30 de junho de 2013

Marcha para Jesus: Gilberto Carvalho é vaiado


Marcha para Jesus: Gilberto Carvalho é vaiado

Casal Estevam e Sônia Hernandes precisam da “unção” de Clodovil Hernandes

Julio Severo
Em matéria sobre a Marcha para Jesus, a revista Veja disse: “O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, foi vaiado, neste sábado, na Marcha para Jesus 2013, em São Paulo. Carvalho pegou o microfone para dizer ao público evangélico que representava a presidente Dilma Rousseff na caminhada. A rejeição chegou em forma de vaia.”
Gilberto Carvalho
Foi uma manifestação mais do que merecida. Talvez, em meio à onda de protestos que varre o Brasil muitas vezes sob controle de agentes esquerdistas, Carvalho tenha achado que os evangélicos da Marcha para Jesus seriam tão trouxas quanto os evangélicos da Aliança Evangélica.
No inicio deste ano, Carvalho esteve numa grande igreja presbiteriana em Brasília numa reunião da Aliança Evangélica, com a presença de vários pastores. O escolhido para “representar” os evangélicos foi Ariovaldo Ramos, que nesta semana recebeu a “graça” vermelha de estar numa reunião com Dilma Rousseff com representantes dos movimentos sociais supostamente liderando as manifestações no Brasil.
O recado é bem simples: Os evangélicos precisam entender que Carvalho é a porta aberta para Dilma e para as profundezas do PT.

“Irmãos”

Na reunião com Ariovaldo e sua Aliança Evangélica, Carvalho, que é da Teologia da Libertação, pôde chamar os evangélicos reunidos de “irmão” — pois em suas veias corre o mesmo sangue ideológico de Karl Marx.
Esses “irmãos,” que são em grande parte, de uma linha protestante mais tradicional, não tinham com que se preocupar quando, no início do ano passado, Carvalho revelou que o único obstáculo que resta hoje para o avanço da agenda socialista no Brasil são os neopentecostais.

Oportunismos

Por quê? Porque há uma diferença enorme entre o oportunismo financeiro do líder neopentecostal e o oportunismo ideológico do líder protestante tradicional. O líder neopentecostal apoia o PT e outras esquerdas para proteger suas concessões de rádio, TV e outros espaços, mas prontamente “trai” os esquerdistas quando surge o assunto da agenda gay e abortista.
Silas Malafaia e Marco Feliciano na Marcha para Jesus
O exemplo está aí. Marco Feliciano e Magno Malta apoiaram, por puro oportunismo econômico, Dilma na eleição presidencial de 2010, mas nunca apoiaram as agendas imorais do PT. Pelo contrário, eles denunciam publicamente toda tentativa de legalizá-las.

Esquerda evangélica antineopentecostal

Em contraste, Ariovaldo Ramos e muitos pastores tradicionais apoiaram, por puro oportunismo ideológico, Dilma na eleição, mas têm uma dificuldade colossal de abrir a boca para denunciar o PT quando busca legalizar iniquidades. E ainda fazem um desserviço maior ao Evangelho ao abrirem facilmente a boca para condenar Marco Feliciano e outros líderes pentecostais e neopentecostais que denunciam quando o governo esquerdista promove iniquidades.
Veja o que a esquerda evangélica sabe fazer:
Essa diferença está bem apontada, inclusive a declaração de Carvalho, no meu mais novo livro “Teologia da Libertação X Teologia da Prosperidade.”

A esquerda evangélica inteira, que sempre apoiou o PT, entrou em choque violento quando Feliciano, que não abre mão de denunciar o aborto e a agenda gay, foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos. Chegaram a assinar, juntamente com Ariovaldo Ramos, um manifesto contra Feliciano. Mostraram assim, na prática, que têm de fato o mesmo sangue ideológico de Gilberto Carvalho, que foi vaiado na Marcha para Jesus.
Os líderes que trouxeram Carvalho para a marcha deveriam também ser vaiados, pois perderam a vergonha na cara.
A presença de Carvalho contraria a natureza da marcha, que tem se destacado durante os anos por denunciar o “casamento” gay e o PLC 122.

Por que nenhum protesto contra os roubos estatais?

