6 de fevereiro de 2014

ONU repreende Rússia por causa de lei contra propaganda gay


ONU repreende Rússia por causa de lei contra propaganda gay

Ban Ki-Moon, secretário-geral da ONU, deixa clara sua insatisfação com a lei russa

Julio Severo
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, condenou o que ele chamou de “discriminação” contra o homossexualismo em discurso na 126ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional (COI), realizada nesta quinta-feira, em Sochi, na Rússia.
Ban Ki-Moon nos Jogos Olímpicos de Inverno na Rússia
Ban Ki-Moon abordou de forma direta a lei anti-homossexualismo aprovada pelo Parlamento russo, que proíbe propaganda da agenda e relações homossexuais. Com seu discurso, Ban Ki-Moon mostra o alinhamento da ONU aos interesses dos países ocidentais e a total discordância da ONU com a lei da Rússia.
Durante seu discurso, o secretário-geral da ONU destacou o artigo 6º da Carta Olímpica, em que está clara toda oposição contra qualquer forma de discriminação, querendo dizer que a lei russa que proíbe a propaganda homossexual representa “discriminação.”
Semanas atrás, Vladimir Putin, presidente da Rússia, destacou que a lei russa não é contra os homens que optaram pelo homossexualismo. A lei, ressaltou ele, apenas proíbe a propaganda homossexual para as crianças e adolescentes.
“Temos uma proibição de sexo não tradicional. Temos uma proibição de propaganda da homossexualidade e pedofilia, quero enfatizar isso, sobre a propaganda para menores,” disse ele.
Putin e outros políticos russos têm defendido a lei aprovada em junho como uma medida para proteger as crianças, mas líderes dos EUA e da Europa argumentam que proteger as crianças da propaganda homossexual é uma forma de “discriminação” contra os homossexuais que desejam ter acesso às crianças e adolescentes.
A ONU seguir a imoral agenda ocidental não é surpresa. Chocante mesmo seria o secretário-geral da ONU, num discurso em Washington diante de Barack Obama, condenar o imperialismo homossexual que o governo americano vem impondo às nações.
Com informações do Estadão.
Leitura recomendada:

6 comentários :

Nanoverso disse...

Caro companheiro blogueiro,

Estou desenvolvendo personalizações de imagens de cabeçalho pra blogs, você gostaria de participar ganhando um header personalizado pra suas publicações ?
Não cobro em grana, somente peço que coloque um link para o meu blog na barra lateral do seu, pra ajudar divulgar meu trabalho.

Visite meu blog para ver se algum modelo pronto te interessa, ou solicite uma personalização !

Grato,

Banner Header Nanoverso

joão disse...

Ban ki-moon é um trouxa!

Anônimo disse...

Impressionante a total reversao de valores do Ocidente.

Nil disse...

Júlio ! Gostaria que me respondesse a uma pergunta. O doutor Matt Barber citou um grupo de nações(A Rússia, a Índia, a Croácia, o Peru, a Jamaica e até a Austrália, por exemplo, junto com outras nações, estão agora agindo para se vacinarem contra o câncer de rápida metástase do relativismo sexual.)

A pergunta é :será que o Brasil faz parte deste grupo de nações ou pelo contrário é um país (como desconfiou) em que a agenda LBGT mais facilmente entra,assim como está sendo implantada. Ou seriamos um lugar que não está dando dor de cabeça para Obama e a ONU ?

Anônimo disse...

Isso já foi longe demais.
Esse cara não tem que se meter com
Putin ou Medvedev.

James Patrick

João disse...

Alguém viu a provocação que o Google fez com o seu Doodle do início dos Jogos de Inverno na Rússia. Eles usaram as cores LGBT e ainda publicaram um trecho da Carta Olímpica que é contra a discriminação. O Google se mostra a favor da causa LGBT...