28 de fevereiro de 2014

Proeminente revista esquerdista americana Mother Jones vê conspiração pró-família nas atividades do Congresso Mundial de Famílias na Rússia


Proeminente revista esquerdista americana Mother Jones vê conspiração pró-família nas atividades do Congresso Mundial de Famílias na Rússia

Don Feder, diretor de comunicações do Congresso Mundial de Famílias
Em 21 de fevereiro, a revista e site esquerdista Mother Jones (que recebe mais de 1 milhão de dólares das fundações de George Soros) fez o que tem a intenção de ser uma matéria “desmascarando” as atividades do Congresso Mundial de Famílias (CMF) na Rússia, inclusive o próximo congresso do CMF em Moscou, em 10-12 de setembro de 2014.
Numa reportagem intitulada “Como os evangélicos americanos ajudaram a criar o movimento anti-homossexualismo na Rússia,” Mother Jones apresenta um texto repleto de inexatidões e distorções. A principal distorção é que o Congresso Mundial de Famílias é uma organização evangélica.
O Dr. Allan Carlson, secretário internacional do CMF, gosta de dizer que somos uma coalizão de crentes ortodoxos — católicos, evangélicos, ortodoxos, protestantes, mórmons e judeus — que não acreditam necessariamente nas mesmas coisas, mas são unidos em nosso compromisso de defender a família natural como a unidade fundamental de uma sociedade livre. Vários analistas têm sugerido que a influência católica é mais evidente, mas isso não se encaixa no cenário de Mother Jones de evangélicos enlouquecidos “forçando” seus valores na sociedade, nos EUA e no exterior.
O artigo deixa a impressão de que o CMF é de certo modo responsável por várias leis, inclusive a lei de proteção às crianças da Rússia (lei que a revista esquerdista chama de “antigay”) — que foi aprovada por unanimidade pelo Parlamento da Rússia em junho passado — e recentes restrições ao aborto. Aliás, a sociedade muito tradicional e de orientação cristã da Rússia tem disposição natural de adotar medidas pró-família. Essa disposição é fortalecida por preocupações justificáveis sobre o declínio demográfico na Rússia.
O texto da revista também omitiu o fato de que o apoio do Congresso Mundial de Famílias à família natural, embora seja a melhor política pública para uma nação livre e próspera, nunca inclui lobby para promover a aprovação de nenhuma lei específica na Rússia ou outro país.
Como numa reportagem de 27 de janeiro na revista esquerdista The Nation (observe o título semelhante: “Como os Evangélicos dos EUA Estimularam o Surgimento da Direita Pró-Família da Rússia,” tratado aqui.), o artigo de Mother Jones reflete os temores crescentes dos marxistas culturais e da esquerda sexual radical.
Embora a esquerda tenha décadas de atuação — por meio da ONU, União Europeia e entidades como a Federação Internacional de Planejamento Familiar —, o desenvolvimento do movimento pró-família internacional provoca paranoia e teorias de conspiração na esquerda antifamília.
Com duas reportagens em grandes revistas americanas que refletem a opinião das elites americanas em menos de um mês, o CMF deve estar fazendo algo certo.
Traduzido por Julio Severo de comunicado interno do CMF intitulado: Mother Jones Sees Vast Pro-Family Conspiracy in WCF’s Activities in Russia
Leitura recomendada:

7 comentários :

Cássio disse...

Esse é um dos principais motivos do "ranço" ocidental em relação a Rússia.
Por isso ajudaram até mesmo neonazistas na Ucrânia.
Podem me xingar, podem me chamar de pró-Moscou.
Enquanto o Kremlin (isso mesmo, o Kremlin) estiver defendendo os valores da família, eles sempre terão o meu apoio. No dia em que eles resolverem reaver a política de perseguição ao cristianismo, eles terão todo o meu desprezo.
Parabéns Julio por fornecer estas informações. Definitivamente os cristãos tem que aceitar o fato de que os EUA atualmente são o centro do pior tipo de esquerdismo: o esquerdismo desconstrucionista do "jovem Marx".

Anônimo disse...

Caro Júlio,

Não te conheço pessoalmente, mas admiro muito a sua luta em favor da família. Percebo que você chega ao ponto de defender alguns católicos que estão em linha com suas ideas. Isso não o impede de fazer críticas vez ou outra ao catolicismo. Isso é interessante e positivo. No íntimo, o nome disso é política.
Por falar em política, o socialismo no Brasil está avançando, eles estão aparelhando todos os Poderes, inclusive o STF. Acho que só faltam as Forças Armadas.
A única maneira de suspender esse avanço é elegermos o Eduardo Campos e Marina Silva. Sim, eu sei que você não gosta dela. Porém, é o que nos resta nesse momento. Nenhum outro candidato tem chance de vencer a Dilma nas próximas eleições.
Você pode agir com a Marina da mesma forma que age com o catolicismo, faça um esforço.

Eu acredito que mais dois ou três governos petistas o Brasil será um país comunista. Se isso acontecer, perderemos a batalha pelos próximos cem anos, e as forças contrárias à família e o cristianismo alcançarão o seu intento.

Se nós não nos mexermos já, apoiando o Eduardo Campos e Marina Silva, ainda que temporariamente, só nos restará abandonar o Brasil. E como não tenho aptidão para mártire, espero contar com sua ajuda para arranjar um barraco pra mim e minha família morarmos nos Estados Unidos.

Abraço.

Marlos.

Julio Severo disse...

Oi, Marlos!

Você disse: “O socialismo no Brasil está avançando, eles estão aparelhando todos os Poderes, inclusive o STF. Acho que só faltam as Forças Armadas.”

Por isso, meu blog tem tantos artigos contra o socialismo, que é hoje a maior ameaça ao Brasil.