Os responsáveis pela Marcha para Jesus de São Paulo são o casal Estevam e Sônia Hernandes que, de acordo com a revista Veja, “foram condenados pela Justiça em 2009 por evasão de divisas,” chegando a ser presos nos Estados Unidos. 
Marcha para Jesus protestando contra Cristofobia
Alegadamente, o casal tinha vários esquemas para proteger seu patrimônio da voracidade das políticas de impostos. Essas políticas, sem a menor sombra de dúvida, violam um dos Dez Mandamentos que diz: “Não furtarás.” O governo brasileiro tem furtado em abundância do povo Brasil.
O caminho certo para o casal Hernandes seria fazer como já fazem muito bem na Marcha para Jesus nas questões do aborto e PLC 122: denunciar. Sim, por que não denunciar as políticas estatais de impostos que roubam?
Se até mesmo Tiradentes, que não era pentecostal nem neopentecostal, conseguiu protestar contra uma taxa abusiva de 20 de impostos 200 anos atrás, por que hoje os líderes evangélicos têm vergonha de condenar publicamente os enormes roubos estatais efetuados através de uma taxa mega-abusiva de quase 40 por cento de impostos?

Vaias para Carvalho e “unção” de Clodovil para o casal Hernandes

Dou meus parabéns aos participantes da Marcha para Jesus por terem vaiado Carvalho este ano. Em 2008, os participantes vaiaram Marta Suplicy, que estava no palco da Marcha para Jesus. Dei, na época, igualmente meus parabéns aos corajosos vaiadores.
Tenho certeza de que se Clodovil Hernandes, o homossexual mais famoso do Brasil, estivesse no palco, não só vaiaria Suplicy e Carvalho, mas também teria a mesma hombridade de defender a família, como já fez (conforme registrado neste vídeo: http://youtu.be/F9Gk51EvGko), para grande desagrado de Maria do Rosário e os supremacistas gays do Brasil.

Que Deus dê para o casal Hernandes a mesma hombridade e honestidade do falecido Clodovil Hernandes.
O tema da Marcha para Jesus em São Paulo neste ano foi Novo Tempo, e o Pr. Silas Malafaia, um dos líderes da marcha, disse que é o novo tempo para a família e para fazer do Brasil um país melhor.
Que seja um novo tempo para o casal Hernandes aprender com os corajosos vaiadores da marcha!
Presente também na marcha estava Marco Feliciano com uma camiseta com os dizeres: “Eu represento vocês.”
Daqui a pouco, a esquerda evangélica, que não abre a boca contra seus “irmãos” do PT e outras esquerdas, vai novamente abrir a boca contra Feliciano, inclusive com manifestos com o chavista Ariovaldo Ramos, dizendo que o deputado assembleiano não os representa.
Vão também atacar a Marcha para Jesus, não por ter trazido seu “irmão” Carvalho, mas por ter novamente condenado o aborto, o “casamento” gay e o PLC 122.
E outros evangélicos, que atacam a Marcha para Jesus por ciúmes, continuarão igualmente fechando os olhos para o grave oportunismo esquerdista em seu próprio meio, inclusive para uma famosa marcha presbiteriana no Rio liderada por um líder oportunista que já abriu a boca a favor do ditador Hugo Chavez e contra Marco Feliciano, mas nunca foi repreendido ou criticado pelos habituais criticadores da Marcha para Jesus.
Marcha para Jesus protestando contra o ativismo gay
Quanto à Marcha para Jesus, está indo muito bem, especialmente com as vaias contra Gilberto Carvalho e Marta Suplicy e vários protestos contra o supremacismo homossexual.
Só falta agora, para completar tudo, a coragem de Clodovil Hernandes, que dizia sobre Suplicy exatamente o que ela era: uma cobra oportunista, como todo político esquerdista.
Que o casal Hernandes receba, em nome de Jesus, a “unção” de Clodovil Hernandes!
Leitura recomendada:

29 de junho de 2013

Magali ataca de novo: a esquerda evangélica e as manifestações


Magali ataca de novo: a esquerda evangélica e as manifestações

Julio Severo
O que a esquerda evangélica pensa das manifestações que estão ocorrendo no Brasil? Magali do Nascimento Cunha, professora na Universidade Metodista de São Paulo, dá a resposta.
Se for coisa ruim, podem me chamar que apoio!
Ela defende as manifestações usando os posicionamentos de três lideranças cristãs: Aliança de Batistas do Brasil, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e Bispo Robson Rodovalho.
Aliança de Batistas do Brasil: O destaque dela vai para a Aliança de Batistas do Brasil (ABB), que ela faz questão de colocar em primeiro lugar. A ABB apoia de coração as manifestações. Mas não é só isso que essa entidade, que não tem vínculo nenhum com as grandes convenções batistas do Brasil, defende.
Quando na eleição presidencial de 2010 um líder da Convenção Batista Brasileira denunciou o PT e sua promoção da iniquidade, a ABB prontamente denunciou o líder, expressando “repulsa a toda estratégia político-religiosa de ‘demonização do Partido dos Trabalhadores do Brasil’”. A nota pública também dizia: “A Aliança de Batistas do Brasil sente-se na obrigação de contradizer o discurso que atribui ao PT a emergente ‘legalização da iniquidade’… Enfim, a Aliança de Batistas do Brasil vem a público levantar o seu protesto contra o processo apelatório e discriminador que nos últimos dias tem associado o Partido dos Trabalhadores às forças da iniquidade”.
Neste ano, com o patrocínio da revista Ultimato, a ABB assinou, juntamente com Ariovaldo Ramos e muitos pastores protestantes tradicionais, uma manifesto esquerdista exigindo a remoção do Pr. Marco Feliciano da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.
Com esse currículo fartamente esquerdista, a ABB só podia apoiar as manifestações.
Com seu currículo esquerdista pessoal, Magali só podia gostar do que a ABB faz.
Conferência Nacional dos Bispos do Brasil: Em segundo lugar, na opinião de Magali, fica a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a organização cristã mais esquerdista do Brasil. Sem a CNBB, o Brasil jamais teria Frei Betto, Leonardo Boff e o próprio PT.
Com esse currículo fartamente esquerdista, a CNBB só podia apoiar as manifestações.
Com seu currículo esquerdista pessoal, Magali só podia gostar do que a CNBB faz.
Bispo Robson Rodovalho: Não há nele o radicalismo esquerdista da ABB e da CNBB. Mas suas posturas “mornas” muito contribuem para o aproveitamento dos extremistas. Pelo menos, é o que fica evidente não só pelo apoio dele a Lula em duas eleições e a Dilma Rousseff na eleição passada, mas também pelo seu posicionamento “morno” diante do caso Marco Feliciano.
O apoio de Rodovalho, mesmo que “moderado” e “morno,” para as manifestações, foi visto por Magali como digno de estar em destaque com a ABB e CNBB.
Com seu currículo esquerdista pessoal, Magali deve saber o que faz na sua escolha dos evangélicos estratégicos na sustentação das manifestações.
Em seu textinho, Magali também cutuca a Marcha para Jesus, esperando que o evento não se torne político, isto é, não faça como fez em outras ocasiões, denunciando o PLC 122 e o chamado “casamento” gay. Mas Magali nunca foi vista criticando uma famosa marcha evangélica do Rio de Janeiro que tem o propósito de se alinhar às metas esquerdistas globalistas da ONU.

Quem é Magali?

Interessante, não é? Magali e outros evangélicos esquerdistas defendem seu envolvimento esquerdista na politica, mas expressam mal-estar se um evangélico coloca o posicionamento moral conservador acima do oportunismo assistencialista da esquerda.
O currículo de Magali é carregado de marxismo. Magali do Nascimento Cunha é professora da Faculdade de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo, um dos maiores redutos esquerdistas do protestantismo brasileiro.
Ela é também membro do Comitê Central do Conselho Mundial de Igrejas, o maior reduto de protestantes esquerdistas do mundo.
O site do Conselho Mundial de Igrejas destaca, com louvores, que Magali faz parte da infame Comissão Nacional da Verdade, um grupo criado pelo governo de Dilma Rousseff (que tem passado terrorista comunista) para investigar supostas violações de direitos humanos por parte dos militares contra terroristas comunistas armados que matavam, assaltavam bancos, faziam atentados a bomba, sequestravam, etc.
A Comissão Nacional da Verdade, que julgará apenas os militares e não os terroristas comunistas, tem tido amplo apoio do tabloide sensacionalista Genizah, que tem destacado o papel de protestantes na luta comunista contra o governo militar.
Magali também colocou de fora suas vermelhas unhas comunistas no caso Marco Feliciano, que atraiu a fúria de toda a esquerda secular e evangélica.
Naturalmente, Magali não podia ficar de fora da campanha de ódio perpetrada por seus camaradas contra Feliciano.
Ao reclamar de Feliciano, ela o enquadra como “cristão predominantemente conservador teologicamente, marcado por um fundamentalismo bíblico” — uma acusação rotineira da esquerda protestante contra todo evangélico que não segue a cartilha de Karl Marx ou não compartilha da agenda gayzista e abortista.
O que não é surpresa é que a reclamação dela foi postada, em seu blog pessoal, por Leonardo Boff, um ex-católico que é o maior promotor da Teologia da Libertação no Brasil.

