15 de janeiro de 2014

Nigéria aprova lei que pune casamento gay com prisão


Nigéria aprova lei que pune casamento gay com prisão

Texto criticado pelos EUA foi assinado pelo presidente Goodluck Jonathan

O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, assinou nesta segunda-feira uma lei que criminaliza relações entre pessoas do mesmo sexo. O texto, que prevê punição de até catorze anos de prisão, já havia sido aprovado pelo Parlamento e conta com apoio da maioria da população.
Goodluck Jonathan, o presidente da Nigéria
A nova lei proíbe o casamento gay, “relacionamentos amorosos” entre pessoas do mesmo sexo e associação a grupos de defesa do direito dos homossexuais. “Pessoas que aderirem a um contrato de casamento ou união civil com pessoas do mesmo sexo cometem uma violação e estão sujeitas a condenação a até 14 anos de prisão”, diz o texto.
“Qualquer pessoa que se associe, opere ou participe de clubes gays, sociedades ou organizações e direta ou indiretamente demonstre publicamente um relacionamento amoroso com outra pessoa do mesmo sexo na Nigéria comete uma violação e estará sujeita à condenação a dez anos de prisão”, decreta a nova lei.
A legislação foi alvo de crítica dos Estados Unidos. O secretário de Estado John Kerry disse que o governo americano está preocupado com as medidas. “Além de proibir o casamento gay, essa lei restringe de forma perigosa a liberdade de reunião, associação e expressão para todos os nigerianos”, disse, em comunicado. “A lei é inconsistente com as obrigações legais internacionais da Nigéria e enfraquece as reformas democráticas e a proteção aos direitos humanos asseguradas na Constituição de 1999”. O comunicado ressalta ainda que “em qualquer lugar as pessoas merecem viver em liberdade e igualdade”.
A Anistia Internacional também condenou a lei, que, segundo a organização, "ataca direitos básicos e criminaliza relações entre pessoas do mesmo sexo."
No continente africano, 36 países punem a conduta homossexual, sendo 31 deles na África Subsaariana.
Fonte: Revista Veja
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

6 comentários :

Alex disse...

O número de soropositivos (aidéticos) na África ultrapassa os 22 milhões, segundo li recentemente em fonte confiável.

E o estilo de vida homossexual tem tudo a ver com a AIDS, pois o número de aidéticos na comunidade gay é altíssimo.

A ONU afirma que o risco de homens homossexuais contraírem HIV é 20 vezes maior que o de homens heterossexuais.

A elite globalista (Fundações Gates, Ford, MacArthur etc.) que promove o homossexualismo pelo mundo, não se importa com a saúde das pessoas; tem apenas o interesse em reduzir a população mundial.

Os vários países africanos que sancionam leis anti-homossexualismo promovem o bem-estar e a saúde de seus povos. Parabéns a eles.

Alex disse...

Entrem no site do IPCO e peçam o livro "Homem e mulher Deus os criou: as relações homossexuais à luz da doutrina católica, da Lei natural e da ciência médica", do Padre David Francisquini, editora Artpress, 2012.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Respondendo ao Alex,

Amigo Alex,

A Nigéria, religiosamente falando, talvez não seja um país 100% cristão. Mas ela, pelo menos, está tendo uma postura firme contra o homossexualismo. Desde já, o presidente nigeriano Goodluck Jonathan está de parabéns por esta sua corajosa atitude.

Não sei se seria exagero da minha parte, mas eu diria que a Nigéria está dando uma verdadeira lição de moral em muitos países que se dizem cristãos (inclusive o Brasil)!

Enquanto a Nigéria está aprovando leis contra o homossexualismo, aqui no Brasil querem fazer exatamente o contrário: querem criar leis (PLC 122 e outras) para calar a voz dos cristãos e das demais pessoas que são contra o homossexualismo! Isso sem contar as nojentas e indecentes "Paradas Gays" que são promovidas pelo governo corrupto do PT!

Por que a bancada evangélica do nosso Congresso Nacional não usa este exemplo da Nigéria para enfrentar os ativistas homossexuais?

Desde já, dou meu total apoio aos nigerianos (por não aceitarem esta imoralidade chamada homossexualismo) e, ao mesmo tempo, manifesto meu total repúdio à atuação da nossa bancada evangélica (que tem sido omissa no combate ao pecado)!

Anônimo disse...

Os nigerianos estão corretos. O erro deve ser corrigido e punido.
A criança quando erra deve ser corrigida e o adulto também.
Entendo que se não fazemos isso, estamos sendo negligentes e desobedecendo a Deus.
Vejam o caos que está o nosso Brasil e outros países que permitem essas abominações.

Anônimo disse...

Parabens ao Governo Nigeriano que nao se dobrou a maligna ditadura GAY.

Anônimo disse...

Boa sorte, Goodluck, mas, acima de tudo, vai precisar da protecao de Deus, pois, a tchurma que manda no mundo jah deve estar pedindo sua cabeca.

Antonio.