de valores e o totalitarismo por meio da violência e do terrorismo intelectual. Ou: faz parte da esquerda a imposição de uma luta de classes. Vamos pensar um pouquinho. A guerra de valores na sociedade entre “conservadores” e “progressistas” – estou do lado conservador, antes que me perguntem – tem sempre os partidos de esquerda envolvidos.
Não por acaso, o PSOL tem entre seus militantes Jean Wyllys, ex-bbb, deputado federal e ativista gay. Wyllys é do tipo que veste a camisa do partido. Eis aí. Por isso, busca distorcer fatos, impor o que chama de “direitos” e apresentando sempre uma opinião recheada de preconceito de classes faz da bandeira seu ideal. Tratarei sobre Wyllys no próximo artigo.

Comento:

A fala de Sheherazade é fácil de interpretar, não tem nada de apologia ao crime, mais um desabafo sobre o terror da impunidade e da injustiça que se instaura no Brasil. Vamos por parte.
“Num país que sofre de violência endêmica, a atitude dos vingadores é até compreensível”.
O que é “compreensível” é a busca por justiça, a atitude dos cidadãos em tentar resolver o problema que as autoridades não conseguem resolver. Sheherazade não disse que o justificável é “mandar torturar, matar, assassinar e fazer justiça com as próprias mãos”, mas a atitude de reação contra a violência, por isso ela começa falando sobre a situação do país: “País que sofre de violência endêmica”. E prossegue: “O Estado é omisso, a polícia desmoralizada, a Justiça é falha…”.
A imagem do Brasil e a cara que a imprensa progressista pintou para os cidadãos reflete a sensação de omissão, desmoralização e injustiça. Um Estado omisso, uma polícia desmoralizada e mal paga, com uma Justiça falha, que segue um Código Penal ultrapassado.
“O que resta ao cidadão de bem, que ainda por cima foi desarmado?”. Qualquer criança responde a esta pergunta. O cidadão de bem não vai sair para as ruas usando máscaras e quebrando a cidade. O cidadão de bem não vai colocar fogo na casa do prefeito ou dos representantes do Estado. O cidadão de bem vai buscar: “Se defender, é claro”. Uma pergunta: O que o cidadão de bem faz para proteger sua família?
Ela ainda completou: “O contra-ataque aos bandidos é o que chamo de legítima defesa coletiva de uma sociedade sem Estado contra um estado de violência sem limite”.

Encerro:

Em nenhum momento a jornalista disse que era justificável torturar, matar, pelar – se me permitem a piada – ou qualquer tipo de ação extrema. O que ela diz ser justificável é a busca por justiça diante de um Estado injusto. Mas os palermas não conseguem entender este tipo de fala, não conseguem se posicionar ao lado do cidadão de bem, por isso as críticas, por isso as mentiras, por isso a ira.
É mais justificável tratar o cidadão a paus e pedras – usando máscaras, é claro – do que o bandido como ele merece ser tratado.
Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

14 comentários :

ÉLQUISSON disse...

O que a jornalista Rachel Sheherazade fez nada mais foi do que traduzir o que o povo sente: vontade de fazer justiça com as próprias mãos!

Nas atuais circunstâncias, uma atitude desses é mais do que compreensível. Afinal, num país onde:

– A justiça é corrupta;
– As leis não funcionam;
- Os criminosos não são punidos,

Qual pode ser o sentimento do povo, senão o de revolta?

Eu digo por mim: se algum criminoso tentar invadir a minha casa (ou tentar atacar a mim ou alguém da minha família), eu, se tiver uma arma, atiro para me defender (e até para matar em legítima defesa, se for necessário).

Devido à pouca (ou nenhuma credibilidade) da justiça, a vontade que todos têm é esta: fazer justiça com as próprias mãos. Se as instituições oficialmente existentes (a lei e a polícia) não atuam como deveriam, o que nos resta a fazer?

O que mais me deixa revoltado é um bando de safados "defensores de direitos humanos" colocando o criminoso sempre como vítima! Será que eles pensariam da mesma forma se um criminoso estivesse com uma arma apontada para a cabeça deles (e prestes a puxar o gatilho)?