Magali e a liberdade dos psicólogos ajudarem pessoas a se livrar da opressão homossexual

Em seu textinho, Magali procura também expressar seu mal-estar com o projeto de lei do Dep. João Campos que foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos (CDH). A esquerda secular inteira está contra Feliciano pelo fato de que a CDH o aprovou e Magali aponta uma declaração de Feliciano que disse: “Psicologia está ideologizado pelos ‘esquerdopatas’ e pelo movimento gay.”
O projeto de lei restaura aos psicólogos a liberdade e o direito deles atenderem pacientes que querem se livrar de seus problemas homossexuais.
Magali, que se mostra do lado dos opositores do projeto, não parece ver com bons olhos que Silas Malafaia esteja apoiando o projeto.
No entanto, o apoio maior de Magali é às manifestações.

Magali e as manifestações

Se a esquerda (secular e cristã) está vendo as manifestações com bons olhos, é porque ou estão sob controle de movimentos esquerdistas ou então podem ser facilmente manipuladas para objetivos esquerdistas.
Exemplo de pura manipulação é o primeiro discurso de Dilma sobre as manifestações. Alegando atender aos “anseios” dos manifestantes, Dilma prometeu apressar a vinda, sob pretexto de fornecer mais médicos ao SUS, de milhares de agentes cubanos ao Brasil. Fica claro então que mesmo que os protestos tivessem boas intenções, Dilma não tem, e usará sua más intenções para levar o Titanic da nação brasileira às gélidas águas do naufrágio marxista.
Magali, ABB e CNBB estão prontas para levar o Brasil nessa viagem. Evangélicos mornos são os inocentes ou idiotas úteis que ajudam nessas manobras.
Magali faz questão de negativamente mencionar a opinião de Marco Feliciano sobre as manifestações, o qual acertadamente disse: “O País está à sombra da Anarquia.”
Ela também destacou de modo negativo Silas Malafaia, que disse: “No Brasil o perigo são os esquerdopatas ultrarradicais que pregam baderna, vandalismo, derramamento de sangue, para que possa haver uma verdadeira revolução.”

Ariovaldo Ramos

Em contraste, Magali mencionou de forma positiva que numa reunião de Dilma com os supostos líderes das manifestações estava um “representante” evangélico: Ariovaldo Ramos.
O fato é que as manifestações impulsionaram Dilma no seu desejo de trazer milhares de agentes cubanos disfarçados de médicos — a mesma novela que viveu a Venezuela. O Brasil só teria uma reprise venezuelana.
Hugo Chavez
Com o avanço das manifestações, Dilma falou em nova Constituição — exatamente como fez a Venezuela de Hugo Chavez.
E para completar o quadro, nada mais justo do que Dilma trazer um evangélico chavista para sua reunião especial com os “líderes” dos manifestos.
O fanatismo evangélico esquerdista a favor de Chavez é tão grande que um pastor presbiteriano declarou que se fosse Deus, daria vida longa a Hugo Chavez e um derrame para Feliciano.
Magali disse que está ansiosa para publicar a conversa de Ariovaldo com Dilma.
Esses encontros e apoios são justificados pela desculpa de que se o PT e outros marxistas ajudam os pobres, então devemos apoiá-los. Eles têm assim ampla defesa entre Magalis, ABB, CNBB e Rodovalhos.
Contudo, esse apoio ocorre à custa de valores morais e cristãos. O PT, que cobra impostos elevadíssimos para suspostamente ajudar os pobres, se autoajuda com o dinheiro do bolso do trabalhador brasileiro, investindo em necessidades “urgentes” da população, como a doutrinação homossexual das crianças nas escolas e financiamento pesado de grupos supremacistas gays que querem criminalizar a crítica às repulsivas práticas sexuais deles.