Mas sua solução está errada. Você disse: “A única maneira de suspender esse avanço é elegermos o Eduardo Campos e Marina Silva. Sim, eu sei que você não gosta dela.”

Não tenho absolutamente nada contra Marina. Nada. Quem é contra pessoas, as xinga e maltrata. O que faço é denunciar a ideologia dela, que é socialista. Veja aqui neste link:

Marina Silva: a “conservadora” pirata

Assim, em vez de ser parte da solução, ela é parte do problema.

Você também disse: “Percebo que você chega ao ponto de defender alguns católicos que estão em linha com suas ideas.”

Exatamente. Luto juntamente com católicos conservadores, que são minoria. Há uma maioria católica, especialmente na elite, que adota a Teologia da Libertação, exatamente como Marina faz.

Marina se alinha com a marxista CNBB. Eu me alinho com uma minoria católica conservadora.

Não quero nada com Marina enquanto ela não renunciar à sua ideologia.

Prefiro anular meu voto (como tenho feito há muitos anos) a votar em socialistas.

Marina precisa conhecer o Senhor Jesus!

Anônimo disse...

Oi, Júlio.

Por favor, não me leve a mal. Eu sei que o Eduardo Campos e a Marina são socialistas. Eu sou contra o socialismo.

O que estou tentando dizer é que se o Eduardo Campo e a Marina Silva forem eleitos, os colocados pelo PT nos cargos de direção dos mais variados setores do Governo será trocado. Quando um governo muda, praticamente todos os líderes políticos ocupando cargos de liderança são substituídos.

Certamente, essa mudança irá retardar a escalada do PT para completar a transição do socialismo para o comunismo no Brasil. Não há outro candidato apto para vencer a Dilma nas próximas eleições. Ou elegemos os candidatos do PSB, ou teremos que assistir ao PT se fortalecer a cada eleição.

Se a Marina for eleita, ela levará mais tempo para orquestrar e montar seus planos socialistas no Governo. É o tempo que precisamos para um candidato comprometido com a defesa da família e o crescimento econômico do Brasil ganhar notoriedade ser eleito no lugar do hipotético Presidente Eduardo Campos.

Sinceramente, admiro e acho salutar sua defesa em favor dos católicos conservadores. Porém, sabemos que o mais conservador dos católicos ainda assim está fora da doutrina de Cristo. Pense melhor.

Não sei nos EUA, mas aqui o ameaça comunista é patente e deixou de ser apenas uma suposição e toma forma e conteúdo a cada ano. Em casos assim, temos que ser mais pragmáticos, mesmo usando temporariamente a ideologia socialista, para fazer prevalecer, no final, os valores cristãos no Brasil.

Abraço.

Marlos.





Soldier disse...

Irmão Júlio,

Aproveito o tema para lhe indagar a respeito do Putin, sobre quem temos tido algumas divergências.

Temos visto notícias de que a Rússia quer expandir sua presença militar na América Latina, instalando BASES NAVAIS nada menos que em CUBA e VENEZUELA.

Você ainda concorda com a opinião dos cristãos conservadores americanos que consideram Putin um "proto-conservador" ?

Julio Severo disse...

Para que a Rússia fosse metade da ameaça que seus inimigos a pintam, ela deveria ter no mínimo metade de todas as bases militares que os EUA têm em cada canto do mundo.

A Rússia não tem isso. Nem está perto de ter.

Há coisas nos EUA que eu gosto. Os conservadores cristãos legítimos. Acho que não nada na politica americana atual que me agrade.

Não gosto do apoio da Rússia a Cuba e Venezuela, mas gosto da tendência russa de proibir a propaganda homossexual.

E como eu apontei antes, o maior patrocinador do regime comunista chinês são os EUA.

Daí, politicamente, os dois estão no MESMO nível.

E o maior patrocinador do aborto e homossexualismo são os EUA.

Se dizem: olha a Rússia apoiando Cuba!

E olha os EUA apoiando a China fazendo grandes investimentos nas indústrias chinesas que sustentam diretamente as forças armadas chinesas! Olha também os EUA, há anos, comprando o petróleo da Venezuela, sustentando aquele regime maldito.

Olha a Rússia banindo a propaganda gay.

Olha os EUA promovendo a propaganda gay.

O mundo está complexo.

Os evangélicos conservadores americanos estão investindo na Rússia, e tem funcionado. Claro que o governo americano tem outros interesses e poderá sabotar tudo.

O conservadorismo é supranacional e se preocupa com valores.

Os neocons só se preocupam com os EUA e sua supremacia militar e política. O resto do mundo não existe para eles.

Leia o NSSM 200, conhecido como Relatório Kissinger, que mostra os interesses dos EUA de dominar nações que têm os recursos que eles precisam.

O documento em português está no site do Pró-Vida Família.

Soldier disse...

irmão, quero ressaltar o fato de que as bases russas em Cuba e Venezuela não têm o mesmo aspecto político e militar que as bases americanas ao redor do mundo, Por mais que haja uma presença militar ostensiva dos EUA em todos os cantos do planeta, isso nõ quer dizer que elas estejam prestes a serem usadas para invadir e destruir a soberania das nações.

No caso de Uganda por exemplo, a politica gayzista de Obama não impediu nem intimidou a decisão ugandense de adotar duras leis contra o movimento gay naquele país.

Já o cenário que começa a se delinear na relação das ditaduras cubana e venezuelana com Putin, torna evidente inclusive que eles estão se preparando para atacar se o Brasil expulsar do poder a corja do PT.

O Foro de São Paulo não vai ficar quieto se perder o osso. Portanto, para nós, Putin está se tornando uma ameaça maior que Obama