5 de janeiro de 2014

Será que Putin é um de nós?


Será que Putin é um de nós?

Pat Buchanan valoriza “clareza moral” de líder russo em condenar os progressistas dos EUA

Pat Buchanan
Será que Vladimir Putin é um paleoconservador?
Na guerra cultural pelo futuro da humanidade, ele é um de nós?
Pat Buchanan: colunista do WND e ex-assessor do presidente Ronald Reagan
Embora muitos em círculos ocidentais vejam tal pergunta como blasfêmia, considere o conteúdo do discurso sobre o estado da nação que o presidente russo fez.
Claramente com os Estados Unidos em mente, Putin declarou: “Em muitos países hoje, as normas morais e éticas estão sendo reconsideradas.”
“Estão agora exigindo não somente o total reconhecimento da liberdade de consciência, opiniões políticas e vida privada, mas também o reconhecimento da igualdade do bem e do mal.”
Tradução: Embora a privacidade e a liberdade de pensamento, religião e expressão sejam direitos apreciados, igualar o casamento tradicional e o casamento homossexual é igualar o bem com o mal.
Não há confusão moral aí. Isso é clareza moral, quer você concorde ou não.
Certa vez, o presidente Reagan chamou o velho Império Soviético de “o foco do mal no mundo moderno.” O presidente Putin está indicando que os Estados Unidos de Barack Obama podem estar merecendo esse título no século XXI.
Quem pode dizer que ele está sem argumento quando refletimos no fato de que os Estados Unidos adotaram o aborto desenfreado, casamento homossexual, pornografia, promiscuidade e a enorme variedade de valores de Hollywood?
Nossos avós não reconheceriam os EUA em que vivemos.
Além do mais, Putin afirma, a nova imoralidade vem sendo imposta de modo antidemocrático.
A “destruição dos valores tradicionais” nesses países, ele disse, vem “da cúpula” e é “inerentemente antidemocrática porque é baseada em ideias abstratas e vai contra a vontade da maioria do povo.”
Ele não está tendo um bom argumento?
Ministros dos tribunais mais elevados, que não foram eleitos pelo povo, declararam o aborto e os atos homossexuais como direitos constitucionalmente protegidos nos EUA. Juízes têm sido a principal força por trás da imposição do casamento homossexual. O ministro da Justiça Eric Holder se recusou a exigir o cumprimento da Lei de Defesa do Casamento [frente aos ataques dos ativistas gays que exigem seu “casamento” deformado].
Os Estados Unidos foram descristianizados na segunda metade do século XX mediante ordens judiciais, passando por cima das veementes objeções de uma maioria imensa de um país que era esmagadoramente cristão.
E o casamento homossexual é, de fato, uma ideia “abstrata” sem nenhuma raiz na história ou tradição do Ocidente. De onde veio isso?
Povos do mundo inteiro, afirma Putin, estão apoiando a atitude da Rússia de “defender os valores tradicionais” contra uma “tão chamada tolerância” que “não tem sexo nem fertilidade.”
Embora a postura dele de defender os valores tradicionais venha sendo zombada pelos meios de comunicação e elites culturais do Ocidente, Putin não está errado em dizer que ele pode falar em nome de boa parte da humanidade.
O casamento homossexual tem o apoio dos jovens dos EUA, mas a maioria dos estados ainda resiste, com os pastores negros visíveis na vanguarda da contrarrevolução. Na França, um milhão de pessoas foram às ruas de Paris para denunciar que os socialistas estavam impondo o casamento homossexual.
Das mais que 190 nações que existem, só 15 reconheceram esse tipo de casamento.
Na Índia, a maior democracia do mundo, o Supremo Tribunal derrubou a decisão de um tribunal de primeira instância que havia tornado o casamento homossexual um direito. E é improvável que o parlamento dessa nação socialmente conservadora de mais de um bilhão de pessoas vá querer tão cedo revogar o que o Supremo Tribunal fez.
Nas 50 nações que são predominantemente muçulmanas, que compõem um quarto da Assembleia Geral da ONU e um quinto da humanidade, o casamento homossexual nem mesmo está no debate. E o Papa Francisco tem reafirmado a doutrina católica sobre a questão para mais de um bilhão de católicos.
Embora boa parte dos meios de comunicação dos EUA e do Ocidente o rejeitem como um autoritário e reacionário, um retrógrado, Putin pode estar vendo o futuro com mais clareza do que os americanos que ainda estão presos a um paradigma da Guerra Fria.
A luta decisiva da segunda metade do século XX era vertical, Oriente versus Ocidente. Mas a luta do século XXI pode ser horizontal, com conservadores e tradicionalistas de todos os países organizados contra o secularismo militante de uma elite multicultural e transnacional.
E embora a elite dos EUA esteja no epicentro do anticonservadorismo e antitradicionalismo, o povo americano nunca esteve mais alienado ou cultural, social e moralmente mais dividido do que hoje. 
Os EUA agora são dois países.
Putin diz que sua mãe o batizou secretamente quando ele era bebê e professa ser cristão. E o que ele está dizendo aí é ambicioso, até mesmo audacioso.
Ele está buscando redefinir o conflito mundial do futuro de “Oriente versus Ocidente” como um conflito em que conservadores, tradicionalistas e nacionalistas de todos os continentes e países vão fazer resistência ao imperialismo cultural e ideológico do que ele vê como um Ocidente decadente.
“Não prejudicamos os interesses de ninguém,” disse Putin, “nem tentamos ensinar ninguém como viver.” O inimigo que ele identificou não são os EUA em que nós crescemos, mas os EUA em que vivemos. Putin vê a atual nação americana como pagã e selvagemente progressista.
Sem mencionar diretamente nenhum pais, Putin atacou as “tentativas de se impor modelos de desenvolvimento mais progressistas” em outras nações, o que tem levado ao “declínio, barbaridade e muito derramamento de sangue,” um tiro certeiro nas intervenções americanas no Afeganistão, Iraque, Líbia e Egito.
Em seu discurso, Putin citou o filósofo russo Nicholas Berdyaev, a quem Solzhenitsyn elogiou por sua coragem ao confrontar seus inquisidores bolcheviques. Embora não seja conhecido, Berdyaev é visto de modo favorável no Centro Russell Kirk de Renovação Cultural.
Com isso, a pergunta que surge é: Quem está escrevendo os discursos de Putin?
Pat Buchanan é colunista do WND e foi assessor do presidente Ronald Reagan.
Traduzido por Julio Severo do artigo do WND: Is Putin one of us?
Leitura recomendada:

19 comentários :

Adalberto disse...

Não confio na Russia de jeito nenhum.
Putin é comunista. Ele não tem dificuldade nenhuma em ter contanto com lideres muçulmanos e socialistas, inclusive com Dilma e sua gangue.
O imperio comunista esta trabalhando muito bem.
Putim fazendo de conta que quer volta a moral e os bons costumes, fazendo de conta que esta do lado do bem.
Não pede desculpas do antigo regime soviético, nem menciona que o governo de Stalin foi um erro.
Estamos indo para a vala, a verdade é essa.
Os comunas estão desestabilizando as nações ocidentais. EUA já era. Europa, já era.
Russia? é só uma faz de conta.
Mas é justamente Russia e China os cabeças e administradores do comunismo no mundo. São os patrocinadores dos socialista, inclusive no Brasil, para desestabilizar e levar a crise e montar um cuba, ou uma coreia do norte ou uma china em todo o mundo isso aqui nas americas, na europa é uma islamização.

Martus Pistis disse...

Diante de uma perversa realidade que já conhecemos e que em breve se manifestara, tudo isto que estamos vivendo é apenas o ensaio da grande peça que o sistema ira apresentar e impor ao mundo.

Anônimo disse...

Finalmente algumas pessoas nos EUA estão vendo o que está realmente acontecendo. A América de hoje é a URSS de ontem.
EUA:
- maior produtor de ponografia do mundo;
- legalizando as drogas em vários estados;
- legalização do "casamento gay";
- financiamento e apoio para os wahhabis da Arábia Saudita espalharem o terrorismo;
- viver nos EUA de hoje significa tão somente consumir;
e muito mais.
Os EUA tonou-se uma nação de subversivos e conspiradores.
Vai pagar um alto preço por tudo isso

Anônimo disse...

É DE CHORAR: OS EUA DE HOJE SÃO A RÚSSIA DE ONTEM. CHORO POR MINHA QUERIDA AMERÍCA.

Anônimo disse...

Eu não entendi a pergunta: Quem está escrevendo os discursos de Putin?, isso significa que ele não acredita nesses valores e está apenas falando o que mandam?

Anônimo disse...