Magali: a nova estrela da esquerda evangélica

Magali, que vivia basicamente nas sombras, virou destaque semanas atrás no tabloide calvinista sensacionalista Genizah, com um artigo que atacava um forte vídeo da Dra. Damares Alves denunciando o comprometimento do governo petista na doutrinação imoral das crianças das escolas.
Magali alegou que Damares “não tinha provas,” como se fosse impossível provar que o governo do PT está investindo milhões na doutrinação imoral das crianças. Magali foi incapaz de apresentar evidências de que o governo federal não está, por exemplo, homossexualizando os alunos das escolas públicas.
O que ficou óbvio é que Magali estava apenas tentando defender o governo do PT, que é um governo de esquerda. Na visão das Magalis, ABB, CNBB e evangélicos mornos, um governo esquerdista tem de ser apoiado, até mesmo quando quer impor aborto, homossexualidade e infanticídio indígena sobre o Brasil.

O jeito cristão de ajudar os pobres

A mensagem que tenho é que Magali, a ABB, a CNBB e Robson Rodovalho não precisam apoiar um governo esquerdista para ajudar os pobres. Magali tem um excelente emprego como professora universitária, e ocupa outros importantes cargos que trazem um excelente salário para ela. Por que ela não dá seus salários, carros e propriedades para os pobres? Não foi isso o que Jesus ensinou?
Eis que alguém chegou perto de Jesus e consultou-o: “Mestre, que poderei fazer de bom para ganhar a vida eterna?” Questionou-o Jesus: “Por que me perguntas a respeito do que é bom? Há somente um que é bom. Se queres entrar na vida eterna, obedeça aos mandamentos”. Ao que ele perguntou: “Quais?” E Jesus lhe respondeu: “Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não darás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo”. Replicou-lhe o jovem: “A tudo isso tenho obedecido. O que ainda me falta?” Jesus disse a ele: “Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá o dinheiro aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me”. Ao ouvir essa palavra, o jovem afastou-se pesaroso, pois era dono de muitas riquezas. (Mateus 19:16-22 KJA)
Jesus não orientou o jovem a se envolver com política para introduzir uma lei para tirar o dinheiro dos outros para ajudar os pobres. Ele disse: “VOCÊ, venda tudo o que tem e dê aos pobres.”
Esse é o legítimo jeito cristão de fazer as coisas.
Magali quer ajudar os pobres? Jesus diz a ela: “Magali, venda seus carros e propriedades e dê, junto com seus salários, aos pobres.”
Perto de mim, Magali é muito rica. Não tenho casa, propriedades, carros e salários.
A CNBB quer ajudar os pobres? Jesus diz: “Vendam tudo o que têm e deem aos pobres.”
A ABB quer ajudar os pobres? Jesus diz: “Vendam tudo o que têm e deem aos pobres.”
Robson Rodovalho quer ajudar os pobres? Jesus diz a ele a mesma coisa que diria a Magali.
Entretanto, esse não é o jeito marxista de fazer as coisas.
Em vez de se sacrificarem e darem tudo o que têm, eles querem obrigar os outros a serem sacrificados para darem tudo o que têm.
Querendo ou não, as manifestações levarão exatamente a isso. Dilma e Magali jamais darão tudo o que têm. Digo isso porque conheço a doença mental chamada marxismo.
Mas elas lutarão para que você seja obrigado a dar tudo o que tem para os roubos estatais travestidos de impostos.