Mais uma vez, só vemos a confirmação daquele ditado popular é verdadeiro: "Pimenta nos olhos dos outros é refresco". Que o digam os esquerdistas do nosso governo!

Roger disse...

A OPÇÃO PELO DIABO NO PODER TEM GERADO...
Ao avaliarmos o comportamento dos esquerdistas contra Rachel Sheherazade - ESSA MULHER, SEI NÃO, ATERRORIZA AS HOSTES DA SEITA PT mais que muitas igrejas, inclusive passando em coragem atualmente a CNBB!
Já pensou um candidato escolher ESSA MULHER para vice-presidente, o que tomaria de votos do PT, hem?
Vemos claramente que os comunistas se esforçam muito mais para proteger um marginal - mesmo um animal - do que para cuidar os cidadãos suas vítimas, aliás, que explodam, eles querem o caos, daí incentivar a luta de classes. E, para piorar, eles ainda incitam o crime feito contra civis, justificando-o em vários momentos, sendo fácil mostrar a tese de que a esquerda tomou o partido na questão do crime, e age em oposição ao cidadão comum, privilegiando sempre o criminoso, até com bolsa-bandido, sem apertar as leis.
Esse é o tipo de governante, teu inimigo, para depois te ferrares que escolhes?
Colocar-te na canga, puxares o carro e ele sem piedade te açoitar?
Deixa de ser idiota-útil!
É isto o que acontece, caso Pizzolato - Vicentinho e mais o censuraram de "Sujar" o partido... - quando alguém da fauna pestista se deixa flagrar na bocada da roubalheira ou semelhante, os companheiros o esganam ou "fritam", não por que roubou, desviou ou fraudou, mas por que se deixou apanhar, doravante um imprestável, idiota-INútil.
Os pestistas têm a disposição satanista de enxergar o crime como insignificante, desde quando o criminoso possa servir de massa-de-manobra ou para ajudar os manter no poder

Anônimo disse...

Marx declarou, satanicamente, que nao era marxista. Por mais vagabundo que era nao deixou de mostar alguma coerencia com a realidade, pois o mesmo sabia que sua fio-fo-sofia era impraticavel - utopia. Sendo o eskerdismo/socialismo/komunismo/marxismo uma impossibilidade, no intimo, todo sujeito atacado por essa doenca surta com uma unica pessoa que nao comunga de sua loucura. Esta eh a causa pela qual atacam covardemente a lucidez com que essa jornalista aponta a tragedia por tras dessa crenca.
O Prof. Olavo de Carvalho, por exemplo, no tempo em que era possuido pelo pai da mentira, chegou a ler mais de 600 obras dessa religiao, ateh que chegou o dia em que percebeu o quanto estava sendo otario e acordou.
Oremos para que mais pessoas possam acordar e parem de trabalhar para satanas.

Antonio.

Anônimo disse...

De progressistas os esquerdistas não têm nada; eles são contra a redução da maioridade penal, a favor do desarmamento de civis, lutam por estados super inchados, aumentando os impostos - inchamentos que os beneficiam em poder e influência e nunca a quem eles julgam "proteger".
Ou seja eles são a favor de mais violência e mais estado, por que mais violência requer mais inchaço estatal e de quebra mais poder e dinheiro para eles e seus asseclas - cadê progresso? "Progressista" é propaganda deles e recomendo ao ilustre articulista que não chame esquerdista de progressista, chame-os de esquerdistas (ou regressistas), um palavrão mais realista.

"Mas os palermas não conseguem entender este tipo de fala, não conseguem se posicionar ao lado do cidadão de bem, por isso as críticas, por isso as mentiras, por isso a ira."
Meu comentário:
Não é que os esquerdistas “conseguem entender este tipo de fala” (...); a cúpula intelectual esquerdista entende tão bem quanto nós, mas seguem estritamente a uma agenda cujo ideal revolucionário, engloba várias diretrizes dentre elas a que consiste em apoiar o banditismo. Os foras-da-lei são os futuros agentes da revolução, ou seja, aqueles que "porão a mão na massa" (leia-se matarão e controlarão) quando a revolução estiver quase em curso ou já estiver em curso - é o que se vê na Venezuela, onde vários marginais são usados de capangas do regime bolivariano.
Não podemos ser ingênuos em acreditar que esquerdistas agem por "emoção", esse pessoal tem uma agenda sinistra a cumprir para implantação do socialismo. A manada de esquerdistas, os conhecidos "idiotas úteis" podem até agir com o fígado por lavagem cerebral, doutrinação escolar, ignorância etc. Mas a elite intelectual esquerdista que está por trás dessa agenda, sabe muito bem o que estão fazendo e quais passos a seguir e os cumprem à risca, custe isso matar pessoas (vide caso Celso Daniel e todas as testemunhas desse homicídio), roubar a república (Mensalão), censurar a imprensa, com o eufemismo "controle da mídia", relativismo moral, roubo estatal via impostos para enriquecer a elite estatal e torná-la invencível e por aí afora.
Essas pessoas não têm senso de moral, a moral deles é a moral da revolução e do poder. Se está bem para a revolução é o que importa. Ao descrevermos as fraudes intelectuais dos esquerdopatas, devemos ataca-los com tudo, ridicularizando-os, expondo-os ao ridículo, processando-os onde for cabível, defendendo conservadores – como a Rachel Sheherazade, mostrando a covardia e vilesa do discurso esquerdista contra ela. Devemos cercar os regressistas de todas as formas possíveis. Esse tipo de gente já faz isso com os conservadores. Lembrem-se de que eles apoiam um ideário revolucionário onde matar, roubar e expropriar é lícito se for para a “causa”; portanto são indivíduos extremamente perigosos os quais devemos cercar e lhes tirar o poder agora, enquanto é tempo.

Daniela Dias disse...

Nossa! Como determinados "partidinhos" políticos brasileiros gostam de se aparecer...
PSol perto das eleições quer fazer algo que eles acham esplêndidos: processar a emissora sbt e sua ilustre âncora pq, segundo eles, fez apologia ao crime. Quanta hipocrisia meu Deus! Eles os "politicosinhos" interpretam comentários como querem... Rachel Sheherazade não fez apologia alguma, pelo contrário disse p/ os Direitos Humanos adotar um bandido! E c/ muita propriedade comentou ainda “ser legítima defesa coletiva de uma sociedade sem Estado contra um estado de violência sem limite”.
Portanto, se o PSol quer fazer algo de importante em pleno ano eleitoral, lute, processe e represente contra o Estado falho em que reina a violência sem freio e sem legislações penais eficientes (incluindo o ECA) e não optar pelo lado mais fácil, sair por aí processando a imprensa dizendo ser anticonstitucional expor a verdade existente na sociedade brasileira onde impera a impunidade contra a violência, corrupção/violência política e etc. Anticonstitucional é o Estado violentar sua própria sociedade com a inércia em resolver o problema da violência exacerbada e pior!
Querer limitar a voz, a liberdade de expressão, de imprensa (outrora reprimida), sobre o fato, confundindo Direitos através da falácia de apologia ao crime, pq eles (Ivan Valente - Líder PSol e Cia) interpretam a informação crítica da imprensa – que se posiciona contra a violência que domina nosso Estado “Democrático de Direito” – da forma que lhe é conveniente.
Outro infeliz argumento é o fato deste “líderzinho” dizer que a Rachel Sheherazade é aplaudida, atrás do medo da população, da marginalidade... olhe Ivan Valente nós, sociedade brasileira, não estamos com medo a ponto de ficarmos caladinhos aceitando essa onda de horrores que assola nosso país, lembre-se que as manifestações populares nas ruas do nosso país, começaram a acontecer e Rachel apenas representou a opinião de 90% (ver compartilhamentos/comentários nas redes sociais, etc.) vc está nos 10% que quer se aparecer às custas da violência no Brasil.
Deveria se perguntar: “o que impulsiona um povo a fazer justiça com as próprias mãos?” e lutar em busca da resolução desta resposta e não criar polêmicas c/ desgastadas oratórias a fim de confundir Direitos aqui no país.
Qto. ao fato da marginalidade, essa sim merece completa repudia da sociedade e deveria merecer tb absoluta repudia por nossa legislação, o que não vem ocorrendo, por motivo de determinados “partidinhos”, que se dizem da oposição, não lutarem contra as defasadas leis penais brasileiras que desrespeitam Direitos Fundamentais do cidadão-individuo-vítima-sociedade em prol dos marginais.
Quem se esconde atrás da marginalidade é nossa legislação penal ultrapassada, é a incompetência do Estado em sanar ou ao menos minimizar as estatísticas criminais, é a impotência da justiça brasileira, são os 10% que perdem tempo lutando ao avesso da realidade, são vocês oposição fraca que se apega a reivindicar migalhas e não enfrentam os grandes...
Para mim a oposição política tem que ser agressiva quando o governo apresenta seus projetos falhos, soltar a voz – como Rachel fez – e gritar dizendo o que está errado lá dentro e não se preocupando, de forma falaciosa, apenas com os acontecimentos aqui fora, pois o que ocorre aqui fora é o reflexo das coisas erradas e podres que vêm lá de dentro.
Texto de Daniela Dias
A oposição política (PSol, PSDB, etc.) no Brasil como, diz o inteligente Marco Antonio Villa, “(...) se sente constrangida de ser oposição, parece que executa essa tarefa com desagrado”. Como pode o Brasil mudar assim Ivan Valente? Se preocupe com isso antes de sair por aí querendo processar um simples e correto comentário.

Duílio disse...

O comentário do Élquisson foi mais do que oportuno. E ele disse uma coisa uma muito certa: qual pode ser o sentimento do povo, senão o de revolta?

Diante da vergonha que é a justiça do nosso país, a vontade que muitos têm é de fazer justiça com as próprias mãos (o que, a meu ver, é perfeitamente natural). Mas é preciso que uma coisa fique bem clara desde já: não que alguém (nem mesmo a jornalista Rachel Sheherazade) esteja aqui fazendo apologia a qualquer tipo de violência. O que incomoda (e também causa revolta) a todos é a omissão do Estado em cumprir uma de suas obrigações mais básicas: a de proporcionar segurança aos seus cidadãos.

Aí vem a pergunta inevitável: para onde vai o dinheiro dos muitos impostos que pagamos (com a finalidade não só de termos segurança, como também servos atendidos em outras necessidades socialmente úteis)?

José disse...

A imprensa "imparcial", que tomou o partido dos tais "manifestantes pacíficos", acaba de perder um de seus membros vítima dos Black Blocs.

José disse...

E os ativistas do PSOL mataram o cinegrafista da Band. Veremos se serão levados à justiça.

Maisa disse...

Nesse exato momento, os Black Blocs do PSOL estão fazendo arruaça no Rio de Janeiro.

Anônimo disse...

O PT não brinca em serviço, quando se trata de instaurar a ditadura. Colocou os arruaceiros do Black Bloc a serviço do PSOL (aliado do PT) para desviar as atenções.

PT, PSOL, PSTU e movimento gay do Wyllys são camaradas agindo juntos com o mesmo propósito: a ditadura comunista.

Dá-lhe globeleza.
Dá-lhe copa do mundo.

Nil disse...

Vejam aqui um vídeo onde o jornalista Ricardo Boechat da Band apoia sistematicamente os "black bloc " e a baderna. Até agora nenhum esquerdista condenou ele.

Vejam o vídeo e o texto e vejam os dois pesos e medidas diferentes em relação a jornalista do SBT.
http://lucianoayan.com/2014/02/08/entendendo-a-esquerda-que-odeia-rachel-sheherazade-e-endossa-ricardo-boechat/

Lourival disse...

Pelo visto, o mandamento número 1 dos esquerdistas é: "Não terás outros partidos diante de mim"

Os esquerdistas acham que são Deus, acham que estão acima de tudo e todos, e, principalmente, que são incriticáveis!

Se houvesse uma guerra civil para banir os esquerdistas do poder, eu estaria presente! Tem que dar um basta em toda essa corrupção!

Este ano é ano de darmos o troco nas urnas!

José Nunes Rodrigues Filho disse...

Muito esclarecedor Júlio, parabéns !!

Claudio Vaz disse...


Eu apoio:

"RACHEL SHEHERAZADE PRESIDENTE"