Leitores deste Blog, não se iludam. A Rússia é eterna inimiga da Humanidade. Desde que comecei a aprender com o Mestre Olavo de Carvalho, compreendi que não existe ameaça maior a nós do que a Rússia. Seja o que for que o Presidente Obama Barack faça, nada se compara ao maquiavelismo do chefe da KGB, Vadlimir Putin. A Rússia sempre vai querer destruir o único baluarte da democracia. Os Estados Unidos são a nossa única salvação.

Tony

Anônimo disse...

Leitores deste Blog, não se iludam. A Rússia é eterna inimiga da Humanidade. Desde que comecei a aprender com o Mestre Olavo de Carvalho, compreendi que não existe ameaça maior a nós do que a Rússia. Seja o que for que o Presidente Obama Barack faça, nada se compara ao maquiavelismo do chefe da KGB, Vadlimir Putin. A Rússia sempre vai querer destruir o único baluarte da democracia. Os Estados Unidos são a nossa única salvação.

Tony

CARLOS disse...

Entre Olavo de Carvalho e Pat Buchana, prefiro Olavo. Julio Severo deveria parar de publicar textos do WND, que para mim é suspeito daqui em diante. Somente um cego não vê os perigos da Rússia e seu agente-mor da KGB.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Respondendo a todos que postaram seus comentários aqui,

Religiosamente falando, a verdade é que os Estados Unidos era, até alguns anos atrás, considerado o país mais protestante do mundo. E muita gente dizia que era o país mais cristão do mundo. Só que, atualmente, não aparenta ser nada disso (pelo menos é assim que eu vejo).

Estive conversando com uma professora americana que esteve há pouco mais de 4 anos aqui em Recife (onde eu moro). Quando eu perguntei a ela como ela via os Estados Unidos no sentido moral e espiritual, ela me disse exatamente isto:

"O nosso país (Estados Unidos) tinha tudo para ser um país abençoado (e até para servir de referência cristã para o mundo). No começo, éramos muito tementes a Deus. O problema é que, com o passar do anos, o desenvolvimento científico e o progresso material e financeiro subiu à cabeça de alguns dos nossos governantes, e, com isso, eles já passaram a não se importar mais com a obediência à Palavra de Deus. Em outras palavras: a obediência a Deus e à Sua Palavra foi relegada a segundo plano".

E ela ainda acrescentou mais algumas coisas assustadoras:

"Em muitas cidades, há locais onde se pratica a bruxaria, existem pessoas que fazem parte de certos movimentos (como a Nova Era), há as que estão metidas em seitas satânicas (sem contar que a Igreja de Satã está situada na Califórnia), temos casos de pregadores evangélicos, políticos e agentes do governo envolvidos em diversos escândalos (inclusive escândalos sexuais), a propagação do homossexualismo (que já se tornou praticamente "oficial") e, também, há a tolerância ao islamismo. Enfim, o nosso país está se destruindo em todos os sentidos (inclusive moralmente). Que esperança podemos ter, ou melhor, qual será o futuro da nação americana se tal estado de coisas continuar?"

Eu respondi a ela exatamente o seguinte:

"Quando uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente na sua própria sabedoria, essa mesma nação fica, após um certo tempo, entregue à sua própria sorte (como um barco à deriva num mar revolto, prestes a afundar). Os verdadeiros cristãos precisam voltar à obediência à Palavra de Deus para recolocar a nação no caminho certo".

Não sei se esta minha resposta foi 100% satisfatória, mas ela, de qualquer forma, aprovou. E eu até citei o Salmo 33:

"Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual Ele escolheu para a Sua herança" (Salmo 33:12)

Ela agradeceu a minha atenção e disse que iria divulgar o nosso diálogo num encontro evangélico.

Tem horas que eu fico pensando aqui comigo: será que aqui no Brasil não estaria acontecendo a mesma coisa? Se alguém daqui estivesse dialogando com essa americana, quem poderia dar uma avaliação exata dos Estados Unidos, ou melhor, qual seria o diagnóstico dos americanos no sentido moral e espiritual?

E mais: o que o Brasil precisa fazer para se tornar uma nação espiritualmente abençoada (como os Estados Unidos foi no princípio)?

Espero uma resposta sensata de alguém daqui na primeira oportunidade.

Anônimo disse...