Manifestação segundo o coração de Deus

O salmista diz:
“Quem se levantará a meu favor contra os ímpios? Quem permanecerá ao meu lado combatendo os malfeitores?” (Salmo 94:16 KJA)
Tenho denunciado homens e mulheres que usam o nome de Jesus Cristo para promover a ideologia esquerdista, e agora me uno ao salmista:
Quem se levantará a meu favor contra o governo que promove o aborto, o homossexualismo e outras iniquidades? Quem permanecerá ao meu lado combatendo os promotores de iniquidades?
Quem se levantará a meu favor para protestar contra os evangélicos que apoiam o governo que promove iniquidades?
Leitura recomendada:

28 de junho de 2013

Conflitos morais entre EUA e África


Conflitos morais entre EUA e África

Julio Severo
Pondo a nu um forte conflito moral, o presidente americano Barack Obama na quinta-feira (27 de junho) exortou os líderes africanos a estender direitos especiais para gays e lésbicas, mas foi repreendido de forma direta pelo presidente do Senegal, o qual disse que seu país “ainda não está pronto” para descriminalizar a homossexualidade, de acordo com uma reportagem da Associated Press.
Obama iniciou sua viagem de uma semana a África um dia depois que o Supremo Tribunal dos EUA derrubou a defesa ao casamento tradicional na lei federal dos EUA para garantir direitos especiais para duplas gays. Em seus primeiros comentários pessoais sobre o veredicto, Obama disse que a decisão do tribunal marcou um “dia de orgulho para os EUA.” Ele pressionou em favor de similar aceitação da homossexualidade na África, atacando uma área sensível numa região marcada por fortes contrastes morais com os EUA. Dezenas de países africanos criminalizam a homossexualidade, com sua experiência passada de abusos generalizados de meninos perpetrados por homossexuais.
Obama e Macky Sall
Durante uma entrevista coletiva com Macky Sall, o presidente do Senegal, no palácio presidencial em Dakar, Obama louvou a derrubada da defesa do casamento na lei federal americana.
Ele exortou Sall a ter semelhantes mudanças legais no Senegal, pondo a defesa do casamento tradicional abaixo da agenda gay.
Contudo, Sall não cedeu. O Senegal, ele disse, “não está ainda pronto para descriminalizar a homossexualidade.” Estará algum dia pronto?
Vai depender dos poderes de “persuasão” que o governo americano exerce. “Imperialismo cultural,” um excelente vídeo produzido por Family Watch International (http://youtu.be/HbjAFUGQ3Xg), mostra como a ONU e os EUA usam pressões e chantagem para forçar as nações em desenvolvimento para adotar agendas imorais.
Pelo padrão dos EUA, as nações africanas só serão classificadas de democráticas depois que avançarem agendas imorais, especialmente a agenda homossexual? Ao que consta, 38 países africanos criminalizam a homossexualidade. Isso, na opinião de Obama, é antidemocrático.
Democrático é o que o governo dos EUA faz: doutrinar suas crianças de escolas nas perversões homossexuais e criminalizar a crítica de atos homossexuais pervertidos claramente condenados pela mesma Bíblia que foi muito importante na vida dos fundadores dos EUA.
O que é curioso é que os EUA de hoje são um vasto contraste moral não só com as nações da África, mas também com os EUA visualizados e criados por seus fundadores cristãos.
Basicamente, a Bíblia e os valores cristãos estão sendo criminalizados nos EUA, que abandonaram sua República baseada na Bíblia para abraçar e impor uma democracia que defende a homossexualidade.
Espero que a África consiga resistir a tal “democracia.”
Com informações da Associated Press.
Versão em inglês deste artigo: Moral clash between US and Africa
Leitura recomendada:

27 de junho de 2013

Cristãos sírios: “Por que os EUA estão em guerra contra nós?”


Cristãos sírios: “Por que os EUA estão em guerra contra nós?”

CBN News
Os cristãos sírios estão perguntando por que os Estados Unidos estão apoiando extremistas que querem transformar a Síria num Estado islâmico.
Cristãos sírios
Esse testemunho foi dado durante uma audiência no Congresso dos EUA sobre as minorias religiosas da Síria na terça-feira.
O Dep. Chris Smith (R-N.J.), que preside a Subcomissão da Câmara sobre África, Saúde Global e Direitos Humanos, pediu que o presidente Barack Obama defendesse os direitos dos cristãos sírios.
Numa declaração de abertura na audiência da terça-feira, Smith disse que as estatísticas mostram “que os cristãos temem muito mais por suas vidas e segurança do que outros segmentos da população síria.”
Nina Shea, diretora do Centro de Liberdade Religiosa do Instituto Hudson, testificou que insurgentes islâmicos estão fazendo os cristãos de alvo para “purificação étnico-religiosa.”
O Dr. John Eibner, presidente de Solidariedade Cristã Internacional, também deu testemunho e disse que cristãos desalojados estão lhe perguntando: “Por que os EUA estão em guerra contra nós?”
Eibner disse à comissão que ele recentemente voltou de uma viagem à Síria onde se encontrou com “sírios alegres e corajosos, principalmente cristãos desalojados e obreiros de igrejas.”
“As vítimas narraram para mim a purificação religiosa de vizinhanças cristãs em Homs e Qusair efetuada por extremistas islâmicos armados que as ameaçavam de morte se não abandonassem seus lares,” disse ele.
Traduzido por Julio Severo do artigo da CBNNews: Syrian Christians: “Why Is America at War with Us”
Leitura recomendada:

26 de junho de 2013

Luto nos EUA: O fim da Defesa do Casamento na lei federal dos EUA


Luto nos EUA: O fim da Defesa do Casamento na lei federal dos EUA

Julio Severo
Em decisão histórica, o Supremo Tribunal dos EUA deu hoje (26 de junho de 2013) dois veredictos contra a família natural. Em resposta às exigências dos supremacistas gays, a Lei de Defesa do Casamento foi invalidada na proteção que dava ao casamento natural contra a ideologia do “casamento” gay. O Supremo Tribunal declarou que é inconstitucional a lei federal defender que “casamento é somente entre um homem e uma mulher.”
Gay festejando na frente do Supremo Tribunal dos EUA
O que virá depois? Uma decisão dizendo que é inconstitucional o casamento somente entre seres humanos, abrindo as portas para outras aberrações?
A outra decisão foi derrubar uma iniciativa, aprovada pelo povo da Califórnia, que impedia o supremacismo gay de desfigurar e mutilar o casamento natural com sua cópia pirata de casamento.
Barack Obama, presidente dos EUA, imediatamente expressou sua euforia com a vitória gay obtida no mais elevado tribunal dos EUA. Obama disse:
“A decisão contra a Lei de Defesa do Casamento é um avanço histórico para a igualdade do casamento.”
Obama também telefonou aos principais ativistas gays envolvidos na derrota do casamento natural na lei federal americana, parabenizando-os.

A alegria de Hollywood

Hollywood, que sempre esteve na vanguarda da promoção de aberrações comportamentais, reagiu com alegria à decisão do tribunal americano, conforme reportagem da Associated Press.
* “Dia histórico,” disse Leonardo DiCaprio.
* “Permanecemos no alto hoje. A lei de Defesa do Casamento foi derrubada. Muitos lutaram por muito tempo. Orgulhem-se: o preconceito agora é minoria,” disse Lady Gaga.
* “Hoje, celebramos,” disse Cyndi Lauper.
Em pronunciamento oficial, Obama disse:
“Aplaudo a decisão do Supremo Tribunal de derrubar a Lei de Defesa do Casamento, que era discriminação consagrada em lei. Tratava compromissadas duplas gays e lésbicas amorosas como uma classe separada e inferior de pessoas. O Supremo Tribunal corrigiu esse erro, e nosso país está em situação melhor por causa dessa decisão.”

Apostasia

Nada disso seria possível se a Igreja Americana não estivesse tão avançada em apostasia descarada — uma apostasia que está varrendo principalmente as igrejas protestantes históricas dos EUA. O Rev. Gary Hall, deão da Catedral Nacional de Washington, disse:
“As decisões de hoje avançam a igualdade no casamento civil, mas deveriam servir como uma chamada para os cristãos abraçarem a igualdade do casamento. Inúmeros cristãos fieis estão vivendo suas vidas em relacionamentos homossexuais compromissados, e temos visto os frutos de sua fidelidade em nossas famílias, nossas congregações e nossas comunidades. Se usarmos este momento histórico para ver com mais clareza como a fidelidade deles contribui para o bem comum, teremos condições melhores de caminhar com nossas irmãs e irmãos LGBT como um ato de fé cristã.”
Catedral Nacional de Washington
Em contraste, Billy Graham sempre cita uma declaração de sua esposa: “Se Deus não castigar os Estados Unidos, Ele terá de pedir perdão para Sodoma e Gomorra.”
Com a decisão de hoje do Supremo Tribunal dos EUA, já não dá para saber a diferença entre Sodoma e EUA.