Eu sei que Putin é um ex-KGB e que hoje a ideologia dominante na alta cúpula política do Kremlin é o eurasianismo ou a teoria da quarta política. Sei que as ambições do Kremlin são imperiais.Mas é inegável que os EUA estão se tornando muito parecidos com a URSS. Pessoalmente, penso que com Obama ou sem Obama o destino da América já está traçado: ditadura socialista. Isso se deve ao fato de que há nos EUA um governo dentro do governo: dinastias como Rockefeller, Rothschild, Morgan, Oppenheimer dentre outras que manipulam o destino dos EUA.E eles agora ambicionam o socialismo em escala global. Resta saber se essa gente comanda o Kremlin. Se não comandam, a Rússia é um contraponto que momentaneamente parece ser justo.Infelizmente a direita liberal (e laica) está fadada a morrer. Só restará o cristianismo como último refúgio para todos homens de bem.

Rodrigo disse...

Pat Buchanan é um protestante idiota, cupincha do Império Eurasiano.

Anônimo disse...

Paz irmãos, é bom lembrar de que primeiro o EUA nunca foi um pais evangélico e sim pela dominação maçom illuminatti e suas ramificações, como a Ordem dos malta, templários, bildeberg etc., as igrejas protestante histórica faziam parte da maçonaria, se vcs procurarem pela internet vão encontra também de que os primeiros calvinista que vieram para o Brasil era maçom. O mundo caminha para um governo mundial anticristão, podemos esta caminhando para uma terceira guerra mundial para unificação de todas fontes de dominação como pelos illuminatti , como já esta divulgado pela. internet. Quando olhamos para escatologia bíblica podemos ver que a dominação da grande tribulação pelo governo do anticristo será dominado pela sodomia e pelo misticismo gnóstico do antigo Egito, que vem desde as pirâmides e seus mitos, como o olho de horus etc que infelizmente o cristianismo de uma forma geral, muitos já fazem parte. Pela forma sútil e ardilosa de que foi dominando o cristianismo estão adorando a misticismo do antigo Egito e aprovando a sodomia, como esta escrito que o anticristo matarão as duas testemunhas:
E, quando acabarem o seu testemunho, a besta que sobe do abismo lhes fará guerra, e os vencerá, e os matará.
E jazerão os seus corpos mortos na praça da grande cidade que espiritualmente se chama Sodoma e Egito, onde o nosso Senhor também foi crucificado.
E homens de vários povos, e tribos, e línguas, e nações verão seus corpos mortos por três dias e meio, e não permitirão que os seus corpos mortos sejam postos em sepulcros.

Apocalipse 11:7-9

. Não perseveram até o fim como diz em
Mt 24:13
Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo. Mateus 24:13

O Senhor Jesus continua alertando para o povo que esta nesta prostituição a sair do meio dela:

E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória.
E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e coito de todo espírito imundo, e coito de toda ave imunda e odiável.
Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua fornicação, e os reis da terra fornicaram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias.
E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.

Apocalipse 18:1-4

Perseveremos no que a Palavra de Deus diz sobre o certo e o errado e de que Deus é o centro de tudo e não o homem. A verdade de como devemos andar estar com Deus e não com o homem. A Palavra de Deus é a verdade absoluta.

Que Deus nos guarde e nos proteja nesta caminhada.
O Apologista

Diácono Elias (Igreja Batista Nova Jerusalém) disse...

Respondendo ao Apologista,

Amado irmão,

Já que você mencionou o futuro governo mundial (que será o governo do anticristo), eu diria o seguinte: sabemos que não vai demorar muito para que o anticristo seja revelado ao mundo, já que isto está previsto na Palavra de Deus e, portanto, será inevitável. É como disse o abençoado apóstolo Paulo:

"Pois o ministério da injustiça já opera; há somente um que ainda resiste, até que do meio seja tirado; E então será revelado o iníquo, o qual o Senhor desfará com o assopro de Sua boca, e aniquilará pelo resplendor de Sua vinda; A esse cuja vinda é conforme a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios de mentira; E com todo engano da injustiça para aqueles que perecem, pois não receberam o amor da verdade para que se salvassem. E é por isso que Deus lhes mandará a operação do erro, para que acreditem na mentira; Para que sejam julgados todos aqueles que não creram na verdade, antes sentiram prazer na iniqüidade" (2 Tessalonicenses 2:7–12)

Como cristãos, nosso papel não é se render. Muito pelo contrário: temos que resistir e continuar a fazer a nossa parte (obedecendo à Palavra de Deus), mesmo com a nossa própria vida em perigo. Temos que perseverar até o fim (e até que Jesus volte e salve a Sua igreja). Foi como Jesus disse:

"Bem–aventurados os que forem perseguidos por causa da justiça, porque é deles o Reino dos Céus; Bem–aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por Minha causa. Alegrai-vos e rejubilai, grande será o vosso galardão nos Céus; pois assim fizeram aos profetas que vieram antes de vós" (Mateus 5:10–12)

"Aquele que tiver perseverado até o fim é que será salvo" (Mateus 24:13)

"No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, porque Eu venci o mundo" (João 16:33)

"Sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida" (Apocalipse 2:10)

Portanto, ainda que saibamos que é inevitável que o mal se alastre em todo o mundo, nós, cristãos, temos que manter uma postura firme (e continuar fazendo a vontade de Deus). Temos que ser corajosos o suficiente para dizer não a este mundo corrompido pelo pecado. Ainda que tenhamos que morrer por amor a Jesus e à verdade da Sua Palavra, temos que deixar bem claro a tudo e a todos que pertencemos somente a Jesus (e que nada nem ninguém jamais vai nos separar Dele). Novamente o apóstolo Paulo se manifesta:

"Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor a Ti, somos entregues à morte todos os dias; Fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores por Aquele que nos amou" (Romanos 8:35–37)

Que estas palavras façam com que todos permaneçam fiéis ao Senhor Jesus (e à Sua Palavra) até à morte (ou até a volta Dele).

ELISEU disse...

Respondendo ao Apologista,

Amado irmão,

Não sei se a minha opinião vai ser muito pertinente para o assunto deste artigo, mas eu vou dizer exatamente o que eu penso (você me corrija se eu estiver errado).

Em relação aos Estados Unidos, eu penso o seguinte: se os Estados Unidos mantivesse a obediência total e irrestrita à Palavra de Deus desde a sua fundação, certamente não estaria nesta decadência moral e espiritual hoje. A obediência à Palavra de Deus é a verdadeira e única segurança espiritual do ser humano para enfrentar as trevas de um mundo contaminado pelo pecado.

Só que a retirada do ensino religioso das escolas americanas a partir dos anos 60 foi o principal fator que contribuiu para essa mesma decadência (coincidência ou não, foi na mesma década que teve o início do movimento feminista). Ou seja, os Estados Unidos passou a não dar mais prioridade à obediência à Palavra de Deus!

E o que acontece? Muito simples: a partir do momento em que uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente em sua própria sabedoria, ela fica espiritualmente desprotegida e se torna uma presa fácil para os ataques do diabo e dos demônios (e também de todo tipo de pecado e vício). É como disse o profeta Jeremias:

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

Isso que está acontecendo nos Estados Unidos é a conseqüência do abandono total da verdadeira fé cristã. Em outras palavras: a nação americana agora está colhendo os frutos de pouco mais de 50 anos do seu desprezo à obediência à Palavra de Deus!

Precisou os Estados Unidos chegar a esse nível crítico, para que todos finalmente entendam de uma vez por todas que a rejeição deliberada à obediência à Palavra de Deus equivale a dar permissão para que o diabo e os demônios ataquem impiedosamente a tudo e a todos?

Em outras palavras: basta dar um pequeno vacilo ou uma única brecha (sair um instante da presença de Deus) para que o ataque do diabo e dos demônios seja imediato e inevitável! O diabo não brinca em serviço! Ele tem que ser combatido sempre! O cristão não pode (e nem deve) se descuidar espiritualmente nem por um único segundo! É como alertou o apóstolo Pedro:

"Sede sóbrios e vigiai; pois o diabo, vosso adversário, anda em derredor, rugindo como leão, e buscando a quem ele possa devorar" (1 Pedro 5:8)

Este foi o maior erro dos Estados Unidos: trocar Jesus por Satanás! E o que é pior: foi um erro deliberado (ou seja, foi feito de forma consciente)! No dia do juízo final, este mesmo erro vai ser seriamente cobrado! É como Jesus diz:

"E aquele a quem muito foi dado, muito mais lhe será exigido" (Lucas 12:48)

Muito foi dado aos Estados Unidos (no caso, o conhecimento da Palavra de Deus). Só que agora muito mais vai ser exigido (a obediência à mesma Palavra). Logo, os responsáveis pelo destino moral e espiritual dos Estados Unidos fatalmente irão prestar contas da sua negligência na obediência à Palavra de Deus! O livro de Hebreus adverte sobre isso de forma bem séria:

"Pois se pecarmos voluntariamente, depois de já termos recebido o conhecimento da verdade, já não haverá mais sacrifício pelos pecados, Mas uma terrível expectativa de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça? Porque bem conhecemos Aquele que disse: Minha é a vingança, Eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o Seu povo. Coisa horrível é cair nas mãos do Deus vivo" (Hebreus 10:26–31)

Tomara que os Estados Unidos "desperte" o mais rápido possível dessa sua indiferença moral antes que seja eternamente tarde demais!

P.S: Se você (ou alguém daqui) quiser dizer alguma coisa, ficarei agradecido.

Vilhena disse...

A Rússia é a esperança de salvação do mundo, a esperança do ocidente. Formando-se um eixo entre Moscou, Berlin e Paris o centro do mundo muda, saindo do controle do grande capital financeiro e oferecendo oportunidade a participação das nacionalidades, que devem ser levadas em conta.

O texto está certo em afirmar que a luta do século XXI será do tradicionalismo-nacionalismo contra o mundialismo-multiracialismo.

Geraldo disse...

Vilhena, a salvação do Mundo são os EUA. A Rússia só está fingindo para destruir a todos, como sempre fez. Não há salvação com a Rússia; só destruição. Não há salvação para os países sem a ajuda indispensável dos EUA. Os Eua tem histórico de salvar os países. A Rússia o que tem?

Eliel disse...

Respondendo ao Geraldo,

De que adianta uma nação (no caso, os Estados Unidos) dizer que é evangélica e não obedecer plenamente à Palavra de Deus?

É verdade que os Estados Unidos foi um país que, no início, começou sendo obediente a Deus (e à Sua Palavra). Só que, com o passar do tempo, os seus governantes, devido ao progresso científico–material–financeiro e também à influência de ideologias e filosofias anti–cristãs (como a Maçonaria), desprezaram a Palavra de Deus (ou melhor, relegaram a obediência à Palavra de Deus a segundo plano). Hoje, os Estados Unidos estão totalmente corrompidos (e destruídos) moralmente. O que temos lá são somente evangélicos nominais (ou seja, evangélicos somente de boca). Aqui no Brasil, está acontecendo a mesma coisa: estamos crescendo somente em quantidade (e não em qualidade).

Alguém dizer que é cristão da boca pra fora é muito fácil (qualquer um pode dizer isso, independente de estar obedecendo ou não à Palavra de Deus). Dizer que crê em Deus qualquer um diz (até mesmo o diabo). É como bem disse o apóstolo Tiago:

"Tu crês que só existe um Único Deus? Fazes bem; porque até os demônios também crêem e tremem" (Tiago 2:19)

Adianta alguém dizer que crê em Deus, mas não obedece à Sua Palavra? Adianta alguém se dizer cristão, mas não ter uma vida santificada? Obediência à Palavra de Deus também significa ter uma postura firme contra o pecado: tem que denunciar o que estiver errado, não tolerar nada fora da Palavra de Deus, não ser condescendente com o erro (seja de quem for), resistir às tentações, enfim, é servir integralmente a Deus (mesmo com todas as adversidades). É como diz o apóstolo Tiago:

"E sede cumpridores da Palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos" (Tiago 1:22)

O que está realmente faltando para muitas pessoas que se dizem cristãs é um compromisso sério e irrestrito com a obediência total à Palavra de Deus. Falando num tom bem direto: o verdadeiro cristão tem que fazer a diferença onde estiver. É como diz o apóstolo Paulo:

"Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; Para que sejais sinceros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Filipenses 2:14–15)

Uma certeza eu tenho: enquanto a liderança cristã de muitos países (inclusive Brasil e Estados Unidos) não for radicalmente transformada ou substituída, não haverá nenhuma esperança de um futuro melhor para a humanidade.

P.S: Se você (ou alguém daqui) quiser se manifestar, ficarei agradecido.

Anônimo disse...

O presidente da Rússia o Vladimir putin é o cara confio nele sim desde a sua declaração pública e clara foi até célebre vetando em sancionou lei para barrar toda propagandagem do movimento GLBT e seus eventos de parada gay:
"RÚSSIA NÃO É GOMORRA E SODOMA"

Ester!!!!

Jonatan Souza disse...

A salvação do mundo é unicamente o senhor jesus não é Russia nem Eua.jesus foi o sacrificio perfeito não se tem salvação sem ele,tomem cuidado para não cair em idolatria de nações e povos.