O dono do Supremo Tribunal dos EUA

Quando li a manchete do noticiário americano hoje de manhã, fiquei chocado. Fiquei também muito triste com esse gigantesco passo de decadência.
Supremo Tribunal dos EUA
Minha esposa, que não tinha lido a notícia, havia também acordado muito triste e somente mais tarde me contou que teve um sonho, onde ela viu um prédio como um templo. Quando ela me descreveu o prédio, pude entender que era o prédio do Supremo Tribunal dos EUA. Mostrei a ela a foto desse prédio, e era realmente isso. Ela viu Satanás enorme ali dentro, sendo adorado pelos juízes americanos e outros que trabalham naquele lugar. Ela viu Satanás tão grande quanto o próprio templo do Supremo Tribunal, espumando ódio por todas as pessoas que adoram Jesus Cristo.
Ela viu os adoradores de Jesus, os quais tinham uma pequena sala para oração naquele prédio, muito tristes e temendo pelo que ainda poderá vir, pois Satanás, que ela viu como dono de todo o espaço no Supremo Tribunal, queria adotar mais medidas para perseguir os cristãos. A derrubada da Lei da Defesa do Casamento é só o primeiro passo do dono do Supremo Tribunal.

Angústia de líderes conservadores

Essa derrubada trouxe reações angustiadas da liderança conservadora dos EUA:
* “Sentimo-nos devastados que o Supremo Tribunal tenha sucumbido às pressões políticas votando para enfraquecer a instituição sagrada [do casamento]. Negligenciaram nossos filhos muitíssimo preciosos que precisam de uma mãe e um pai unidos em casamento para desenvolvimento saudável.” — Rev. William Owens, presidente da Coalizão de Pastores Afro-Americanos.
* “Estamos profundamente entristecidos com a decisão de hoje de não só permitir, mas incentivar o casamento de mesmo sexo em nosso país — um país que foi fundado em princípios bíblicos. Choramos pelo futuro dos EUA.” — Tim Wildmon, presidente da Associação da Família Americana.
A Lei de Defesa do Casamento havia sido aprovada na década de 1990 para deter o avanço dos militantes do “casamento” gay. A lei federal especificamente declarava que o casamento era somente entre um homem e uma mulher.
Com a derrubada dessa defesa exclusiva do casamento natural, agora toda defesa do casamento deverá incluir também as duplas gays.

As consequências para o Brasil e outros países

Como a decisão do Supremo Tribunal dos EUA afetará o Brasil e outros países?
Os EUA são hoje a única superpotência do mundo, e estão priorizando as questões homossexuais na sua sociedade e em suas políticas externas.
A prioridade do Departamento de Estado dos EUA, desde dois anos atrás, tem sido promover e defender os chamados direitos homossexuais.
Um grupo pró-família dos EUA produziu no ano passado um vídeo denunciando o imperialismo homossexual que vem especialmente através do governo americano. O vídeo, que está aqui (http://youtu.be/HbjAFUGQ3Xg), mostra que as nações que não se submetem ao imperialismo homossexual imposto pelos EUA acabam vítimas da truculência americana, perdendo ajuda necessária.
A política da chantagem americana para os países pobres hoje é aceitarem a agenda gay por um prato de comida ou remédios.
A pressão psicológica desse imperialismo vem principalmente de Hollywood, que é a maior máquina de propaganda do mundo, inteiramente a serviço da agenda gay.
A luta dos cristãos pró-família será agora mais difícil, pois ao igualar casamento natural com o “casamento” gay, os EUA estão agora liderando, como superpotência que são, o enfraquecimento da família natural em todos os países sob sua influência cultural e financeira.
Se lutarmos contra militantes gays que usam crianças de escolas públicas para promover propaganda homossexual, eles poderão facilmente se defender dizendo: “Estamos apenas defendendo a família. Esqueceu que até os EUA agora oficialmente dizem que ‘casamento’ gay é casamento normal? Somos iguais. Atacar a agenda gay agora é atacar a família.”
Bem-vindo ao mundo recriado conforme a imagem e semelhança do imperialismo homossexual patrocinado pelos EUA.
A decisão do Supremo Tribunal dos EUA hoje é motivo de farras anais para os que querem destruir a família natural, mas é luto para as famílias do mundo inteiro.
Com informações da Associated Press e Daily Mail.
Leitura recomendada: